História A Semideusa: Em busca do perdão da deusa - Capítulo 9


Escrita por: ~

Exibições 50
Palavras 1.016
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela, Saga, Suspense
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas da Autora


Capitulo postado! Espero que gostem, leiam as notas finais

Capítulo 9 - Descubro que quebrei uma maldição


Quíron: Juliana você é filha de Poseidon, uma semideusa poderosa, filha de um dos três grandes -ele diz calmo- A milhares de anos atrás os três grandes fizeram um juramento onde juravam que não iriam ter mais filhos pois eles seriam muito poderosos, Poseidon e Zeus quebraram o juramento, Zeus teve Thalia e Jason, já Poseidon teve Percy e agora você... -ele volta a suspirar- O único que não quebrou a promessa foi Hades, esse teve três filhos antes do juramento acontecer, mas você é um caso mais sério ainda -diz e fica calado durante alguns minutos o que já estava me deixando curiosa e irritada ao mesmo tempo-

-Fale Quíron -eu peço e ele assente-

Quíron: Antes do juramento acontecer, Atena amaldiçoou Poseidon, na maldição o mesmo nunca iria poder ter uma filha mulher, mas aqui está você, então quer dizer que a maldição foi quebrada -ele diz sereno, abaixo a cabeça encarando o chão a minha frente-

-Você quer dizer que eu sou um erro pelo juramento e que não deveria existir por uma maldição jogada em Poseidon -eu pergunto baixo, meus olhos marejam mas não irei chorar aqui, não na frente dele, sempre fui forte e não é agora que irei fracassar-

Quíron: Sim criança -ele diz, sua voz carregada de tristeza- Agora tem uma profecia na qual diz que você deve ganhar o perdão da deusa, você tem de partir em missão -ele diz-

-Posso ir agora -eu pergunto, tento disfarçar minha voz embargada, ergo a cabeça e vejo o mesmo me encarando com compaixão no olhar-

Quíron: Sim -eu me levanto e vou até a porta mas antes de sair olho para trás e vejo que ele ainda me encara-

-Nunca me olhe assim, não preciso da compaixão de ninguém -digo fria e saio da casa batendo a porta com força, caminho rápido rumo a praia, por onde eu passava as pessoas me olhavam com pena, quando chego, vou até uma parte mais afastada e me sento na areia, apoio os cotovelo no joelho e a cabeça nas mãos, lágrimas começam a escorrer e eu choro como uma criança-

(...)

Sinto uma presença ao meu lado, levanto o olhar e vejo Perseu sentado observando o mar, seco as lágrimas rapidamente e faço de tudo para parar de chorar, ficamos em silêncio

Percy: O que aconteceu? -pergunta me olhando carinhoso-

-Acabei de descobrir que sou um erro, que não deveria ter nascido -eu digo baixo, tentando segurar as lágrimas que queriam voltar a escorrer, meus olhos ardiam mas eu não irei chorar, não gosto de chorar na frente das pessoas e parecer fraca-

Percy: Eu sei bem como é isso, eu também sou um erro -ele diz, parecia um pouco triste-

-Você só é um erro por Poseidon ter descumprido uma promessa, mas não é tão grave já que Zeus também descumpriu, já eu não, eu sou um erro por isso e por que quebrei uma maldita maldição -eu digo já começando a me irritar-

Percy: Você não tem culpa, o culpado é Poseidon -ele diz calmo-

-VOCÊ NÃO ENTENDE DROGA -eu grito irritada- Eu quebrei uma maldição de milhares de anos - uma lágrima escorre e eu a limpo rapidamente- Eu sou um erro Perseu, um grande erro, sou amaldiçoada -eu digo e abaixo a cabeça, sinto ele me abraçar forte como se quisesse passar segurança, mesmo não gostando de muito contato físico acabo retribuindo, ele me passava uma calma impossível de ser explicada, acabo cedendo e chorando abraçada ao mesmo-

(...)

Já faz minutos que estou aqui abraçada a Perseu chorando, quando me acalmo me separo do abraço

-Obrigado -eu digo baixo e ele sorri-

Percy: Somos irmãos agora, pode contar comigo para tudo, vou sempre estar ao seu lado -ele diz, essas palavras acabam me fazendo dar um leve sorriso- Venha, vou lhe levar para conhecer seu novo chalé -nada digo, apenas assinto, ele se levanta e me ajuda a levantar, o mesmo passa o braço sobre meus ombros-

-Tenho de pegar minha mochila no chalé de Hermes -ele assente e assim vamos rumo ao chalé, quando chegamos lá tinha poucas pessoas, Manu não estava, vou até minha cama e pego minha mochila, saímos do chalé e andamos até pararmos de frente a um outro chalé, ele era lindo, podia não ser o mais chamativo entre os outros mas foi o que eu mais gostei, era baixo e completamente azul, a porta era esculpida com animais marinhos, escuto uma voz atrás de mim, quando me viro sou surpreendida com um abraço-

Manu: Lia, lhe procuramos o acampamento inteiro -ela diz me soltando e Noah me abraça logo em seguida-

Noah: Manu me contou tudo, como você está? -pergunta preocupado-

-Estou bem menino-bode -eu digo baixo e ele sorri levemente pelo apelido, nós quatro entramos no chalé, por dentro era lindo, era bem espaçoso diferente do chalé de Hermes, tinha três beliches, todas estavam vazias e arrumadas a não ser por uma toda bagunçada, deve ser a de Perseu, todas as janelas tinham vista para o mar, tinha uma porta na qual eu acho ser o banheiro, no parapeito de todas as janelas tinham plantas aquáticas belíssimas-

Percy: Pode escolher qualquer cama, como você já deve ter percebido não temos muitos irmãos, essa daqui é a minha -ele aponta para a cama bagunçada- E aquela a de Tyson quando ele vem aqui -ele aponta para a de cima- Ali é o banheiro -ele aponta para a porta eu assinto, escolho uma cama na parte debaixo perto da de Perseu, coloco minha mochila em cima da mesma e me sento- Irei falar com Quíron depois nos vemos, você vai ficar bem? -ele pergunta, estava sendo bem legal comigo-

-Vou ficar, não se preocupe -ele assente e me dá um beijo na testa, o mesmo sai do chalé fechando a porta e meus amigos se sentam na cama-

Noah: Você está mal não? -eu iria negar mas Noah me conhece bem, já considero Manu uma grande amiga mesmo a conhecendo pouco, espero que ela não me decepcione como aconteceu da última vez..


Notas Finais


O que será que Lia quis dizer no final?
Espero que gostem, deixe seus comentários...!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...