História A Rosa da Coroa - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Kuroshitsuji
Personagens Charles Phipps, Ciel Phantomhive, Claude Faustus, Earl Charles Grey, Elizabeth Midford, Finnian "Finny", Personagens Originais, Sebastian Michaelis, Snake, Undertaker
Tags Ciel, Demonios, Lady, Sebastian
Exibições 27
Palavras 2.281
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Mutilação, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


* O diálogo de alguns personagens pode ter ficado longo e peço desculpas se ficou ruim assim, mas se eu tira-se os detalhes poderia ficar "vazio"

Boa leitura

Capítulo 18 - Explicações


O conde

O demônio da garota nos tomou em seus braços e correra para a estrada, em retorno a cidade seguindo o cheiro do mordomo. Ele estava bem ansioso com os riscos que poderiam ser trazidos, se por desventura a mente de Sebastian se encontra-se com parte da antiga realidade inalterada e fosse criado um novo contrato a chances de reversão seriam diminutas. 

Ele havia se negado a comentar qualquer coisa a respeito da menina chamada Nancy, com declarações que somente na presença de Lyanna falaria a qual estava nervosa o bastante para se dirigir a nós.

- impressionante que ele tenha chegado até a cidade - comentou a garota pela primeira vez desde que saira porta a fora.

- o senso de direção dele é bem melhor do que a da minha lady - ele a provocou ganhando um leve sorriso da menina - não acho bom tratarmos desse assunto aqui.

O demônio passava de maneira orgulhosa pelas pessoas, ele não se importava com os raros olhos que notavam algo estranho, não havia uma sombra de arrependimento pelo que fizera quando a garota estava adormecida. Me perguntava se falaria para ela mais tarde, como sempre parecia se controlar na presença dela imaginava a reação que causaria, seria recriminado? Compreendido ? 

Meus pensamentos dispersaram ao ver a silhueta de Sebastian, ele parecia confuso como se estivesse atrás de algo. O ar cercou-nos imediatamente, sentia os toques suaves levando aos poucos cada parte minha deixando o cenário de casas e ruas agitadas, me vendo rodeado de flores. As Iris que ela havia mostrado, tinha um lago refletindo a luz do sol, era um lugar tão sereno, que nem se podia dizer ser palco para um conflito.

Notei os olhos azuis brilhando ao olhar para as flores antes de ser colocada no chão e se encaminhar para Sebastian que estava de costas para o lago com uma expressão interrogativa.

- lamento por isso - a ouvi dizer enquanto estendia as mãos para o rosto do mordomo - não tem outra maneira, tente não resistir, pode ser doloroso se o fizer.

- o que pensa qu...- ele foi interrompido pelos ventos repentinos que bagunçavam o cabelo e brincava com o tecido de suas roupas, embora tenha segurado um pulso da garota a outra mão se movera rapido até a face e instantes depois Sebastian fechava os olhos, tendo amparo da mão livre se agarrando ao casaco e da energia que ela emitia ao ser levado ao chão.

- não irá fazer nada ? - questionei ao estar livre do demônio que se sentava olhando com fascínio a cena que se desenrolava.

- irei apreciar, não a com o que se preocupar.

Como ele podia dizer isso ? Mesmo a distância em que estava era visível vê-la tremer um pouco, assim como podia ouvir o coração que batia descontrolado.

- lembra-se do seu nome ? - a voz dela soava baixa, direcionada apenas para o envolvido, mas com a audição afiada que possuia era facilmente roubada para mim as perguntas - dado pelo seu mestre ? 

- não tenho - Sebastian soou de um modo hesitante que nunca ouvi, os dedos de Lyanna tiravam os fios do rosto - não...

- não se recorda do que é ? A quem você serve? - ela se inclinou ficando a centimetros do ouvido - seu mestre deu o nome por causa do cão, recorda-se de como foi a primeira noite dele em casa ? Como aos suspiros e lamentos febris ele sussurrou palavras desconexas ? Com o sangue que tossia ele contou sobre o cão falecido ? Qual era o nome do cão? 

Não me recordava desse momento, era verdade que ela mencionou o pesar para com meu cão quando mencionei o gato dela e não tinha entendido como ela sabia. Agora estava claro a resposta, eu tinha contado. 

- você sabe quem é agora não? - ela se afastou sentando-se e o analisando após um momento de absoluto silêncio - como se chama ? 

- Meu nome é Sebastian Michaelis fui batizado pelo meu mestre Ciel Phantomhive, Sou um mordomo e tanto, é completamente necessário manter  o bem estar  físico de meu mestre - os olhos vermelhos se puseram sobre mim e no mesmo instante corria em minha direção - bocchan, ela lhe fez algo ? - neguei com a cabeça e o mormodo se virou para a lady - agradeço por seus cuidados, my lady.

- você fica me devendo - Lyanna respondeu com uma piscada antes de voltar os braços estendidos para o seu demônio e notei o olhar desconfiado do mordomo depois de suas palavras - Hector, eu não acho que você ficou tão preocupado como o Sebby.

Olhei irritado para aquela garota aninhada nos braços do demônio e não consegui me conter decidido a ver se ela ainda estaria tão a vontade ao saber o que ele fizera.

- Tão preocupado? Seu demônio insano saiu criando uma enorme desordem, deveria questionar se já não está saciado - agora eu contemplaria as reações da lady.

- verdade? - suas mãos agarraram o fraque enquanto ele a colocara próxima as Iris - finalmente, depois de anos lhe pedindo e insistindo, você finalmente se alimentou de novo...- e então o sorriso se apagou e ela o olhou irritada - e novamente foi por causa de Nancy ! 

- my lady, não se irrite, não fará bem a você - ele moveu a mão para dentro do fraque a olhando com um sorriso divertido - a senhorita estava certa, e eu peguei algo interessante com o convidado - julguei ter sentido certo ressentimento na voz do demônio, ao retirar a pena branca compreendi o porque.

-não entendo - ela disse girando a pena nos dedos, Sebastian se aproximou pedindo permissão e me lançou um olhar de dúvida.

- é de um anjo, my lady - Sebastian a respondeu.

- como se fossem reais - Lyanna comentou olhando a flor que tirara do solo com atenção, e um silêncio caiu sobre nós sendo quebrado pelas risadas da garota - vocês estão cômicos.

- sabia que não acreditaria - o demônio prendeu uma mecha de cabelo atrás de sua orelha - diga-me como posso convence-la my lady ? 

- traga-me as asas do "anjo" - ela enfatizou bem a palavra.

- como desejar - os olhos do demônio contente se voltaram para mim - o lorde Ciel deseja saber sobre Nancy.

- bom isso pode me ajudar a compreende-la também, foi depois de uns anos na companhia de Hector que nossos caminhos se cruzaram, estávamos em uma estalagem e Nancy se identifico como filha de criação do casal, mas os cabelos dela eram negros antes...- ela olhou para o demônio em buscas de explicações mas ele se manteve quieto, aguardando para que a lady volta-se a contar - enfim, Nancy não parecia ser capaz de me trazer problemas, até que adoeci, foi de forma semelhante a essa com a diferença de que acreditava e sentia todos os sintomas, minha mente estava definhando, cada vez mais entregue a falsa doença. Hector ficou tão preocupado, eu o vi cair no desespero completo conforme meu estado agravava...

- minha lady estava tão debilitada, e eu ainda tinha de aguentar as palavras dos moradores locais - ele puxou Lyanna para os braços, afangando com cuidado os fios da garota como se ela fosse vidro e se parti-se conforme um movimento brusco - seus falsos compadecimentos, uns me dizendo que em poucos dias ela morreria e como seria mais facil acabar com seu sofrimento, que o tempo curaria o meu pesar - um sorriso sombrio ganhou forma em seus lábios - isso tudo acarretou para que a insanidade me tomasse, eu devastei todo o lugar, adorando cada olhar espantado, cada súplica, foi quando notei que alguém me escapará, alguém ainda respirava quando minha lady lutava para ter ar nos pulmões, foi quando Nancy me confrontou, se revelando ser uma bruxa como minha lady, ela julgou poder me enfretar, um terrível engano dela, corri para encontrar minha lady, e fiquei surpreso ao notar como a mudança ocorrerá, estava melhor do que antes com as faces ganhando cores e o coração estabilizando o ritmo normal.

- só não entendo do por que disso - Lyanna falou exatamente o que eu ia dizer - não me recordo de ter dado motivos para que ela agisse dessa forma.

- my lady, seu grave erro foi ter aceitado a companhia de um ser tão asqueroso como eu, ao invés de buscar conforto e consolo com os seres de mesma raça que a sua.

- peço desculpas por ter lhe arrastado em um problema assim - a lady pediu com os olhos baixos.

- madame, devo informar que lady Elizabeth se encontra em sua residência - o demônio falava enquanto a ajudava a levantar.

-receberei ela apropriadamente - ela deu um sorriso fino ao se virar para mim - planejo voltar ainda hoje para casa mas devo perguntar você virá junto novamente?

Eu deveria retornar, havia urgências para serem resolvidas lá, a pena encontrada era uma das muito gritantes, mas ficar aqui proporcionaria a confusão de quem estivesse seguindo a lady, e eu precisava de um tempo para iniciar a nova jogada. Lyanna podia estar disposta a perdoar sua majestade após essa brincadeira estúpida, mas eu não estava.

- declinarei dessa vez.

- nesse caso - ela começou ao me entregar a Iris azul - uma pequena certificação, se algo ocorrer com a flor saberei que está com problemas e virei ajuda-lo.

Hector

Só  permitiria que a madame nós levasse depois de ter comido alguma coisa e consequentemente passado um tempo com Miranda e o sobrinho Jeremy, afinal seria um destrato enorme para com os dois, contei como havia encontrado a empregada adormecida na cama quando fui levá-la ao quarto, era o esperado e minha lady queria apenas que eu confirmasse que as ervas na costura do tecido haviam surtido o efeito. Trabalho que eu orgulhosamente fizera ao seu pedido.

No momento em que estava tirando as mala da carruagem para facilitar as coisas para ela. Ouvi-a chamar-me e entrei imediatamente encontrando uma lady que descia a escada com a gata em mãos e pronunciava meu nome a cada degrau que pisava até chegar ao fim.

- encontrei um belo nome e espero que seja do agrado da gata.

- realmente ? - perguntei elevando a sombrancelha sendo surpreendido por ter a gata colocada nos meus braços - qual my lady ?

- Lucy - ela respondeu deleitada e eu suspirei atraindo sua atenção - não haja dessa forma, ele trás a origem da luz da lua, olhe o belo pelo da gata e diga que não se adequa a ela - a gata miou como para confirma as palavras da minha lady o que a deixou mais determinada a me convencer - é visto como iluminada, então se pensarmos no momento em que tive as minhas memórias tomadas eu cai para uma escuridão horrível e fui trazida de volta pela lucy. É completamente digno dela.

- cheia de argumentos, my lady - a provoquei ao chegarmos do lado de fora com as malas e um trêmulo Snake que rapidamente teve o braço entrelaçado pelo da madame - a senhorita nunca agiu desse modo comigo.

- mas é claro que já, você só não está se recordando.

- não, é a senhorita que não se recorda - continuei somente para encomoda-la, ao passo que vi seus olhos revirarem e nos tirar dali em seguida.

* * *

Em frente a casa, lançei meus olhos para a lady que subia com calma os degraus da entrada, o dia em precisaria lhe fazer um pedido estava chegando, estava tão incerto de como o fazer. Sentia um sorriso irônico se formar. Pedidos vindo de mim, pensar que anos antes nem cogitaria a pedir algo, obriga-la através de uma chantagem parecia o mais perto da realidade, vejo-me incapaz disso agora. Afeição, realmente um infortúnio.

Deixei que a gata fosse até a lady e me dirigi para ajudar Snake, ouvia a voz contente da garota com a chegada da madame e as perguntas ansiosas que derramará sobre seu primo, as quais ela respondeu com evasivas e uma oferta para distrair a jovem convidada.

- podemos falar sobre as perguntas que você deve ter a meu respeito, contarei tudo que queira saber se puder deixar o meu nome de fora.

Subi a escada passando pelas garotas no hall de entrada, avistei o cocheiro ao longe com a dúvida nos olhos e neguei com a cabeça, não seria hoje que minha lady veria o senhor Edgar, ela precisava descanssar e tinha uma hóspede para receber. Olhei sobre os ombros para a madame de sorriso arrebatador conduzindo lady Elizabeth para a sala.

- Ciel me contou um pouco.... - ela perguntou com ligeira desconfiança - então por que vai me contar também? 

- porque garotos são tolos e esquecem de perguntas importantes, deve ter algo que ele julgou necessário não contar mas eu não verei problema em confiar a você as respostas que busca, então peço que confie em mim e me conte quais  palavras a aranha usou para convencê-la, deve ter tantas dúvidas a respeito disso.

- ah, algumas coisas que gostaria de entender - a menina havia respondido tão baixo, como se temesse transmitir as palavras.

- não se envergonhe por isso, todos nos recriminamos por algo. Eu só quero entende-la.

Também desejava o mesmo para com você madame. Vendo o modo como lidara com a situação somente me mantinha firme na decisão do pedido, somente ela poderia realiza-lo, eu precisava das palavras certas agora.

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Agradeço mt ~Pinkmena por ter falado do nome 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...