História A Rosa e o Beija-flor 2 Sin of Lust - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Seven Deadly Sins (Nanatsu no Taizai)
Personagens Ban, Elizabeth Liones, Gowther, King
Tags Gowther Yaoi Lemon Nanatsu No Taizai, Gowther Yaoi Lemon Nanatsu No Taizai The Seven Deadly Sins
Visualizações 48
Palavras 691
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Lemon, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oii morees tudo bom?
Oiaa eu aqui com outro cap pra vcs!
Espero que gostem /o/
Só um aviso antes, eu mudei a fic completamente.
É isso então boa leitura 💖💖💖

Capítulo 2 - Como me chamo?


Fanfic / Fanfiction A Rosa e o Beija-flor 2 Sin of Lust - Capítulo 2 - Como me chamo?

POV Gowther.

Não consegui abrir bem os olhos, a única coisa que deu sinal de vida ao meu redor foram vozes.

“Já estou no inferno?”

-Traga uma bolsa de sangue! Prepare a sala de raio-x! É deixem o quarto de cirurgia em ordem para receber o paciente!!!

“Não, não estou.”

Fui escutando o alvoroço que faziam ao meu redor, aparelhos, agulhas remédios eu sentia tudo antes de me aplicarem a anestesia.

~~~~¥¥¥¥~~~~

Um barulho irritante veio tirando meu sono, com dificuldade fui abrindo meus olhos e fazendo com que o mesmo se acostumar com a luz do local, tentei levantar um pouco, não fazia ideia de onde eu estava mas descobri que minhas mãos estavam presas a maca onde estava deitado, chaqualhei as amarras começando a ficar desesperado, não sei aonde estou, não sei quem me colocou aqui, nem ao menos meu nome consigo me lembrar…

-Aaa você acordou, como se sente? Encarei o homem alto andar pelo quarto e se sentar em uma das poltronas de visitas.

-Aonde estou? Vi o mesmo mudar de expressão.

-Não se lembra? Fiquei em silêncio tentando puxar como foi que vim parar em um hospital, mas tudo o'que consegui em troca foi uma dor de cabeça chata. -Sabe me dizer o seu nome? Novamente fiquei em silêncio, não eu não sabia o meu nome, nem minha aparência eu sabia como era!

O castanho se levantou, veio até mim com uma pequena lanterna morando em minha íris.

-Perda de memória. Remungou.

-Oque? Perguntei vendo o mesmo ir em direção a porta. -Ei! Porque estou amarrado? Perguntei antes que se fosse. O mesmo pareceu bufar sem resposta.

-Você tentou se suicidar. Disse ao sair.

“Suicídio?” Fiquei paralisado por um tempo, suicídio, eu tentei mesmo suicídio… porque? Porque eu faria uma coisa dessas? Então é por isso que estou algemado.

-Go-Chan! Fui tirado dos meus pensamentos por uma voz desconhecida. - Aaainda bem. Falou uma criança de cabelos alaranjados, o mesmo veio até mim me abraçando com força, ele devia ser algum parente meu. Nesse momento o médico novamente voltou ao quarto surpreso com a presença do pequeno no recinto.

-Desculpe senhor, mas não estamos em horário de visitas.

-Eu sou seu professor responsável pelo mesmo, e tenho direito de acompanhar seu desempenho. Disse firme.

“Senhor???? Professor responsável????” Arregalei os olhos surpreso.

-Solte-o. Disse fazendo com que o castanho retirasse as algemas.

-Devo-lhe avisar que há pequenos contratempos.

-Que contratempos? Perguntou dirigindo-se ao médico.

-Ele sofreu uma perda de memória recente por conta do ocorrido e… respirou fundo. - é um assunto delicado, o'que houve requer alguns anos de terapia e tratamento.

“Oque?!”

-Quando ele se jogou, suas pernas chegaram por primeiro ao chão… não esperei ele terminar de falar, puxei o lençol branco de cima das minhas pernas e… -Essa foi o único método que achamos para conseguir restaurar o'que houve. Inconformado levei uma das mãos até a boca involuntariamente deixando as lágrimas caírem, encarar minhas pernas naquele estado, inchadas, roxas e cheia de metais em volta estava me assustando, acordei por apenas 5 minutos para a realidade e já percebi que a sorte não é minha amiga.

Inconformado joguei minhas coxas ainda “boas” para fora da cama sentindo com os pés no chão frio do hospital.

-Não faça isso. Pediu o homem.

-Eu tenho que tentar. Resmunguei.

-Não faça isso nee-chan. Pediu o alaranjado, aqueles olhos dolorosos pareciam sentir a mesma dor que eu, parecia demonstrar que estava se pondo no meu lugar. Seus braços vieram me aconchegando em um abraço apertado que não pude deixar de retribuir.

-Não se preocupe, vou fazer oque for preciso para você melhorar. Falou.

Comecei a chorar mais ainda, mal conhecia aquele ser tão pequeno e ali estava, prometendo que ia fazer de tudo para mim melhorar.

-Vejo que as Duas amigas já se encontraram. Pela primeira vez a voz soou familiar, assustado olhei para a porta… alto, loiro, musculoso, pele branca e cheia de tatuagem, me parece familiar, mas não lembro quem é…

-Meliodas. Disse o menor quase que rosnando de raiva. -Oque está fazendo aqui?

-Creio que o assunto é apenas entre eu e ele não é? Meu amor. Enclinou a cabeça sorridente, um sorriso que fez minha alma congelar, tinha algo de errado nele, meus sentidos diziam para sair dali, correr para o mais longe que conseguisse, mas porque?


Notas Finais


É acabou morees
Bejuss com Nutella pra vcs 💖😍😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...