História A Semideusa: Em busca do perdão da deusa - Capítulo 10


Escrita por: ~

Exibições 49
Palavras 1.679
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela, Saga, Suspense
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas da Autora


Capitulo postado, leiam as notas finais

Capítulo 10 - Descubro que irei levar seis pessoas em uma missão suicida


Manu: Venha Lia, você tem de comer -ela diz pela milésima vez-

-Eu já disse que não estou com fome Manu -suspiro, Quíron tinha chamado Noah para conversar então só estava eu e Manu no chalé, escuto batidas na porta, me levanto e vou até a mesma a abrindo vendo Noah-

Noah: Lia, Quíron está lhe chamando -eu nada digo apenas assinto, entro no chalé com Noah logo atrás de mim-

-Quíron está me chamando -eu suspiro e ela assente-

Manu: Eu vou com vocês -eu nego com a cabeça-

-Não você e Noah vão jantar, depois eu vou lá -eu digo-

Noah: Mas Lia... -eu o interrompo-

-Nada de mas, eu vou e pronto -digo e saio do chalé batendo a porta, sigo rumo a casa grande, quando estou quase chegando acabo esbarrando em alguém, caio de bunda no chão-

xxxX: Me desculpe -escuto uma voz masculina, olho para cima e vejo um garoto, ele tinha cabelos castanho escuro e olhos da mesma cor, era alto e bonito- Deixe-me te ajudar -ele estende a mão e me ajuda a levantar- Eu não te vi -ele diz-

-Sou transparente por acaso? -eu pergunto fria, eu estava estressada por tudo o que vem acontecendo...-

xxxX: Opa calma aê estressadinha -ele diz erguendo as mãos como se estivesse se rendendo, depois sorri- Sou Léo Valdez, filho de Hefesto -diz sorrindo-

-Juliana Collins -eu digo, não quero dizer que sou filha de Poseidon-

Léo: Indeterminada? -pergunta-

-Eu tenho de ir conversar com Quíron -digo cortando o assunto, saio dali, quando chego entro na casa grande e vejo Quíron em sua forma de centauro- Estou aqui -ele me encara-

Quíron: Sente-se criança -eu assinto e me sento na poltrona- Chamei você aqui para falar da profecia, fala que 7 pessoas irão partir na missão, uma delas sera você, agora você irá ter de escolher os outros seis -ele diz e eu o olho incrédula-

-Eu não irei escolher seis pessoas Quíron, a profecia já diz que um irá morrer, não vou colocar a vida de ninguém em riscos

Quíron: Essas profecias sempre tem duplo sentido

-Eu irei nessa missão sozinha Quíron afinal, quem tem de conseguir o perdão de Atena sou eu, se alguém for morrer essa pessoa será eu mesma, não irei colocar ninguém em uma missão suicida -eu digo firme-

Quíron: Você me lembra muito Percy e seu pai -ele murmura mas eu acabo escutando- Vá jantar você irá sim levar 6 pessoas mas se você não quer escolher tudo bem -eu assinto e saio da grande casa indo rumo ao pavilhão, quando chego lá todos me olham e cochicham, ignoro tudo e todos, quando estava indo para a mesa de Hermes vejo Perseu acenar para mim, vou até ele-

-O que foi? -eu pergunto-

Percy: Você tem de sentar aqui já que foi reclamada -eu nada digo apenas me sento, estava sem fome então só pensei em um copo de água, quando apareceu comecei a beber- Você não irá se alimentar? -pergunta me encarando sério-

-Estou sem fome Perseu -eu digo dando de ombros-

Percy: Percy, apenas Percy, somos irmãos agora -ele diz e eu assinto-

-Esta bem Percy -eu digo e ele sorri mas logo depois volta a ficar sério-

Percy: Você pode estar sem fome mas do mesmo jeito irá comer -ele diz- Pense no que quer e coma -o mesmo manda e eu cruzo os braços-

-Não estou com fome já disse

Percy: E eu já disse que você irá comer vamos, pense e coma -ele diz e eu bufo, penso em um prato de lasanha, me levanto e vou até a fogueira jogando metade para os deuses, volto para a mesa e me sento com a cara fechada, começo a comer- Ei não fique brava, eu só não quero minha mais nova irmã doente -ele diz carinhoso e eu acabo sorrindo-

(...)

Chego em meu chalé, me deito na cama e acabo pegando no sono logo em seguida

Sonho ON

Eu estava em um belo local, era tipo uma estufa só que coberto de flores do chão ao teto, as flores eram maravilhosas e de vários tipos de cores, olho para mim, eu usava um vestido longo preto, da cintura para cima era colado ao corpo já da cintura para baixo era rodado, ele ia até meus joelhos, tinha alguns pequenos detalhes branco de renda o que o deixava ainda mais maravilhoso, em meus pés se encontravam uma linda gladiadora dourada, meus cabelos estavam soltos e com uma coroa de flores azul, a minha frente tinha um caminho de pedras, decido seguir, ando até o final quando chego fico maravilhada com a bela vista, o céu estava de um azul encantador, pelo chão tinha pétalas de variadas flores, bem a minha frente tinha um grande rio, a água cristalina estava calma, bem em seu centro tinha uma ponte, ela era toda enfeitada de rosas brancas e bem no centro tinha uma bela mulher, trajava um vestido longo até o pé branco e com um cinto dourado, seus cabelos eram ondulados pretos e seus olhos cinzas como uma tempestade, em seu ombro tinha um bela coruja

xxxX: Olá querida -ela diz, a voz doce e suave-

-Quem é você? -eu pergunto confusa-

xxxX: Você não sabe? -ela pergunta calma e eu nego- Sou Atena pequena criança, deusa da sabedoria -eu arregalo os olhos surpresa, recuo dois passos para trás, afinal quebrei uma maldição na qual ela mesma jogou- Não tenha medo, eu não quero lhe fazer mal -ela diz terna, sua voz era tão suave que me tranquilizou um pouco-

-Por que está aqui? -eu pergunto baixo-

Atena: Estou aqui para falar sobre a missão e sobre a maldição que você já está sabendo, venha aqui -ela sai da ponte e se senta em um banco de madeira que ali tinha, vou até lá ainda receosa, quando chego perto me sento ao seu lado, ela se vira, segura minhas duas mãos e me olha dentro dos olhos-

-Por que você não gosta de mim? -eu pergunto por impulso e ela me olha com um leve sorriso-

Atena: Não é que eu não gosto de ti pequena, eu e seu pai não nos damos bem, a milhares de anos atrás, antes mesmo do juramento eu e seu pai tivemos uma briga e ele acabou levando uma de suas amantes para meu templo, eu me ofendi com isso e lhe joguei uma maldição na qual ele não iria poder ter filhas mulheres

-E eu quebrei a maldição, não deveria ter nascido -eu digo de cabeça baixa-

Atena: A culpa não é sua querida, se você nasceu é por que vai ser muito importante, tenho certeza que todos irão falar muito de você -ela sorri- Agora deixe-me lhe falar da missão, você já irá acordar e tenho que lhe dizer isso, preste atenção -eu apenas assinto- Quando você acordar quero que vá falar com Quíron, fale que os seis que partirão com você será Perseu, seu irmão, Annabeth minha filha, Léo filho de Hefesto, Nico filho de meu tio Hades, Manuela filha de Hermes e Noah o sátiro

-Eu não posso, não quero os colocar em risco, eu irei nessa missão sozinha -eu digo firme, ela passa uma mão em meu rosto delicadamente-

Atena: Você é muito corajosa querida -ela sorri- Vá e fale com Quíron, vocês terão de ir em meu templo

-Mas...

Atena: Eu tenho de ir pequena criança, isso é o máximo que posso dizer -ela começa a desaparecer...-

Sonho OFF

Sinto alguém me balançando, escuto a voz de Percy

Percy: Lia, acorda menina -abro os olhos mas me arrependo, está muito claro, volto a fecha-los, vou tentando me acostumar com a claridade e quando consigo vejo Percy em minha frente- Até que enfim, você dorme como uma pedra -ele diz e eu o encaro-

-Que horas são? -pergunto-

Percy: 08:30, já está na hora do café -ele diz e eu assinto-

-Vou tomar um banho

Percy: Quer que eu lhe espere? -ele pergunta e eu nego-

-Não pode ir, quando sair daqui preciso falar com Quíron -digo me lembrando do sonho-

Percy: Está bem, nos vemos no pavilhão -ele sai, me levanto da cama e vou direto para o banheiro, entro e fecho a porta-

(...)

Saio do banheiro enrolada em uma toalha, hoje eu tinha lavado os cabelos, vou até minha cama e visto a blusa do acampamento e uma calça jeans rasgada, coloco uma sapatilha preta e volto para o banheiro, tiro a toalha de meus cabelos e os penteio, vou os deixar secar naturalmente, já pronta saio do chalé indo rumo a casa grande, quando chego encontro senhor D e Quíron jogando baralho

Senhor D: Hanna Jolin -ele diz assim que me vê-

-É Juliana Collins Senhor D -eu digo-

Senhor D: Tanto faz -ele diz e desaparece deixando apenas um leve cheiro de uvas, Quíron me olha sorrindo-

Quíron: O que deseja? -ele pergunta calmo-

-Eu tive um sonho

Quíron: Se sente -assinto- Me conte sobre o que sonhou -começo a falar tudo sobre o sonho-

(...)

Quíron: Vá e chame Annabeth, Percy, Noah, Manuela, Nico e Léo -eu apenas assinto saindo da grande casa, vou até o pavilhão chegando vou na mesa de Poseidon e me sento-

Percy: Então falou com Quíron -eu assinto-

-Ele pediu para que chamasse você, Manu, Annabeth, Nico, Noah e Léo, Poderia chamar Annabeth, Nico e Léo? Irei chamar Manu e Noah -ele assente-

Percy: Sim eu chamo

-Nos vemos na casa grande -quando eu ia me levantar ele me impede-

Percy: Não irá comer? -pergunta sério-

-Não estou sem fome, nos vemos lá -eu digo e saio rápido antes de ter de ouvir sermão, vou até a mesa de Hermes e me sento, sei que é proibido mas não estou nem ai- Manu, Quíron está chamando -eu digo e ela assente, nós duas nos levantamos e saímos do pavilhão- Viu Noah?

Manu: Ele deve estar lá na floresta -eu assinto-

-Vou procura-lo

Manu: Irei com você -eu novamente assinto e começamos a procurar o menino-bode-


Notas Finais


Bom, espero que gostem
Os sete da profecia foram revelados, irão aceitar? Deixe seus comentários


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...