História A simples vida de um cara com poderes. - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Dia A Dia, Lutar, Romace, Superpoderes
Exibições 2
Palavras 715
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Mistério, Romance e Novela, Sci-Fi, Super Power, Survival, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 5 - Cade?


Depois de um café da manha fui a universidade. Sabe credito extra. Aula de matemática, o professor era bem rígido, julgava os alunos por um unico erro praticamente achava que tudo tinha que ser perfeito, tudo ia bem ate que... o professor veio ver o que eu estava fazendo.
-professor- Elizabeth esta entendedor?
-eu-Sim, claro(digo de forma nervosas).
-professor- ainda bem, sabe preciso de alunos exemplares, agora, vamos fazer ½ gigabits de materia.
e a sala reclama. Depois era educação física, senhora Mariana era mais rígida...
-Mariana- fazendo 80 flexões, depois 80 abdominais, na minha época n tinha essa moleza.
-Leo- sim, tinha que lutar pra n ser devorado por dinossauros.
-Mariana- pro senhor e mais 100 de cada.
 Enfim um intervalo... prato do dia macarrão com queijo.
-Rulby- então alguém sabe como esta o Deryck?
-todos- não.
-Rulby- tontos, ainda bem que invadi os dados do hospital...
-Leo- significa?
-Rulby- que eu tenho imagem exclusiva do quarto dele.
vejo varios números no watch dela e depois ela aumenta o tamanho mostrando o quarto do Deryck.
-Leo- ele ta dormindo?
-Rick- n cara ele ta Sedado.
-Eliza- depois temos que visita-lo.
-Leo- eu vou estar ocupado botando um carregamento no caminhão do meu pai.
todos aceitaram.
depois de um expediente no mercadinho do Max.
todos se encontraram na recepção do hospital íamos fazer uma surpresa pra ele ficar mais feliz de ainda estar vivo, eu é o pessoal foi ate o quarto dele e...
-todos- SURPRESA!!!, pera cade ele?
Deryck n esta aqui tudo que tem é apenas varios cacos de vidro no chão e uma janela quebrada.
-eu- vou na recepção procurar por ele.
perguntei na recepção é a senhora que estava la disse...
-senhora- bem pode ser uma situação difícil de aceita, sera mais fácil de explica na sala 237 do segundo anda, diga o numero do quarto e nome do paciente.
-eu- certo
passei no quarto do Deryck pra disser pro pessoal espera la. Cheguei na sala 237 escrito debaixo dos números havia escrito: Sr.Martins, era um escritorio com vista pro estacionamento.
-Sr.Matins-como posso ajudar?
-eu- meu amigo Deryck n esta no quarto dele o 185.
-Sr.Martins- sim, o Patrick bem... ele tem suspeita criminal, eu sei e difícil de aceita, o caso mais recente dele em impotese e de dois corpos um esfaqueado e outro com um serio hematoma na cabeça o outro caso foi de um carro fora ele havia mais 4 pessoas, foram encontrado a 3 tres quilômetros da cidade com os pescoços carbonizados e um motoqueiro que havia levado um tiro na cabeça.
-eu- como chegaram a esse ponto?
-Sr.Martins- quando os medicos foram tratar as queimaduras, teve que mover suas roupas, foi encontrado marcas de tiro no ante-braço esquerdo, abaixo do joelho direito é uma um pouco abaixo do hombro todas removidas a pinça.
-eu- então onde ele estar?
-Sr.Martins- saberíamos se nossas cameras não fossem hackadas.
Rulby deve ter as gravações.
-eu- certo Sr.Martins se eu ver ele falo com senhor, tchau
-Sr.Martins- espere, mas ja, qual é seu nome.
-Eu- Elizabeth, flw.
fecho a porta antes que ele fale qual quer coisa.
corro pro quarto onde estava o Deryck.
-eu- rápido nos temos que...
eles ja estavam vendo as filmagens, o Deryck estava se levantando parecia sonolento e meio travado, ate ele olhar na janela e corre pra porta mas ele n conseguia abri a janela quebra do nada parte do quarto começa a ficar muito escuro e a imagem começa a falhar, ele olha pra camera e faz números com as mãos: 4,3,5,2 é uma lua com os dedos, corre pra parte escura é...
-Leo- ele pulo pela janela?
-Rick- sim, ele pulo pela janela.
-Rulby- certo isso foi muito estranhos, mas tem que ter uma explicação logica.
-eu- pq a porta n abre? o que era aquilo? onde ele foi?
-Rick- A'RA! A porta so abre pelo lado de fora, vejo que ele so pode ter ido por uma direção, vcs escolhem? Direita ou esquerda?
-Rulby- bem eu é Eliza vamos pela esquerda, n confio no Leo pra ficar com uma garota.
-Leo- n faço charme com vc pq tem, sabe... Peito pequeno.
É com um gancho de direita, Leo foi ao chão.
seguimos a rua em direções opostas e ficamos procurando ele.


Notas Finais


Divulguem a fanfic, pq tipo vc vai fica envergonhado de manda uma historia de ação e conflitos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...