História A Sereia e o Pirata - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, Chloé Bourgeois, Félix, Gabriel Agreste, Hawk Moth, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Mestre Fu, Mylène Haprèle, Nathanaël, Nino, Nooroo, Plagg, Tikki
Tags Adrien, Adrinette, Marinette, Miraculous, Pirata, Romance, Sereia
Visualizações 95
Palavras 1.249
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Fantasia, Ficção, Misticismo, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 15 - SEREIA PRESA


Fanfic / Fanfiction A Sereia e o Pirata - Capítulo 15 - SEREIA PRESA

Marinette -on-

Quando acordei estava em uma cela, meu pé estava preso por correntes. Olhando para trás tinha uma pequena janela, ouvi o mar, se não fosse essa parede a água invadiria o local. Senti alguém me observando, era uma figura alta escondida nas sombras.

-Olá sereia.- Eu sabia quem era.- Dormiu bem? Indo direto ao assunto, você está aqui para realizar meu desejo.- O que ele quer? - Quero que apague a existência de Adrien.

Arregalei os olhos, não iria fazer aquilo. E por que ele ia querer apagar a existência do próprio irmão? Me recusava a acreditar que aquele pedido era verdadeiro. Por fim, fiz que não com a cabeça.

-Então sereia vai ficar aqui até realizar meu desejo.- Felix saiu.

Dois dias se passaram, e eu estava mal, minha pele secou, e eu desmaiei. E quando acordei, não sabia quanto tempo fiquei inconsciente, estava presa em um aquário, com os vidros bem grossos me cercando. Felix estava lá de novo, mas tinha outra pessoa ao seu lado, era o rei que olhava espantado.

-Parece que Adrien afinal não era tão louco.- O rei falou se aproximando e colocando a mão no vidro.

-Sim, mas Adrien disse que ela só pode realizar desejos verdadeiros.

-Humm... Interessante, então sereia realize o meu desejo. Reviva a minha falecida esposa.

Eu me recusei a realizar o desejo de um homem que fez meu pirata sofrer.

-Majestades, sou capaz sim de realizar seus desejos, mas não quero.- Senti a água envolta de mim ficar mais agitada.-Por isso adeus.

Quebrei a parede de vidro, que estava atrás e me dividia do mar, com a ajuda da água, fazendo ondas fortes. Eu não acreditei que isso era possível, mas aconteceu, e agora estava livre daquele castelo.

E agora?

Marinette -off-

Autora -on-

Imediatamente a fuga de Marinette o rei e o príncipe estavam chocados. Felix correu para o quarto que tinha aprisionado Adrien, ao abrir a porta outro choque, ele também tinha fugido.

-Quebra de Tempo-

Havia cartaz de procurados de Marinette e Adrien em toda parte, deixando bem claro que eram para serem capturados e entregues a família real vivos. A caravela Chatnoir foi apreendida, junto com a tripulação, eles foram interrogados, mas ninguém sabia aonde o capitão estava, nem sua companheira.

A sereia se escondeu em uma casa abandonada, perto do mar. Tinha roubado algumas roupas. e toda noite ia para a água, ela queria mais que tudo procurar pelo pirata, mas achava melhor ficar em um lugar e esperar que ele a achasse, mas ela não aguentou nem um semana assim. Um dia ela caminhava pela cidade, com um capa, para proteger sua identidade, procurando algo que a ajudasse com a viajem que estava prestes a fazer. Ela estava distraída, pensando em várias coisas, quando esbarrou em alguém. Ela caio

-Me desculpa, não vi por onde estava andando!- Era a voz de um rapaz, ele esticou a mão para ajuda-la a levantar.

-Está tudo bem, eu também não olhei para onde estava indo.- Ela aceitou o cavalheirismo do rapaz, quando se levantou viu que tinha cabelos vermelhos e olhos azuis claros, ele estava com um avental sujo de tinta.

Depois que viu ela, ele ficou vermelho.

-D-des-desculpe, sou Nathanael.- Ele esticou a mão mais uma vez para cumprimenta-la.

-Sou Marinette. -Ela o cumprimentou, de repente ele pareceu pensativo.

-Você me é familiar...- "Essa não" pensou.

-Ah! Impossível, primeira vez que venho aqui- Tentou disfarçar, escondendo o rosto

-Você... É o procurada, junto com o pirata que roubou a família real...

-Por favor, não me entregue para os guardas.- Falou quase chorando, só de pensar que poderia ficar presa de novo

-Por que faria isso? -A sereia o encarou com dúvida.- O capitão do Chatnoir ajudou muito a minha família, temos uma divida com ele. E se você é amiga dele, ficaria feliz em te ajudar.

-Então sem guardas?

-Sem guadas!

-Obrigada- sorriu com o olhar.

-O que faz aqui se é procurada?

-Eu estou "presa" aqui, a caravela foi apreendida e eu também não sei onde Adrien está, eu estava indo procura-lo. -A sereia confessou.

-Entendi, acho que posso te ajudar.

-Como?

-Venha comigo.

Nathanael levou Mari para uma carruagem/palco que era puxada por seis cavalos bem robustos.

Me inspirei nesse caminhão do anime Ashita no Nadja, para a carruagem

Me inspirei nesse caminhão do anime Ashita no Nadja, para a carruagem.

-Esse é a Companhia Joie de entretenimento, eu fui contratado por eles para dar uma nova decoração para a carruagem. Eles viajam pelo país, até fora dele, para levar alegria aos cidadãos. Assim como eu eles também foram ajudados por Adrien, não vão se recusar a te ajudar.

Marinette viu um grupo de pessoas sentadas conversando, o pintor foi cumprimenta-los, ele estava explicando algumas coisas para eles, e apontou para a sereia, logo eles vieram em direção dela

-Eles vão te ajudar.- Disse o ruivo, Mari olhou confusa para ele e olhou para trás tinham seis pessoas olhando para ela

-Olá! -Uma menina, se aproximou.- Não se preocupe, ninguém aqui ira te entregar, afinal isso seria muito difícil por aqui, já que o capitão do Chatnoir é considerado um herói por aqui. Soube que você quer viajar para encontrar com ele, vamos te ajudar. Meu nome é Mylène. Bem vinda. Sou a apresentadora.

-Sou Juleka.- Outra se apresentou.- Ficaremos felizes em te ajudar, sou a mágica.

-Olá!-Disse uma menina de voz doce.- Sou Rose, a contorcionista.

-Ivan, o mais forte (Aqueles que levanta peso para entretenimento).

-Prazer, sou Kim, sou o malabarista e domador do fogo, e sem querer ser chato, mas acho que se vai viajar com a gente, vai ser mais uma boca para alimentar, vai ter que nos ajudar, e roubar não vai ser uma dessas coisas.

-Já foi chato Kim, ela não precisa...-Marinette interrompeu Ivan.

-Está tudo bem, eu também ficaria desconfortável vendo vocês trabalhando e me ajudando e eu não poder fazer algo em troca. Mas sei fazer poucas coisas.- A sereia pensou um pouco.- Posso dançar.

Todos estavam satisfeitos com a resposta, sereia algo interessante ter uma dançarina. E depois de explicar como tudo funcionava, Mylène perguntou:

-É isso, alguma dúvida?

-Sim, vocês viajam perto do mar?

-Querida, não conseguimos nos separar no mar ele nos inspira.- Disse Rose.

-Que tipo de inspiração?

-Ah! Mari, veja essa imensidão o mar pode ir para onde quiser, mostrar sua beleza, assim como nós, ele é o sinônimo de nossa liberdade. -Continuou Juleka.

A sereia sorriu, aquele era um ambiente perfeito para viajar, com pessoas boas que iam ajudar a reencontrar seu amor.

-MARINETTE!!-A sereia ouviu, virou rapidamente a cabeça e viu um gato preto e um passarinho vermelho indo em sua direção.

-TIKKI! PLAGG! -Ela caiu de joelhos no chão de terra e os abraçou.

-Temos muitas coisas para contar, eu vi você Adrien serem presos, ai a caravela foi apreendida.- Tikki dizia desesperada

Marinette só concordava com a cabeça

-Mari... Cadê Adrien?- Perguntou o gato

-Estamos indo procura-lo. -Falou baixinho. Ela se levantou com o Plagg no colo e Tikki em seu ombro. -Vocês não se incomodam...

-Não, esses fofinhos podem vir com a gente- Disse Rose.

Era realmente bom estar ali.

Enquanto isso, bem longe dali...

Em toda as partes do reino tinham guardas, espalhados e muito bem equipados. Em somente um lugar não tinha guardas, era uma região bem afastada da praia onde existia uma mansão simples, entretanto elegante. E era lá que o príncipe abandonado se dirigia com seus amigos.


Notas Finais


Me inspirei no caminhão do anime Ashita no Nadja, para a carruagem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...