História À sua espera - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Exibições 24
Palavras 972
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Primeira one-shot!
Yay!
^^

Capítulo 1 - Eu não te disse?


Frisk se encontrava deitada naquela cama de hospital,lendo as cartas que o seu amante a mandou.
Ler as cartas a fazia se sentir alegre e corar.Seria aquilo o que chamavam de "amor"?
Ela abraçou a carta,com um sorriso no rosto,e ficou assim por um tempo.
Ela guardou a carta em uma gaveta onde haviam várias outras cartas,e abriu outra gaveta,e tirou uma carta de lá.

Ela deixou a carta na cama,e se levantou da cama,e seguiu até um quarto,do qual saiu vestindo um suéter azul com listras rosas,shorts jeans e botas.
Frisk pegou a carta,e abriu a porta do quarto de hospital,para ver se alguém estava lá.Quando viu que ninguém estava lá,a garota lançou um sorriso e saiu do hospital,com cuidado para não ser vista.

 


Fora do hospital,a garota prosseguiu até uma prisão que não ficava longe da cidade.Sans a esperava por trás da fenda,com algumas cartas consigo.
O garoto a lançou um sorriso conforme ela se aproximava.

Os olhos de Frisk brilharam ao ver o sorriso de seu amado,e ela sorriu de volta.


De volta ao hospital,a garota relia as cartas de Sans,até que grandes mãos tiram a carta das mãos da garota.
A garota olha para a figura ao lado dela,seu pai,Asgore lia a carta,e a sua expressão não era uma das melhores.

“Não volte a ver este garoto.”Asgore disse,olhando para a filha furiosamente.

Em seguida,o maior amassou a carta e a jogou no chão,saindo do quarto e batendo à porta em seguida.

Frisk observava a carta amassada no chão,e tentava compreender por quê o seu pai havia feito isso.

 


Na prisão,em sua cela,o garoto guardava todas as cartas de sua amada como tesouros,e observava o lado de fora pela janela da prisão.
Eperguntava como era ser livre,porque nas suas últimas memórias ele já estava naquele lugar desprovido de tudo,naquela cela escura,ele se perguntava o que ele havia feito para parar alí,ele se perguntava por quê ele continuava tentando...
Ele continuava tentando por ela.Por isso que ele tentava.As cartas e o sorriso gentil del deu um sorriso,e começou a escrever outra mensagem para a sua amada.

 


Duas semanas se passaram,e nenhum sinal de sua amada.O garoto começou a se perguntar se ela voltaria.
Mesmo com dúvidas sobre isso,todos os dias ele ia para seu lugar de encontro,e rezava para que Frisk fosse para lá.

 


No hospital,conforme os dias passavam,mais tubos eram colocados.
Frisk não conseguia mais andar como costumava,tinha dificuldade para ouvir sons,e dúvidas sobre sua expectativa de vida.
Se fosse para ela morrer,ela queria se despedir dele primeiro,ela não podia deixá-lo preocupado.
Ela se levantou da cama com dificuldade,e tirou os tubos.Frisk abriu uma gaveta,e de lá tirou um papel com uma mensagem escrita nele.
Ela trocou de roupa e abriu a porta,para ver se alguém passava por ali.Como ninguém passava,Frisk saiu do quarto e procurou a saída do hospital,se apoiando nas barras,pois tinha dificuldade para andar.

 

Na prisão,Sans observava a sua amada se aproximando.As suas preces em fim foram ouvidas.
Ele lançou um sorriso,e foi em direção a fenda,e avistou um avião de papel que a garota jogou.Ele pulou para pegá-lo,e com o aviãozinho nas mãos,começou a ler.

"Eu gostaria,em primeiro lugar,me desculpar pela minha ausência.Sabe,algumas coisas andam acontecendo na minha vida,e acontece que eu estou partindo para longe,e eu não sei se vamos poder nos ver novamente...
Eu só gostaria de lhe dar um adeus antes da minha partida.
Eu te amo."

Sans,depois de ler a carta,levantou a cabeça e olhou para Frisk,que tinha algumas lágrimas escorrendo dos olhos.
Frisk se virou,e antes que ela pudesse começar a caminhar,ela ouviu a voz do amado:

“Eu vou estar a sua espera!Até você voltar!Vou guardar suas cartas como tesouros!Podemos nos ver novamente,certo?”

Frisk,ao ouvir essas palavras,sentiu lágrimas caírem de seus olhos,e saiu correndo de lá,para não o mostrar suas lágrimas.

 


Chegando no hospital,com a respiração falha,Frisk caiu inconsciente no chão.

 

Quando acordou,a garota estava naquele quarto escuro,cheia de tubos.Ela respirava com dificuldade,mesmo com as máquinas.
O seu pai,desesperado,tentou entrar no quarto,mas foi parado pelas enfermeiras.

 


O pai de Frisk,quando foi a prisão para trabalhar,encontrou um garoto,com vários aviões de papel em sua cela,e suspeitou que era com ele que sua filha estava falando.
Ele tirou uma carta da mão do garoto,e a lêu.Aquela era mesmo a letra de sua filha.Ele,em seguida a rasgou na frente dos olhos do garoto,que num ataque de raiva,partiu para cima dele.
Quando os outros guardas pegaram o garoto,Asgore mandou levarem o garoto em um quarto para morrer asfixiado.

No quarto escuro,o garoto observou fecharem as portas.
Agora,sozinho mais uma vez,a mente de Sans gritava,ele não poderia a ver novamente.Ele iria morrer naquele quarto escuro.
O seu peito doía,e ele encontrava dificuldade para respirar.
Ele,mais do que tudo,queria vê-la,apenas mais uma vez,queria ao menos,saber seu nome.Nem pra isso ele prestava.Nem pra perguntar o nome da garota.

 


Alguns meses se passaram,e Frisk não conseguia mais se mover.Ela acreditava que o final de sua vida estava próximo.
Quando ela se despediu dele,ela não devia ter se feito de forte,mas já era tarde demais.
Frisk era uma flor sem a luz do sol,a qual o destino era morrer.As cartas de Sans eram a única luz que precisava para viver.Ela não podia mais as ler com seus olhos turvos.
Se este era o seu momento final,ela queria ir para onde ele estava.

Frisk sente duas mãos segurarem as suas mãos frias.
Ela abriu os seus olhos,e seu pai estava lá,em sua frente,com um sorriso fraco no rosto.

Os seus batimentos cardíacos desaceleraram a cada segundo,até que eles pararam.

 

A garota abriu os seus olhos,e se viu sentada em um campo,com uma mão estendida em sua direção.
Ela levantou a cabeça e avistou o seu amado com a mão estendida para ela.

“Eu não disse que estaria á sua espera?”

Lágrimas escorreram de seus olhos,e ela correu para um abraço.


Notas Finais


Espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...