História A Series Of Coincidences (That Brought Us Together) - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Amor Não Correspondido, Angst, Aparições Do Got7, Aparições Do Monsta X, Bts, Eu Sinto Muito, Fluff, One Sided Jikook, One Sided Namjin, Slow Build, Smut, Yoonmin
Exibições 76
Palavras 1.452
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 22 - Shut Up (Just One Punch Isn't Enough)


 

-Jimin-

 

Quando finalmente voltamos para Seoul eu podia sentir o cansaço nos meus ossos, eu adorava Busan, adorava a praia, mas depois de um final de semana tão corrido, e principalmente depois de acordar tão cedo depois de dormir tão pouco, tudo que eu mais queria era chegar no meu dormitório e me jogar na cama até segunda que vem.

- Eu tô exausto! Queria poder dormir até semana que vem. – Disse me esticando assim que eu saí do carro.

- Idem, mas eu preciso ir para o estúdio com o Namjoon ajustar um detalhe da nossa mixtape. Falta pouco pra terminar. – Yoongi disse se esticando também.

- Definitivamente quero ouvir depois.

- Claro. – Ele murmurou me abraçando por trás. – Você vai ser o primeiro a ouvir.

- Vocês são tão fofos que eu tô ficando com diabetes. – Eunsoo gritou enquanto ajudava o Kookie a tirar algumas coisas do carro. – Agora me ajudem a tirar as malas.

- Tô indo! – Gritei em resposta e dei um ultimo selinho em Yoongi antes de ir em direção ao porta-malas.

 

-o-

 

Algumas semanas depois quando a mixtape deles estava quase pronta eles me chamaram para ir ao estúdio ouvir com eles, mas eu estava tão atolado de trabalhos e pesquisas que eu não tinha tempo nenhum, o curso de enfermagem drenando toda energia que eu tinha, então me desculpei com o Yoongi, prometendo fazer algo com eles para comemorar quando eles tivessem terminado.

- Tem certeza que você não tem nem meia horinha? - Ele perguntou pelo telefone, estática estalando com a respiração dele.

- Infelizmente... Além de as minhas finais também estão chegando, então eu tenho que estudar também.

- Que droga.

- É... - Eu estava cansado e minhas costas doíam por causa da minha postura ruim. - Mas tá tudo bem, sai com o Namjoon e se divirta um pouco por mim. - Falei ouvindo a risada dele. - Tenho que ir, eu realmente preciso terminar isso hoje.

- Okay, tchau Minnie.

- Tchau, Suga.

- Yah! - Eu terminei a ligação antes que ele pudesse protestar, rindo de sua reação antes de voltar à minha pesquisa.

 

 

-Yoongi-

 

O bar estava cheio e a música ao vivo era agradável. Eu e Namjoon estávamos no meio de uma discussão sobre as faixas novas que ele estava compondo para a mixtape dele, quando um copo de cerveja foi posto violentamente na minha frente. O líquido ameaçou derramar com a força do impacto na mesa de madeira.

-Posso ajudar? - Perguntei, o sarcasmo escorrendo pela minha língua, quem esse cara pensa que é?

- Oh! Não, só queria conversar, sabe? De macho pra macho. - Fitei-o de cima a baixo, o medindo com o meu olhar. - Não sei se você lembra de mim, Bae Taekwon, eu te vi com o Jimin um dia desses. - Ele continuou, sentando ao meu lado em uma das cadeiras elevadas.

- Ah... Sim, claro. O ex-namorado do Jimin, como eu poderia esquecer? - A hostilidade no ar era tangível, o clima era tão denso que quase dava para tocar.

Namjoon permanecia em silêncio ao meu lado, a expressão fechada, a mandíbula travada e os ombros tensos, já Taekwon cheirava a bebida barata e a roupa dele estava suja, a calça jeans coberta de manchas de terra.

- Na verdade tá mais pra amor da vida dele, mas ex namorado serve. - Ele riu e eu senti um vestígio de bile subindo pela minha garganta. - Mas me conta Yoongs, eu posso te chamar assim certo?

- Não.

- Enfim, me conta Yoongs, - Ele continuou, passando um braço pelos meus ombros. Eu estava me agarrando a qualquer fio de controle que eu pudesse encontrar para não torcer o braço desse energúmeno e quebrar seus ossos em dois. - Como vai o Jimin? Já comeu ele?

Ah, eu ia bater nele, com certeza eu ia. Cerrei os punhos, pronto para acertá-lo bem no queixo, quando Namjoon cutucou o meu pé por debaixo da mesa, balançando levemente a cabeça. Não vale a pena. No fundo eu sabia que ele estava certo, não valia a pena ser expulso do bar por causa de escória como ele, mas que eu queria socar a cara dele, eu definitivamente queria.

- E aí, comeu? Aposto que aquela bunda é uma delícia, aposto que ele gritou feito uma cadela no cio.

Ele não teve nem tempo de reagir.

Quando meu punho entrou em contato com o rosto dele eu senti a mandíbula dele fechando com um estalo e ele pareceu um pouco desnorteado por alguns segundos, eu riria da cara dele se eu não estivesse tão puto.

- Não se atreva a falar do Jimin dessa forma. Só porque você é um escroto de merda não quer dizer que você tenha o direito de falar assim dele.

Ele riu em resposta, os dentes vermelhos de sangue, provavelmente ele mordeu a língua com o soco.

Que bom, espero que arranque um pedaço fora.

- Por quê? Vai magoar os sentimentos da sua putinha?

- Eu não te devo satisfação nenhuma. O Jimin não pertence a ninguém, muito menos a você. - Eu cuspi no chão e ele engoliu, limpando a boca e se levantando em seguida.

- Yoongi, vamos levar isso aqui lá pra fora, se a gente continuar aqui vai dar merda. - Namjoon murmurou perto do meu ouvido.

- Não precisa, nós já vamos embora mesmo, cansei de discutir com alguém que tem o QI de uma caixa de giz de cera. - Grunhi ajeitando a minha jaqueta e saindo do bar com Namjoon logo atrás de mim.

- O Jimin? Um indivíduo próprio? - Ele riu, me seguindo até o lado de fora do bar. - Não me faça rir. O Jimin precisa de alguém pra mandar nele, uma putinha burra que nem ele não consegue pensar por si.

Ah, a vontade que eu tinha de bater naquele merda.

Faltava isso aqui, para eu ignorar toda a minha moral e começar a bater nele até que virasse polpa.

- Você mal consegue ficar em pé, e ainda quer continuar essa briga? - Perguntei, o sarcasmo era forte, deixando um sabor amargo na minha língua. - Hilário. – Ri sem emoção.

- Sabe o que mais é hilário?! O fato de que aposto que se eu estalar os dedos Jimin volta para mim na mesma hora.

- Nossa você realmente é muito mais idiota do que eu pensava. - Sendo bem honesto, eu acho que o QI da caixa de giz de cera era maior do que o dele.

- Só estou constatando os fatos Yoongizinho. Ele ainda me ama, e nem você nem ninguém vai conseguir me substituir. Inclusive, aposto que ele ainda não deixou você comer ele, sabe por quê?

- Porque você fodeu com a cabeça dele. - Respondi acusadoramente.

- Também, mas principalmente porque ele não te ama, não tanto quanto me ama. Ele só tava procurando por um substituto, porque ele é uma putinha carente e necessitada. Mas agora ele não precisa mais de você.

- Vai se foder.

- Por que eu me foderia quando eu posso foder o Jimin? Eu dou uma semana pra ele estar me implorando pra voltar. Sabe por quê? Porque ele é uma putinha idiota que nunca vai me superar.

Foda-se a ética e a moral.

Eu segurei a gola da camiseta dele e o puxei para frente, meu punho entrando em contato com seu rosto repetidas vezes antes de eu o soltar e ele cair no chão. Eu não escutava mais nada, não sentia o impacto dos socos, os sons vindos da rua e do bar se tornaram estática nos meus ouvidos. Com um último golpe ele foi ao chão, a minha respiração estava ofegante, a adrenalina zunindo nas minhas veias quando Namjoon começou a me puxar para longe do bar.

- Já chega, vamos embora.

Me deixei ser levado, sentindo a estática diminuir, os sons voltando lentamente e meus dedos formigarem, meu estomago se revirava desconfortavelmente. Dentro de pouco tempo estávamos dentro do meu carro, Namjoon no banco do motorista. Fitei os nós dos meus dedos, a pele avermelhada e um pouco esfolada.

- Tais bem, Yoongs?

- Eu vou sobreviver. - Respondi, olhando pela janela do carro, as palavras de Taekwon ecoando na minha cabeça. Agora que a adrenalina tinha se esvaído completamente da minha corrente sanguínea era difícil não pensar no que ele havia dito, eu não queria pensar nisso, não queria cogitar a possibilidade, mas no fundo do meu cérebro eu conseguia sentir a dúvida fincando raízes. Será que eu realmente era só um substituto? Será que ele ainda gostava do Taekwon?  Será que Jimin realmente gostava de mim?


Notas Finais


Não vou me demorar muito nas notas finais porque amanhã tenho vestibular e sono é algo necessário hahahaha
Mas espero que tenham gostado!
Agora as coisas vão começar a dar aquela desandada, então preparem os corações </3
E para finalizar, um agradecimento especial para a Catarina, porque sem ela eu não teria conseguido escrever esse capítulo <3
Te amo bro.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...