História A seleção-Katherine White - Capítulo 3


Escrita por: ~

Exibições 23
Palavras 3.357
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Romance e Novela, Saga, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Capitulo 3


Fanfic / Fanfiction A seleção-Katherine White - Capítulo 3 - Capitulo 3

Abraço a minha mae e o meu pai
-Boa sorte filha-diz a minha mae.
-Boa sorte estrelinha-brinca meu pai.
Abraço meu irmão
finalmente havia chegado o dia do inicio da seleção. 
-se cuida maninha-diz meu irmão 
-se cuida noah-digo
Por fim me despeço de Alex e Taylor,  nos ultimos dias não tinhamos nos falado muito, mesmo não tendo perdoado Taylor completamente eu não gostaria de partir para seleção com raiva deles, então fizemos as pazes.
-Amo vocês- falo para todos eles
-também te amamos-diz a minha familia e o mais novo casal.
Sorrio, pego a mala, e entro no avião.
Ele estava vazio, de modo que passei toda a viajem lendo um livro, ao chegar, um carro da familia real ja me aguardava na saida do aeroporto.
Cerca de uma hora depois, ao olhar distraidamente para o horizonte algo me chamou a atenção, era a figura de um imenso castelo emergindo.
Mesmo de longe podia-se notar a sua magnitude.
Nos aproximamos ainda mais do castelo, e ao chegar, percebi que o que eu tinha visto de longe não era nem metade do que o castelo realmente era.
Como uma grande apreciadora de arte, fiquei paralisada diante daquela magnifica construção.
O palácio  era dourado e parecia ser todo feito de ouro, com pilastras esculpidas que levavam ao teto, e apresentava um imenso jardim com uma gigante fonte e esculturas na entrada. A porta do carro se abre e me deparo com um guarda estendendo-me a mão.
Solto o ar, é nesse momento que agradeço a Taylor pelo que ela fez, caso o contrario eu jamais teria a chance de colocar os pés em tal construção.
O guarda me oferece ajuda com as malas e eu aceito.
Ele me guia para dentro do castelo, e então para um enorme salão onde varias outras selecionadas se encontravam. 
O guarda leva minhas malas para o quarto mas por enquanto eu deveria esperar nao salão junto com todas as outras garotas.
Em pouco tempo uma mulher apareceu para esclarecer as regras da seleção.
Não xingar ou agredir outras selecionadas eram uma das regras inclusas. 
Logo em seguida fomos guiadas até nossos aposentos, agradeci a criada que me levou até meu quarto e então entrei, até mesmo para uma dois, o quarto era imenso, minhas malas se encontravam no chão ao lado da minha cama, a cama era certamente  uma e meia da minha. A parede estava pintada de branca, o guarda roupa era branco e tinha um belo formato, era do tamanho de 1/4 do quarto, havia uma enorme lareira a frente da cama, alem disso uma mesa na varanda. Ao entrar no banheiro fiquei igualmente impressionada. Suas paredes eram feitas de  mármore de cor rosé, no final havia uma enorme banheira, com duas pilastras que se erguiam ate um teto esculpido, e nesse teto, havia um enorme lustre.
Me pareceu um exagero que um simples banheiro fosse decorado daquela forma, mas se tratando da moradia da família real tudo era possível, eu mesma não ficaria surpresa se eles tivessem um tiranossauro como bichinho de estimação.
Meus pensamentos são interrompidos pela a entrada de duas criadas, fecho a porta do banheiro e me viro para encara-las.
Elas dão um sorriso tímido, e se apresentam:
-Boa noite senhorita White, meu nome é Natalie Flint, e esta é a sophie Kay, a senhorita pode nos chamar quando desejar. Estamos aqui para servir e ajuda-la durante o tempo que permaneçer na seleção. -diz uma delas, esta possuía cabelos cacheados e pele morena e a sua acompanhante possuía cabelos cor de mel e olhos verdes. Ambas pareciam ter quase a minha idade.
-Boa noite-respondo- abrigada pela preocupação e dedicação.-agradeço
-A senhorita deseja algo?-pergunta Sophie.
-Não, obrigada, só vou tomar um banho e dormir um pouco não ha com o que se preocupar.-respondo.
-A senhorita quer ajuda?-oferece Natalie
-Não-agradeço- Alias, por favor, me chame de Katherine, ou katy se preferir, não ha motivos para tanta formalidade-sorrio- Vocês tem o que? 19 ou 18 anos? Podem me tratar como uma amiga se preferirem.-ofereço. 
-Eu tenho 18 senhorita, e Natalie tem 20, A senhorita tem certeza?-pergunta Sophie .ambas pareciam muito chocadas com a minha oferta, de modo que supus que jamais haviam sido tratadas como adolescentes normais. 
-Claro, obrigada por serem tão prestativas... Mas se não se importam... Eu gostaria de descansar um pouco, meu dia foi um pouco corrido entendem?- tento dispensa-las sem parecer rude.
-Claro, senhorita- responde Sophie e ambas saem
Rio em silencio, aparentemente meu pedido de que me chamassem de katy ainda não foi aceito por elas, que certamente colocaram seu dever de me tratar como sua "senhora" a cima da minha tentativa de ser apenas eu, a katy.
Sento-me na cama, olho ao redor examinando o quarto, pelo que me lembro, a mulher que ditou as regras quando chegamos aqui mencionou que poderíamos decorar nossos quartos da forma como quiséssemos, penso nas possibilidades mas nada aparece na minha cabeça, talvez o dia tenha simplesmente esgotado a minha capacidade de raciocinar, rio em silencio e vou ate a varanda.
A vista era uma das mais belas que eu poderia ver em minha vida.
A baixo dos meus aposentos se estendia um imenso jardim. 
Olho para o céu, como o palácio se localizava em um local isolado, era possível ver todas as estrelas que não eram ofuscadas pelo brilho das cidades grandes.  
Uma nuvem no céu se afasta e revela uma lua cheia, nesse momento recebo uma leve rajada de vento que balança as rotinas. Respiro fundo, todo o nervosismo tinha ido embora, toda aquela cena parecia algo muito poético, algo que normalmente aconteceria com personagens que interpreto no cinema, mas eu jamais poderia imaginar que algo assim acontecesse comigo, talvez eu tenha passado tempo de mais vivendo a vida dos meus personagens ao ponto que nem parei para viver a minha. 
talvez o Noah estivesse certo, talvez todos estivessem, eu estava apenas amedrontada do novo, do desconhecido, e agora que eu estava cara a cara com uma nova realidade, um novo universo cheio de novas possibilidades, para a minha própria surpresa eu não sentia medo. 
Sorrio comigo mesma e entro,
Deito-me na cama, respiro fundo e fecho os olhos, rapidamente sou engolida pelo sono.


                               ������

Acordo no outro dia, por cerca das 7 horas, havia sido natalie quem me acordou, agradeço e aceito a ajuda dela e de Sophie para me arrumar.
Tomo um banho e coloco um vestido que encontro no guarda roupa, ele parecia o mais apropriado para um café da manhã no palácio da família real, uma vez que não  era muito enfeitado e ao mesmo tempo era arrumado. Ele era um vestido cor rosa bebe, de saia solta, com apenas uma alça, o  vestido em sua maior parte não era muito enfeitado, com a exceção de um pequeno cinto com brilho.
Agradeço as criadas criadas pela a ajuda e desço para o café da manha.
Ao chegar lá descubro que minha escolha de roupa não havia sido a mais adequada de todas. A maioria das garotas estavam vestidas com vestidos extravagantes e chamativos no estilo princesa, o tipo que eu normalmente evito, não que eu nao goste de vestidos, gosto, mas não do tipo que possuem brilho em excesso ou muitos enfeites.
Sento-me no meio entre uma garota de cabelos castanhos usando um vestido branco de renda e outra garota asiática usando  um vestido colado cor dourado. 
Me pergunto se a intenção da garota de cabelos castanhos era parecer uma noiva justo no primeiro dia da seleção e se a da garota asiática era chamar o máximo de atenção o possível. 
Apos o café da manhã somos guiadas ate um enorme salão de beleza onde seriamos cuidadas para o nosso primeiro encontro com o príncipe.
Uma mulher se aproxima.
-Com licença, eu sou a kelly-diz a mulher-cuidarei de você hoje, katherine. A senhorita tem algum desejo em especial? Alguma mudança que queira fazer?
Me pareceu idiotice que alguem mudasse a cor do cabelo e a fisionomia apenas pela chance de ser notada pelo principe.
-Nao, obrigada, desejo manter minha aparencia-peço
-como quiser senhorita-responde kelly
Ela cuida da minha pele, do meu cabelo e das minhas unhas, ao final de um longo banho, de uma limpeza de pele, uma hidratação de cabelo e uma manicure e pedicure, eu ja estava exausta mas ao que parecia ainda não era nem a metade.
Kelly ainda fez a minha maquiagem, escovou e arrumou o meu cabelo.
Mesmo sendo uma dois, nunca recebi um tratamento de beleza tão intenso,ao ponto que ao final deste, eu estava irreconhecível.
Kelly me ofereceu varias opções de vestidos, a maioria eram curtos para o encontro inicial com o príncipe, entre todos , acabei escolhendo um vermelho de manga comprida e saia rodada.
Logo em seguida um guarda me guia ate uma sala, que, ele me explica , seria onde espertaríamos para conhecer o príncipe,  
Todas nos temos que colocar pequenos broches com nossos nomes. 
Uma por uma, todas as outras 34 selecionadas vão sendo chamadas, cada uma demorava cerca de 15 minutos falando com o príncipe, de modo que me sento perto de uma garota para puxar conversa e matar o tempo.
Leio em seu broxe: April Yong
-Oi-tento parecer amigavel
-Olá- ela responde, parece um pouco surpresa por eu ter me aproximado uma vez que a maioria das garotas estava uma pilha de nervos.
-então... Nervosa?-pergunto
-Muito-ela assume-Sabe, minha mãe assistiu a ultima seleção, ela me contou que o rei dispensou 12 logo no primeira vez que conversou com elas.
-É...você sabe o que ele pergunta la dentro?-pergunto
-Não- ri ela- Não faço a mínima ideia- ela para e me analisa, talvez passe pela cabeça dela que sou uma concorrente e talvez queira arrancar informações para usar contra ela.
-Calma-brinco- a gente não tem que arrancar os olhos uma da outra por um homem-rio
Ela tambem ri
-É... De que província  você é...uhn...Katherine-ela lê meu broxe 
-Carolina- respondo- e você?
-Bonita-responde ela
-Então... April, não leve a mal a pergunta, mas o que faz aqui? Esta aqui por ter se apaixonado pelo príncipe ou... Algo mais- pergunto?
-Serio que você não queria ofender?-questiona ela em um tom acusatório, pelo visto ela se ofendeu mesmo.
-olha, eu estou aqui, por exemplo, por que minha melhor amiga me inscreveu-admito-nunca foi minha intenção, mas agora que estou aqui, quero ver no que vai dar.
April parece um pouco menos desconfiada
-Serio?-pergunta ela em um tom que indicava que ela achava graça da situação.
-Sim-afirmo
Nos duas rimos
-Sinceramente, Sei que parece meio idiota... Mas desde que sou pequena sonho com isso, Cresci vendo-o na televisão, criei essa expectativa, e agora quero ver se esse sonho corresponde a realidade-admite ela
Ela da um sorriso tímido e eu sorrio em resposta.
-Então, já deu uma olhada nas outras selecionadas?-pergunto-Quanto tempo acha que vai demorar ate que elas comecem e se matar pelo príncipe?-brinco.
-Tenho certeza de que se pudessem ja estariam se matando agora-ela ri 
-O que ? Naaaooo. -respondo com uma inocência fingida-Quer dizer, só um pouquinho.
E indico com os dedos. Ela entende a piada e ri.
-Bom, pelo menos encontrei uma selecionada com quem posso conversar-ela diz
-É-sorrio-Deveríamos fazer isso mais vezes-brinco
-Com certeza-concorda ela.
-Senhorita April Yong- a voz de um dos guardas chama
April me olha- me deseje boa sorte- e da um sorriso nervoso
-Boa sorte- falo como ela pediu.
Ela ajeita o vestido e o cabelo e se dirige na direção das grandes portas que davam entrada para a sala onde as selecionadas se encontrariam com o príncipe. Decido chama-las de as portas da morte, para criar um ar cômico para mim mesma e evitar entrar bo clima de tensão que as outras selecionadas evitavam.
Conforme o tempo vai passando, acabo ficando nervosa, peço uma agua a uma das criadas e bebo, a ansiedade acaba me engolindo.
Não que eu estivesse ansiosa por ter esperanças de faze-lo se apaixonar por mim. So que.... Eu não queria ser chutada para fora do castelo logo no segundo dia que eu estava aqui.
Apos cerca de meia hora, meu nome é chamado, Respiro fundo e me dirijo para as portas que decidi apelidar de portas da morte. 
Entretanto quando ponho as mãos nela para empurra-las, me lembro dos sets de filmagem de filmes que ja fiz. 
Sempre antes de entrar em cena fico nervosa, mas ao começar a atuar, todo o nervosismo desaparece, e eu me torno apenas a personagem e tudo a minha volta se transforma na vida da personagem.
A situação não era muito diferente de um filme, só que dessa vez era comigo.
Abro a porta e entro na sala.
Toda a ansiedade desaparece.
Olho para frente e visualizo o príncipe James lendo papeis, provavelmente a ficha das selecionadas, ele parece notar a minha presença e então olha em minha direção e sorri.
Sorrio de volta e me aproximo, sento na cadeira de frente para a dele.
-Boa noite, senhorita...-ele olha para o meu broxe-Katherine White- e então sorri
Forço um sorriso
-Boa noite vossa alteza-respondo
-Muito bem, vamos começar. Conte-me a seu respeito senhorita White-Ele sorri, seus olhos parecem me desafiar, provavelmente seu objetivo era desestabiliza-las e descobrir quais conseguem manter a calma perante uma situação de tensão. Essa técnica poderia ter sido valida com elas, mas algo que todos próximos a mim ja haviam aprendido, e o principie seria o proximo é: 
Não sinto medo perante desafios.
Sorrio- Vossa Alteza poderia especificar melhor o que deseja que eu lhe conte? -pergunto inocente.
Ele parece gostar da minha resposta, e me encara, sustento seu olhar o que o fez parecer ainda mais interessado.
-Por exemplo, por que não me conta a razão de estar aqui?-pergunta ele- os motivos das selecionadas variam entre estarem apaixonadas por mim ou acreditarem que podem ajudar a evoluir o pais, o que não deixam de ser respostas interessantes-ele diz- Mas quero ouvir a sua.
-Quanto a isso pode se tranquilizar, nunca me apaixonei, não estou apaixonada nesse exato momento.- respondo
-Então o que a trás aqui, senhorita White?-ele pergunta
-Para falar a verdade, minha melhor amiga secretamente me inscreveu- rio- inicialmente não era a minha intenção participar mas... Aqui estou.
O principe ri
-Historia interessante, e o que lhe impedia de se inscrever por conta própria?-pergunta ele.
-Não sei ao certo - admito- Talvez todo esse tempo eu tenha tido medo de mudanças, talvez  uma delas seja me apaixonar.
-Então está aqui para se apaixonar?-ele ri
-Não- sorrio- estou aqui nas mesmas condições  que Vossa Alteza, talvez me apaixone por você, talvez não, da mesma forma que talvez você se apaixone por mim, ou talvez se apaixone por outra selecionada. 
O príncipe me olha intensamente, nesse momento, ao olhar dentro de seus olhos, sinto algo, talvez uma pontada de ansiedade.
Calmamente pego um copo de agua deixado na mesinha ao lado da minha cadeira e tomo um pouco.
-Poderia me explicar por que jamais se apaixonou?-ri o príncipe- A senhorita tem um coração de gelo?
Pela primeira vez, depois todas as brincadeiras que eu, Alex e Taylor fizemos com isso, não sinto raiva de um desconhecido por ele usar o termo, talvez algo dentro de mim tenha mudado.
-Não ,Vossa Alteza-sorrio-Talvez eu tenha apenas a firmeza necessária contra amores fracos. 
O príncipe  me fita com um sorriso no canto dos lábios, Talvez eu seja a primeira selecionada a falar tão abertamente com ele.
-Bom, senhorita White, infelizmente nosso tempo acabou- ele pega a minha mão se inclina e a beija-Tenha uma boa noite.
Eu faço uma reverencia 
-Vossa alteza também-sorrio e me dirijo para a saída.
Uma sensação estranha queimava em meu peito, talvez fosse euforia.
Sorrio comigo mesma.
De longe avisto April conversando com outra garota de cabelos castanhos.
Ela me vê e acena para mim.
Aceno de volta e vou na direção de ambas.
-E então?-April sorri-Como foi?
Solto o ar.
-No inicio eu estava um pouco tensa-admito-mas depois me tranquilizei.
Olho para a garota ao lado de April, em seu broxe estava escrito Natacha Gray, ela percebe que eu estava olhando para o broxe com o seu nome e se apresenta
-Meu nome é Natacha Gray, sou de Calgary.-ela parecia muito animada, provavelmente seu encontro havia sido bom.
Natacha parecia um raio de sol se comparada a April, que estava tão tensa.
-Meu nome é Katherine White-me apresento-Então, como foi a entrevista de vocês?
-Pessima-desabafa April
-Maravilhosa-admite Natacha
O fato de que ambas falaram coisas tão contrarias no mesmo intervalo de tempo, aliviou a tensão de April e nos fez rir.
-Acho que ele vai me expulsar daqui-Fala April negativamente-Tudo o que eu fiz foi falar a respeito do meu trabalho, quem eu sou e o motivo de eu estar aqui, nada do que conversamos foi interessante ao ponto de eu me diferenciar das outras selecionadas.
Me lembro do que o príncipe falou a respeito de garotas que estavam ali por terem se apaixonado por ele, este era provavelmente o motivo que April tinha dado ao príncipe.
-Calma April, você não sabe- fala Natasha de modo otimista.
Ambas pareciam amigas de longa data então pergunto a respeito
-Eu e a Natacha viemos no mesmo voo, juntamente com uma garota chamada  Selena Swan- Responde April dando um sorriso, ao que parece minha pergunta a distraiu de seus pensamentos
A ultima selecionada sai da sala e se une a nos. 
leio em seu broxe: Selena Swan
-E então como foi?- pergunta Natacha
-Bom-responde ela, mas era perseptivel que estava mentindo, as outras garotas não pareceram notar, resolvo respeitar a vontade dela de manter o seu desempenho na entrevista em segredo.
-As senhoritas nos acompanhem por favor-os guardas se dirigem a todas as selecionadas, eles nos guiam até a sala de jantar.
Sento-me ao lado de Natacha e de April, a mesa estava servida com os mais variados pratos típicos de toda a illea, alem dos pratos principais para o jantar, também haviam diversas sobremesas.
Pego um pouco dos pratos principais, mas logo perco o interesse na comida, meu principal alvo eram as sobremesas de forma que deixo o prato de lado para experimenta-las.
-É tudo divino,não é mesmo?-ouço a Selena perguntar, sorrio, é claro que eu concordava, mas me virar para responder a esta pergunta significaria chamar atenção de mais uma vez que a Selena estava sentada ao lado da April e não ao meu. 
-Sim-concorda April.
Nesse momento o rei se levanta
Todas as selecionadas ficam em silencio
-em primeiro lugar, Gostaria de  agradecer a presença de todas as senhoritas aqui, Se não fosse por vocês meu filho jamais teria  o privilegio ter uma propia seleção e encontrar uma rainha para Illéa e para si propio.-o rei olha para a rainha e sorri-Em segundo lugar, gostaria de esclarecer algumas coisas relativas a seleção, a partir da semana que vem, todas as selecionadas deverão comparecer a aulas de etiqueta, historia, economia e política, alem disso, pelo menos uma vez a cada mês ocorrera um jornal de illea, no qual as selecionadas serão entrevistadas a respeito de assuntos diversos. Espero que aproveitem a sua estadia do castelo pelo tempo que permanecerão aqui-encerra o rei se sentando novamente ao lado da rainha.
Logo em seguida o príncipe levanta-se para discursar, nesse momento minha atenção é desviada para admirar a beleza da sala de jantar, apenas volto a atenção para o principe novamente quando ele termina a seguinte frase:
-Peço que as seguintes selecionadas me acompanhem: Lauren Bennet,Lindsay Cox
Marianne Powell,Meghan perry,Rebecca ross,Robbie Grant,Selena Swan.
Todas as selecionadas parecem confusas com relação ao que esta acontecendo, entretanto devido a minha exaustão decido descobrir o que estava acontecendo na manha do dia seguinte.
Viro-me para Selena e desejo-a boa sorte independentemente do que possa ou não acontecer.
-As demais podem retornar para os seus aposentos-conclui o príncipe.
As selecionadas mencionadas se levantam e acompanham o príncipe, logo após eles irem, as selecionadas começam a se retirar, me despeço de April e Natacha e caminho de volta para o meu quarto.
Desta vez não paro apreciar o quarto ou a vista da varanda, apenas me jogo na cama dispensando as criadas e caio no sono.


Notas Finais


O capitulo ficou absurdamente grande, mas se tratando da chegada da katherine no Castelo e o seu primeiro contato com o principe, acredito que de fato foi necessario um capitulo tão extenso para esclarecer melhor os sentimentos da senhorita White, espero que gostem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...