História A Series Of Coincidences (That Brought Us Together) - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Amor Não Correspondido, Angst, Aparições Do Got7, Aparições Do Monsta X, Bts, Eu Sinto Muito, Fluff, One Sided Jikook, One Sided Namjin, Slow Build, Smut, Yoonmin
Exibições 69
Palavras 2.000
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Bom, vocês devem ter percebido que eu mudei a classificação etária da fanfic... Eu tô indo lá tomar um banho em água benta.

Eu não sei como isso aconteceu, mas aconteceu dyufvkud e eu não sei se ficou bom ou não, eu li isso umas 3 vezes mas ainda não sei como me sentir sobre? Talvez tenham escapado alguns errinhos mas espero que tenha ficado bom?

Então sem mais delongas, eis aqui o capítulo.

Capítulo 21 - One Step Foward (Hold Me Tight)


 

-Jimin-

 

Na manhã seguinte acordei com a luz do sol batendo nos meus olhos, os braços do Yoongi ao meu redor e o nariz dele enterrado nos meus cabelos, eu bocejei sentindo o cheiro de coco que desprendia da pele dele, sentindo o peito dele subir e descer embaixo de mim. Depois de termos subido para o andar superior eu não demorei para adormecer de novo, dessa vez tendo um sono tranquilo e sem sonhos. Quando acordei naquela noite no porão, suando e com lágrimas nos olhos eu ainda conseguia sentir o sangue do Yoongi nas minhas mãos, o pesadelo ainda nítido por trás das minhas pálpebras.

 

-o-

 

No sonho eu estava na casa do filme, a madeira velha rangendo sob os meus pés, andando em direção aos quartos com uma espingarda em mãos, a cena idêntica à do início do filme, meu corpo se movia sem a minha permissão, parando em frente ao primeiro quarto no corredor estreito e chutando a porta, em seguida disparando dois tiros contra o casal sem nome, eu sentia o peso da arma nas minhas mãos, sentia a energia do disparo da arma, mas meus dedos se moviam por conta própria e eu senti um nó se formando na minha garganta, vendo o casal estirado no chão, uma poça vermelha pintando o carpete sujo.

 Andei alguns passos indo em direção ao próximo quarto, mas dessa vez quando entrei, não eram desconhecidos morrendo do outro lado do cano da arma, eram Jungkook e Taehyung, carmim escorrendo nos lençóis brancos, eu tentei gritar, tentei correr em direção a eles, mas meu corpo se virou em direção à porta, e eu não pude chorar pela morte dos meus amigos, meu rosto composto em uma máscara impassiva, o único sinal da minha dor eram as lágrimas silenciosas descendo pelo meu rosto.

Quando cheguei ao fim do corredor vi um espelho, o qual eu não tinha reparado antes, mas quando fitei a figura no espelho não vi meus olhos me encarando de volta, ao invés disso vi olhos negros, ombros largos e cabelos vermelhos e revoltos, um sorriso maníaco descansando nos lábios que não eram meus mas eu conhecia tão bem, a risada grave de Taekwon escapando por entre os meus lábios.

Ao entrar no que parecia ser o último quarto eu vi aquele verde-menta tão familiar e os olhos arregalados do Yoongi antes de ver o vermelho encharcando a camiseta branca dele, o impacto da arma finalmente me jogando para trás, enquanto lágrimas desciam livremente pelo meu rosto, soluços irrompendo pelo meu pulmão.

- Não, não, não... – Me ouvi dizer enquanto eu impulsionava meu corpo para frente, finalmente livre para movê-lo, me joguei nos braços do Yoongi, sangue manchando as minhas roupas.

- Eu te fiz um favor. – Taekwon sussurrou no meu ouvido.

- Não!

- Ele morreu, e a culpa é toda sua.

- Não! Não! Você matou ele!

- Mas você apertou o gatilho. Você não foi forte o suficiente. Você não foi o suficiente.

- Não! Isso é mentira! – Eu não conseguia ver nada, apenas vermelho, vermelho no chão, vermelho no cabelo do Taekwon, vermelho nas minhas mãos, vermelho no Yoongi e vermelho em mim.

- Não importa, eu te fiz um favor, ele ia te deixar mais cedo ou mais tarde, pelo menos ele morreu ainda se importando com você. Mas você nunca vai ser bom o suficiente, e no fim você vai acabar assim, sozinho.

E então ele sumiu, assim como o Yoongi, meus braços vazios e cobertos de sangue . Quando olhei ao redor eu não estava mais no quarto, eu estava no porão, a poeira me fazendo tossir, me levantei e girei nos meus calcanhares, me deparando com um espelho grande e sujo, o cômodo completamente vazio, apenas a voz do Taekwon ecoando na minha cabeça.

- Você está sozinho.

- Não! – Gritei antes de acordar nos braços do Yoongi, sentindo meu coração martelando no meu peito.  – Yoongi?

- Calma, Jimin, tá tudo bem, eu tô aqui. – Ele disse me puxando para os seus braços. – Eu tô aqui. – Ele afirmou de novo.

- Eu tô bem. – Eu ecoei, afirmando mais para mim mesmo do que para ele, sentindo uma lágrima escorrendo pela minha bochecha, o porão ao meu redor me fazendo sentir vazio, mesmo com o som da respiração de todos os outros enchendo o ambiente.

 

-o-

 

Agora com a luz do sol entrando pelas cortinas e o calor do corpo do Yoongi contra o meu a minha reação parecia meio exagerada, mas a sensação tinha sido tão ridiculamente real, senti um arrepio descendo pela minha espinha e me aproximei mais do corpo do Yoongi, sem perceber que ele tinha acordado com o meu movimento.

- Bom dia. – Ele sussurrou beijando a minha testa.

- Bom dia. – Respondi esfregando o meu nariz contra o peito dele. – Dormiu bem?

- Mhmm, não demorei muito para pegar no sono depois que a gente subiu.

- Desculpa por ter te acordado.

- Não acordou. – Ele negou traçando padrões invisíveis na pele exposta do meu braço com a ponta dos dedos. – Eu ainda não tinha conseguido dormir.

- Os outros ainda estão dormindo?

- É provável, - Ele respondeu com um meio sorriso. – A casa não estaria tão silenciosa se eles estivessem acordados.

Assenti em resposta e depositei um beijo no maxilar dele, descendo pela mandíbula dele antes de ajeitar a minha posição na cama estreita e continuar a trilhar o caminho pelo pescoço dele, as mãos dele segurando a minha cintura.

- Assumo que você não tenha tido mais pesadelos.

- Não, depois que a gente subiu eu dormi super bem. – Murmurei contra a pele cheirosa dele. – No pesadelo que eu tive você morria, então agora eu só quero aproveitar esse momento com você sem os outros, então cala a boca e me beija.

- Não precisa pedir duas vezes.

E então as mãos dele estavam em mim e eu estava no topo dele, os fios verde-menta entre os meus dedos, a língua dele percorrendo suavemente o meu lábio inferior antes de puxá-lo entre os dentes me fazendo arfar, ele aproveitou o momento e aprofundou o beijo, passando a língua pelos meus lábios entreabertos, explorando a minha boca, uma das mãos dele descendo até a minha bunda, apertando-a entre os dedos, quando o ar se tornou escasso quebrei o beijo, puxando o ar por entre os meus lábios e nesse momento Yoongi inverteu nossas posições, ficando por cima e me fitando com pupilas dilatadas.

 

-Yoongi-

 

- Jimin, você é tão bonito. – Sussurrei observando a forma que a luz do sol iluminava o rosto dele, os cabelos espalhados no travesseiro e os lábios dele entreabertos e avermelhados, minhas mãos subindo pelas laterais do corpo dele. – Você não tem noção do quanto merece ser apreciado.

- Yoongi. – A voz dele era rouca e baixa.

- Eu amo os seus olhos, amo as suas bochechas, - Eu disse as acariciando. – Amo seus lábios, – Me aproximei unindo os dele aos meus. – Amo o seu pescoço. – Continuei descendo beijos pela pele macia e sentindo o pulso acelerado dele contra os meus lábios, quando cheguei à base do pescoço dele dei uma mordida suave, puxando a pele entre os meus dentes.

Os braços dele estavam ao meu redor e uma das mãos dele entrelaçada no meu cabelo, os dedos acariciando a minha nuca.

- Eu amo o seu abdômen, amo como a sua pele é macia. – Prossegui, deslizando uma das minhas mãos para dentro da camiseta dele, sentindo os músculos se contraindo sob o meu toque, as bochechas dele corando um pouco com a ação. – Eu sei que você tem uma coisa com a sua barriga, mas você não precisa, - Falei trilhando meus dedos logo acima do cós da calça de moletom dele. – Você não tem noção do quão bonito você é. – Completei levantando um pouco a barra da camiseta dele, substituindo minha mão pelos meus lábios, beijando a região antes de voltar a fitá-lo, pedindo permissão com os olhos para tirar a peça de roupa.

Jimin fitou o meu rosto, os olhos procurando por algo, não sei se sele encontrou o que procurava, mas depois de alguns segundos ele assentiu, me permitindo tirar a camiseta de algodão, expondo o torço levemente definido dele, espalmei as mãos sobre o peito dele, descendo-as lentamente, apreciando a forma que a pele dele era suave sob meus dígitos, em seguida abaixei o rosto para continuar a trilhar beijos pelo corpo dele, minhas mãos indo até as coxas dele, sentindo os músculos sob a pele conforme ele mexia elas.

- Eu amo cada centímetro do seu corpo. – Eu sussurrei contra o abdômen dele, mordiscando a pele ali. Ele arfou novamente, os olhos se fechando brevemente enquanto os quadris dele se projetaram para cima em um movimento involuntário.

- Yoongi! – A voz dele saindo em um suspiro e eu senti uma onda de calor descendo pelo meu corpo, o volume se formando nas minhas calças exigindo atenção.

Levei minhas mãos à parte interna das coxas dele, testando as águas, vendo a pele dos braços dele se arrepiar.

- Jimin, posso tocar em você? – Perguntei, minha mão subindo em direção à virilha dele.

- Pode. – Ele respondeu olhando no fundo dos meus olhos, as pupilas dilatadas com luxúria, desejo cobrindo cada sílaba.

Eu parei por um momento para escutar, procurando pelo barulho de passos ou qualquer outro som que denunciasse que os outros tinham acordado, encontrando apenas silêncio, prossegui acariciando Jimin por cima do moletom, vendo os olhos dele se fecharem e a boca se abrir em um arquejo, a cena fazendo um arrepio descer pela minha espinha e ir direto para o meu pau. Ataquei os lábios dele enquanto abaixava a peça de roupa, libertando o membro dele, a pele dele se arrepiou e ele gemeu baixinho contra a minha boca quando eu o segurei pela base, movimentando meu pulso de forma lenta, apreciando as reações do corpo dele ao estímulo.

Eu queria ter mais tempo, queria poder explorar com calma cada centímetro do corpo dele, mas eu não podia esquecer que a cama na qual estávamos deitados não era nossa e que logo os outros iriam acordar e eu definitivamente não queria que eles nos vissem assim, então acelerei o ritmo, apertando um pouco mais nas subidas, mordendo o lóbulo da orelha dele vendo a pele dele se arrepiar e os sons que ele fazia ficarem mais altos, as mãos dele puxando o meu cabelo sem força o suficiente para machucar, e dentro de pouco tempo ele atingiu o ápice com um gemido.

Se Park Jimin era bonito vestido de luxúria, Park Jimin logo após um orgasmo era uma visão de outro mundo, os lábios entreabertos e avermelhados, as gotículas de suor pontilhando as têmporas e a nuca dele, o peito subindo e descendo com a respiração acelerada e os olhos semicerrados.

- Você é lindo, absurdamente lindo. – Falei beijando o rosto dele, sentindo o sabor do suor nos meus lábios, as palavras “eu te amo” na ponta da minha língua.

- Yoongi, você já se olhou no espelho? – Ele perguntou sorrindo ainda um pouco sem ar, franzindo o nariz numa careta quando ouviu o barulho de panelas na cozinha. – Acho que eles acordaram.

- Provavelmente. – Minha expressão espelhou a dele e eu o beijei uma ultima vez antes de puxá-lo da cama. – Vamos, eu preciso de um banho e você também.

- Culpa sua. – Ele disse limpando o abdômen com a camiseta branca e colocando de novo a calça de moletom.

- Culpa minha? – Perguntei incrédulo dando um tapa na cabeça dele. – Não te ensinaram a agradecer as pessoas, pirralho? Na minha época...

- Vamos, no banho eu agradeço. – Ele respondeu saindo do quarto, balançando os quadris ao andar, indo em direção ao banheiro.

- Eu não acredito nesse pirralho. – Murmurei sob a minha respiração me perguntando onde estava o Jimin fofo e adorável, apreciando a visão da bunda dele enquanto ele caminhava na minha frente, entrando no banheiro logo atrás dele.


Notas Finais


Então, essa é a primeira vez que eu escrevo algo desse tipo, eu não pretendia escrever isso mas acabou acontecendo? As coisas saíram um pouco do controle - como sempre - mas espero que tenham gostado
Comentem! Tem algo que eu deveria mudar? Por favorzinho com chantilly em cima me avisem! Eu adoro ler críticas e eu quero trabalhar para melhorar a história cada vez mais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...