História A sobrevivente - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Akagami No Shirayuki-hime, Akame Ga Kill, Amnésia, Angel Beats!, Ano Natsu De Matteru, Ao Haru Ride, Ao No Exorcist, Artes Marciais, Aventura, Bakemonogatari, Bakuman, Bishoujo, Bishounen, Black Bird, Black Bullet, Black Rock Shooter, Bleach, Blood Lad, Blood+, Blood-c, Boku Kara Kimi Ga Kienai, Boku Ni Natta Watashi, Brothers Conflict, Btooom!, Bungou Stray Dogs, Charlotte (anime 2015), Clannad, Colegial, Comedia, Cosplay Complex, Crossover, Dakara Boku Wa, Dance In The Vampire Bund, Dance With Devils, Danganronpa: The Animation, Deadman Wonderland, Death Note, Dengeki Daisy, Dgray-man, Diabolik Lovers, Dn Angel, Drama (tragédia), Durarara, Ecchi, Ecchi Ga Dekinai, Escolar, Esporte, Fairy Tail, Família, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Cientifica, Free, Fullmetal Alchemist, Gakuen Alice, Gintama, Haikyuu, Hakushaku To Yousei, Harem, Hataraku Maou-sama, Hentai, Hiyokoi, Horimiya, Horror, Hunter X Hunter, Hyouka, Inazuma Eleven Super Onze, Inu X Boku Ss, Inuyasha, Inuyasha Kanketsu-hen, Itazura Na Kiss, Junjou Romantica, Kaichou Wa Maid-sama, Kamigami No Asobi, Kami-sama Hajimemashita, Kaze No Stigma, Kill La Kill, Kissxsis, K-on!, Kotoura-san, Koutetsu Tenshi Kurumi, Kuroko No Basuke, Kurookami, Kuroshitsuji, Kyoukai No Kanata, Last Game?, Lovely Complex, Luta, Mad Father, Magia, Mirai Nikki, Mistério, Namaikizakari, Nana, Naruto, Nijiiro Days (rainbow Days), No Game No Life, Noragami, Novela, One Piece, Pandora Hearts, Poesias, Pokémon, Policial, Romance, Romeo X Juliet, Rosario Vampire, Saga, Sankarea, School Days, Seikon No Qwaser, Seito Kaichou Ni Chuukoku, Shigatsu Wa Kimi No Uso, Shonen-ai, Shoujo Romântico, Shoujo-ai, Shounen, Sobrenatural, Soul Eater, Suki-tte Ii Na Yo, Suspense, Sword Art Online, Terror, The Walking Dead, Tokyo Ghoul, Toradora, True Love, Universo Alternativo, Vampire Knight, Violencia, Visual Novel, Vocaloid, Watashi Ni Xx Shinasai!, Yamada Tarou Monogatari, Yaoi, Yu-gi-oh!, Yuri
Exibições 29
Palavras 1.986
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Romance e Novela, Sobrenatural, Super Sentai, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Capítulo 1 PRÓLOGO! (E se....)


Fanfic / Fanfiction A sobrevivente - Capítulo 1 - Capítulo 1 PRÓLOGO! (E se....)

Eu estava na igreja, prestando atenção no culto ao lado de meu pai Sílvio e minha melhor amiga Juliana. Ou melhor, meu corpo estava lá, já que minha mente, estava pensando em pesquisas que eu vi ontem. Parece que os Estados Unidos, estava fazendo pesquisas sobre a cura do Câncer, e uma vacina para a vida eterna, conseguiram uma forma de fazer as células trabalharem, mesmo depois de mortas. E melhor do que antes, conseguem suportar temperaturas acima de 200 graus, mas parece, que testaram recentemente em humanos, e os mesmos tiveram uma febre muito alta, logo depois, a espinha foi rompida e o testador parou de pensar como um humano, acabou morrendo e reviveu. Ótimo! Viva! Só que não. O mesmo estava com os olhos revirados, ou seja, com os mesmo brancos e sem vida. Ele não falava, ou corria ou respondia a qualquer tratamento. Quase mordeu um dos cientistas e seu rosto mostrava uma fome que não acabaria com um simples sanduíche. Minha hipótese? Um zumbi. 

Sim. Parece que os humanos idiotas, já criaram um zumbi. E estão tentando refazer a vacina. Estão indo mais fundo e não mataram o infeliz. O deixaram preso numa sala qualquer para testar novas curas de vacinas. Fui mais afundo nessa história, e descobri também que o que houve com o testador, foi que a ligação da espinha dorsal com o cérebro foi rompida. Vou explicar melhor: A espinha dorsal possui duas ligações, uma com a ligação para as pernas e costas, que faz a pessoa andar e ser primitiva naturalmente, e a ligação para o cérebro, o que faz a pessoa pensar, e ser quem ela é. A vacina, fez com que a ligação da espinha com o cérebro fosse rompida e desintegrada por inteiro, fazendo a pessoa perder a consciência de seus atos e só pensar em duas coisas: Andar e comer. O pior, é que não é só "comer", é comer carne da mesma espécie. E eu tenho uma hipótese para isso também.

Parasitas. É bem possível que a vacina tenha sofrido mutações, e desenvolvido algo como uma bactéria. Parasitas transformam vítimas estúpidas em zumbis como escravos, são bastante comuns na natureza. Há um chamado toxoplasmosa gondii que parece dedicar toda sua existência a ser aterrorizante.

Este bug infecta ratos, mas só pode se reproduzir dentro do intestino de um gato. O parasita sabe o que precisa fazer para colocar rato dentro do gato. Controlando a mente do cérebro do rato ele faz o animal correr intencionalmente em direção onde os gatos estão. O rato está sendo programado para conseguir ser comido, e ele ainda não sabe. Como isso pode acontecer e formar um apocalipse zumbi? Acho que não mencionei que a metade da população humana na Terra está infectada com toxoplasmosa, você não sabia disso?

Humanos e ratos não são tão diferentes; e é por isso que eles são usados para testar os nossos medicamentos. Tudo o que precisamos é uma versão mais evoluída do toxoplasmosa, que poderia nos fazer o que ele faz com os ratos. Então, imagine se metade do mundo, de repente perdesse seu instinto de auto-preservação ou pensamento racional. Pois é, por isso precisamos da ligação da espinha dorsal para o cérebro.

Agora, vocês me perguntam: Como uma garota de 17 anos sabe disso tudo? Muito simples. Eu pesquiso. Pesquiso sobre tudo que vem ao meu interesse, ou seja, coisa relevantes. E eu acho que criarem zumbis num laboratório realmente é relevante. Eu e minhas amigas Juliana e Mariana, fazemos parte do jornal da escola. Eu escrevo, Mariana tira as fotos, e Juliana me ajuda nas pesquisas. Somos o grupo perfeito de jornalistas. Claro que, eu não desejo que um apocalipse zumbi aconteça, mas os cientistas estão pedindo por isso, já que a maioria deles são loucos de pedra. Veja um exemplo muito famoso: O Big Bang. Qualquer cientistas diz que a teoria do Big Bang não é só uma teoria, foi o que realmente aconteceu. Eu acho que é possível, porém, foi por ordem de Deus. Sim sou evangélica, e claro que, mesmo acreditando em zumbis mortos-vivos, não significa que eu pare de acreditar em Deus.

-Laís, você acha mesmo que essa história vai render? Quero dizer, quem iria acreditar nisso?- Juliana cochicha em meu ouvido.

-Ju, eu pesquisei até altas horas da madrugada, encontrei todos os detalhes certos. Se eles quiserem tirar suas próprias conclusões, podem acessar o site que está no final do jornal da escola, e também na descrição vídeo que fizemos para o canal.- Respondo.

-Meninas, prestem atenção.- Meu pai diz.

-Desculpe pai/Tio.- Dissemos juntas e me aquietei no banco. Só percebi agora que não tinha trago uma bíblia, então me virei para trás para pedir uma. Mas só vi um humano..... SE DELICIANDO COM O PESCOÇO DE UM DOS FIÉIS! Só arregalei os olhos, o cara já estava morto, e ainda era devorado. Será que..... Eu mal conseguia falar, e só ouvi um monte de gritos. Cara.... a primeira regra é não gritar porra!

-Gente temos que ir.- Digo ainda observando aquela cena que marcaria a minha vida.

-Meu deus!- Meu pai exclama.- A Raissa..... e o Lucas.....

-Pai, pai olha pra mim.- O chamo.- Mantenha a calma. Vá pra casa, tranque tudo e pegue o máximo de coisas que conseguir. Lembre-se: Não se preocupe com dinheiro. Não vamos precisar mais dele.

-Mas e seus irmãos?

-Pai. Eu e Juliana vamos levá-los pra casa. Eu juro que eles estarão bem.- Digo.- Mas você tem que ajudar a mamãe. Sabe que ela não pode ter muitas surpresas agora. Por favor. Vai.

-Tudo bem. Mas por favor, volte pra casa. Vocês quatro.

-Claro. E por favor.... viva.- Ele assentiu e saiu correndo.- Beleza Ju. Vamos lá pra cima. Esse lugar vai ficar infestado em poucos minutos, temos que tirar todas as pessoas daqui.

-O problema, é que tem bebês. Os adultos já eram.

-Sabe que eu vivo assistindo série e filmes disso né? -ela assente.- Esquece tudo. Esses zumbis são reais. Não vi se são rápidos, só sei que são zumbis. Mas a primeira coisa que precisamos fazer, encontrar meus irmãos. Não podemos criar pânico nem para nós, e nem para as crianças. Se elas chorarem, ferrou tudo.

-Entendi.

Começamos a subir as escadas rapidamente, mas antes, fechamos o portão pra nenhum deles sair. Coitados, estão condenados a fome eterna, até alguém exterminar o possível " parasita" ou seja, acertar o cérebro.

-Lucas! Raissa! Cadê vocês?- Pergunto abrindo cada porta.

-Liss!- Ouço a voz fofa de Raissa.

-Issa! Cadê você?!

-No banheiro! A porta emperrou!- Ela diz e ouço a porta do mesmo tentar ser aberta.

-Pra trás!- Digo.

-Tá bom.- Depois de alguns segundos ela diz:- Pode ir!

-Depois disso teremos que achar o Lucas muito rápido. Vai fazer muito barulho.- Murmuro  e corro em direção a porta, dando uma voadora na mesma e caindo no chão. A porta derrubou pelo menos. Mas bati meu cotovelo no chão,  cara.... o choque percorreu pelo meu corpo....- Raissa, você ta bem?

-Tô sim Liss. Mas eu não sei aonde o Lucas tá.- Ela me abraça. Ela tem uns 11 anos de idade, é fofa e inteligente. Não temos muito a ver uma com a outra, ela é loira de olhos castanhos claros, e eu de cabelos castanhos, lisos e longos, e olhos castanhos pra pretos. Meu irmão já é bem mais parecido comigo. Tem cabelos lisos e castanhos, e olhos da mesma cor que os meus.

-Raissa, sabe as séries que eu vejo? The walking dead, essas coisas?- Ela assente coma cabeça.- Você terá que ser forte. Está acontecendo agora. E precisamos voltar pra casa e pegar muitas coisas antes que piore a situação.

-E o papai e a mamãe?

-Eles estão bem. O papai já deve estar em casa.- Eu espero.... Ouço grunhidos e batidas fortes na porta.- Temos que ser rápidos, logo teremos que sair da cidade. Tudo bem?

-T-tá.

-Mas temos que ser fortes e ajudar a mamãe.

-An Laís?- Ouço a Ju me chamar.

-Ta de brincadeira.....- Reclamo quando vejo aquelas coisas escalando as escadas.- Rápido! Procurem qualquer coisa afiada!

-Que tal isso?- Juliana me entrega um tridente.

-Onde você encontrou um tridente?- Pergunto com uma gota.

-Tava pendurado na parede.

-Certo. Melhor que nada.- Finco na cabeça de um que estava bem próximo e puxo de volta. Ele espirrou sangue sujando o vestido branco de Raissa.

-Isso é nojento!- Ela reclama.

-Nos filmes, era menos nojento...- Reclamo.

Logo eles vão fechar o local, não vai dar pra descer as escadas. Ai droga.... Continuo procurando Lucas até encontra-lo chorando num canto. Pode ter certeza que se eu não estivesse ali, Raissa ia morrer de fome por estar trancada no banheiro,  e Lucas ia ser devorado vivo. Só de imaginar, dá vontade de chorar. Eu odiaria perder meus maninhos. Lucas tem 10 anos, é engraçado divertido e muitas vezes irritante, mas o amo.

-Lu.- O chamo com lágrimas nos olhos por ver meu irmãozinho assim.

-Liss!- Ele pula em cima de mim.- E-eu tô com medo Liss. Cadê o papai?

-Ele já foi pra casa, e prometi pra ele que todos vamos voltar.- Por algum motivo, não tinha ninguém aqui em cima além deles dois.- Fiquem atrás de mim.

-Como você do nada aprendeu a exterminar zumbis?- Juliana pergunta.

-É muito legal!- Meus irmãos dizem.

-Acreditem, é nojento. Mas eu vi tantos filmes sobre, que parece normal.- Dou de ombros e finco os três dentes do tridente na cabeça de outro.- E o pior é que essa arma faz espirrar muito sangue.- Depois deu matar cada membro da igreja.... saímos da mesma e ficamos perto do portão.

-Daqui a poucas horas ou dias, não teremos mais internet, sinal, energia ou água. Então vamos seguir o plano da Laís.- Juliana explica.

-Ok.

-Beleza é o seguinte: Vamos para casa, que quando chegarmos eu conto tudo pra todos ok?

-Certo.

-Ótimo. Agora, sigam exatamente o que eu disser: Corram muito e não olhem pra trás não importa o que aconteça. Entenderam?

-Sim.

Saímos correndo por alguns zumbis que vagavam sem rumo, pelo menos esses zumbis são diferentes dos de guerra mundial Z. Já que esses são lentos e os do filme são rápidos. Continuamos a correr até chegarmos ao prédio em que moro. Juliana iria passar alguns dias na minha casa, e sorte que ela trouce a roupa certa para um apocalipse zumbi: Calça jeans, uma blusa qualquer, botas e uma jaqueta que aqueça. Essas são as roupas que todos devem usar nesse caso. 

O pequeno problema do prédio, é que ele tem um muro tão grande, que é impossível escalar essa joça!

-Beleza, Lucas vem cá.- O pego no colo e ele alcança a borda do muro, subindo no mesmo e pulando em seguida.- Raissa.- Faço o mesmo.- E Juliana se vira.- Rio.

-Idiota.- Ela ri também.- Mas como vamos passar? E por quê você simplesmente não quebrou a porta?

-Vamos assoar o sino de jantar pra eles?!- Digo sarcástica.

-Entendi.

Subo num carro, e faço um sinal para que Juliana fizesse o mesmo.

-E agora?

-Agente pula e torce pra alcançar.- Dou de ombros.

-Tá zoando né?

-Não. Se der certo: Viva! Se não: Merda.- Sorrio e pulo, ela logo atrás.- Viu? Não foi difícil.- Subimos pelo elevador, até chegarmos no 6 andar. Abro a porta da casa rapidamente e a fecho em seguida, me permitindo escorregar para descansar.- Consegui.

-Ah graças a Deus!- Minha mãe vem até nós e nos abraça.- Vocês estão bem? Se machucaram? E você Ju está ferida?

-Não estou bem tia.

-Estamos bem mãe.- Reviro os olhos sorrindo.

-Muito obrigado por cumprir a promessa filha.

-Digo o mesmo. Fiquei com medo de você não ter conseguido papai.

-Mas e agora? O quê vamos fazer? Não tem como sairmos assim do nada.- Minha mãe diz num tom desesperado.

-Eu tenho uma hipótese e um plano.

-Sempre.- Todos reviram os olhos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...