História A sobrevivente - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Akagami No Shirayuki-hime, Akame Ga Kill, Amnésia, Angel Beats!, Ano Natsu De Matteru, Ao Haru Ride, Ao No Exorcist, Artes Marciais, Aventura, Bakemonogatari, Bakuman, Bishoujo, Bishounen, Black Bird, Black Bullet, Black Rock Shooter, Bleach, Blood Lad, Blood+, Blood-c, Boku Kara Kimi Ga Kienai, Boku Ni Natta Watashi, Brothers Conflict, Btooom!, Bungou Stray Dogs, Charlotte (anime 2015), Clannad, Colegial, Comedia, Cosplay Complex, Crossover, Dakara Boku Wa, Dance In The Vampire Bund, Dance With Devils, Danganronpa: The Animation, Deadman Wonderland, Death Note, Dengeki Daisy, Dgray-man, Diabolik Lovers, Dn Angel, Drama (tragédia), Durarara, Ecchi, Ecchi Ga Dekinai, Escolar, Esporte, Fairy Tail, Família, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Cientifica, Free, Fullmetal Alchemist, Gakuen Alice, Gintama, Haikyuu, Hakushaku To Yousei, Harem, Hataraku Maou-sama, Hentai, Hiyokoi, Horimiya, Horror, Hunter X Hunter, Hyouka, Inazuma Eleven Super Onze, Inu X Boku Ss, Inuyasha, Inuyasha Kanketsu-hen, Itazura Na Kiss, Junjou Romantica, Kaichou Wa Maid-sama, Kamigami No Asobi, Kami-sama Hajimemashita, Kaze No Stigma, Kill La Kill, Kissxsis, K-on!, Kotoura-san, Koutetsu Tenshi Kurumi, Kuroko No Basuke, Kurookami, Kuroshitsuji, Kyoukai No Kanata, Last Game?, Lovely Complex, Luta, Mad Father, Magia, Mirai Nikki, Mistério, Namaikizakari, Nana, Naruto, Nijiiro Days (rainbow Days), No Game No Life, Noragami, Novela, One Piece, Pandora Hearts, Poesias, Pokémon, Policial, Romance, Romeo X Juliet, Rosario Vampire, Saga, Sankarea, School Days, Seikon No Qwaser, Seito Kaichou Ni Chuukoku, Shigatsu Wa Kimi No Uso, Shonen-ai, Shoujo Romântico, Shoujo-ai, Shounen, Sobrenatural, Soul Eater, Suki-tte Ii Na Yo, Suspense, Sword Art Online, Terror, The Walking Dead, Tokyo Ghoul, Toradora, True Love, Universo Alternativo, Vampire Knight, Violencia, Visual Novel, Vocaloid, Watashi Ni Xx Shinasai!, Yamada Tarou Monogatari, Yaoi, Yu-gi-oh!, Yuri
Exibições 10
Palavras 2.050
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Romance e Novela, Sobrenatural, Super Sentai, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


.

Capítulo 5 - Capítulo 5 (Gray Fullbuster)


Fanfic / Fanfiction A sobrevivente - Capítulo 5 - Capítulo 5 (Gray Fullbuster)

-Me lembrei!- Exclamo mas por sorte ninguém acordou. Pego um caderno velho e um lápis e começo a escrever.

1° dia: Fome, sede e muitas mortes ocorreram hoje. Domingo, dia 27 de novembro de 2016. A última coisa que muitas pessoas pensariam, é que do nada poderia ocorrer um apocalipse zumbi, porém, eu e minha família estamos presenciando isso agora. 

Muitos de vocês, podem pensar que é fácil sobreviver, mas acreditem, não é. Cada pessoa faminta, tanto morta quanto viva é um problema. Ocorrem discórdias com todas as pessoas que não são do mesmo "grupo", e acaba em tiroteio. Lembra dessa frase? "Devemos temer aos vivos, e não aos mortos." Esqueçam. Pois agora, devemos temer AMBOS. Meu nome é Liss, um codinome na verdade, mas prefiro assim. Sou uma garota de 17 anos, e quero proteger a minha família e meus amigos acima de tudo. Por isso, tenho milhares de hipóteses para milhares de consequências e possíveis acontecimentos. E é por isso que ainda estou viva, porque a minha "loucura" em PESQUISAR tanto, me ajudou a SABER tanto.

Bom, como vocês devem saber, estamos rodeados de zumbis por aí. Mortos vivos com sede de sangue e carne humana. Pensávamos que era só eles nos darem uma pequena mordida no braço, na perna, seja onde for. Já era. Porém, não e bem assim. Eu descobri hoje mesmo, que um cara muito conhecido teve um infarto, e quase me matou pois virou um deles. Mordidas? Arranhões? Nada. Ele simplesmente morreu com um infarto, e voltou pouco tempo depois. Matou todos os cachorros do sítio, os devorando. Parece que não é só carne humana, mas qualquer uma. Agora imaginem:

Humanos canibais mortos-vivos, e animais, também canibais porém devoram humanos também. Horrível não? Bom, teremos que sobreviver né. Então, eu já pesquisei também sobre possíveis apocalipses zumbis, e descobri que o parasita Toxoplasmosi Gondi, é algo mais evoluído quando está nos humanos, ou seja, qualquer um que já tenha tocado em um gato ou em um rato, não importa se é porco da índia ou ramster, está infectado. Eu e todo o meu grupo estamos infectados, ou seja, não podemos morrer, se não viramos um deles. Mais de 80% do planeta já tocou em algum desses animais, então, se você tocou em um gato, não morra. E mesmo assim, não se deixe ser pego por aquelas coisas, não seja mordido ou arranhado, ou você morre.

 

Fecho o caderno e solto um suspiro. Esse caderno, é como um diário, porém, não com sentimentos, mas com pesquisas e hipóteses. Acharam que eu guardava tudo na minha cabeça? Não. Eu anoto lógico. Se querem saber, minhas melhores notas eram: Artes, geografia, história, ciências ( física, química e biologia), sociologia e educação física. Matemática?  Não. Eu sou péssima. Não sou fã de contas. Prefiro matéria que precisem de pesquisas.

Me levantei, e como não comi nada, peguei uma maçã da geladeira e fui pra fora ficar na varanda. Óbvio que fiquei na varanda de cima né. Mariana estava lá de vigia.

-Ei Mari, se quiser pode descansar.- Digo me aproximando e dou uma mordida na maçã.

-Liss, é o meu turno, você que deveria descansar. Está cuidando mais de nós do que de si mesma.- Mariana diz preocupada.

-Estou bem não se preocupe. Pode descer, eu preciso pensar mesmo.- Sorrio forçado.

-Certo.- Ela diz com receio e vai descendo as escadas.

Solto um suspiro de alívio e começo a observar  a escuridão do local. Não havia nada, mas os vizinhos... vai saber o que houve com eles. Não tenho certeza se eles estão vivos. E aqui tem tantos gatos e ratos.... Não que eu tenha 100% de certeza nessa hipótese, mas é a que mais bate com o problema. Não Não tinha muito o que pensar, quer dizer, as minhas hipóteses já foram escritas, não tem mais algo que me faça saber mais, então, pode realmente ser isso.

Logo amanheceu, e só percebi depois que saí do "transe" que estava. Meus pensamentos realmente me fazem esquecer da vida... Desci pra tomar café, que na verdade são alguns pães com manteiga, e café. Tava bom, então não tenho do que reclamar.

-Liss liss!- Ouço meus irmãos me chamarem.- Nós vamos ver a Mufasa, você quer ir com agente?

-A Mufasa ainda tá bem? Graças a Deus.- Digo. Mufasa é a nossa vaca, o bom, é que parece que o seu Epamilondas morreu a pouco tempo, então só alcançou os cachorros e gatos. Ou seja, temos porcos, galinhas, cavalos, uma vaca e um boi, patos, e água da fonte que criamos. Estamos muito bem. Só espero que os mortos não estraguem isso. Na verdade, espero que nem os mortos e nem os vivos atrapalhem.

Saí junto com meus irmãos, enquanto Juliana e Mariana foram fazer a ronda. Ainda não fizemos a cerca, temos que ser mais rápidos com isso, mas os pais da Juliana já estão vendo isso. Até amanhã estará pronto. Entramos no celeiro e vimos a Mufasa quase morrendo de fome. Bom, ela estava cheinha até, mas seus olhos mostravam tristeza. A abracei, eu lembro de quando eu tinhas 5 anos, Raissa e Lucas não eram nascidos. Eu vivia brincando com ela, mas aí nos mudamos pra cidade e Raissa nasceu.

-Nós já vamos indo Liss, depois agente volta.- Lucas e Raissa dizem e saem correndo pra brincar.

-Cuidado!- Grito alto o suficiente para eles ouvirem e eles gritam um "tudo bem" de volta, balançando a mão esquerda pro alto enquanto corre.-Espero que você não tenha passado muitos dias sem comer Mu.- Digo ainda a abraçando. Pego uma maçã do bolso e dou a ela, que come com o maior prazer e logo agradece "esfregando"  sua cabeça em meu pescoço.- Eu também te amo Mu.- Rio segurando seu "pescoço".- Espero que você esteja bem. E os outros? Como estão?- Sei que ela não vai responder né? Mentira. Ela me entende muito.

Ela só faz um "muuuu" e vai andando. A soltei um pouco e fui a seguindo até chegarmos no chiqueiro. Nós tínhamos uns quatro porcos, claro eu não gostava de matar nenhum, mas agora....

-Oi Randy, Mendy, Oinc e Bunny.- Digo pegando o menorzinho, o Oinc no colo. Eles eram muito fofinhos, todos meios rosadinhos. Parece que encheram a comida deles recentemente, que bom.- Sentiram saudades?-Eles roncam e rolam na lama mostrando que sim.- Depois eu quero ver o Ganço.- Ganço é um dos patos. Por quê chamei ele assim? Justamente porque ele não é um ganço. Sou meio louca pra dar nomes hihi. Só sinto tanto pela Sandy ter morrido como os outros cães e gatos. Sandy era uma das cadelas, vivia brincando comigo, rolando na lama junto com os quatro porquinhos.

-Liss, a mamãe pediu pra te chamar porque ela já fez o almoço. O papai ta plantando sementes de frutas e legumes.- Ouço Lucas dizer.

-Tudo bem. Obrigada maninho.- Digo e ponho Oinc no chão, e saio do chiqueiro. Deixei Mufasa andando livremente pela fazenda, e entrei na casa.- Pra que tudo isso?!- Pergunto vendo o banquete que minha mãe fez. Purê de batata, tomates frescos, arroz, feijão, espaguete com molho de tomate e carne.

-Ué, pode ser nossa última refeição com carne. E refeição completa ainda por cima.- Minha mãe explica. E como a carne pode estragar, decidi preparar. A estufa que criamos está muito boa para qualquer uso, então não temos que nos preocupar com falta de alimentos. Agora guloseimas, já não poderemos comer mais.

-Sem biscoitos?- Raissa e Lucas reclamam.

-Pelo menos ainda tem tomates.- Juliana diz. Ela ama tomates, tipo muito. Que nem eu.

-Verdade.- Concordo de braços cruzados.

Comemos calmamente, e todos voltamos as nossas "divertidas atividades". Eu só precisei fazer a terceira ronda do dia, o que é bom. Eu precisava relaxar e pensar. Fiquei caminhando por volta do sítio, murmurando coisas aleatórias, eu diria que eu parecia uma louca.

-Se fizermos isso, com sorte poderemos....- Eu ficava calculando as porcentagens de sobrevivência, de determinados locais e determinados assuntos. Eu fazia isso na sala de aula, e os professores brigavam comigo.  Era até engraçado, eu "falava" sozinha, mas na verdade calculava as porcentagens da matéria que o professor estava passando. Eles ficavam putos, mas nem imaginavam que eu estava sendo a aluna exemplar. Enquanto outros ficavam calados jogando ou mexendo no celular, eu usava o meu celular interno, meu cérebro. - Ou seja, é bem possível que tenhamos comida até o fim desse mês!- Termino de pensar ao certo.- Isso é bom. É muito bom. E como temos plantações, durará três vezes mais.- Eu não sei o que eu "tenho", mas acho que nasci com isso. Quer dizer, de entender tudo facilmente e guardar na cabeça. Minhas amigas dizem que é um "super-poder", outros dizem que é louca por pesquisar demais, eu já digo que é só um detalhe.

E com "detalhe", eu quero dizer que não tenho nenhuma hipótese pra isso. Eu acho que a única coisa que eu não sei explicar, é do por quê deu saber explicar tudo. Confuso né? Concordo.

-Ai!- Bati com alguém e ia cair no chão, mas a silhueta que não identifiquei segura meu pulso e cai junto comigo. Mas o SUUUUUPER legal, é que ele caiu em cima de mim. SÓ QUE NÃO!- Quem é você?- Pergunto.

-Sou Gray.- Ele diz sorrindo.

-SAI DE CIMA DE MIM!- Grito irritada. O quê? Pensaram que eu era a garotinha delicada e nerd? ERROU!

-Desculpe.- Ele sai rapidamente e me oferece a mão, ignoro e me levanto sozinha.- Bom, qual o seu nome?- Ele pergunta sem jeito. Observo ele por um bom tempo e solto um suspiro.

-Liss.- Respondo.- Esse é o sítio da minha família.

-Entendi. Bom, é que eu fugi daquelas coisas, e acabei tropeçando e parando nos pés de café de vocês. Fui caminhando até trombar com você.

-Literalmente né?- Digo sorrindo de canto.

-É.- Ele ri. A risada dele é muito linda.

-Está com fome?- Volto a minha pose séria.

-Ah não muito obrigado. Eu não quero incomodar. E eu já comi.- Ele diz. Agora percebi seus traços. Gray tinha cabelos lisos e negros, olhos azuis como o céu anoite. Ele era realmente lindo, parecia ter minha idade. Ele tinha uma mochila e parecia usar uma espada.- Vejo que gosta de arco e flecha.- Ele aponta com o olhar para a minha "bolsa" com as quatro flechas, e o arco na minha mão.- É teleguiado?

-É sim. Acho que não vale muito apena ter um arco num apocalipse zumbi, amenos que seja teleguiado.

-Roubou de uma loja né? eu tava observando ele na cidade ontem. Ia comprar pra você.- COMO?!

-Desculpe, como assim para mim?

-Bom, não sei se você já percebeu, mas sempre estudei na mesma sala que você. Sempre vi você com suas duas melhores amigas, conversando e rindo. Eu era meio tímido e por isso acho que ninguém me via na sala. Mas é difícil encontrar uma garota linda e inteligente ao mesmo tempo.- Corei na hora.

-L-linda? Bom, eu somente pesquiso as coisas e as guardo na minha mente.- Digo desviando o olhar ainda corada.

-Pois eu acho, que isso é um Dom.- Ele vira meu rosto gentilmente para que eu o olhe com os olhos.

-Dom?- Pergunto.

-É. Decorar tantas coisas é um Dom incrível. Que só você tem.

-B-bom..... Você, tem pra onde ir? Se quiser ficar Gray....- Digo oferecendo abrigo a ele. Eu me lembro muito bem dele.  Gray Fullbuster. O odiado por todos da turma, não sei porque. Tipo, ele não era nerd, nem irritante. Pera, irritante ele é. Mas só quando quer, ele na verdade é muito lindo, um corpo definido, mas nem muito bombado e nem muito magro. Cabelos macios e negros, ele realmente é perfeito. Eu era a única que realmente notava ele, mas parece que ele não percebeu isso, talvez pense que eu nem ligo pra ele....

-Ei, você está bem?

-An?- Sou levada de volta a terra.

-Eu te chamei várias vezes mas você não respondeu.

-Bom, uma das consequências de lembrar de tudo, é que eu me distraio muito fácil, principalmente quando for para pensar sobre coisas difíceis- Sorrio.

-Entendi. Mas, eu adoraria ficar, se puder claro.

-Sem problemas. Irei te apresentar a todos. Vem.- O chamo e ele me segue, enquanto descia o morro.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...