História A regra do amor - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Is Real, Love, Norminah, Trolly
Visualizações 224
Palavras 1.014
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Orange, Policial, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá amores.
Espero que gostem.
Boa leitura e beijocas.

Capítulo 18 - Capítulo 18


P.O.V Lauren

 

 

Camila me olhava com raiva, era possível perceber toda a mágoa em sua expressão, minha intuição nos guiou até essa rua que é fora da rota convencional, nós tínhamos uma conexão inexplicável e por mais que eu quisesse esquecê-la,o destino insistia em nos unir.

 

--Vamos levá-la pra casa! --Falo pra Normani que a mantinha sob seus cuidados em seu colo, me deixando com raiva.

 

 

--Tudo bem. Eu vou atrás com ela. --Kordei fala me fazendo perder o pouco de paciência que ainda me resta.

 

 

--Ela não está machucada não precisa ficar colada nela.

 

 

--Tudo bem.

 

 

 

Camila não pronuncia uma única palavra, meu coração estava acelerado e a raiva estava me deixando cega, primeiro por ter sido comparada aqueles caras imundos, e depois por Normani ficar com ela no colo. Segui o pequeno caminho em silêncio já que apenas Kordei sabia o trajeto e a latina não conseguia pronunciar nada.

 

 

--Chegamos! --Ela aponta para o prédio e um flash da noite em que fui assaltada surge em minha mente.

 

 

--Eu vou subir com você. --Normani fala olhando para o banco de trás, camila balança a cabeça concordando. Saimos do carro juntas, e quando estou passando pelo portão escuto a voz fraca da latina.

 

 

--Você não vai subir. --Ela fala olhando em meus olhos.

 

 

--Eu não vou ficar aqui. É claro que eu vou subir. --Respondo irritada.

 

 

--Não quero você na minha casa.

 

 

--Posso ficar do lado de fora Camila mas, aqui estou completamente vulnerável. --Aponto para a farda e a vejo ceder.

 

 

Subimos em um torturante silêncio, como dei minha palavra parei no corredor ao lado da porta de seu apartamento, e sem arrependimento nenhum ela entrou com Normani e me deixou ali sozinha. Depois do que pareceu horas Kordei saiu com uma expressão triste e logo em seguida uma mulher loira dos olhos azuis também passou se despedindo.

 

Apertamos o botão do elevador e esperamos, estava curiosa para saber o que havia acontecido lá dentro mas, queria esperar até estar distante. As portas metalicas se abriram e Normani arregalou os olhos quando identificou a mulher loira e alta com uma roupa justa e um belo corpo. Ela tambem parecia surpresa, até assustada com a visão da negra parada em sua frente. Aqueles olhos eram familiares, eu a conhecia de algum lugar.

 

--Claro, Jane. --Falo interrompendo aquele momento estranho. Ela me encara e sai do elevador em direção a porta.

 

--Di...Dinah.--Normani fala gaguejando. Mas ela não responde e continua o seu caminho.

--Ei, gostaria de te agradecer. --Falo correndo atrás dela.

 

 

--Não me agradeça, porque eu soubesse quem você realmente era teria te deixado jogada no chão. --Suas palavras eram ríspidas, e seus olhos cheios de lágrimas.

 

 

--Mesmo sem saber você salvou minha vida.

 

 

--Infelizmente sim.

 

 

--Obrigada de qualquer maneira.

 

 

--Você sabe perfeitamente quem merecia todos os agradecimentos possíveis, e se não é capaz de dizer obrigada a ela, não precisa dizer a mim. --A loira lançava as palavras como se fossem facas afiadas atingindo diretamente o coração.

 

 

--Nós precisamos conversar. --Normani aparece com um olhar de súplica.

 

 

--Me deixe em paz.

 

 

--Dinah por favor. --Fico parada encarando a cena das duas. Jane sai entra no apartamento e bate a porta.

 

 

Normani tomada por um desespero aperta a campainha varias vezes, quando de repente Camila abre, vestindo uma camisola vermelha de um tecido leve.

 

--Camila por favor, eu te imploro. --Normani fala chorando.

 

 

--Tudo bem, é a primeira porta a esquerda.

 

 

--Muito, muito obrigada. --E assim ela entra me deixando sozinha novamente. Camila me encara e eu permaneço do mesmo jeito, até que a porta da vizinha faz um barulho indicando que alguém estava saindo.

 

Camila puxa o meu braço com força me fazendo entrar no apartamento de um jeito desajeitado. Bato meu joelho no sofá e começo a pular de dor. Sofia gargalha de uma forma tão gostosa que sinto meu corpo relaxar.

 

--Droga, se alguém te ver assim aqui, estou ferrada. --A latina fala encarando a porta fechada.

 

 

--Ninguem me viu. --Falo tentando tranquilizá-la.

 

 

Pego Sofia no colo mesmo sem autorização e me sento no sofá, tento entretê-la de alguma forma com o brinquedo de cavalo. Quando escuto o celular de Camila tocar.

 

 

--Alô. --Ela fala alterada. E a vejo se afastar mas mesmo assim presto atenção em sua conversa.

 

 

--Aconteceu um imprevisto.

 

 

--Eu sei que combinamos mas, não dá. Tentaram me assaltar.

 

 

--Sim eu estou bem, não precisa vir aqui.

 

--Eu sei que você está preocupado, só que eu preciso descansar.

 

 

--Tudo bem a gente se vê amanhã. Eu sei que está com saudades.

 

 

--Eu também estou. Beijos.

 

 

Volto minha atenção a Sofia tentando disfarçar minha falta de educação, me pergunto com quem ela estava falando, se era com algum cliente e essa ideia já me fez ficar com raiva, Camila passou por mim ignorando minha presença. Preparou a mamadeira da pequena a pegou de meus braços e sentou em outra poltrona. Os gritos vindo do quarto estavam cada vez mais altos, mas eu não consegui focar minha atenção vendo Camila tão perto.

 

 

--Vai embora agora. --Jane apareceu apontando a porta. Seu batom estava borrado.

 

 

--Eu te amo Dinah. --Normani apareceu com o rosto marcado por batom. Camila e eu ficamos em silêncio encarando as duas que pareciam não nos enxergar ali.

 

 

--Me ama porra nenhuma.

 

 

--Por favor me deixa explicar.

 

 

--Vai embora daqui agora. --E assim que ela abre a porta um cara de terno surge em nosso campo de visão. Todas ficamos em silêncio esperando uma apresentação.

 

 

 

--Boa noite senhoras. Com licença. –Ele nos cumprimenta e caminha em direção a Camila.

 

 

--Você está bem amor? --Ele pergunta me fazendo fechar os punhos de raiva.

 

 

--O que você está fazendo aqui? --O tom de voz de Camila era tão baixo que quase não ouvi.

 

 

--Fiquei preocupado com você, pelo jeito aconteceu alguma coisa. --Ele fala apontando pra em minha direção.

 

 

--Elas já estavam saindo.

 

 

--A porta esta aberta. --Dinah fala e Normani sai e me encara do lado de fora. Minhas pernas se recusam a me obedecer, encaro o homem e com um estalo me lembro.

 

 

--Deputado Thomaz Ferraz. 


Notas Finais


Erros corrijo depois.
E ai?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...