História A Second Chance For Severus Snape - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Personagens Originais, Severo Snape
Tags Romance, Severosnape, Snape
Exibições 90
Palavras 1.445
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hey people!
Bem, essa é a minha primeira fanfic do Severo com uma OC, então eu espero muito que vocês gostem da Amélia e do Jayden <3
Sem muito enrolação, boa leitura <3

Capítulo 1 - Uma segunda chance.


Então esse era o fim.

Apesar da morte vinda de violentos botes de Nagini, Severo sempre pensou que abraçaria a morte com uma redenção e assim o fez. Dando suas lágrimas para o menino Potter completar sua missão, o antigo professor de Poções viu o trio de ouro partirem receosos por deixa-lo lá a mercê da morte. Através de suspiros pesados e cada vez mais falhos, a vida de Severo ia o abandonando aos poucos e sem resistir o homem deixou seus olhos se fecharem para deslizar em um rumo incerto.

De início, um silêncio calmo e uma paz iminente, porém tudo estava escuro e Snape apenas se perguntava sobre o que vinha depois da morte. Houve minutos seguidos de uma calmaria que Snape julgou bom, mas do nada uma dor invadiu sua cabeça.

“Alguma coisa está errada” Severo pensou e logo sentiu que seu corpo já não estava mais no chão de madeira da Casa dos Gritos e sim em alguma espécie de cama. No fundo de sua mente, sentia vozes ficando cada vez mais nítidas que discutiam baixinho no intuito de não acorda-lo.

“Alguma coisa está definitivamente errada. ” Severo abriu os olhos e se viu encarando um teto. Não um teto qualquer, o teto da Ala da Enfermaria. As vozes haviam cessado e o homem sentia olhos em si. Olhou para os lados e viu várias macas vazias e Madame Pomfrey mexendo em um armário sem se importar em olha-lo.

Severo se perguntou se estava delirando. O que havia acontecido? Será que Potter havia voltado para salva-lo e tenha ganhado a guerra? A aflição da dúvida atingiu seu interior. Quando olhou para frente se viu olhando para três pessoas.

Dumbledore o encarava, porém parecia mais jovem, mais parecido com sua época na escola quando o velho era o seu diretor. Só de vê-lo Severo teve um ressalto, sentando-se na cama apontando para o velho diretor com incredulidade.

- Calma Severo, assim você vai se machucar novamente.

Com uma voz calma e serena a menina que estava do lado de Dumbledore tocou o braço de Severo como quem o conhecia á muito tempo. Já o menino que estava do lado dela encarava-o com um sorriso jocoso no rosto. Ambos vestiam uniformes de Hogwarts, porém a menina era da Corvinal e o rapaz era da Sonserina.

- Vamos lá Severo, não precisa bancar a mocinha. – O rapaz jogou os livros em cima da maca com descaso. – Por causa da sua briguinha com o Black acabamos perdendo a aula de Feitiços.

- Jayden! – Ralhou a menina com o rapaz. Os dois eram bastante parecidos e Severo ousou arriscar que eram irmãos ou primos.

- Ah, qual é Amy, nem foi algo tão sério.

- Quem são vocês? – Severo os interrompeu, fazendo os dois olharem para ele preocupados.

Amy que ainda tocava o braço de Severo, sentou-se na maca e olhou para os olhos negros no intuito de capitar algum tipo de brincadeira, mas a única coisa que via era dúvida e incerteza rondando os olhos negros de Severo.

- Severo... – A menina começou deslizando a mão para pegar a de Snape. Quando o fez, ele o olhou incrédulo. Como aquela menina tinha a ousadia de toca-lo assim? – Diretor, será que a poção tirou a memória dele?

Dumbledore que observava tudo com uma calma suspeita, olhou para a corvinal que ainda insistia em segurar a mão de Severo. Vendo que o antigo professor de poções a olhava com uma dúvida nociva, o diretor julgou hora de tomar as rédeas da situação.

- Sr. e srta. Allen, porque vocês não esperam o sr. Snape lá fora. Quando eu terminar de falar com ele, os chamo de volta. – Dumbledore olhou para os dois com um sorriso bondoso, enquanto via Amy largar a mão de Severo com relutância e saindo junto com Jayden.

Severo acompanhou com os olhos os dois jovens que saíam da enfermaria receosos.  Percebendo os olhos de Severo em sim a menina olhou para trás flagrando o olhar de Severo sob ela. Sem mostrar nenhum desconforto, ela sorriu para ele e saiu junto ao rapaz. Severo sentiu-se enfeitiçado.

-  Amy Allen. Uma jovem encantadora, não é mesmo?

Dumbledore soltou enquanto Severo ainda encarava a porta por onde a menina se foi e estava pronto para concordar com o velho diretor, até que ele percebeu que algo estava errado ali.

- Você deveria estar morto. – Ele soltou sem nenhum rodeio.

- Direto e ácido como sempre. – Alvo Dumbledore soltou com um risinho. – Realmente, eu deveria estar morto, deveríamos estar em 1997 e definitivamente deveríamos estar em alguma outra dimensão que os trouxas insistem em chamar de “céu” ou “purgatório”.

Severo olhou para Dumbledore incrédulo.

- Como assim deveríamos estar em 1997? – Severo sentiu que sua cabeça iria explodir. – Alvo, pela primeira vez na sua vida, me explica que plano maluco passou pela sua cabeça para estarmos aqui.

Alvo Dumbledore sorriu enquanto observava Severo Snape por cima de seus óclinhos meia-lua.

- Severo, estamos em 1977, na época que você ainda era um mero aluno setimanista de Hogwarts, antes de você ter se transformado em Comensal da Morte. Porém, estamos em um 1977 diferente.

Severo arregalou os olhos chocado com aquele punhado de informações. Sim, havia algo incomum acontecendo e Alvo Dumbledore sabia disso... Como sempre.

- Como assim diferente Alvo? Como eu vim parar aqui? Quem é aquela menina que estava do meu lado quando eu acordei? Por que ela me trata como se me conhecia a anos? E quem é aquele garoto para falar comigo com toda aquela prepotência? Como podemos estar em 1977 se eu nunca os vi na minha vida?

Snape estava perto de um colapso nervoso, mas se obrigou a se controlar quando viu um brilho de divertimento nos olhos de seu antigo mentor.

- Severo, já ouviu algo parecido como segunda dimensão? – Dumbledore perguntou enquanto sentava-se na maca empurrando os livros que Jayden havia jogado por lá. – É algo que os trouxas exploram muito mais que nós, porém tomei conhecimento disso quando vim para cá. Uma segunda dimensão é algo parecido como uma segunda Terra que gira e vibra de uma maneira diferente. Todos nós estamos nessas dimensões, porém de maneira diferentes.

- Então você quer dizer que eu morri e agora estou nessa segunda dimensão para viver tudo novamente? – Severo perguntou incrédulo.

- Chame isso de segunda chance, Severo. – Alvo sorriu maroto. – Aqui nessa dimensão Amélia e Jayden Allen são seus amigos desde o seu terceiro ano em Hogwarts. Jayden é seu melhor amigo e por isso é quão sarcástico quanto você, já Amélia tornou-se algo a mais que sua amiga de uns tempos para cá.

- Você está ficando louco. – Severo sussurrou. – Como isso é possível? Se isso é uma segunda chance, porque eu não nasci novamente? Porque eu vim parar nos meus 17 anos?

Dumbledore o encarou novamente com o seu sorriso bondoso que fazia os nervos de Severo tremer de raiva, pois nunca conseguia entender o que se passava na cabeça do diretor.

- Você voltou a um ponto crucial da sua vida. Onde tudo mudou.

Ele respondeu simples e foi onde Severo conseguiu entender o que estava acontecendo. Em 1977 foi onde o  Lorde das Trevas tinha conseguido mais seguidores, dando uma força extrema em sua causa e o fazendo-o voltar ao poder.

- Com a minha vinda a essa dimensão posso lutar contra Voldemort sozinho, antes que Harry nasça para que Lilian e James possam viver a vida deles... Assim como você Severo. – Dumbledore falou, fazendo Severo sentir-se estranho. – O Severo dessa dimensão tem uma história diferente, digo diferente de tudo que você passou.

- Como assim diferente? – Quis saber Severo.

- Severo, sei de seu amor por Lilian, mas infelizmente ela nunca te pertenceu. Na sua época de escola quando ela te deixou você não deu opção para outra menina se aproximar, prendendo-se ao Lorde das Trevas sem se permitir um novo amor. – levantando-se Dumbledore encarava o homem que via como filho. – O amor que Lilian sentia por você era amizade, por ela ter morrido o sentimento que assolou seu coração foi de culpa. Agora você tem uma segunda chance, não vá desperdiça-la em erros antigos.

Vendo Dumbledore se distanciar, Severo ainda pensava em suas palavras tentando absorve-las e entende-las, porém não pôde deixar de perguntar.

- O que eu devo fazer?

- O que seu coração quiser. Permita Amélia e Jayden entrar para conversar com você. Aprenda um pouco do Severo dessa dimensão e divirta-se com um jovem de 17 anos que você nunca se permitiu ser. – Severo olhou para o velho diretor desacreditado, mas mesmo assim afirmou positivamente vendo- o sair pela porta.


Notas Finais


E ai?? O que acharam coisinhas lindas?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...