História A Rainha Dourada - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Crônicas De Gelo e Fogo (Game of Thrones)
Personagens Cersei Lannister, Jaime Lannister, Lyanna Stark, Rhaegar Targaryen
Tags Cersei, Jaiana, Jaime, Jon, Lannister, Lyaime, Lyanna, Rhaegar, Ship, Snow, Targaryen
Visualizações 49
Palavras 1.053
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fantasia, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


mais um nesse dia lindo ^^

Capítulo 11 - Rhaegar Targaryen


Ser rei era cem vezes pior do que imaginara depois que Lyanna contou-lhe o que Tywin Lannister fizera, se viu obrigado á destituir- lhe do cargo de mão, não via como podia perpetuar uma pessoa que incitava a violência e estupros dentro de seu próprio castelo.

Agora tinha uma longa e árdua tarefa encontrar uma pessoa adequada para ser sua mão, e outras que do mesmo modo fossem de confiança para o pequeno conselho, o pai havia se cercado de piromantes, e ele tinha mandado todos embora.

Para piorar a situação que se encontrava não conseguia olhar para sua esposa, depois que soubera o que ela fez, em alguns momentos tinha vontade de mandar prende-la e julgá-la por tentativa de assassinato, talvez se o fizesse pudesse se entregar ao amor que sentia por Lyanna e estava o corroendo, porém tinha pena de sua filha que cresceria sem a mãe, e imaginava que Cersei fizera aquilo por ciúme de mulher que fora traída.

— Vossa Graça- Meistre Pycelle o chamou, se aproximando dele, ao seu lado estava um homem baixo, e magro, com cabelos negros, e olhos verdes acinzentados- Esse é Petyr Baelish- o homem fez uma pequena reverência- Lorde Hoster Tully pede que o aceite como mestre da moeda- explicou entregando um pergaminho selado com uma truta.

Rompeu a cera e leu o conteúdo.

— Problemas com a filha de Lorde Tully?

Petyr sorriu um sorriso enigmático, mas nada disse, o Rei analisou novamente o rolo.

— Que tipo de comércio possui?

— Nenhum que possa agradar a Vossa Graça, somente um modesto estabelecimento, onde os homens podem se divertir e esquecer as tristezas do dia nos braços de uma mulher, ou duas se puder pagar- ele gracejou, e Rhaegar sorriu.

— Não é muito jovem para possuir tal tipo de estabelecimento?- Perguntou.

—O que mostra o meu talento para administrar.- ele rebateu.

O rei assentiu , o homem parecia ser mais inteligente do que devia, teria que tomar cuidado, porém precisava de alguém que fosse capaz, e aquele parecia ser o caso.

— Senhor Baelish, o Meistre irá designar um aposento para o senhor, participará de nossos conselhos , e avaliarei se é adequado.

— Fico grato, Vossa Graça- Disse fazendo uma pequena mesura e em seguida se retirando.

—Meistre vá e o auxilie, mas antes me diga como está Joanna?

Pycelle fez uma carranca.

— Já lhe disse a menina vai morrer, ela tem febres e respira com dificuldade, é difícil que sobreviva, nem parece uma Targaryen.- As palavras do velho o deixaram empertigado, quando viu o bebê a primeira vez teve uma sensação estranha, não se parecia com ele, os olhos eram de Cersei, por certo, mas o incomodava que não tivesse nenhum traço de sua família, nem mesmo os cabelos, que eram dourados e não prateados, todavia com as preocupações de seu novo encargo, não pensou mais nisso, ver outra pessoa afirmar isso o deixava profundamente irritado.

— O que quer dizer?- ele perguntou

O homem ficou vermelho, e quando tentou falar quase se engasgou em um ataque de tosse.

— Nada, vossa graça.Se não precisa mais de mim vou me retirar.- O rei concordou, e nem bem o Meistre havia saído, percebeu que estava sendo observado.

Sua esposa, ela se aproximou e o beijou levemente nos lábios, percebeu satisfeito que apenas alguns dias após o parto já exibia uma bela forma novamente.

— Tem andado distante- cobrou.Ele deu de ombros sem se importar em responder, e ela continuou- Recebemos um convite para o torneio de Harrenhal, gostaria que fossemos- ela pediu com voz doce.

— Eu irei, você ficará, Joanna precisa de cuidados, uma viagem mesmo curta a mataria.

Cersei se enfureceu com a resposta.

—Toma-me por uma estúpida?Quer ir para o torneio, e me deixar para se encontrar com aquela puta?- acusou cheia de raiva

Rhaegar, a olhou fixamente fazendo com que se encolhesse, o pai diria que ela acabara de acordar o dragão.
—Nunca repita isso!Ouviu bem?Ela é a mulher do seu irmão!Entendeu?- não fazia sentido negar nada, sabendo que ela também sabia.

—Você a ama!- ela acusou- Você a ama!
Não importou-se em responder, nos últimos dias percebera que precisava de Lyanna como do ar pra respirar, queria ela, e não só carnalmente, queria estar ao lado dela, sentia inveja de Jaime que podia ter seu corpo no momento que quisesse.

Cersei viu em seus olhos que estava certa,o encarou com asco, e saiu rodopiando suas saias, levando o pouco de dignidade que ainda lhe restava.

Depois disso todas as conversas que tinham terminavam mal.

Certo dia a mulher mal havia saído, e ouviu alguém trás dele dizer.

— Não tem se dado bem com sua esposa, Vossa Graça?- Petyr surgiu de algum lugar, não tinha sequer notado que estava ali, e não sabia o que ele presenciara.
— Se quiser manter o seu cargo, sugiro que não se meta em meus assuntos- disse friamente, porém em tom de ameaça.
— Mil perdões, meu Rei,as criadas falam, e não pude deixar de ouvir que nutre certa afeição pela Senhora Lyanna,poderia providenciar que se encontrassem, meu estabelecimento é discreto, chegando até a passar por uma casa.-sugeriu solicito.
"O homem me tem nas mãos" pensou exasperado.
— O que ganharia em troca?
— Ora que honra maior do que a gratidão do nosso soberano Rei de Westeros- ele disse tentando parecer ofendido.
— Providencie cavalos, e um homem de sua confiança, para levá-la até lá, se alguma coisa acontecer a ela você morre.- ameaçou.

— Nada vai acontecer, pode confiar- ele afirmou, e saindo rapidamente.
"O homem é um demônio de astúcia!" pensou atônito. Tinha chegado há alguns dias, e já tinha se feito necessário, temia em pensar do que ele era capaz.
Procurou por Lyanna, sem sucesso durante á tarde, pensou em entregar o recado a Tysha, porém sabia que mesmo que ela não o delatasse á Tyrion, ele poderia deduzir algo e preferiu não arriscar.
Encaminhou- se para o quarto em que agora ela dormia com Jaime. e bateu algumas vezes, não obtendo resposta, então desistiu virando- se para sair avistou Lyanna caminhando em sua direção.
— O que faz aqui?- perguntou curiosa.

— Ao anoitecer.Nos estábulos. Vista- se como uma criada- disse somente, a lobra franziu o cenho, mostrando que não tinha entendido.
— Um homem vai levá-la até mim.
Ela concordou com a cabeça, e Rhaegar se afastou, pensando na noite que teriam pela frente.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...