História A seleção - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Seleção, Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alix Kubdel, Alya, Chloé Bourgeois, Gabriel Agreste, Hawk Moth, Laila Toil, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Mylène Haprèle, Nathanaël, Nino, Plagg, Sabine Cheng, Sabrina, Tikki, Tom Dupain
Tags A Seleção, Adrinette, Romance
Exibições 85
Palavras 1.106
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá pessoas!
vc não precisa ter lido o livro pra entender a fic, vou tentar postar um CAP ou dois por semana, ok?
Ah, e a fic vai ser narrada pela Marinette

Fiquem com a fic!
~Lari

Capítulo 1 - 👑 1 👑


Fanfic / Fanfiction A seleção - Capítulo 1 - 👑 1 👑

Minha mãe entrou em êxtase quando pegamos a carta no correio. Ele já tinha resolvido que todos os nossos problemas já estavam solucionados, tinham desaparecido para sempre. O grande empecilho no seu plano brilhante era eu.  Eu não me considerava uma filha muito desobediente, mas também não era uma santa. 

Me escondi no meu quarto, o único lugar onde podia fugir do falatório da casa cheia. Procurava um argumento que sobrasse minha mãe, mas,  até então, tudo o que tinha era monte de opiniões sinceras... Não me parecia que ela fosse dar ouvidos a nenhuma delas.

Eu não conseguiria escapar da minha mãe por muito tempo. Era quase hora do jantar, e eu, a filha mais velha que ainda morava em casa, tinha que ajudar a cozinhar. Pulei da cama e caminhei para o ninho de cobras.

Minha mãe me recebeu com um olhar furioso,mas não disse nada. 

Minha mãe botou a jarra de chá na mesa com raiva. Fiquei com a boca cheia d'água só de imaginar o chá gelado com limão. Mas eu tinha que esperar;  seria um desperdício tomar meu copo agora é beber água no jantar.

-Mas você vai morrer se preencher o formulário? - ela disse, sem se aguentar- A Seleção pode ser uma oportunidade maravilhosa pra você, para todos nós.

Suspirei alto, pensando que preencher aquele formulário seria como a morte pra mim

Não era segredo que os rebeldes - as colônias subterrâneas que odiavam a França, nosso país- investiram em ataques mais frequêntes e violentos ao palácio. Já tínhamos visto os rebeldes em ação em Bordéus. A casa de um dos magistrados fora completamente incendiada, e os carros de pessoas da Dois foram destruídos. 

-Os últimos anos têm sido muito difíceis para seu pai - minha mãe estrilou - Se voce tiver um pouco de compaixão, vai pensar nele. 

Meu pai. Sim. Eu queria ajudá-lo. E Tikki e Plagg. E até minha mãe. Eu não tinha como sorrir da maneira de como ela impôs a situação. Eu me perguntava se meu pai veria a Seleção como um meio de fazer com que tudo volte ao normal, se é que dinheiro podia melhorar as coisas. 

Não que nossa situação fosse tão precária a ponto de temermos por nossa sobrevivencia ou algo assim. Não éramos miseráveis. Mas acho que não estávamos muito longe disso. 

Nossa casta era a terceira antes do fundo do poço. Éramos padeiros. E os padeiros e chefes de cozinha renomados estava só três degraus acima da sujeira. Literalmente. Nosso dinheiro era curto, vivíamos na corda bamba e nossa renda dependia muito da mudança de estações.

Mas havia coisas -coisas importantes - que eu amava. E aquela folha de papel se erguia como um muro entre mim e o que eu queria. Talvez eu quisesse coisas idiotas. Ou que não conseguiria alcançar. Mesmo assim, eram coisas minhas. Não estava a fim de sacrificar meus sonhos

Eu era irmã mais velha em casa depois que Bridgette se casou e Matheus (N/A: inventei esse personagem) foi embora. Assumi o novo papel mais rápido que pude. 

Mas, com a chegada da carta, todos os meus esforços perderam o sentido. Na cabeça da minha mãe, eu já era uma  rainha. 

Se fosse mais esperta, eu teria escondido aquele aviso antes que meu pai, Tikki é Plagg chegassem. Mas minha mãe já tinha o tinha escondido na roupa, e o sacou no meio da refeição. 

- "Para a casa da família Dupian-Cheng" - disse cantando

-Mãe, não! - implorei 

- Eu quero ouvir! - gritou Tikki, o que não me surpreendeu

Minha irmã mais nova era idêntica a mim, só que três anos mais nova. Se nossa aparência era igual, nossa personalidade estava bem longe disso. Tikki ia achar a história toda incrivelmente romântica. 

Minha mãe limpou a garganta e prosseguiu 

- "Confirmamos no último censo que uma mulher solteira entre dezesseis e vinte anos reside atualmente em sua casa. Gostaríamos de informá-los sobre uma oportunidade próxima de honrar a grande nação da França "

Tikki soltou um jeito e agarrou meu braço 

- É você! 

-Eu sei sua macaquinha, agora solte senão você vai quebrar meu braço 

- "Nosso amado príncipe, Adrien Agreste "- continuou minha mãe - " atinge a maioridade este mês. Para adentrar está nova fase da sua vida, ele deseja ter uma companheira ao seu lado. Se sua filha, irmã ou protegida elegível estiver interessada na possibilidade de se tornará noiva do príncipe Adrien, por favor, preencha o formulário anexo e entregue-o no no departamento de províncias da sua localidade, as participantes serão hospedadas no agradável palácio da França, em Paris. A família de cada participante será recompensada generosamente" - Minha mãe alongava as palavras para criar um efeito dramatico- "por seu serviço à família real"

-E é claro que ele adoraria a Marinette! Ela é tão linda- derretia-se minha mãe 

- mãe, por favor! Quando muito eu fico na média. 

-Não fica! - disse Tikki - eu me pareço com você, e sou linda! 

-Plagg, o que você acha? você me acha bonita? - perguntei

Todos os olhos caíram sobre o membro mais novo da familia

- Não! as meninas são nojentas!

-Plagg, por favor -minha mãe soltou um suspiro irritado- Marinette use a cabeça, somos provavelmente os únicos pais da França que precisam convencer a filha a participar. Pense na oportunidade! um dia você poderia ser rainha!

- mãe, mesmo que eu quisesse ser rainha, e eu não quero com todas as minhas forças, milhares de outras meninas vão entrar nesse troço. E, se por acaso eu fosse sorteada, ainda teria que competir com outras com outras trinta e quatro meninas certamente mais sedutoras do que eu jamais conseguiria

- Alguém vai ganhar, Marinette. as suas chances são as mesmas de que qualquer outra garota

~~~~~~~~~ QUEBRA DE TEMPO ~~~~~~~~~~~~

Deitada na minha cama, eu passava e repassava a Seleção na cabeça. acho que tinha suas vantagens. Seria legal comer bem, pelo menos por uns dias. E não havia razão para eu me preucupar: eu não me apaixonaria pelo príncipe Adrien. Pelo que vi no jornal oficial, nem ia gostar o cara.

meia noite, esgueirei-me pela cozinha. embrulhei minhas sobras do jantar,um pedaço de pão e uma maçã e voltei para o quarto

Abri a janela do quarto e contemplei nosso quadradinho de quintal. olhei para os lados, ninguém estava vendo. sai pela janela com cuidado andando até a pequena casa na árvore que meu pai construiu quando eu era pequena

Eu entrei naquela pequena caixa sabendo que não estava sozinha. deixei a comida no chão e apertei meus olhos para enchergar. a pessoa se mexeu e acendeu um toco de vela, finalmente o invasor falou, abrindo um sorriso malicioso- E ai, linda?


Notas Finais


o próximo CAP sai semana que vem

FUI!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...