História A República - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Exibições 51
Palavras 2.723
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oie amoresss
Hoje eu tô produtiva !!!
Mais um pra vocês!

Capítulo 16 - Sexta-feira e um barzinho - parte 2


Mel ficou estática. Não esperava uma investida tão direta assim da parte de Mu. O afastou com a mão direita.

 

_Mu... Por favor, vamos conversar...

 

_Mel, você sempre se esquiva de mim com essa história de conversa... Eu só quero que você me beije, só isso! - aumentou o tom de voz, estava pouco alterado pela bebida, não estava mesmo acostumado. Sentia um calor incomum e uma queimação na garganta - Mel, é sério...

 

_Eu também estou falando sério! - sua expressão se fechou - Para de beber! - afastou o copo - Olha pra mim, Mu! Eu te adoro, de verdade, mas como um amigo! Eu... Não tem uma maneira melhor de dizer isso... Eu não gosto de você desse jeito...

 

_Mas... Eu pensei que...

 

_Mu, não me faz ficar mal, pelo amor de Deus... Se algum dia eu dei algum sinal de algo mais que uma amizade, me perdoa, do fundo do coração, me perdoa... Mas não rola... - se levantou e foi até o banheiro, sendo seguida por Isa.

 

_Amiga, o que houve? - a viu com algumas lágrimas contidas nos olhos castanhos.

 

_Isa, não dá... Eu não consigo fazer isso com ele... Gosto muito do Mu pra enganar ele desse jeito - a lágrima desceu. Queria poder corresponder, mas não mandava em seu coração. E ele só pensava em Hakurei - Vamos voltar pra mesa, não posso ficar fugindo disso a noite toda - Enxugou a lágrima. Sairam de dentro do banheiro e voltaram para a mesa, Mel notou que Mu não estava mais na cadeira ao lado da sua, mas sim do lado oposto da mesa ao lado de Shaka e da irmã. Suspirou, era melhor assim.

 

A reunião estava ficando cada vez mais animada. Já era mais de meia-noite, o karaokê estava liberado, permitindo que alguns deles mostrassem seus "talentos" musicais. A maioria dos presentes estava embriagada ou quase isso. Até mesmo Dégel estava bebendo além da conta. 

 

_"TO NAMORANDO TODO MUNDOOO, 99% ANJO, PERFEITO, MAS AQUELE 1% É VAGABUNDOOO" - Kanon e Defteros estavam cantando abraçados, Dohko e Manigold faziam o refrão sem microfone mesmo. Os demais riam em coro da cena e do jeito que eles desafinavam.

 

_Socorro! Meu ouvido vai explodir daqui a pouco! Puta merda, me dá isso aqui! - Kardia tomou o microfone da mão dos dois, que não tinham muitas forças para protestar, apenas para rir. Escolheu uma música especialmente dedicada a Dégel. Sua voz era sexy e rouca. Não deixou de mirá-lo um segundo sequer. Seu olhar era carregado de desejo em direção ao outro.

 

"...Eu quero ser exorcizado pela água benta desse olhar infindo

Que bom é ser fotografado, mas pela retina desses olhos lindos

Me deixe hipnotizado pra acabar de vez com essa disritmia!

Vem logo! Vem curar teu nego que chegou de porre lá da boemia..."

 

_Nossa que cara gostoso! Vem cá, me beija Kardia, puta que pariu, que voz sexy! - Defteros agarrou o amigo pelas costas, vendo todos aplaudindo a cantoria dele - Se eu tivesse uma voz assim eu ia ligar pra mim mesmo! - deu um beijo brincalhão na bochecha do amigo, vendo um olhar reprovador de Degel.

 

_Gostou da minha voz, também? - se sentou ao lado de Dégel e o encarou. Colocou um biscoito salgado comprido que estava servindo de petisco na boca, deixando a outra metade exposta e a virou em direção ao outro, que entendeu o recado, mas se fez de desentendido.

 

_O que você quer, seu chato? - disse com um sorriso malicioso.

 

_Quero que você coma - colocou o biscoito na boca novamente e ofereceu a outra metade de maneira provocante, apertando a coxa esquerda do amigo, que aceitou a "brincadeira" e comeu a outra parte. Kardia aproveitou a deixa e o puxou pelos cabelos e o beijou, sem dar tempo para conversa. Ouviram uma série de gargalhadas e brincadeiras, como "Aleluia", "Alguém vai transar hoje", "Tava demorando, hein". Não se importaram, ou melhor, Kardia não se importou com as brincadeiras e sorriu durante o beijo, mordendo e sugando o lábio inferior do outro com os dentes. Dégel o afastou quando faltou ar.

 

_Kardia, você é doido!

 

_Doido por você! - voltou a puxar a nuca do outro, que tentava resistir, mas não conseguia. A atração e o desejo que tinham um pelo outro era incontrolável.

 

_Espera... Não estamos sozinhos... - dizia em tom baixo.

 

_Quer ficar sozinho? Pra onde você quer que eu te leve? Me fala, que eu te levo agora! - estava desesperado por ter o amado. Amava Dégel desde sempre. 

 

_Não sei... Quem sabe mais tarde - se afastou e fez doce. Kardia pensou que teria o maior prazer em comer esse doce. Demorasse quanto tempo demorasse. Sorriu e voltou a acariciar as pernas grossas.

 

____xx____

 

Isa e Mel já haviam bebido bastante, mas a morena estava pior. Não comia direito desde toda aquela confusão e agora estava bebendo. Sentiu seu estômago revirar.

 

_Amiga, vamos ao banheiro comigo? Não estou muito bem...- disse para a ruiva, que se levantou e a acompanhou até o banheiro, chamando a atenção de Saga.

 

_Kanon? - cutucou o irmão, que cantava "Morango do Nordeste" junto de Dohko - KANON!

 

_Ai porra, eu tô cantando! - o gêmeo estava visivelmente alterado, trocando algumas das palavras - Que que foi, feio?

 

_Eu vou ali, já volto! - foi puxado pelo irmão num abraço.

 

_Ah, não, vem cantar comigo. AAAAAHHHH É AMOR! AIAIAI É AMOR! - gritou no ouvido do irmão, que se desvencilhou com algum custo e acompanhou o caminho das meininas. Viu Marin saindo do banheiro.

 

_Marin, você viu a...

 

_A Isa? Vi, acho que ela tá passando um pouco mal, mas nada demais, ela está sentada lá dentro com a amiga.

 

_Valeu, Marin! - cruzou os braços e esperou perto da saída do banheiro para não atrapalhar as moças. Passaram-se alguns minutos e nada das duas saírem - Mel! Mel! Mel! O que está havendo? - chegou perto da porta e chamou pela ruiva.

 

_Oi Saga... A Isa não está muito bem... - baixou os olhos - Ela quase não comeu nesses dias e agora bebeu um pouco... Dá nisso - tentou sorrir - Será que você pode me ajudar?

 

_Claro! O que eu posso fazer? 

 

_Se puder pegar uma garrafinha de água e alguma coisa doce pra ela comer...

 

_Tudo bem, já volto! - ela o viu sair correndo em direção ao balcão. Definitivamente Saga era um príncipe.

 

_Isa, o Saga foi buscar uma água pra você... Fica calma, vai ficar tudo bem.

 

_O Saga? Ele viu que estou assim? - se preocupou, ainda zonza pela bebida e pelo mal-estar - Ai que droga!

 

_Calma, amiga, ele foi super gentil... Isa, o Saga não vai te criticar, você está sem comer praticamente nada há dois dias, não tem como não ficar mal...

 

_Amiga, o mundo está caindo na minha cabeça... Eu queria mais era beber mesmo... Talvez assim eu esquecesse disso tudo - suspirou e chorou de forma sucinta. Ouviu a voz de Saga a chamá-la.

 

_Vem, vamos sentar lá fora! - andaram até a porta e Saga apoiou a morena em seus braços e a levou para o lado de fora, onde estava fresco.

 

_Aqui está bom? - pegou uma cadeira e se ajoelhou ao lado dela - Bebe um pouco de água - abriu a garrafinha e entregou nas mãos trêmulas de Isa, que sorveu uma quantidade pequena - Está se sentindo melhor?

 

_Um pouco... - ainda estava envergonhada e receosa por estar falando com Saga, e muito agradecida por ele ser quem é. Um verdadeiro amor - Saga...

 

_Não fala nada, pequena, está tudo bem - aproximou os lábios da testa úmida e os beijou, olhando-a nos olhos depois. Se aproximou dos lábios que tanto amava. Sim, amava. Não havia como contestar seu coração. Foi interrompido por uma tosse dupla, que fez ambos pularem de susto.

 

_Ai, Kanon, caralho! Ta doido!? Quer me matar?

 

_NOSSA SAGA, EU SÓ QUERIA SABER ONDE VOCÊ ESTAVA... CHATO PRA CARALHO HEIN! - entrou no bar novamente, tropeçando no próprio pé ao passar pela porta e se desequilibrou, se amparando na dobradiça da porta - EITAAA! ESSA PORRA TÁ BALANÇANDO PRA CARALHO! CUIDADO AÍ VOCÊS - apontou para os dois, que não deixaram de rir com a cena.

 

_Já está melhor? 

 

_Já, estou sim... Vamos pra dentro? - se levantou e foi amparada por Saga. Não estava tão ruim assim a ponto de precisar de um apoio, mas Saga estava tão próximo. Era tudo o que queria. Seu príncipe de volta. Se sentaram nos mesmos lugares de antes. Mel já havia bebido dois drinks diferentes enquanto ela estava do lado de fora. Estava cantando com Hasgard no mesmo microfone.

 

_ME LEVA AMOR, POR ONDE FOR, QUERO SER SEU PAR! - viu a amiga tirar o celular de dentro da bolsa e ligar. Estava com dificuldade visível para fixar o olhar num ponto da tela - HAKUREI! ME ATENDE HAKUREI! - por estar perto da caixa de som, a música lhe parecia mais alta, o que somado à uma quantidade generosa de álcool, só podia dar errado. Gritava o nome de seu amado, numa tentativa frustrada de ligar para ele. 

 

 Mesmo ainda tonta, Isa saiu correndo e tapou a boca da amiga, pois ela não havia notado que Mu estava bem ao seu lado, e agora com expressão atônita e chorosa.

 

_Mulher, cala essa boca! O Mu ouviu! Você é doida? - ao ver a "m" que tinha feito, tapou a própria boca com as mãos e o viu saindo com cara de poucos amigos, sendo seguido por Shaka.

 

_Meu Deus! O que eu fiz!? - se sentou no banco acolchoado atrás de si - Ai Deus, e agora, Isa? Coitado! Eu não queria que acontecesse isso... Ai que merda! - via pelo menos duas de sua amiga, e falava na direção da "outra".

 

_Calma, agora já foi... Deixa que a Barbie vai lá conversar com ele... - abraçou a amiga - Pelo menos agora ele já sabe a verdade... Um dia ele ia precisar saber amiga...

_Sim...- se entristeceu por magoá-lo, mas não estava arrependida. Gostava de Hakurei e ponto final. 

 

____xx____

 

Dohko, desde que bebera um pouco além da conta, estava jogando indiretas constantes para Shion, deixando Yuzuriha obviamente furiosa. Não era de hoje que eles se odiavam, por conta dos sentimentos que nutriam pelo ariano. A loira estava com expressão raivosa desde que ele se sentou no colo do amigo para, segundo ele, "dançar". O ruivo estava cantando com Sísifo, um em cada microfone. Ao fundo do karaokê, uma funk do Mr. Catra.

 

_NA 4X4, AGENTE ZOA, WHISKY E ENERGÉTICO QUANDO A MULHER É BOA! VAI DOHKO!

 

_UUUI O BAGULHO TÁ SÉRIO, VAI ROLAR UM ADULTÉRIO - disse a última frase piscando para Shion, que gargalhou de volta - SUA MENINA SÓ RECLAMA, TIRA A SUA PAZ, ELA É CHATA DEMAIS! PROCURA O PROFISSIONAL, MEU MANO QUE ELE SABE O QUE FAZ! - olhou diretamente para Yuzuriha, mandando um beijinho logo em seguida.

 

A loira deu um tapa do braço de Shion.

 

_MANDA ESSE BABACA PARAR COM ISSO! AGORA JÁ TÁ DEMAIS, SHION! ELE NÃO PARA DE SE ESFREGAR EM VOCÊ!

 

_Amor, para, o Dohko é assim mesmo, ele só está brincando - sorriu e tentou beijá-la, mas ela se virou de costas - Vai ficar de gracinha, mesmo? - revirou os olhos.

 

_QUERO IR EMBORA! CANSEI! 

 

_Eu não vou embora agora - disse tomando um gole de sua cerveja tranquilamente - Eu estou me divertindo aqui, não quero ir embora.

 

_ENTÃO FICA AÍ COM SEU AMIGUINHO! APROVEITA E COME ELE TAMBÉM, JÁ QUE É ISSO QUE ELE QUER!

 

_QUERO MESMO! SE VOCÊ LARGAR, EU NÃO ME RESPONSABILIZO, YUZU - disse em tom debochado, vendo a loira dar um esbarrão nele e sair de perto da caixa de som com o Iphone na mão.

 

_PAI! PAI, VEM ME BUSCAR POR FAVOR? ESTOU CANSADA E O SHION NÃO QUER IR EMBORA! - ouviu a resposta - TA BOM, OBRIGADA, PAIZINHO! TE AMO! - a loira se sentou do lado oposto ao do namorado, não o encarando até receber uma ligação.

 

Mel e Isa estavam cantando agora, dividiam o microfone, enquanto Dohko cantava no outro.

 

_GARÇOM TROCA O DVD, QUE ESSA MODA ME FAZ SOFRER E O CORAÇÃO NÃO "GUENTA"

 

_MEU PAI CHEGOU! TCHAU, SHION! - Mel escutou a loira gritar que Hakurei estava lá. Se aproveitou da deixa, quando Shion a puxou para tentar conversar, entregou o microfone para Isa e correu até o lado de fora do bar. Viu a Ferrari vermelha estacionada não muito distante do bar. Se aproximou da porta.

 

_Mel... - ele estava incrédulo por vê-la ali, ainda por cima com expressão nervosa.

 

_BONITO, HAKUREI! TAVA MUITO GOSTOSO O BOLO QUE VOCÊ ME DEU! - não media o tom de voz, acabou falando mais alto que o necessário, já que estavam apenas eles ali. Era o que pensavam.

 

_PAI!? O QUE ESSA AÍ QUER COM VOCÊ? - dizia a ciumenta e possessiva filha. Primeiro Sasha, agora essa "fulaninha". Ah não! - HEIN?

 

_Yuzuriha, fala baixo! Não tem ninguém aqui gritando com você! Vai pra dentro e me deixa conversar! 

 

_MAS PAI!

 

_Vai agora! - viu a filha saindo batendo os pés no chão de tanta raiva - Mel, o que deu em você?  Você bebeu? - disse preocupado. Via que ela estava alterada.

 

_BEBI! EU BEBI POR CULPA SUA! EU BEBI POR QUE VOCÊ ME IGNOROU!

 

_Melissa, calma, vem aqui, eu preciso te explicar o que aconteceu! - andaram até a entrada oposta do bar, que quase não tinha movimento. Poderiam conversar com calma - Mel, eu... Me desculpa, eu fiz isso pelo Mu... Ele me disse que estava gostando de você e... - coçou os cabelos. Não esperava encontrá-la de uma maneira tão abrupta e inesperada - Me perdoa, é que eu não  conseguiria fazer isso com o meu próprio filho... Pelo menos eu achava que se eu saísse do caminho, você podia ficar com ele em paz...

 

_Ele tentou ficar comigo hoje, mas eu disse não... E sabe por que? - disse de forma sensual, se aproximando perigosamente dele. Estava disposta a tudo por ele- Por que é de você que eu gosto...- o prensou contra a parede e o beijou sem delongas. Arranhou a nuca do mais velho, o causando arrepios - É você que eu quero... - mordeu o lóbulo da orelha do outro ao dizer aquilo, voltando aos lábios. Ele inverteu as posições e a colocou contra a parede, voltando a beijar seus lábios, enrolando os fios vermelhos entre os dedos para mantê-la próxima. A mão dela se ateve no tórax, o arranhando por cima da camisa social.

 

_Mel, para por favor... - se afastou dela lentamente.

 

_Vai me deixar outra vez? Por que faz isso comigo? - seu rosto já estava avermelhado - Se está preocupado com Mu, ele já teve sua resposta! Infelizmente não é dele que eu gosto... É tão difícil assim ver que eu gosto de você? - o abraçou com calma. Seu coração estava acelerado. Na verdade ambos estavam. 

 

_Tudo bem, Mel, tudo bem, eu não vou te deixar, não mais... Eu vou resolver isso... Ele é meu filho, você não tem nada a ver com isso... Me desculpa, eu só preciso de um tempo, Mu é compreensivo, ele vai entender - afagou a face rosada - Eu preciso ir agora... Eu prometo que vou dar um jeito nessa situação! - deu um beijo na testa da menina e andou ao lado dela até a porta do bar, onde estavam seus filhos e Shaka. Mu e Yuzuriha estavam com as expressões mais mau-humoradas que ele já vira na vida. Mel entrou rapidamente. Precisava contar tudo à Isa. 

 

Sentia que finalmente conseguiria ter seu amor para si! 

 

Continua 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


E aí babys?
Relaxa que a treta do buteco ainda está longe de acabar !!!
>.< Gostaram amores?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...