História A Sereia e o Pirata - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, Chloé Bourgeois, Félix, Gabriel Agreste, Hawk Moth, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Mestre Fu, Mylène Haprèle, Nathanaël, Nino, Nooroo, Plagg, Tikki
Tags Adrien, Adrinette, Marinette, Miraculous, Pirata, Romance, Sereia
Visualizações 163
Palavras 1.279
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Fantasia, Ficção, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 12 - REENCONTRO


Marinette -on-

O sentimento que eu estava tendo por Adrien era diferente de tudo, eu já não sabia mais como agir perto dele, agora estou mais dividida. Então assim que é sentir amor, ficar confusa, não pensar em nada além dele? Durante todo esse tempo estava desconcentrada, mais desastrada de quando estava aprendendo a andar. Depois que Tikki conversou comigo, me deu coragem para pedir uma coisa para Adrien.

Eu não posso mais continuar assim! Eu precisava conversar com o Capitão!

Marinette -off-

Adrien -on-

Desde aquele beijo Marinette está estranha, meio avoada, se machuca, esbarra e deixava tudo cair, mas só quando esta comigo e quando conversamos começa a gagueja e não consegue olhar nos meus olhos. Será que eu fiz algo de errado? Porque Lady estava agindo daquela maneira? Estava ficando mais preocupado.

Eu quero saber o que eu fiz! Eu precisava conversar com a Sereia!

Adrien -off-

Autora -on-

Já estamos 4 dias depois da festa e do beijo, durante todo esse tempo Marinette tem evitado Adrien por causa dos sentimentos confusos, apesar de não ser o primeiro beijo deles. Dessa vez foi algo mais que dejeso.

Era de manhã Marinette tinha acabado de acordar e saiu do seu quarto para procurar pelo pirata. O encontrou na parte de cima da caravela dando as ordens para finalmente saírem da ilha e aplicar o plano em outras festas de nobres.

Quando ele viu a sereia se aproximando correu em sua direção.

-Marinette precisamos conversar- Por um minuto ela se sentiu aliviada por não precisar puxar assusto.

-S-s-si-sim, e-eu t-tenho algo para pedir.- Falou com muito esforço e depois respirando fundo.

Eles foram para aquela mesma cabine que começou tudo, o quarto do Capitão. Ficaram de frente para o outro pegando folego para falar

-Olha M'Lady eu queria saber se, eu fiz algo de errado?

-P-po-porque acha isso?- Marinette desviou os olhos

-Você tem me evitado esses dias, só fala se é por obrigação.

Marinette respirou fundo. Fazendo de tudo para segurar a gagueira.

-Adrien, não é você sou eu.-Ele ergueu a cabeça com mostrando o claro ponto de interrogação que ele fazia na mente- Meu coração está dividido entre a superfície e o mar, eu gosto daqui de tudo que fiz, mas sinto saudade da minha casa. -Marinette respirou mais e esperou uns segundos para falar, ela queria que ir direto ao assunto- Porissoquerotepedirparaquepossavoltarparavermeuspai, eujuroquevolto.

-O que?

Marinette falou de uma vez tão rápido, não deu para entender, ela respirou mais uma vez e disse

-Estou te pedindo para poder ir ver meus pais, e depois eu volto, prometo!

-Não sei...Não quero que você...

-Adrien, por favor!-Os olhos marejados de Marinette, fizeram o capitão se comover

-Tudo bem, te espero para partirmos, mas leve isso- Adrien tira uma pulseira, fina de prata e dá para a sereia- Isso foi um dos tesouros do castelo que eu não consegui vender, era da minha mãe, cuide bem, tá.

-Tudo bem.-Ela estava prestes a sair- Eu volto.

Ela saiu e pulou no mar, os marinheiros só olharam espantados, logo Adrien apareceu dando ordens de todos voltarem ao trabalho, e quando ele se virou para o mar viu as roupas que Marinette estava usando boiando.

-Sereia que roubou meu coração, volte logo.

Autora -off- 

Marinette -on- 

Nadava tão rápido com tanta ansiedade, finalmente vou reencontrar os meus pais, vejo aquela rocha, que foi esculpida para abrigar uma família de sereias, a minha casa. Ao entrar, meus pais sentados, tristes, pareciam ter chorado por dias.

-Desculpa o atraso...muita coisa aconteceu...-Eu entrei

Quando eles levantaram os olhos e me viram, começaram a chorar de novo, e eu também chorei de saudade, finalmente, depois de tanto tempo, estava com eles. Ficamos ali nos abraçando em silêncio, e ainda assim nos entendendo. E quando finalmente nos soltamos, as perguntas começaram, minha mãe foi a primeira:

-Onde você estava?

-Porque demorou tanto?

-Aconteceu algo?

-Foi capturada?

-Te machucaram?

-Calma eu estou bem, vou contar tudo pra vocês.- Então contei o que aconteceu, sem poupar detalhes.

A reação dos meus pais foi olhar e tentar assimilar o que dizia, por fim disse que voltaria. Eles se entreolharam e olharam para mim, dava pra ver a preocupação, o medo, a raiva, o carinho, a surpresa, uma mistura de sentimentos. Por fim, eles me pareceram confusos.

-Olha eu sei que é muita informação para absorver, mas...

-Filha você ficou desaparecida, pensávamos que algo de ruim tinha acontecido, falamos de você na reunião de sereias, e todos disseram que você já estava morta...-Minha mãe falava contendo o choro, e ainda segurando minhas mãos como se ainda não acreditasse que eu estava lá.

-Eu sei que preocupei vocês, e eu também fiquei, durante os primeiros dias eu só pensava em fugir, admito que mudei de ideia bem rápido, mas pude fazer coisas que nem imaginaria se estivesse aqui.

-Roubar inclusive...-Meu pai falou com decepção

-Sei que isso não é coisa que se faça... Se você visse os rostos das famílias que ajudamos... Eu acabei gostando desse vida e estou feliz... Sem falar que fiz uma promessa quero cumprir. Eu amo muito vocês papai, mamãe, todo dia antes de dormir eu olho para esse foto- Peguei o enfeite e abril.- E lembro que não importa aonde eu vá, com quem estou, nem o que estou fazendo ou o que estou sentindo, vou sempre ter um lar, porque vocês são meus pais, vão sempre estar eu meu coração e eu amo muito vocês.

A seção choro voltou para nossa família, eu finalmente vi meus pais, e finalmente podia voltar para cima com o coração leve.

Marinette -off-   

-Quebra de Tempo-

Adrien -on-

Ela já está demorando muito. E eu estou andando em círculos nessa caravela preocupado com ela, será que foi pega? Será que não vai voltar?

-Calma, ela disse que vai voltar.- Nino aparece.

-É Adrien, Marinette gosta da vida que tem aqui.-Alya diz em seguida

-Como podem ter tanta certeza, ela pode ter aproveitado esse momento, ou pode ter sido achada por outro.-Coloco as mão na cabeça, tentando não pensar nisso.

-JÁ CHEGA!- Alya disse, ou melhor gritou- Se ela disse que vai voltar é porque volta, pense que não é o único preocupado Adrien, ela é minha amiga também, ela não teria se metido em tantas confusões e perseguições se não gostasse.

Nino acalmou Alya.

-Cara, entendo suas preocupações, também ficaria desesperado se Alya demorasse para chegar, mas eu confio nela, e sei que ela voltaria. E tente entender, Marinette não vê os pais desde que você a capturou, a saudade deve ser gigantesca.

Os dois tinham razão, eu teria que espere-la...

O tempo passou mais, Alya e Nino sucumbiram ao sono, ambos tinham ido para o quarto.

-Adrien- Eu reconheci essa voz, era Lady, ela voltou.

Fui em direção a voz

-M'Lady!

-Eu disse que voltava. -Comecei a puxa-la para dentro.

-Você demorou. -Ela já estava no meu colo. Ah! Como era bom tocar nela de novo e ela percebeu isso.

-Ei calma! Só fiquei um dia fora, e eu disse que iria voltar.- Ela sorriu, caminhei até meus aposentos, as roupas dela estavam lá

-Essa conversa demorou.

-Mas é claro, são meus pais eles queriam saber o que aconteceu, e do pirata que me capturou.

-O Capitão que te capturou!-Eu a corriji

-Ah! Claro, claro, mil perdões- Ela disse rindo de forma debochada.- Obrigada por me deixar ir, meu coração está mais leve.

Nos abraçamos, e isso deixou nossos lábios próximos, nos dois ficamos vermelhos, eu não me segurei, e a beijei apaixonadamente, e ela retribuiu. Com esse simples gesto reforçamos o que sentíamos um pelo outro esse "gostar" se tornou paixão, e logo iria evoluir para amor.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...