História A Sala dos Assassinos - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Adolescente, Orignais, Vampiros, Violencia
Visualizações 3
Palavras 672
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Ecchi, Escolar, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


oioi gnt, VOLTEI.
espero que gostem, agora vou postar até a drama acabar, prometo.

Capítulo 11 - Casal?


Quando Ian e Ricardo chegaram à escola viram apenas poucos alunos, chegando para a aula, a maioria das turmas alfas e betas. Ao longe viram alguém correndo na direção deles, com certeza era alguém de uma das turmas nas colinas.

     Aos poucos viram que se tratava de Jhonny, o garoto estava acenando ativamente.

     Eles foram até o garoto, que estranhou o fato de que os dois saíram do meio do mato sozinhos, mas não comentou.

     Chegaram na escola bem cedo e perceberam que os vampiros não são muito de chegar antes, eles tinham esse tempo pra bolar algo.

     - Me ajudem com isso. – Jhonny pediu.

     Ambos concordaram, para começar preparam o gatilho da armadilha e o suporte, conferiram se ele iria lançar o que queriam na direção da porta.

     Como aqueles professores eram altos, com relação aos alunos, o gatilho foi uma corda colocada na altura certa para não ser percebida.

       - Minha mãe me deu essa adaga já faz um tempo, ela diz conter uma magia que afetaria até um deus, então um vampiro vai ser fácil. – Jhonny disse.

      - Certo, se falhar, temos que fingir que não sabíamos de nada. – Ian falou.

      Os dois concordaram sem hesitar, será que teriam tempo livre se tivessem sucesso?

      - Vou dar uma volta, pombinhos. – Jhonny disse.

      Ambos riram baixinho, agora tinham plena certeza que o outro sabia o que tava rolando ali, mas eles sabiam?

     - Tenho que te contar uma coisa. – Ian falou, assim que Jhonny deixou a sala.

      Rapidamente contou sobre a conversa que Bianca havia tido com o irmão e ele havia escutado.

      - Podemos usar isso contra eles. – foi a resposta de Ricardo.

      - Que?

      - Ah, qual é? Não descobriu ainda. – Ricardo perguntou com ar misterioso. – Eu sou o filho da deusa da estratégia e vou ganhar esse premio.

       Ian se afastou, indo em direção a porta, quando viu um lampejo de luz nos olhos do outro, era como se sentisse que pudesse confiar nele, ou era isso ou apenas seu coração dizendo que devia fazer isso.

       Ricardo se aproximou no momento que Ian parou, colocou a mão na bochecha do menino e acariciou.

      - Sabe, pensei que ia ter que fingir gostar de você para ficar vivo, mas é só fazer a dupla de irmãos ou a Kali gostar de mim. – disse colocando uma mão no topo da cabeça de Ian e a outra no queixo. – Olha que se tornou dispensável. – disse enquanto girava as mãos em sentido horário rapidamente e com força, usando ambas para quebrar o pescoço do jovem.

     O deixou ali e saiu indo na direção da floresta, sabia que Bianca gostava de colher flores àquela hora. Iria ver se ela precisava de ajuda depois de Sophia ter sido morta.

 

 

      Quando todos esperavam o professor chegar, todos conversavam sobre a possibilidade dele cair na armadilha de Jhonny.

      O corpo de Ian foi encontrado quinze minutos antes da aula e Mikaela, Andrew e Daniel foram dar um enterro digno a ele, provavelmente chegaram atrasados hoje.

      Viram a porta se abrir e Ipuã entrar, com a preguiça de sempre, ele abriu a boca pra falar “bom dia”, mas sem que ele percebesse ativou a armadilha de Jhonny e uma adaga o perfurou bem no peito.

      Ele ficou ainda mais pálido e viram as veias dele se ressecar até aparecer sob a pele, seus olhos ficaram brancos e ele caiu no chão.

      Leonardo chegou perto e se viu que ele não tinha nenhum sinal de vida, tentou tirar a adaga do peito do vampiro, mas Jhonny gritou:

      - Não faça isso!

      Todos o olharam, pedindo uma resposta e uma explicação. Rapidamente ele explicou que a adaga tinha poder pra matar um mortal qualquer, entretanto se usada em um ser imortal ela o induz a um sono sem sonho até ser retirada e que havia mais seis adagas como essa, em algum lugar.

       - Como sua mãe tinha algo assim?

       - Herança de família, foi passada de geração em geração desde que o primeiro vampiro apareceu nesse mundo.


Notas Finais


não, Ian morreu, que pena.
e essa adaga misteriosa?
será que os outros vampiros vão revidar?
qual a estrategia real de Ricardo?
e quem levara o premio por matar os vampiros?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...