História A Sombra da Lua - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Shikamaru Nara
Tags Drama, Naruto, Romance, Shikamaru
Exibições 4
Palavras 3.113
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 25 - Capitulo 19


Sunagakure, quinze dias após a guerra.

 

POV Shikamaru Nara.

 

“Eu estava numa clareira, dentro da floresta do meu clã, dava para ouvir apenas os pássaros cantando e a brisa que batia nas folhas das arvores.

Meu coração estava tranquilo, em paz, eu me sentia bem. Na minha frente dois olhos verdes me olhavam com um ar de superioridade e certa arrogância.

Temari segurava as minhas mãos, suas mãos eram macias e estavam levemente suadas, mas eu não me importava. Não dizíamos nada um para o outro, apenas conservávamos o olhar. Na sua expressão eu não poderia definir muita coisa, apenas que ela estava ansiosa.

Então a mínima distância entre nós foi quebrada quando ela se aproximou com um passo à frente. Temari fechou os olhos e eu repeti seu movimento, tudo ficou escuro, até que eu senti seus lábios tocando os meus. Foi parecido com a primeira vez, só que agora meu coração continuava batendo normalmente. Os lábios dela eram quentes, o beijo era intenso e tinha um gosto cítrico.

Nossas respirações se misturavam até que as sensações mudaram.

Meu coração começou a bater mais rápido, parecia que ia saltar para fora do meu peito. Meu corpo se arrepiou por completo, e as mãos que tocavam as minha já eram mais firmes, porém macias e não estavam suadas, eram mãos menores e estavam levemente geladas. O beijo se tornou mais gentil e tinha um gosto doce, e eu queria mais daquilo.

Porém o ritmo foi diminuindo conforme a falta de ar foi me atingindo, então nos separamos.

Quando abri os olhos, Mia estava ali. Seus olhos negros parecia poder enxergar a minha alma e dizer exatamente tudo que eu era e sentia, seus lábios vermelhos estavam meio abertos e a sua expressão era completamente indecifrável. Ela soltou uma das minhas mãos e levou a mão dela até o meu rosto, seu toque foi delicado por um segundo, então ela tirou a mão do meu rosto e tocou a ponta do meu nariz com o dedo indicador. Aquele gesto me fez sorrir, me lembrou do meu sonho no pesadelo infinito onde ela fazia isso e me lembrou a minha mãe.

Mia então ficou na ponta dos pés, voltou a mão para se apoiar no meu ombro e tocou os lábios novamente nos meus.

Eu fechei os olhos durante um momento, e quando abri ela não estava mais lá, não tinha ninguém lá, eu estava sozinho.”

Acordei em um susto, ofegante. O quarto estava escuro, e eu demorei um tempo para lembrar de tudo que estava acontecendo e apagar da minha mente o gosto doce do beijo que a Mia me deu no meu sonho.

Foi então que me lembrei de ontem à noite, da luta contra os ninjas ocultos, a carta que mandei para o Hokage, os ferimentos da Mia e ela dormindo ao meu lado na cama.

Olhei para o meu lado e não tinha nenhum sinal da Mia ali. Me levantei e acendi a luz do quarto, não havia nenhum sinal de que ela estivera ali, exceto pelo lençol manchado de sangue. As roupas dela não estavam ali, o chão que antes estava sujo agora estava limpo e os selos que protegiam a porta foram quebrados por alguém que estava dentro do quarto, ou seja, por ela.

Meu coração falhou várias batidas. Abri a porta do quarto e sai para o corredor do hotel, Mia tinha colocado selos impedindo alguém de entrar no quarto, mas não de sair. Atravessei o corredor até onde era o seu quarto e abri a porta torcendo para que ela estivesse lá. O quarto estava completamente vazio e limpo, não parecia que algum dia alguém tinha se hospedado ali. Eu já estava entrando em desespero.

Por que ela saiu sem me dizer nada? Por que ela sumiu assim? Eu achei que ela confiasse em mim! Eu achei que ela tinha aceitado a minha ajuda! Por que ela está fazendo isso comigo e com ela mesma?!

Voltei para o meu quarto e troquei de roupa, peguei todas as minhas coisas e sai o mais rápido que pude para as ruas de Suna. Olhei ao redor para ver se avistava qualquer sinal dela, mas as ruas estava desertas, completamente diferente dos outros dias.

Corri em direção ao prédio do Kazekage e entrei sem nenhuma cerimônia na sua sala, não tinha guardas na porta, e dentro da sala se encontravam Gaara sentado na sua mesa, uma garota de cabelo castanho que eu reconheci por ter participado do exame chuunin em pé ao seu lado e Kimo e Kankuro em pé na sua frente.

Todos olhavam espantados para mim, Gaara se levantou da sua mesa, e antes que ele pudesse falar qualquer coisa eu o interrompi.

-Preciso falar com você, é urgente!

-Kimo e Sari, nos deixem a sós.

Sari confirmou a ordem com uma breve reverência e saiu da sala, ela tinha um olhar de apreensão no rosto, já Kimo me olhou de forma ameaçadora, o que não me surpreendeu.

-Onde está Temari?

Kankuro me perguntou e aquilo me pegou de surpresa.

-Como assim? A última vez que eu vi ela foi ontem no festival junto com o Hiro.

Gaara abaixou o olhar para o chão, e Kankuro deu um soco na mesa.

-O que está acontecendo?

Perguntei, e Gaara respondeu sem olhar para mim.

-Ontem teve duas explosões, em uma delas guardas meus morreram, nós pensamos ser um ataque dos ninjas ocultos, então eu mandei Temari ir atrás de você enquanto Kankuro conversava com os guardas que deviam estar fazendo turno onde teve a explosão, porém os guardas não apareceram onde Kankuro marcou com eles, e nem você e nem a Temari vieram para cá ou apareceram em algum lugar.

-Tínhamos esperança de que ela estivesse com você, Hiro está procurando por vocês agora.

Kankuro completou o que Gaara disse, e o chão pareceu desmoronar aos meus pés.

-Os guardas que morreram eram ninjas ocultos.

Os dois olharam surpresos para mim, então eu continuei.

-Ontem eu fui no festival com a Mia, e quando os guardas chegaram lá, ela se levantou e foi em direção a eles atraindo eles para aquele lugar, eu fui atrás deles e dela porém quando eu estava saindo Kimo quis me atrapalhar, tenho certeza que ele é um deles também, mas eu consegui me livrar dele e achar a Mia e os guardas. Eles estavam lutando com ela, e ela já tinha derrubado alguns, eu entrei na luta para ajudar ela e quando finalmente imobilizamos eles, Mia interrogou um deles, ele disse que uma garota ajudou eles a entrarem na biblioteca de Suna e conseguir informação sobre o clã da Mia, mas antes que pudéssemos tirar mais informações alguém em algum lugar jogou kunais com papeis explosivos. Eu não fui atingido, os guardas morreram e a Mia se feriu. Eu tirei ela de lá e joguei uma kunai com explosivo em uma barraca para poder desviar a atenção e poder entrar com ela dentro do hotel e cuidar dos ferimentos dela, não podia levar ela para um hospital e não sabia se era seguro trazer ela para cá. Mia então me contou que os ninjas atacaram o clã dela e raptaram algumas crianças, ela veio atrás deles tentando encontrar os membros do clã dela. Mia tem a habilidade de detectar e reconhecer o chakra por isso ela reconheceu os ninjas ocultos dentro da sua guarda. Eu enviei uma carta para o Hokage, mas hoje quando acordei Mia não estava mais lá.

Um silencio se instalou na sala por um tempo. Até que Gaara suspirou e o quebrou.

-O Hokage te respondeu?

Neguei com um aceno.

-Uma garota deixou os ninjas entrarem na biblioteca?

Ele perguntou.

-Sim, foi o que o ninja disse.

Kankuro então se pronunciou.

-Vocês não estão pensando que foi a Tema certo?! Ela jamais faria isso!

Gaara voltou a encarar o chão.

-Eu confio na Temari, e também não acredito que ela possa fazer algo desse tipo, mas é a escolha óbvia, porém não é a única. Segundo o que o guarda falou e a cronologia dos ataques dos ninjas considerando o ataque no país da Lua, eles conseguiram essa informação antes ou durante a guerra, porém acredito que tenha sido antes, já que assim eles teriam mais tempo de preparo e uma data certa para os ataques, onde todos estariam vulneráveis. A presença da Mia na guerra só serviu para que eles vissem de perto as habilidades do clã Hokaku, eles já tinham as informações sobre o clã e já tinham ele como alvo. O passo a seguir é retirar o kekkei genkai e usar ele para conseguir as bijuus e dominar as nações. Sabemos que tem ninjas na sua guarda, como também Kimo é um deles, eu também sei que tem ninjas em Konoha, provavelmente infiltrados assim também, agora temos que saber quem foi a garota e eu tenho um palpite.

-Então diga, porque a Temari eu tenho certeza que não foi, confio na minha irmã.

Kankuro disse se apoiando na mesa e cruzando os braços.

-Foi a sua noiva.

Ele permaneceu imóvel por um momento, Gaara olhava para mim espantado.

-O-o que v-você d-disse?!

Os braços de Kankuro caíram na lateral do seu corpo, ele pareceu perder o equilíbrio dando um passo à frente e segurando na mesa para evitar cair. Então eu continuei.

-Ontem, depois de ter te visto de manhã eu fui andar pela vila, e quando entrei em um beco vi duas pessoas conversando de forma suspeita, eles falavam baixo e olhavam ao redor o tempo todo. Era um guarda que eu não pude ver o rosto e uma garota, a sua noiva. Eu tentei ouvir o que eles diziam, mas Kimo me atrapalhou e eles sumiram. Na hora eu deixei pra lá, mas depois vi uma foto com você, ela, a Temari e o Hiro, na sala da Temari, então soube que era a sua noiva, e quando Kimo tentou me impedir de ir atrás da Mia a noite, percebi que era a segunda vez que ele me atrapalhava, então aquela conversa só podia envolver os ninjas ocultos, e ela é uma garota que tem contato direto com quem tem permissão de abrir a biblioteca de Suna. Faz mais sentido pra mim do que pensar que foi a Temari.

Kankuro encarava o chão, a expressão no seu rosto demonstrava incredulidade e espanto. Gaara então resolveu se manifestar.

-Sempre achei estranho essa garota ter aparecido do nada e ter feito você querer se casar tão rápido.

Kankuro encarou Gaara com raiva.

-Você não disse isso! Você não pode ter acredito nele! Isso é uma mentira! Mira me ama, ela jamais faria algo desse tipo! Vocês estão errados!

-Está dizendo que foi a Temari então irmão?!

Gaara deu um soco na mesa.

-Não! Claro que não foi a Tema! Mas também não foi a Mira!

-Então quem foi Kankuro?!

Pensei em intervir no meio dos dois, mas eu também estava com raiva. Raiva dos ninjas ocultos, raiva pelo que eles fizeram com o clã da Mia, pelo que eles estão fazendo com as nações ninjas, raiva da Mia por ter ido embora sem deixar uma mensagem, raiva desses dois idiotas por não terem protegido a Temari, raiva do Kakashi por não ter me respondido ainda, raiva do Hiro por estar com a Temari, raiva de mim por não saber como me sinto em relação as duas e por não conseguir pensar direito e resolver nossos problemas.

Kankuro soltou uma risada irônica, e aquilo enfureceu o Gaara, mas ele se manteve no mesmo lugar olhando fixamente para o irmão mais velho.

-Quem você acha que foi Gaara? A única garota que tem acesso diário ao Kazekage, aos deveres dele e até a informações fácies.

-Você não pode estar insinuando que foi a Sari!

-E por que não?! Essa garota depois da guerra começou a ajudar todo mundo e do nada virou sua assistente Gaara! Me parece tão suspeito!

Suspirei, aquilo já estava ficando cansativo.

-Calem a boca os dois! Vocês só estão perdendo tempo com essa discussão inútil! Kankuro não foi a Sari, seja quem tenha sido conseguiu o acesso a biblioteca antes da guerra, e pelo que eu sei antes da guerra a Sari estava se preparando e participando do exame chuunin, além de que depois do exame ela foi nomeada chuunin e saiu em missão como todos os outros. Se você está tão convicto que a sua noiva não tem nada a ver com os ninjas ocultos, é muito simples, chama ela aqui.

Kankuro bufou se dando por vencido, então Gaara saiu de trás da sua mesa e abriu a porta gritando por Sari pelo corredor. Dois minutos depois a garota chegou na sala sem folego de tanto que correu.

-Sim Kazegake sama?

-Sari, vá até a casa da Mira e chame ela aqui, diga que estamos preocupados com a segurança de todos já que Temari desapareceu e por isso queremos manter as pessoas da família por perto, espere ela se arrumar e acompanhe ela, não perca ela de vista em nenhum momento, e tome muito cuidado, preste atenção em tudo e não confiem em ninguém além de você mesma, entendido?

Sari lançou um olhar de curiosidade e preocupação a Kankuro e a mim, depois fez uma breve reverencia e saiu novamente pelo corredor.

-Isso é loucura.

Disse Kankuro arrastando uma cadeira que estava no fundo da sala para mais perto da mesa de Gaara. Ele estava nervoso, irritado e ansioso, suas pernas não paravam um segundo de bater e aquilo também estava me deixando nervoso.

Eu não podia dizer que entendia como ele se sentia, mas quando Mia acusou Temari de ser uma ninja oculta, devo ter chegado perto daquele estado em que ele está se encontrando.

Gaara andava de um lado para o outro tentando assimilar as coisas.

-Hiro está mesmo procurando a Temari?

Perguntei.

-Sim, ele saiu hoje antes do sol nascer, recebemos uma notícia dele de que estava fora da vila a umas duas horas atrás, mas por enquanto foi só isso, nenhum sinal dela.

Gaara respondeu. Isso me lembrou que já tinha passado a hora do almoço, tínhamos perdido muito tempo.

-Temos que procurar a Mia também.

Foi Kankuro que me respondeu dessa vez.

-Ela sabe se cuidar tão bem quanto a Tema, e se ela fez isso foi por que quis, o máximo que pudemos fazer agora é ver se encontramos pessoas confiáveis e ai sim podemos ir atrás dela.

-O Hiro é confiável?

Perguntei, e os dois olharam pra mim com um misto de dúvida e negação a mesma dúvida, mas ninguém respondeu, um silencio reinou na sala. Apesar do Hiro ter ajudado o Gaara algumas vezes, e eles se conhecerem a tanto tempo, os dias atuais colocam a prova qualquer confiança.

-Depois que a Sari chegar com a Mira, vamos chamar o Kimo, deixar os dois se entregarem se forem mesmo culpados, então Kankuro vai pessoalmente atrás da Temari e você vai atrás da Mia, Shikamaru.

-E você vai fazer o que irmãozinho?

-Vou limpar a nossa guarda que ainda resta e colocar todos os ninjas de Suna a prova, para saber com quem eu posso contar caso algo aconteça.

-Kazegake sama, aqui está a senhorita Mira.

Sari entrou na sala acompanhada por Mira, e quando eu olhei para ela me lembrei claramente da garota que vi conversando com o guarda no beco.

Mira tinha os mesmos cabelos castanhos lisos que caiam até os ombros, usava a mesma bandana de Suna como a Sakura costuma usar a de Konoha, estava vestida com roupas de treinamento ninja e tinha um leve sorriso no rosto.

Ela correu até Kankuro que se levantou da cadeira e a abraçou. Gaara fez sinal para que Sari fechasse e trancasse a porta, Sari obedeceu e então pareceu entender o que estava acontecendo, e logo segurou uma kunai atrás das costas.

-Mira... Eu preciso muito que você seja sincera comigo...

A voz de Kankuro soou suave e ao mesmo tempo triste. Mira olhou para ele com preocupação.

-O que está acontecendo?

Ela perguntou. Kankuro então segurou ela pelos braços, ela tentou dar um passo para trás, mas ele não deixou.

-Mira... Você é uma ninja oculta?

A expressão de Kankuro era dura e firme, ele estava triste, preocupado, decepcionado e agora estava demonstrando raiva. Mesmo não querendo acreditar que tenha sido ela, era melhor do que pensar que foi a Temari.

-O que você está dizendo Kankuro?! Me solta! Por que você está fazendo isso?! Eu sou a sua noiva!

-Justamente por isso! Eu preciso saber! Me responda!

-Eu nunca te dei motivos para desconfiar de mim!

-Só me responda Mira! Você é uma ninja oculta?!

-Claro que não sou Kankuro!

Um silencio surgiu, até que eu o quebrei.

-Ela está mentindo.

Mira olhou diretamente para mim, e todos na sala acompanharam seu movimento.

-De acordo com a idade dela ela não deveria saber o que são ninjas ocultos ou quem são, afinal o último ataque deles foi após a terceira guerra ninja e apenas poucas pessoas tiveram conhecimento de fato de quem eles eram. Ele não são mencionados em nenhum livro, e não estudamos sobre seus ataques nas academias. Foram poucos ataques e em vilas pequenas, ela deveria ser uma criança no máximo quando aconteceu.

Mira me direcionou um olhar de raiva.

-Mira, por que você fez isso?

Kankuro perguntou.

-Você não pode estar acreditando nele! Eu sou a sua noiva! Eu amo você! Vamos nos casar! Por favor Kankuro!

Então essa foi a primeira vez que eu vi o Kankuro chorar, ele largou ela que caiu de joelhos no chão, as lagrimas dele escorriam pesadas pelo seu rosto, aquilo era o símbolo de um coração partido.

-Mira, fala agora como você teve acesso a biblioteca de Suna, e aonde está a Temari.

Gaara tomou a frente.

Mira se levantou do chão com um sorriso sínico nos lábios, ela tirou a bandana de Suna e jogou ela no chão.

-Vocês não sabem com quem estão se metendo ninjas, aquela garota da Lua pertence a nós e nós vamos pegar ela assim como pegamos as crianças, e sobre a Temari, pobrezinha, não devia ter confiado nas pessoas tão facilmente.

Aquilo me irritou.

-O que vocês fizeram com as crianças?! Onde está a Mia e a Temari?!

A risada de Mira ecoou pela sala então uma cortina de fumaça começou a sair por suas mãos, a mesma cortina que surgiu quando eu e a Mia estávamos lutando com os ninjas ocultos. Minha visão ficou embasada, e então eu escutei os vidros das janelas serem quebrados e a Sari gritando pelo Gaara.

O que está acontecendo?!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...