História A República - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Visualizações 200
Palavras 3.242
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oie amores!! Já viram que as festas desse povo rendem mais que os estudos, né!!!
kkkk
Boa leitura, amores <3

Capítulo 17 - Sexta-feira e um barzinho - parte 3


 

Mel voltou saltitando para o interior do bar, se sentando ao lado da amiga e passando seu braço em torno dos ombros dela.

 

_O que houve, hein? - Isa questionou - A filhinha dele veio aqui me questionar... Queria saber o que a minha "amiguinha" queria com o papai... Sorte dela que hoje não é um dos meus melhores dias - revirou os olhos - Patricinha do caralho - bebeu um gole de coca-cola - Amiga, eu to com pena sincera de você de ter que conviver com esse estrupício!

 

_Ai minha cabrita, nada nesse mundo vai mais atrapalhar a nós - fez cara de boba - Ele também gosta de mim... A Yuzuriha não vai ser nada... E você, já está melhor? 

 

_Estou, o Saga cuid...

 

_SAUDAÇÕES, TERRÁQUIOS! - pararam a conversa ao ver o loirinho, que entrava e se preparava para andar até o balcão.

 

_O QUE VOCÊ TÁ FAZENDO AQUI, MOLEQUE DOS INFERNO? - o tio o puxou pela orelha. Mas o que ele estava fazendo ao chegar lá a essa hora da madrugada? Mais de meia-noite, bem mais, aliás - QUEM TE DEIXOU VIR AQUI? QUEM TE CHAMOU?

 

_AI PORRA, ME SOLTAA! - se desvencilhou das mãos de Sísifo e cruzou os braços, o encarando - E EU LÁ PRECISO DE CONVITE, TITIO? EU ME CHAMEI! - fez bico e deu as costas pro tio, tentando andar até o bar novamente, mas foi impedido, pois ele lhe segurou os ombros - MAS O QUE É? OLHA AÍ NO SEU CELULAR, CACETE! MEU PAI TE DISSE QUE EU IA FICAR COM VOCÊ POR QUE ELE IA TER QUE SAIR DE MADRUGADA PRA UM CONGRESSO LÁ NO SUL! 

 

_Não pode ser... - puxou o seu Iphone do bolso e realmente viu o evento marcado para hoje "Cuidar do Regs" - Puta merda - deu um tapa em sua testa, vendo o sobrinho ainda com os braços cruzados e batendo o pé direito no chão, como sempre, arrogante e escandaloso - Tá, ok, tudo bem, pode ficar aí, mas VAI SE COMPORTAR! SE SEU PAI SOUBER QUE...AIII!

 

_BLABLABLA! - andou em direção ao bar, enquanto via o tio matutar sobre a ideia de ficar com ele a madrugada toda - VEM CÁ, GARÇOM, ME DÁ UMA UMA CAIPIROSCA AÍ! - viu Sísifo chegar ao lado dele no balcão.

 

_GARÇOM, NÃO! ELE É MENOR DE IDADE! - deu um coque na cabeça do sobrinho - AI MOLEQUE DO CARALHO, PRA QUE VOCÊ VEIO AQUI? ME ATAZANAR, É?

 

_EU QUERO A CAIPIROSCA! GARÇOOOOM! - foi puxado pelo mais velho, que o sentou em uma cadeira ao lado de Aspros, que já estava bebendo a quarta dose de whisky - VOCÊ É UM PÉ NO SACO MESMO! - se virou e deu de cara com seu maior desejo. Sorriu - Oi Aspros - disse de maneira provocante.

 

_Oi Régulus... - sorriu fraco. Sua cabeça estava rodando - Desde quando você está aqui? 

 

_Desde agora - se aproximou dele - E já estou gostando muito - sorriu de canto, passou a mão pela perna esquerda do outro - A gente bem que podia voltar de onde parou, hein... - mordeu o lábio inferior - Eu não fiquei com raiva de você, não... 

 

_Você é maluco, garoto! - riu. Hoje talvez estivesse disposto a deixar tudo pra lá. Asmita definitivamente não voltaria para ele. E também não sabia se o queria mais. De certo, Régulus, apesar de ser arrogante e metidinho, assim como Asmita, tinha senso de humor, era divertido, engraçado, animado... Lindo...    

 

_Sou... Por você... Você sabe disso! Eu não vou medir consequências pra ter você, Aspros! Eu já tirei o Asmita do meu caminho, e posso tirar mais quem eu quiser! E eu vou! Você vai ser meu! - dizia com a mesma soberba e convicção de sempre. Se levantou e se aproximou de Hasgard - Preciso de um favor seu!

 

_Fala, menor, quer um toddynho? - afagou os fios loiros.

 

_Não! Idiota! Quero uma caipirosca!

 

_Ô moleque! - o viu tirar uma nota de cem reais do bolso - Tem certeza?

 

_Óbvio! Pode pedir duas, deixa uma na sua mão, depois que a minha acabar eu pego a sua! -  entregou a nota para o outro e o viu ir em direção ao bar.

 

Voltou a se sentar ao lado de Aspros, mas desta vez, mais perto.

 

_Você costumava ser mais animado, hein! - deu uma golada no whisky do outro - Ainda tá sofrendo por causa do projeto de Barbie? 

 

_Claro que não, Regs... Eu só... Nada, eu estou ótimo! Só estou com um pouco de sono, tive aula integral hoje...

 

_Então eu vou dar um jeito nesse sono rapidinho! Vem, levanta, vem cantar comigo! - o puxou pela mão. Acabou de se mostrar algo diferente do normal. Compreensivo. Onde esse Régulus estava, que ele nunca vira? - Me dá isso aqui! - pegou o microfone de Dohko, que já estava "pra lá de Marraquesh"

 

Defteros estava conversando Sísifo, que em poucos segundos da companhia do sobrinho, já estava entrando em colapso. Massageava as têmporas.

 

_Há tempos eu não vejo ele tão feliz... - sorria ao ver o sorriso adorável de seu irmão - Sabe, há muito tempo mesmo!

 

_Mas o Asmita ter ido embora foi...

 

_Não, até mesmo antes disso... Asmita nunca fez meu irmão feliz, Sí... Você se lembra! Quantas vezes o viu sorrindo assim quando estava com ele? Quantas? Ele só fazia reclamar, reclamar, mandar, e reclamar mais um pouco... "Você é festeiro", "você sai muito", " sua vida é uma futilidade", até hoje eu não entendo o que os uniu por tanto tempo! Eu juro!

 

_É verdade... Mas eu advirto que Régulus é virado no Jiraya! Aquele moleque é uma peste quando quer! Azedo, respondão, autoritário... Só Deus - estavam sentados no sofá acolchoado, quando Defteros se distraiu da conversa e olhou para Geisty.

 

_Vem cá, ela sempre foi gostosa assim? Puta merda, que morena, papai! 

 

_Ué, chega nela!

 

_É exatamente o que vou fazer! - deu dois tapinhas no ombro do amigo e seguiu o caminho da morena.

 

____xx____

 

Do outro lado da mesa, Isa estava caindo de sono, deitada sobre o ombro de Mel, que estava fazendo o refrão para Régulus e Aspros. Nunca estivera tão feliz assim em toda a vida!

 

_Mel, eu estou indo embora, quer que eu leve a Isa? - Saga se sentou ao lado dela e perguntou - Sério, ela já está desmaiada aí... 

 

_Mas ela não vai ficar aborrecida se eu não for? - se preocupou - Ah, Saga...

_Não confia em mim, Mel? Por favor, ela não vai ficar desamparada! Eu juro que vou cuidar dela... - sorriu - Eu te mando notícias, juro! Estou com dó dela, está dormindo em cima de você e sei que você está bem animadinha - piscou o olho.

 

_Tudo bem, mas ME MANDE MENSAGENS! Se eu souber que você descuidou da minha cabrita, eu bato em você! - lembrou-se da surra que deu em Milo. Mas confiava em Saga.

 

_Ok, Ok! Pode bater, eu mando mensagens o tempo todo - pegou a morena no colo, viu que ela abriu os olhos rapidamente.

 

_O... Que? - estava tão exausta que não conseguia falar.

 

_Shiii, vou te levar pra república, a Mel vai ficar aqui, mas eu vou cuidar de você - deu um beijo na testa dela e ela apenas confirmou com a cabeça. A colocou com cuidado no banco de trás do táxi e se sentou ao lado dela, deitando-a em seu colo.

 

_República Beta, por favor!

 

Chegaram em seu destino, pagou o táxi. Levava Isa em seu colo para o quarto. Pegou a chave na bolsa da menina e abriu a porta, a segurando firme para fazer as duas coisas ao mesmo tempo. Entrou com cuidado, pois viu duas das meninas deitadas na mesma cama, pareciam dormir. Acendeu o abajur e viu o cabritinho de pelúcia. Sorriu. Colocou sua amada na cama, apagou o abajur e a vestiu com o pijama que estava na mesinha ao lado da cama. Acendeu o abajur e deu um beijo na testa dela.

 

_Se estiver tudo bem, eu...

 

_Fica... Fica comigo - falou sonolenta e o puxou pela mão, fazendo-o deitar, a abraçando. Ele pegou o celular para avisar à Mel, como havia prometido, e perguntar ao irmão se estava tudo bem, bem como avisar que ficaria lá esta noite. Queria mesmo era ficar todas as outras. A abraçou por trás e dormiu.

 

____xx____

 

Mu e Yuzuriha passaram o caminho inteiro emburrados. Não disseram uma só palavra com o pai em todo o trajeto. Chegaram em casa e foram cada um para seu quarto, a loira quase jogou a casa no chão ao bater a porta do seu quarto. Mu e Shaka foram para o quarto dele, ainda com poucas palavras. Pelo visto a conversa que tiveram não adiantou muita coisa para Mu.

 

_Filho? - bateu na porta do quarto e entrou - O que deu em vocês? 

 

_Yuzuriha brigou com Shion. Eu to com sono - foi ríspido como nunca antes - Vou dormir, boa noite! 

 

_Boa-noite - saiu do quarto do filho. Se Mu não estava com paciência, ele estava com menos ainda. O plantão foi uma loucura e passou por uma cirurgia de sete horas. Estava exausto e não queria discutir a infantilidade de Mu.

 

_De que adianta ficar com essa cara pro seu pai? O fato é que eles se gostam e você não vai mudar isso...- o loiro dizia calmamente - Deixa essa história de lado, Mu... Isso só vai afastar você e seu pai!

 

_Por que então ele não foi honesto comigo? Sincero? Porque ele não me disse que gostava dela? Meu Deus, eu contei tudo pra ele, eu me abri!

 

_Talvez tenha sido por isso, Mu! 

 

_Mu? - uma voz o chamou do outro lado da porta e abriu uma fresta, causando confusão em Shaka, sem saber quem era - Posso entrar?

 

_Oi, tio... Entra - se ajeitou em sua cama de casal. Estava do lado da parede, enquanto Shaka no outro lado. Viu o outro se sentar na cadeira da escrivaninha.

 

_Mu, sem querer eu escutei o que estava dizendo, e posso afirmar que Shaka tem razão... Seu pai conversou comigo sobre isso, me contou que aconteceu de vocês gostarem da mesma mulher, e que NÃO FOI DE PROPÓSITO! - suspirou - E exatamente por isso ele achou que se saísse do caminho, vocês poderiam namorar em paz...

 

_Ele então subestimou a minha capacidade de conquistar a mulher que eu gostava? É isso? Ele fez isso por PENA? - se exaltou.

 

_É óbvio que não, garoto! - revirou os olhos - Ele fez isso por amor... Mas é algo que você não entenderia agora... Só vai entender quando tiver seus filhos, quando tiver que escolher entre a sua felicidade e a deles... Queira Deus que isso nunca aconteça com você! Então, não julgue o que não entende! Tenha uma boa-noite! Boa-noite, Shaka - saiu e fechou a porta com calma, se deparando com Atla no corredor.

 

_Ué, tio, não ia chegar só na segunda? - questionou o menino, recebendo um afago nos cabelos.

 

_Ia, mas felizmente o congresso terminou mais cedo! E o que você está fazendo acordado essa hora?

 

_Estava estudando... - sorriu - Acabei agora e ia fazer um lanche.

 

_Então vem, vou fazer um lanche pra nós! - andaram até a cozinha sem fazer barulho. Sage cortava as cascas do pão de forma - Sabe onde Shion se meteu?

 

_Ele saiu com a Yuzuriha... Devem estar fora ainda - bebeu um gole de seu nescau.

 

_Estranho, a luz do quarto da Yuzu estava acesa - deu ombros e terminou de arrumar o pão para o sobrinho - Eles que se entendam - entregou o prato para o menino.

 

_Acho que só nós somos normais nessa casa! - riram e comeram. Sempre tiveram uma afinidade incrível.

 

____xx____

 

Degel e Kardia voltaram aos beijos depois de mais alguns drinks. Vez em quando paravam para assistir à cantoria dos amigos, principalmente Mel e Manigold quando sismavam de cantar suas "sofrências".

 

_FOI BONITO FOOOI! FOI INTESO FOOOI! VERDADEIRO!...

 

_Pra onde você quer ir? Não me disse até agora...- o escorpiano perguntou ao ouvido do outro, mordendo-lhe o lóbulo.

 

_Você disse qualquer lugar, sim? Qualquer um?

 

_Qualquer um! É só falar! - acariciava a face alva, agora rubra pela bebida - Me diz, Dégel...

 

_Me surpreenda! - sorriu de canto e mordeu o lábio.

 

_Vem comigo, então! - o puxou pela mão, passando antes por Mani para entregar o dinheiro da parte dos dois da conta. Pegou seu carro e dirigiu até um dos motéis mais caros da região. Dégel sorriu de canto. Não estava exatamente surpreso, mas gostou de saber que Kardia gastaria seu precioso dinheiro para fazê-lo feliz. Parou o carro na garagem e subiram até a suíte. Kardia ardia por dentro. Estava nervoso. Parecia sua primeira vez. Sabia que para Dégel era, então queria tornar as coisas menos constrangedoras.

Se sentaram na beirada da cama. O efeito do álcool pareceu evaporar naquele segundo. De fato, não era a primeira vez para Kardia, mas era a primeira vez com seu amor. 

 

_Dégel, eu... Eu quero que saiba que eu...- recebeu o dedo indicador do "amigo" em seus lábios grossos.

 

_Não fala nada, Kardia... De inexperiente aqui já basta eu!... Vem... Vem pra mim - começou a abrir sua blusa, botão a botão, provocando o outro, que já fervia por dentro. Kardia o deitou na cama redonda e se colocou por cima dele, terminando o serviço com a blusa, abrindo-a com pressa e chupando cada pedaço que era exposto. Retirou-a por completo, se atendo nos mamilos rosados, sentindo a respiração ofegante do outro. Subiu e voltou a beijá-lo com fome, com força. Suas línguas se encontraram de forma perfeita.

 

_Eu te quero tanto... - dizia entre os beijos, que se direcionaram para o pescoço alvo e macio, dando mordidas e chupões com força desmedida, marcando de roxo a pele do menor - Tanto - se direcionou ao abdômen trabalhado, passando a língua por toda a sua extensão, descendo para o cós da calça, a retirando com pressa, expondo o falo ereto, sendo prontamente sugado por inteiro pela boca habilidosa de Kardia, deixando o outro fora de órbita - Gosta assim, gosta? - abandonou o membro sob protestos, o olhando de forma selvagem e provocante.

 

_Gosto... Gosto muito... Continua - forçou a cabeça de Kardia em direção ao seu membro e o viu corresponder prontamente, o sugando com tesão jamais sentido, vez em quando o encarando para sentir seu prazer. O abandonou novamente, mas desta vez para encontrar seu alvo. Abriu as pernas do outro com força e passou a língua nos lábios ao se deparar com aquele buraquinho rosado piscando para si. De forma abrupta, o invadiu com sua língua, o lubrificando com prazer, lambendo toda aquela área - AHHHH! KARDIA... - tentava direcionar os movimentos do outro, sentia um prazer inexplicável com aquele toque - ISSO É...

 

_Uma delícia - pausou a carícia, mas logo a retomou, voltando a lamber-lhe com vigor. Viu que o outro já teria arrancado os lençóis da cama - Vai ficar melhor... Muito melhor - direcionou seu membro à entradinha rosada e o pressionou contra ela, esperando que ele se acostumasse. Ouviu um gemido de dor - Calma, amor... Vai passar... - introduziu um pouco mais ao ver que cedia ao seu seu tamanho. Com calma, mesmo que sua vontade fosse fodê-lo como um animal, era a primeira vez, teria de ser paciente.

 

_Está melhor... AH...- gemeu ao sentir o quão prazeroso aquilo estava se tornando. Kardia era um amante e tanto. Já estava completamente entregue, não sentia mais dor, apenas aquele membro o estocando com força e brutalidade - ASSIM! - cruzou suas pernas na cintura do outro, para que ele o estocasse com mais força.

 

_Então...Você quer mais? - Kardia se deitou ao lado dele - Senta em mim... - mordeu os lábios e gemeu alto ao sentí-lo encaixar seu membro em si - AH... GOSTOSO! - deu um tapa estalado nas nádegas branquinhas, que deixaram a marca de seus dedos - Isso, rebola nele - segurou a cintura do outro fazendo-o rebolar sobre si. Separou as nádegas do outro, as segurando com força, iniciando uma série de estocadas fortes e violentas, vendo-o gritar de prazer.

 

_Kardia... Ah! Vou... - o escorpiano o masturbou até sentir seu gozo na mão direita, logo em seguida o estocando mais algumas vezes até explodir de prazer no interior do outro, que se deitou sem forças sobre seu peito. O sentia arfar e seu corpo molhado pelo suor.

 

_Te amo... - foi só o que conseguiu ouvir antes de vê-lo adormecer serenamente em seus braços.

 

_Eu sempre soube - sorriu e beijou-lhe os fios úmidos.

 

____xx____

 

Já eram três da madrugada, o encontro ainda estava em plenos pulmões. 

 

_MARTELA, MARTELO, MARTELÃO, LEVANTE A MÃOZINHA NA PALMA DA MÃO! É O BONDE DO TIGRAÃO! - Dohko cantava e rebolava com o microfone na mão. Ao seu ponto de vista, estava sensualizando, mas todos estavam rindo muito com sua "dança".

 

_Além de não saber cantar, não sabe dançar! SOCORRO! Mel, vem cá cantar comigo! - Dohko fez beicinho, já era a milésima vez que roubavam o microfone da sua mão.

 

_Por que ninguém me deixa cantar? - estava com a cabeça apoiada no ombro de Shion, que era a bola da vez para aguentar o "chororô" de bêbado - Ninguém me deixa cantar, Shion! Eu canto mal, é isso? - Shion segurava o riso. Seu amigo estava realmente chorando por ser ignorado.

 

_Não, Dohko, todos amam te ver cantando, tá bom?

 

_Ta! 

 

Mani pegou o microfone e o dividiu com Kanon, enquanto Mel cantava sozinha no outro.

 

_EU NÃO QUERO MAIS, TE AMAR DEMAIS, ME ENTREGAR DEMAIS POR ALGUÉM QUE DIZ QUE TANTO FAZ! - sua felicidade estava tão grande nesta noite, que nem se dera conta de que as horas passaram tão rápido. Mas isso pouco importava, cantaria até os expulsarem do bar.

 

_ARERÊEEE! UM LOBY, UM LOBY, UM HOBY, UM LOVE COM VOCÊ! Ê Ê! - cantavam os três abraçados, pulavam de um lado para o outro como se estivessem no carnaval. Os demais faziam uma segunda voz, que mais parecia uma platéia, de tantos gritos.

 

_TUDO QUE EU QUERO NESSA VIDA, TODA A VIDA É AMAR VOCÊ! - Hasgard pegou o microfone e cantou com Mel, entregando um copo de caipirinha para ela, que bebeu enquanto via Régulus aparentemente conseguir o que tanto queria. Estava definitivamente atracado com Aspros, que o beijava sem pudor algum.

 

_Acho que essa noite não foi boa só pra mim! - disse consigo mesma, conferindo a mensagem de Saga em seu celular. Definitivamente, a noite era uma criança! E essa criança NÃO era Régulus. Riu sozinha.  

 

 

 

 

   


Notas Finais


E aí, amores!! A sexta ainda não acabou, viu <3
Espero que tenham gostado !!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...