História A seleção dos gêmeos - Interativa - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer, A Seleção, Emilia Clarke, Kit Harington
Personagens Personagens Originais
Exibições 50
Palavras 2.154
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 12 - Selecionados pt 7


Fanfic / Fanfiction A seleção dos gêmeos - Interativa - Capítulo 12 - Selecionados pt 7

PDV DYLAN
Estava indo pra casa de moto e com um olho roxo minha mãe ia ficar histérica na hora que visse meu olho olho . Estava no bar quando um casa estava batendo em uma moça como ninguém tomo iniciativa eu tive que toma , não pedi pro cara ficar calma cheguei na hora dando um soco na cara dele e o cara caio no chão ajudei a moçã se levantar foi na hora que me levantei que o filho da mãe me deu um soco , mais eu não deixei barato quebrei o nariz dele e foi nessa hora que o tumulto começo no bar , todos os clientes estavam brigando via soco e sangue por todo lado , uma garçonete loira que ficou me secando todo o tempo antes da briga me mostro a saída de emergência mais antes de ir embora dei um beijo feroz nela que deixo a moça até sem ar e claro ela me deu o numero do telefone dela fui embora direto pra casa . 
Ao estacionar a mora e tirar o capacete entrei na mansão luxosa que eu morava , meu pai era o advogado mais famoso de toda Illéia o que o tornava um homem muito rico , mas por baixo de todo aquele rosto agradável que meu pai tinha existi um homem cruel que batia na mulher e no filho . Quando pequeno sempre via meu pai agredir minha mãe desde que me começo por gente meu pai me bate , quando fiquei adolescente pode começar a defender minha mãe uma vez até dei um soco no olho do meu pai por que ele levanto a mão para minha mãe ele paro de bater na minha mãe quando eu estava por perto , ele só não me mandava embora de casa por que eu era filho unico e que depois que ele morre-se eu iria herdar tudo que era dele . 
Ao abrir a porta dou de cara com Hanna uma garota ruiva de dezenove anos que eu dava uns beijo as vezes é claro que ela que ia me procurar . Minha mãe desce as escadas e arregala os olhos quando vê meu rosto ela corre até mim e segura meu rosto e gira minha cabeça para todos os lados .
_ O que aconteceu ? _ Minha mãe pergunta com sua voz doce e preocupada . 
_ Vamos dizer que me meti em uma briga de bar _ digo e sorrio . 
_ Você está horrível com esse olho ! _ Ela diz e depois dá ordem para algum criados . 
_ Você devia ter visto o outro cara _ brinco _ Mesmo com o olho não deixo de ser sexy _ Pisco o olho para Hanna que fica vermelha e sorri . 
_ Para de brincadeira _ Minha mãe manda . 
_ Outra vez Dylan quando você vai tomar vergonha na cara e crescer _ ouço a voz grossa do meu pai e depois avisto ele descer as escadas . 
_ É bom você também velhote _ provoco para deixar meu pai irritado . 
Vejo a raiva nós olhos dele . 
_ Vamos até a minha sala , preciso falar com você _ Ele manda . 
_ Espere eu cuidar do machucado dele _ Minha mãe diz gentilmente para meu pai . 
_ Não Lucinda _ Meu pai grita com raiva ele odiava quando não obedeciam ele . 
_ Não precisa gritar com ela _ Grito com ele com raiva também . 
_ Tudo bem querido _ Minha mãe tenta aparta a nossa briga que está preste a começar . 
Olho para os olhos castanho e angelicais da minha mãe. 
_ Obedeça _ ela diz baixinho e a carecia meu rosto gentilmente . 
Subo as escadas e fico do lado do meu pai que me escara por alguns segundos e sobe as escadas eu o acompanho , todo nosso trajeto até a sala do meu pai é em silencio quando chegamos perto da porta meu pai entra e eu vou em seguida e fecho e porta . Me sento em uma cadeira de frente para meu pai . 
_ O que quer ? _ Pergunto curioso era raro meu pai me chamar para conversar . 
_ Chego isso hoje pelo correio _ Meu pai joga uma carta encima da mesa com o selo da família real de Illéia . Leio a carta que era da seleção . 
_ O que eu tenho a ver com essa merda ? _ jogo a carta encima da mesa . 
_ Você vai se inscrever na seleção ! _ meu pai diz rispidez . 
_ E quem vai me obrigar ... você _ provoco . 
Meu pai se levanta da cadeira e vai em direção a janela e fica de frente para janela observando o céu estrelado sobre Lakedon , ele estava de costa para mim não podia ver sua espeçam . 
_ Você tem duas alternativas uma se casa com a filha dos Barketons ou , entra na seleção e conquista o coração da mimada da Elizabeth _ Ele diz sem olhar para mim . A filha dos Barketons era uma garota muito mimada e chata , a ultima vez que vê aquela garota ela não saia do meu pé e não parava de falar até que eu a mandeia calar a maldita boca . 
_ E se eu não escolher nem uma dessas alternativas _ queria ver ele me obrigar . 
Ele se vira pra mim e eu vejo seu rosto sombrio . 
_ Eu mato sua mãe _ Ele diz aquilo sem nem um remoço . 
Quando ele diz aquilo meu coração começa a bater mais rápido e parece que vai sai pela boca . Eu sabia muito bem que meu pai era capaz de fazer aquilo e muito mais , além do mais meu pai nunca amo minha mãe ele foi forçado a casar com ele para deixar o laços das duas família mais forte . 
Me levando rapidamente . 
_ Encoste um dedo na minha mãe e eu acabo com você _ ameaço . 
Meu pai dá uma risada maléfica . 
_ Você não me bota nem um pouquinho de medo pivete _ Ele tira com a minha cara _ Agora mesmo tenho um cara com a cabeça da sua mãe bem na mira e só eu mandar ele apertar o gatilho e sua mãe já era ... quem iria acreditar em um garoto rebelde que sempre ódio o pai sem quase ninguém saber o motivo _ ele continua _ Se não acredite olha pro telhado do telhado bem na nossa frente . 
Vou em direção a janela , bem no telhado do prédio na minha frente havia um homem todo vestido de preto e ele estava mirando olho para a direção e logo avisto minha mãe sorrindo conversando com uma criada gentilmente no jardim . 
_ Você já decidiu ?_ meu pai sussurra no meu ouvido . 
Suspiro a vida da minha mãe estava em minhas mãos . 
_ Vou me inscrever na seleção _ e encaro meu pai que sorria maleficamente . Sai da sala rapidamente e fecho a port com força . 
( ... ) 
Uma semana depois . 
Estava aos beijos com Hanna no meu quarto , a televisão estava no jornal oficial não tava nem prestando atenção no que estava passando . 
_ Dylan Orlov de Lakedon _ diz o apresentador sorrindo . 
Paro de beijar Hanna e percebo que estava passando era o sorteio da seleção , encaro Hanna que estava sorridente . 
_ Você entro na seleção , parece que alguém vai passar alguns dias no castelo _ ela brinca . 
_ Então acho melhor aproveitar o pouco tempo que temos juntos _ sorrio e volto a beijá-la ferozmente . 
Enquanto beijava Hanna não parava de pensar no qu eu tinha que fazer . 
Primeiro : Dar em cima da princesa mimada . 
Segundo : Fazer o possível para conquistar o coração da princesa . 
Terceiro : Fazer o possível para se casar com a princesa mimada e conseguir manter minha mãe viva .



PDV CIALA
- Sim... ok... no quarto 132, obrigada, Tchau! _ Coloquei o telefone na mesa e anotei o nome, olhei para o lado e tentei brechar a porta e assistir ao jornal oficial, de canto, ouvi 
[i]Ciala Tertheod, de Whinter 
Sai gritando até o quarto de meu pai 
-Pai? eu vou poder te ajudar! _ Gritei indo em direção a ele 
-Filha, já te disse _ Torssiu _Faça isso por amor, não por mim, ele só irá te aceitar se você se apaixonar, e se não gostar, ele é um idiota 
-Papi _ Disse abraçando _Tenho que financiar sua doença... e, o principe é um gatinho 
Rimos a noite inteira, acabei pegando no sono na cadeira ao lado da maca do meu pai


PDV GREGORY
Hoje foi um dos dias mais produtivos que ja tivemos no mês inteiro, cantamos a nova composição de nossa irmã e foi um sucesso. 
A maioria das pessoas do três eram riquinhas, claro não tanto como a primiera e a segunda casta, mas eles eram os que mais gostavam de uma festinha. Eu juntamente com Ash tocavam os e cantávamos, enquanto Tyler, meu irmao mais velho, tocava baixo e procurava alguém para nos contratar para tocarmos. 
Nos estávamos quase cruzando o portão de casa quando eu olhei para casa ao lado, lá estava a chata da minha vizinha, ela tinha a mesma idade que eu, e parecia mais uma velha, pois era insuportavelmente chata, nos se odiavamos muito mesmo, e tudo o que eu podia faze para irrita-la eu faria. 
– Ash, Tay! – chamei os dois pelos apelidos deles. 
Assim eles se viraram para mim e sorriram, logo iam peguntar mas eu já fui falando. 
–Diga para mãe e para lea que eu estarei lá em alguns minutos vou apenas resolver uns assuntos, nao comam tudo antes de eu chegar! 
Mal terminei de dizer e Ash olhou para Tay e saiu correndo para dentro, sabia que eles não iam deixar nada pada mim comer quando sorriram daquele jeito. 
Dei um sorriso de me ferrei e fui para perto da cerca da casa ao lado, la estava pessoa mais detestavel de todo o mundo. Eu logo iniciei una converasa 
–Hoje o show foi muito lucrativo, ganhei mais dinheiro do que vc poderia ganhar em um ano inteiro como- 
–Não LIGO pra isso seu babaca! Depois de hoje nem vc nem ninguém vai poder me dizer algo, pois agora eu vou me preparar para ser a noiva do MEU querido príncipe Erik. 
Eu não acreditei no que eu ouvi, ela depois disso me ignou e entrou pra casa dela, e eu fiquei ali com cara de taxo. 
Fiquei surpreso quando entrei e vi todos felizes, praticamente pulando Lea veuo até mim e me deu um abraço, elea comemoravam a carta que ela tinhabrecebidp aposto, mas não fazia mais sentido pois ela já tinha recebido a alguns dias, em meio ao abraço ela me falou: 
–Gregy! Sua carta chegou, vc vai para a seleçao da princesa! 
Um grande sorriso se abriu no meu roato, finalmente, finalmente eu ia provar para aquele aer que mora ao lado da minha casa, para meus amigos bobos que nao acreditavam e para todos, que eu, Gregory Stelland, poderia ser um doa selecionadoa para conquistar o coração da princesa. 
Uma semana avia se passado, eu sorri ao ver a cara de espanto da Emilia, minha detestavel vizinha, ao saber que eu também recebi a carta, e hoje eu saberia se tinha a chance de passar realmente. 
Toda a familia se reuniu no sofá era pequeno por isso quem ficou lá nele foi Tay, mãe e o pai, já no chão ficamos eu Lea e Ash. 
Leandra estava nervosa, ela goatava bastante do príncipe, eu coloquei minhas mãos em seu ombro e dei um sorriso de que vai acabar tudo bem, e fiquei meus olhos na tela. 
Lá apareciam as fotos de quem foi escolhido, dei um pulo comemorando quando meu nome apareceu, Lea foi me abraçar e o resto apenas dava risada da minha reaçao. 
Estavamos agora esoerando o nome de Lea, mas o jornal anuciou o final. A sala ficou em silencio todoa sabianos que ela queria muito participar, talvez até mais que eu. Ela se restirou da sala com a cabeça baixa para esconder as lagrimas, odeio a ver chorar. 
Fui atras dela e a abracei, ela chorou muito e eu já dabia o que fazer, meu palno de inicip era conquiatar a princesa e aproveitar o luxo, mas agota alem de conquista-la vou fazer ela se desintender com o principe e vou fazer a vida dele mais conplicada aguarde pequeno Erik voce pagara pelo sofrimento de minha doce irmã, ninguém q faz aofrer e fica por isso mesmo, nao importa o quao alto vc esteja, vc vai cair. 
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...