História A República - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Álcool, Amor, Beijo, Faculdade, Festa, Fraternidade, Gay, Homossexualidade, Irmãos, Meninas, Meninos, Namoro, Professor, Sexo, Universidade
Exibições 284
Palavras 1.841
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Lemon, Romance e Novela, Saga, Seinen, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Galera me perdoem a demora, ta ficando chato? Tá, mas é pq realmente da dificil arrumar um tempo pra escrever final de ano é brabo na facul, espero que entendam. Vocês sabem que eu amo de paixão essa hostoria ne, entào tem nem a desculpa de falar que eu desanimei ahsiahsu.
AVISO: Esse é o penultimo capitulo, provavelmente farei um especial no próximo e ele deve ficar grande, PROVAVELMENTE, não é nenhuma confirmação, eu acho que deve vir com umas 5000 mil palavras, ams n sei ainda como vai tar, na minha cabeça eu acho que tme muito topico a seila, ja nem sei o que to falando ahsiahsuahsu.

Dêem Play em: NOBORY'S HOME - Avril Lavigne (vou avisar la em baixo.)
BOA LEITURA

Capítulo 25 - Para Sempre


-    Estava chorando? - Ézio o questionou logo após o menino ter entrado em casa.
-    Agora não Ézio, por favor. 
-    Ethan. - Ele caminhou até o garoto. - Fizeram alguma coisa com você?
-    Não, relaxa. Está tudo bem. - Ele passou as costas das mãos sobre os olhos e fungou. - O Thomas já chegou?
-    Ainda não.
   Ele olhou no fundo dos olhos do rapaz e subiu as escadas para o quarto de Thomas. A casa estava vazia, provavelmente os outros quatro haviam saído para comer algo e Ézio deveria ter jogado a famosa desculpa de não querer ficar de vela só para tentar irritar Dylan, coisa que não estava acontecendo desde que Møu entrou para a república.
   O relógio marcava um pouco mais das onze da noite quando Thomas e seus pais chegaram em casa, ele se despediu e entrou para seu quarto, os dois iriam dormir juntos, ja que Ethan havia cedido seu quarto para os pais de Thomas.
   Ele jogou o Blaze em um canto do quarto e desabotoou o blusão preto que estava usando, se sentou na cama e o beijou, sorrindo logo em seguida.
-    Como foi o jantar? - Se delongas, Ethan logo o questionou.
-    Interessante. - Ele olhou para o nada. - Mas na maior parte do tempo eu e Natasha ficamos comendo em silêncio enquanto eles falaram do calendário apertado que eles teriam esse fim de ano por conta da empresa.
-    Entendi. - Ethan segurou sua mão. - Mas você gostou pelo menos?
-    Sim, deu pra matar a saudade.
-    Que bom. - Thomas bocejou ao seu lado. - Esta com sono?
-    Sim. - Ele se levantou e caminhou até a gaveta de cuecas. - Só vou tomar um banho. Ja volto.
-    Okay.
   E ele o deixou sozinho enquanto tomava seu banho. Ethan encarava a silhueta do rapaz pela fresta da porta o admirando, mas acabou pegando no sono antes mesmo de Tom voltar para o quarto.
   Na manhã seguinte o pequeno acordou com um beijo quente e a primeira coisa que viu foi o sorriso branco e largo de Thomas, sua visão ainda estava embaçada, ele esfregou o rosto enquanto correspondia ao sorriso.
-    Bom dia meu anjo. - Os lábios de Thomas pareciam cantar tais palavras. - Dormiu bem?
-    Dormi. - Sua intonação feliz acordou algo dentro do rapaz, Ethan agarrou seu pescoço e o abraçou apertado. - Eu te amo.
-    Eu também te amo. - Ele o beijou mais uma vez. - Para sempre.
-    Para sempre. - Ethan sorriu e o beijou.
   Eles ultrapassaram todas as barreiras da intimidade, ja não se importavam mais se estariam ou não com mal hálito, eles estavam apaixonados um pelo outro, sempre estiveram, porém não conseguiam admitir por completo. Thomas estava muito mais carinhoso e romântico desde que haviam reatado o namoro, era como se ele soubesse o que havia perdido.
   Eles continuavam a se beijar, a troca estava cada vez mais sincera, cada vez mais intensa, Ethan estava totalmente entregue ao calor e aos beijos de Thomas, ele parecia ter acabado de acordar de um sonho e Thomas era seu príncipe com cavalo branco.

 

Dêem Play em --> NOBORY'S HOME

 

 Os dois estavam completamente envolvidos em seus carinhos que não perceberam a porta se abrindo ate ouvi um barulho que Thomas talvez jamais esquecerá, era sua mãe, ela havia dado um pulo para trás ao ver seu filho beijando outro garoto.
-    O que é isso? - A mulher loira disparou.
-    Mãe? - O coração batia desesperadamente em seu peito, ele pensou que iria desmaiar naquele momento, a cara de desgosto estampada no rosto de sua mãe, a lagrima que brotou no canto de seus olhos. - Eu posso explicar. - Furiosa ela encarou Ethan e gritou.
-    Sai daqui agora. - Ethan encarou a expressão pálida e amedrontada de Thomas e se levantou vagarosamente, ele estava usando uma camiseta branca e uma samba canção. Ethan caminhou lentamente em direção da mulher que estava parada na porta e se esquivou ao se aproximar dela se espremendo para tentar deixar o quarto.
   Ela ficou ali o encarando com desgosto e logo em seguida bateu a porta com força atrás de si, fazendo o corpo de Thomas estremecer. O menino afundou o rosto em suas mãos e começou a chorar desesperadamente.
   Minutos depois sua mãe volta acompanhada do Sr. Syl e os olhos de Thomas que ja estavam vermelhos quase saltaram das órbitas, os dois estavam parados a sua frente enquanto ele chorava desesperadamente.
-    Só me fala o porque. - A Sra. Syl o encarava com os lábios tremendo de raiva.
-    Mãe, eu. - Ela deu um tapa com força na cara do menino o fazendo virar sobre a cama, ele que ja havia controlado o choro voltou a chorar depois da agressão enquanto seu pai apenas observava calado. - Por favor.
-    Cala a boca. - Lagrimas começaram a rolar pelo rosto da mulher. - Você é um desgosto para a nossa família. Thomas ergueu os olhos e olhou para seu pai.
-    Pai. - Ele clamou, mas foi ignorado, o Sr. Syl o deu as costas enquanto andava pelo quarto balançando a cabeça em negação.
-    Você quer ser gay Thomas, é isso que você quer ser? - A mulher complementou.
-    Eu não sou gay. - Ele retrucou aos prantos.
-    Há não? Então porque estava beijando aquele.. - As palavras faltaram. - Aquele moleque.
-    Porque eu gosto dele. - E outro tapa acertou seu rosto, dessa vez na outra bochecha com as costas das mãos.
-    Não, você não gosta.
-    Para mãe. Por favor para. - Ela implorava enquanto ela montou sobre ele e socava suas costas. - Eu também gosto de garotas, isso foi só um erro. Para por favor, você esta me machucando.
-    Porque você fez isso Thomas. - Ele pousou a cabeça sobre o corpo do filho e  desabou em choro. - Por que?
-    Eu não sei, eu estava magoado com tudo que a Natasha me fez sofre e o Ethan apareceu quando eu mais precisava de alguém. - A voz de Thomas estava sendo abafada pela almofada. - Isso tudo foi um erro.
-    Você está namorando com esse garoto? - Seu pai questionou pela primeira vez desde que entrou no quarto.
-    Estou. - Thomas se sentou novamente e limpou o rosto.
-    Você vai terminar com ele e vai sair da faculdade.
-    Não pai, não me tira da faculdade por favor.
-    Então você vai sair desse lugar e vai ficar no dormitório da faculdade. - Ela encarou o marido. - E nós vamos saber se você mantiver contato com ele.
-    Por favor.
-    Você vai terminar com ele ou você pode esquecer que nós somos os seus pais. - O Sr. Syl o encarou. - Cordélia, vá chamar aquele moleque.
-    O que? - Ele encarou a expressão seria de seu pai. - Na frente de vocês?
-    Você achou o que? Que ia fazer escondido com havia feito todo esse tempo?
   Depois de um tempo em silêncio Cordélia entrou no quarto de cara fechada acompanhada de Ethan em silêncio. O pequeno encarou aquela cena atordoado o rosto de seu namorado estava vermelho do lado direito e ainda mais do lado esquerdo, parecia ter um leve corte acima de sua bochecha, ja que o vermelho estava mais vivo ali, seus pais estavam parados um de cada lado e os três encaravam ele.
-    O que houve com o seu rosto? - Uma lagrima escorreu pelo rosto de Ethan ao ver o garoto naquele estado.
-    Eu estou terminando com você Ethan. - Aquelas palavras doeram para sair de sua garganta, como a faca imaginaria que seus pais apoiaram sobre seu peito, mas ele tinha que ser forte na frente deles. - Eu vou deixar a republica e nunca mais você fale comigo. - Aquelas palavras doeram aos ouvidos de Ethan, ele sabia que eles estavam o obrigando a dizer aquilo, mas seu orgulho falou mais alto. - Não precisa sair da faculdade.
-    Precisa sim garoto insolente. - Cordélia retrucou.
-    Não, não precisa sua vaca. Por que eu estou deixando esse lugar. - Ele deu as costas para os três e parou ao chegar na porta, se virou pela ultima vez e encarou Thomas. - Pedido atendido, eu nunca mais vou falar com você. - E então ele deixou o quarto.
   Ethan invadiu o seu quarto e encarou Natasha dormindo sobre sua cama, seu coração que ja estava fervendo, agora explodiu. Ele agarrou o vaso de flores  que estava sobre o criado mudo arrancando-as e as jogou no chão, correu para o banheiro com o vaso ainda em mão o afundou na vasilha sanitária e deu descarga, enchendo o pote com água, voltou para o quarto com o vidro contendo uma mistura de terra e agua e despejou sobre a garota que acordou gritando.
Você. - A nota se estendeu por um bom tempo e ela deixou o quarto batendo o pé com a lama escorrendo da cabeça pelo resto do corpo.
   Ethan pegou uma bolsa em seu guarda roupas e guardou todas as suas roupas dentro dela e algumas em uma mochila e foi naquele momento que ele percebeu que nunca mais haveria volta, lagrimas começaram a rolar descontroladamente pelo seu rosto e por mais que tentasse não conseguia fazer nada para que elas parassem.
   Após guardar tudo que era seu ele olhou ao redor, ainda havia muitas outras coisas para levar, teria que voltar aqui mais cedo ou mais tarde para pegá-las. Ele desceu as escadas com suas bolsas e os meninos o encarou perplexo com a situação, Troye se levantou e correu para abraça-lo.
-    Você vai embora? - Ele disparou enquanto ainda o abraçava.
-    Sim, vou dormir em algum hotelzinho aqui por perto hoje e vou na universidade pedir minha transferência o mais rápido possível.
-    Você vai para outra universidade? - Troye pareceu apavorado. - Pra qual universidade? Você não pode fazer isso comigo, é o meu melhor amigo.
-    Eu vou pra universidade Stainfield, é aqui do lado. - Ele tentou fingir um sorriso, mas acabou chorando. Você vai continuar sendo meu melhor amigo.
-    Fica a umas duas horas e meia daqui, Ethan.
-    Eu preciso fazer isso Troye. Não posso ficar no mesmo lugar que ele, não mais.
-    Vocês se amam Ethan, o universo juntou vocês. - Troye secou uma lagrima do rosto do amigo.
-    O universo brincou com a gente, foi apenas uma ilusão do coração. - Ele olhou para o chão. - E eu acreditei.
   Os meninos se reuniram ao redor do pequeno e o abraçaram, todos eles ficaram mexidos com a despedidas, todos estavam ali, menos Thomas.
-    Eu tenho que ir, preciso fazer tudo ainda hoje.
-    Boa sorte. - Troye disparou ainda segurando a mão do amigo.
-    Obrigado. - Ele sorriu e deixou a casa.

 


Notas Finais


Eita lasqueira, não esperavam por isso não é mesmo? Acredito que não ahsiansuahsuahsuahsu, se vocês acharam esse capitulo cheio das marimbas, vocês nao vao esperar o que vem no proximo ahsuahsuahsu, o proximo vai vir desabando o forninho de TODO MUNDO hahaha.
Me falem o que acharam nos comentários viu, me falem, quero saber hahahahahaha.

AVISO: TERCEIRO LIVRO CONFIRMADO.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...