História A rainha, a princesa e a plebeia - Camren - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, Camila Cabello, Demi Lovato, Fifth Harmony, Jessie J, Katy Perry, Selena Gomez, Shawn Mendes, Taylor Swift
Personagens Ally Brooke, Ariana Grande, Camila Cabello, Demi Lovato, Dinah Jane Hansen, Jessie J, Katy Perry, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais, Selena Gomez, Shawn Mendes, Taylor Swift
Tags Camren, Demally, Norminah
Visualizações 109
Palavras 1.868
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Shoujo (Romântico), Shounen, Sobrenatural, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 16 - Tempos de escolher


Quatro dias haviam se passado desde que o corvo mensageiro voltou para o Reino Califórnia. O mesmo era governado agora por Demétria Lovato, a filha mais velha dos sete irmãos, ou melhor, seis, pois um havia sido morto de forma violenta por um dos Marrone. O que resultou em uma terrível briga entre as famílias. O que era mais preocupante era a situação de Demétria, pois agora ela tinha que lutar para reconquistar alianças que seu pai havia quebrado quando estava sobre o poder. Uma delas foi a aliança com o Reino Miami, que por sua vez, foi traído pelo Reino Califórnia assim que tentaram invadir e tomar o reino enquanto era governado por Michael Jauregui III, avô de Michele e Lauren.

- O que acha que vai acontecer? - Camila perguntou ao lado de Allyso em sua cama.

- Hã? - Allyson se virou para Camila e a olhou confusa.

- Você sabe. Agora que Lauren está voltando ao normal... Você acha que ela irá dispensar meus serviços? Tipo... Agora ela não irá mais precisar que eu cuide dela. - Camila falou olhando para o teto da casa de Florência.

- Hum... É, pode ser. Mas tenho certeza que vocês continuaram amigas. Michele nos conheceu de uma forma bem... Estranha e diferente, mas mesmo assim ela deu passe livre para nós andarmos pelo Castelo para visita-la sempre que quisermos e ainda exige nossas visitas. - Allyson falou para sua amiga que estava pensativa.

- Uh... Tem razão. - Falou Camila e olhou para a amiga. - Bom, eu já vou indo. Eu disse para minha mãe que iria lhe ajudar a fazer o jantar. - Camila falou se levantando da Cama.

- Certo. Mande abraços para a tia Sinu e o tio Alê. - Allyson levntou e levou a amiga até a porta. - Tchau, Mila. Cuidado. - Sorriu. - Diga à Sofi que eu a odeio. - Sorriu largo.

- Pode deixar, baixinha. - Camila sorriu e virou em direção a rua que estava pouco movimentada.

Os passos de Camila estavam calmos até ela passar em frente ima bordel e um homem nobre acompanhado de guardas sair de lá.

- Hey, garota. Quer uma moeda de ouro? - O homem falou alto enquanto Camila apenas apressou os passos. - Hey, plebeia, estou falando com você, seu rato de esgoto. - O homem gritou contrariado.

- Seu gordo nojento, você quer mesmo um rato de esgoto? - Camila sorriu enquanto começava a correr e olhava pra trás. - Um rato com um pau maior que o seu. - Sorriu mais ainda e correu mais vendo os guardas correndo em sua direção.

- Peguem essa escrota! - O homem gordo gritou e os guardas apressaram mais.

Camila viu que não tinha sido uma boa ideia sair aquela hora da noite, pior ainda ter instigado um gordo rico.

"Que droga eu fiz?" 

Pensou Camila enquanto corria pelas ruas desertas da cidade. Tudo parecia em câmera lentra naquele momento. Camila olhou para trás e viu os guardas cada vez mais próximos. 

Enquanto isso no quarto na casa dos Cabello.

- Dinah querida, pode pegar um... - Alejandro foi interrompido assim que viu a loira cair no chão tendo um convulsão. - Dinah! - O homem correu e pegou um pano de cozinha e correu até a mulher que se debatia no chão sentindo sua tatuagens queimarem por todos os braços, clavícula e rosto. As tatuagens estavam se arrastando lentamente em direção aos olhos da mulher. - Ai meu pai. - Alejandro pôs o pano enam sua mão e enfiou a mão na boca de Dinah e segurou sua língua, impedindo ela de se engasgar com a saliva.

- Alejandro! Ela está tendo uma visão?! - Sinuhe chegou e segurou os braços de Dinah mas a mesma está se debatendo muito e foi difícil de segurar aquela mulher enorme.

- Dinah, vai passar, vai passar. - Sinuhe falava baixinho sentindo seus olhos marejados. Aquilo só acontecia quando algo muito, muito ruim iria acontecer.

Depois de alguns segundos o corpo de Dinah simplesmente morreu por alguns segundo e voltou a funcionar. Alejandro oolhou para Sinuhe e a mulher suspirou sentindo as lágrimas descerem por seu rosto. A mulher criava Dinah como sua filha desde os dez anos e só viu isso acontecer três vezes, com essa qquatro.

- Que Deus nos proteja. - Alejandro falou e pegou Dinah nos braços com dificuldade e a levou para o quarto que ela dividia com Camila.

Enquanto isso Camila estava correndo segurando seu vestido e correndo. Seu corpo já estava exausto e ela já estava sem esperanças... Até que uma ideia surgiu em sua cabeça.

- Isso tem que dar certo. - Camila entrou em um beco escuro e logo viu os guardas entrando e caminhando devagar em sua direção. Camila se apoiou na parede e respirou fundo.

FLASHBACK ON

Camila, Dinah e Sofia caminhavam pela floresta enquanto seus pais preparavam-se para a chegada da noite na floresta. Camila tinha onze anos, assim como Dinah e Sofia tinha oito anos.

- Ei, olha, uma caverna. - Sofia gritou animada apontando para a caverna.

- O que acham de explorar, uh? - Dinah sorriu de forma sapeca e jogou os bracinhos para o ar. - Vamos, guerreiras! - A garotinha de braços tatuados falou animada e as duas outras garotas a seguiram como se estivessem embarcando em uma aventura de cavaleiros.

As três garotas atravessaram o lago raso com pedras grandes e passaram pela entrada da caverna e escutaram gemidos de dor baixinhos. 

- Ouviram isso? - Camila perguntou com medo.

- Sim. - Sofia respondeu se escondendo atrás de Camila.

- Vamos ver o que é. - Dinah falou séria e foi ccaminhando.

- Dinah, não. - Camila sussurrou baixinho mas a pequena loira não ligou e continuou indo em direção aos gemidos. - Dinah... Droga! Vem, Sofi. - Camila mesmo com medo segurou na mão de Sofia e foi seguindo Dinah até que a loira parou bruscamente com os olhos fixados em um canto escuro da caverna. - Dinah, o que... - Camila parou ao ver o que tinha ali.

- Estou com medo... E se for um bicho...? - Sofia falou com a voz chorosa e temerosa.

- Shhhh! Silêncio, Sofi. - Dinah falou baixo e se aproximou não ouvindo mais os gemidos e soluços. - Olá! - Falou alto. - Tudo bem? - Dinah falou se aproximando mais com passos cuidadosos.

- Vai embora! - Uma voz rouca e infantil saiu como um grito e ecoou por toda a caverna.

- Ei, calma. Nós somos legais, certo? - Dinah falou e Camila a seguiu. - Eu sou a Dinah, aquela é a... -

- Não se aproxime de mim! - Dinah foi cortada por outro grito.

- Ei, não grite. - Dinah falou emburrada. - Somos crianças, não iremos te fazer mal. - Dinah falou até que conseguiu tocar o ombro da criança que estava escondida nas sombras mas logo em seguida sentiu uma ardência em sua mão. - Aí! - Gritou caindo para trás. - Você me mordeu! - Ela falou já chorando.

- Ela mordeu a Dih! Ele vai me matar! Papai, mamãe! - Sofia saiu chorando desesperada em busca de seus pais.

- Sofia! Dinah... Você... Droga! - Camila estava desesperada.

- Vai embora! - Gritou novamente e pegou uma pedra e levantou cambaleante. - Ninguém vai mais me machucar. - Das sombras da caverna saiu uma garotinha loira pelada. O sangue da garota corria pelo seu corpo saindo dos inúmeros cortes que fizeram nela. - Saíam daqui! - A garota levantou o braços pronta para jogar a pedra mas algo fez com que Camila, em um ato desesperado, deixasse seu corpo relaxar e sua mente vagar por aquele local de uma forma absurdamente rápida até que entrasse no corpo da garota a fazendo desmaiar. Camila logo voltou sua mente para seu corpo e viu uma Dinah assustada e a garota cair.

- Camila, Dinah! - A voz de Alejandro foi ouvida de longe.

FLASHBACK OFF

- Isso tem que dar certo! - Camila sussurrou e sentiu seu corpo esquentar e relaxar ao mesmo tempo, sua mente focou apena naqueles dois homens a sua frente, ela revirou os olhos de forma involuntária e logo ela tinha ido parar no guarda que estava à esquerda. Ela estava no corpo do guarda do lado direito e pegou na espada e a puxou o outro guarda vendo aquele ato, repetiu mas antes que ele falasse alguma coisa Camila fez com que a espada fosse direto para o pescoço do homem e separasse a cabeça do pescoço do guarda. Camila voltou para o seu corpo e logo viu o homem a sua frente desmaiar.

(N/A: Sabem o Bran de Game Of Thrones? Pois é, resolvi fazer fazer a Camila ter o poder dele só que ela lê mentes.)

- Aí... Minha cabeça. - Camila gemeu com uma dor quase insuportável em sua cabeça e saiu daquele beco se segurando nas paredes até chegar em sua casa.

Camila assim que bateu na porta de madeira esperou uns segundos até que a mesma fosse aberta por uma Sofia preocupada e com o nariz vermelho e olhos marejados.

- Camila! - Sofia abraçou a irmã.

- So... - Não terminou nem a fala e desmaiou nos braços da irmã.

Enquanto isso em um Reino distante chamado Califórnia...

- Minha senhora, uma mensagem chegou de Miami. - Um guarda entrou na sala de Demétria após ela conceder a entrada.

- Me dê. - Pediu apressada. - Obrigada, pode se retirar.

- Sim, senhora. - O rapaz saiu da sala.

 Demétria Lovato, é muito surpreendente um pedido desses vindo de um Lovato. Afinal, nossos antepassados fizeram com que nós nos conhecêssemos a pena como inimigos. Mas, tenho que admitir uma coisa: os atos do passado influenciam no futuro mas nada que não podemos mudar. Eu Michele Jauregui, aceito fazer uma aliança com os Lovato, porém você mesma irá ter que vir até mim e pedir isso. 

Michele Jauregui Morgado. 

Demétria leu aquilo e suspirou. Poderia ser uma armação mas ela sabia que teria que arriscar. Ela sabia que os Marrone fizeram aquilo com um intuito de provocar uma guerra e se uniram com um dos reinos mais fortes que tinha. Demétria sabia que graças ao seu "querido'' pai ela não tinha aliados suficiente e que o sonho dos Marrone era ter seu reino para seu dominó. Porém, a mulher sabia que poderia convencer alguém poderoso a lhe ajudar e ela escolheu o mais poderoso de todos: Michele Jauregui.

"O reino ficará vulnerável com a minha ausência, porém é preciso. Tenho certeza que ao longo dos anos eu conquistei a confiança de mesus homens o suficiente para eles não serem subordinados. Com certeza os Marrone irão aproveitar a minha ausência para atacar e invadir o reino, mas... Eu tenho que ir. Tenho certeza que se essa guerra não acontecer agora irá acontecer mais tarde... Quando  eles estiverem mais fortes e mais ricos. Quem tem mais dinheiro sempre ganha. Mas eu sou mais rica. Bom, eu era até eles se juntarem. Mas... Michele é mais rica e tem um exército gigantesco... Isso será preciso." Ponderou Demétria até que respirou fundo várias vezes e olhou para a porta e depois para a carta e depois para a porta.

- Eu vou ter que arriscar... - Falou para si mesma. - Joshua! - Chamou seu conselheiro fiel. - Eu irei à Miami. -



Notas Finais


Se prestarem atenção irão achar uma resposta para uma pergunta que já me fizeram. ;-;


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...