História A seleção - Interativa - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Seleção
Personagens America Singer, Maxon Calix Schreave, Personagens Originais
Tags A Seleção, América, Maxon
Visualizações 46
Palavras 1.941
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Harem, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Acharam que eu não ia rezar minha bunda hoje né?
Demorei porque tô escrevendo os próximos TRÊS capítulos, e já vou avisando, vai ter maratoninha de personagem
Um beijo, e uma ótima leitura

Capítulo 16 - The eye of the hurricane


" Allison deu gargalhadas altas e estridentes, e ambas sorriram, algo que apenas aumentava a carranca de Honey. E então, Maxon entrou..."

Maxon estava tinha vestes claras, em tons pastel. A roupa não era justa, ainda que os músculos do príncipe se sobressaisem nas mangas. Usava uma coroa dourada, que complementava os decalques dourados que sua roupa ostentava. Desceu das escadas com um semblante risonho e sincero.
A família real o seguia; América havia personificado Merida, tal qual fizeram Maxon I e sua prole. Arianna mantinha o ar orgulhoso e provocador. 
As jovens fizeram uma longa e demorada reverência a família real, cada uma demonstrando completo respeito aos monarcas. O soberano sorriu gentilmente e tomou América pelos braços, deixando o príncipe a sós com as Selecionadas. O mesmo se aproximou de Estelares enquanto Petrova não aparecia. Estelares sorriu e disse algo que havia elaborado à tempos:

- Maxon, você é um furacão.
O jovem olhou com certa confusão, a sombrancelha arqueada formando pequenas rugas na pele alva do moreno. Havia se interessado no que a menor lhe falava.

- Bem, mesmo com toda a tecnologia que temos, um furacão se mostra imprevisível. Você é assim. 
O jovem sorriu ruborizado, as bochechas esquentando, mesmo percebendo isso, a jovem continuou

- E o mesmo furacão assume diferentes intensidades, tipo, sério, tem dias que minha vontade é voar na sua jugular, e tem dias que não dá para te ignorar
Agora Estelares estava envergonhada. A morena coçou os cabelos e sorriu, finalizando.

- E todo furacão tem um olho. Isso define o furacão. O caminho até o olho é tempestuoso e fatal, mas uma vez no olho, você está a salvo.
Estelares sorriu, o máximo que seus lábios pequenos lhe permitiam.

- Você é meu furacão Maxon, e eu estou tentando o máximo me manter a salvo no olho.
A jovem abraçou o mais velho e se restou rapidamente, se misturando a multidão de forma que Maxon não teve outra escolha a não ser olhar com a boca aberta para a morena.

Elizabeth Mercy e Alisson estavam em um dos sofás de marfim do Salão quando Maxon chegou embasbacado para as mesmas. Elizabeth olhou para a expressão do jovem com atenção, rindo depois

- Que felicidade é essa Maxon, saiu do armário e quer cortar as asinhas das Selecionadas? Por que se for, eu tenho uma lista de por quem começar
O jovem, ainda em estado catacônico, abriu a boca pela primeira vez desde que havia se sentado.

- O que você faria se fosse o furacão de alguém?
Alisson e Elizabeth Mercy se entreolharam. Provavelmente Maxon tinha acendido algo ou extrapolado na bebida. Alisson foi quem respondeu:

- Bem, você tem que tentar ser menos destrutivo. Só há duas formas de fugir de um furacão: correndo dele ou chegando ao olho

Disse quase lendo a mente do príncipe 

- Mas por medo, todos se afastam, ninguém quer passar pela parte difícil para chegar na fácil. Posso saber o porquê da pergunta? - Falou rindo, mas Maxon já estava com a cabeça longe. 
Quando o jovem finalmente saiu do sofá, Eli sussurrou para a amiga:

- O que o Maxon tem usado? Seja lá o que for eu tô precisando - Disse com o olhar risonho
passará o resto de sua vida. Sem contar que depois da declaração de Estelares seu coração havia se embaralhado outra vez. Parecia que, quanto mais perto ele chegasse de uma resposta, mais longe ele era jogado por sua própria mente. Era difícil acatar todos os desejos e ânsias que sentia ao passo que deveria se manter disponível para todas. Sabia que só haveria uma "querida" no final, só não tinha idéia de quem poderia ser.

Honey também tinha sua mente confusa. Os jogos de manipulação de fazia não lhe orgulhavam, mas era sua forma de remoer os sentimentos que nutria. Era apaixonada por ele desde sempre. Maxon fora seu príncipe encantado de sua infância, o namorado imaginário de sua adolescência e sua paquera  de mocidade. Ainda assim, o garoto parecia se isolar a qualquer investida realmente significativa. A garota, com lindos trajes típicos, acariciava a pele alva, como que se tranquilizando. Estava com saudades de sua antiga vida. Não que não adorasse estar na Seleção, era seu maior desejo nos últimos tempos; mas não era bem o que ela imaginava. Se lembrava da mãe lhe penteando os cabelos e contando sobre a Seleção de América, a Sete que virou Um. Não tinha uma noite que a garotinha não sonhasse com um conto de fadas.
E desse mesmo modo, seus sonhos foram destroçados no momento em que percebera que o príncipe não era exclusivo. Ou melhor, de que ele não mostrava muita emoção em suas pequenas paqueras, que não foram poucas. Inclusive, era fato conhecido por todos sua necessidade de tê-lo para si. Honey não tinha outro sonho que superasse seu conto de fadas. Botou em sua mente que seria a vencedora. Que no final da Seleção, seria ela a entrar de branco, a usar o véu e grinalda. 

Maxon continuava a conversar com Petrova quando a valsa começou.
Olhou risonho para a garota e fez uma mesura com a cabeça, pedindo para se aproximar. Petrova acatou o pedido e se pôs em posição de dança. Os dois jovens dançavam de modo espontâneo, mas muito bem ensaiado e bonito aos olhos. As vezes arriscavam alguns passos mais arriscados, como quando o príncipe a levantou pela cintura. Era tudo o que Petrova desejava em seu aniversário. Os dois continuaram a valsar, enquanto mais casais se aproximavam da pista. 
Dentre eles, Aria e , que dançavam em total sincronia. Mesmo quem não os conhecesse sabia que tinham uma ótima química. O guarda sabia como tratar das nuances belas de Aria, e a mesma respondia os estímulos com passos muito bem ensaiados por ela. Eram nesses momentos em que Aria se convencia de que era feliz. 
Maxon olhava feliz para a amiga, que respondeu com o maior sorriso que pudera, em gratidão a benevolência do príncipe. 

As outras Selecionadas não ficaram para trás. Alisson puxara um Grand-Duque da Nova Ásia,  e fazia jus à situação. A mesma dançava com suavidade, em atrito com os movimentos bruscos do garoto.
Safira dançava com um dos guardas, Kyle devia ser seu nome. A festa se perpetuava até altas horas da noite, quando decidido, o príncipe subiu ao palco.

A mente de Maxon estava a milhão, e ele se sentia tonto, indisposto, como se proferir aquelas palavras lhe machucasse de alguma forma. O jovem respirou fundo. Uma. Duas. Três vezes. Quando todos o olhavam com dúvida no rosto, algumas Selecionadas já imaginavam o discurso e se desesperadamente. Havia chego a hora.

Era como se não tivessem passado 7 meses. Era como se o tempo tivesse passado rápido demais para as jovens. Parecia que ontem haviam sido levadas de suas casas e hoje, ali estava o príncipe, pronunciando seu Clero. Mais uma etapa e estariam na Elite, mais uma etapa e estariam na Escolha, mais uma etapa e os sonhos viravam realidade. As jovens davam as mãos, rezando internamente para seu nome ser o sortudo. Quando o príncipe finalmente ousou dizer a primeira palavra, as moças pareciam desfalecer

- É com pesar que delimito aqui o final de uma de nossas etapas. É com alegria que início um novo ciclo da competição. Meus caros senhores, o Clero começou.

A voz do jovem saia rouca e abafada, diferente do habitual. As jovens alternavam o olhar entre o príncipe, o palco e suas companheiras. O quadro atrás dele se iluminou com diversos nomes, fotos que reluziam e eram impossíveis de serem ignoradas por qualquer um ali. Ainda assim, o nervosismo era tanto que as jovens afirmavam não ser possível discernir uma palavra sequer. As que viam, choravam mais alto ou respirava aliviadas, nenhum meio termo, sempre 8 ou 80. 
Maxon tomou o microfone mais uma vez, e parecia seriamente abalado. Essas pessoas haviam lhe amadurecido e lhe ajudado a crescer, e mesmo assim, estava as jogando fora como se não fossem nada. 

- Minhas queridas, o corte é necessário para o prosseguimento da Seleção, mas de todo coração, espero que não deixem de assistir, não deixem de acompanhar a segunda casa de vocês. Obrigada por tudo Selecionadas, espero ver vocês do outro lado da tela

Terminou respirando fundo, soltando uma grave lufada de ar. As pessoas se mantinham estupefatos pelo ocorrido, estavam a um passo de surtarem pelo Salão. As garotas do Clero foram chamadas uma a uma.

- Elizabeth Petrova
A jovem soltou o ar que prendia no peito, caminhando alegremente até o palco, aliviada

- Aria "Vee" Fairchild
A garota soltou a mão tensa do guarda e correu para o palco, querendo mais que tudo agradecer e espancar Maxon pela oportunidade

- Ella Blanchard
A morena, que já estava em seu décimo infarte, tomou passos firmes e despreparados no caminho ao palco

- Allison Frixzi Bouckenberg
A menina de origem asiática sorriu para si mesma, sabendo que era sua chance de conquistar o príncipe

Metade das vagas haviam sido tomadas, e a tensão ainda corria pelo local

- Elizabeth Mercy
A sarcástica morena andou ereta até o local combinado, sorrindo de forma abrangente e querendo mostrar as pessoas a mensagem " eu consegui" 

- Honey Pease
A garota parecia agradecer a sua última geração pelas palavras proferidas pelo locutor. Queria esfregar aquela sentença na cara de qualquer um que tivesse duvidado dela no meio do percuso

- Victoria Hills 
A loira desfilou pelo local, mostrando sua capacidade e seu novo patamar de importância e autoridade

Era a última vaga. Estelares chorava por antecipação, era ela ou Catherine, e pelo que a outra falta, rolaram momentos um tanto  intimos entre os dois. Sua derrota estava clara, quase escrita em sua testa. Já não era mais.uma questão de vencer ou não, e sim de que o garoto conseguira ganhar e acabar com seu coração, mesmo depois de ter se declarado. Se sentia tola. Fútil. Estava prestes a abandonar o local quando o estrondo grave dos amplificadores chega a seus ouvidos

- Estelares Woddley Fay. Com isso encerramos o Clero desta edição

Disse o locutor seco, deixando as jovens a mercê da ansiedade e loucura

As jovens se reuniram, e naquele momento não haviam brigas, não havia trapaça, muito menos inimizades. Haviam 20 garotas que naquele momento eram só garotas. Garotas que viveram uma vida inteira em sete meses. Se apaixonaram, se iludiram, mentiram, manipularam e amaram.
E nesse exato momento, era como se uma parte delas lhe fosse arrancada.
Não era possível imaginar o castelo sem os discursos bem preparados de Catherine, ou as madeixas ruivas de Lavinia reluzindo as luzes lado local. Era depressivo andar pelo palácio e não ver nenhum sinal de Charlotte, ou de Lis. Seria estranho acordar e não ver Safira com sua alto-estima e confiança natural. Todas essas pessoas deram seu máximo, e ainda assim não passaram. Era uma cena muito homossexual e com muito ranho envolvido, mas as garotas eram os portos seguros umas das outras, e agora veriam suas amigas, não, suas irmãs as deixarem de forma tão repentina. Aria teve uma idéia rápida, que deveria ser posta em prática. A voz aguda estalou e ecoou por todo o salão

- Quero todas no meu quarto, ás 4 da manhã. Se vamos nos despedir e voltar pro nosso inferno de vida, que seja jogando glitter.

Todas sorriram e acataram o pedido, deixando o Salão.
Petrova foi a última a deixar o local, olhando com os olhos marejados e admiração para sua festa. Talvez isso fosse um adeus, mas só o tempo dirá


Notas Finais


E aí?
Queria agradecer por todas as fichas, principalmente pelas que foram e cuidas na fase do Clero. Vocês são MUITO importantes, e espero de coração que continuem a ler e acompanhar normalmente
Demorei pra cortar o pessoal porque não conseguia, me dói ter q descartar fichas tao boas. Lembrando que elas podem voltar na ficha sim, então fica de olho


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...