História A submissa do meu pai (Jimin) - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Hoseok, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Namjin, Namjoon, Rap Monster, Suga, Taehyung, Yoongi, Yoonseok
Exibições 166
Palavras 980
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Fluffy, Hentai, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Socorro. Estou atrasada pra escola.

Boa leitura! :3

Capítulo 17 - Quem é você?


Fanfic / Fanfiction A submissa do meu pai (Jimin) - Capítulo 17 - Quem é você?

-Quem é você?

-O dono da Ana!

-Ana?-Perguntei espantada

-Sim, a menina que está com você, não se faça de sonsa

-Você tem provas de que ela está aqui?

-Os meninos que estavam vendendo com ela me disseram que essa foi a última casa que ela passou. Disseram que ela entrou e não saiu mais...

-Você não tem provas disso, vá embora por favor...

-Eu quero ela-Ele disse me empurrando.

-Sai da minha casa, seu maluco!-Eu gritava desesperada

-O que está acontecendo?-Jimin perguntou aparecendo na sala-Quem é esse?

-Esse maluco disse que é dono da Ana e saiu entrando, amor..

-Acho melhor você sair agora?

-E se eu não quiser?

Jimin sorriu debochado e eu me afastei do homem. Jimin pegou impulso e socou o olho esquerdo dele o fazendo cambalear. O homem se levantou e agarrou Jimin pela cintura o chocando contra a parede, mas Jimin o pegou e o tacou em cima da mesa da sala. Jimin deu uma sequência de socos no rosto do homem e parou ao ver que ele estava sangrando.

-Amor, põe ele pra fora.

-Se você voltar aqui, eu chamo a polícia e conto tudo que você faz com as outras crianças-Disse Jimin o jogando na calçada e fechando a porta.

-Eu fiquei com medo dele levar ela embora-Falei abraçando ele

-Nada vai acontecer com vocês, meus amores. Seu super homem está aqui-Ele me abraçou mais forte

-Eu te amo tanto, Jimim

-Eu também te amo muito, querida-Ele beijou minha testa-Temos que ir a um orfanato resolver isso da adoção logo, meu amor..

-Eu sei, vamos?

-Vamos?

-Ana!!-Eu gritei da sala e logo ele desceu as escadas.

-Oi, mamãe.

-A gente vai sair. Vamos tomar banho?

-Vamos!

Eu a peguei no colo e seguimos para o banheiro. Eu retirei sua roupa e lhe coloquei embaixo do chuveiro. Lhe dei uma banho rápido, escovei seus cabelos e lhe vesti com um short e uma blusa. Descemos as escadas e fomos até o carro.

Durante o caminho, ela ficou vendo desenho pela televisão do carro e eu e Jimin conversamos.

-Acha que vamos conseguir adotar ela?

-Vamos sim,calma!-Ele disse sorrindo e apertando minha perna-Vamos ter que por forro na parede do nosso quarto-Le susssurrou me fazendo rir.

-Do jeito que você é, acho que vai ser na casa inteira-Ele sorriu.

Passamos pela avenida 55 e chegamos ao orfanato Squembrel. Jimin pegou Ana no colo e seguimos para dentro.

-Olá..podemos ajudá-los em algo?-Perguntou uma recpcionista muito bonita, eu percebi que Jimin ficou olhando ela.

-Bom dia, gostaríamos de adotar uma criança

-Tem uma específica?

-Sim, a pequena Ana-Falamos amostrando-a a moça.

-Bom..esse processo é um tanto demorado...vocês tem os documentos dela?

-Infelizmente não. Achamos ela na rua. Ela era uma dessas crianças exploradas aqui dos aredores e bateu à nossa porta vendendo doces. Então nos decidimos adotá-la...

-Bom, eu tenho uma notícia um tanto triste para dar a vocês

-Qual?-Perguntei nervosa

-Ela terá que ficar aqui no orfanato até sabermos quem ela é. Faremos um teste de DNA para sabermos quem são seus verdadeiros pais e assim iremos achar os documentos dela. A partir dai faremos a ficha oficial dela no orfanato e então ela entrará na fila de adoção. Como vocês querem ela e a trouxeram, eu poderei dar um jeito de por o nome de vocês na frente na lista de espera..assim avaliarão vocês logo e saberão se porderão adotá-la ou não...

-Não tem outro jeito?-Jimin perguntou preocupado.

-Infelizmente não. Essa é a única maneira para ela ser filha legal de vocês dois..vocês aceitam?

-Nós nos olhamos e ele acentiu-Aceitamos-Eu falei sorrindo triste.

-Filha...-Eu me abaixei e então Jimin também- A gente vai ter que ficar longe por um tempo...

-Por quê, mamãe?

-Você não queria que a gente adotasse você? Então..a gente vai. Mas primeiro você tem que ficar um pouquinho aqui com essa moça legal até ela achar seus documentos, ai a gente vai poder fazer você ser nossa filinha?-Jimin falou sorrindo.

-Por que tem que ser difícil, papai?

-Eu não sei, mas confia em mim. Tudo bem, meu anjinho?

-Tudo bem?-Ela disse abraçando a gente.

A gente deu a entrada da no orfanato, nos despedimos e a moça a levou. Eu abracei Jimin chorando.

-Eu estou com medo, amor..

-Não fique?!-Ele me apertou mais forte-Vai dar tudo certo...fighting..

-Fighting...-Falei sorrindo para ele.

Nos passamos em casa, fizemos as malas dela e levamos ao orfanato. Voltamos para casa e então tudo parecia quieto demais..mesmo ela ficando por apenas um dia e meio, fez muita diferença...foi a primeira vez que eu senti que tinha uma família de verdade.

-Eu vi você olhando para aquela moça no orfanato-Falei fazendo birra.

-Sim, eu olhei...mas quer saber?

-O que?-Perguntei com raiva.

-Eu prefeiro você...-Ele disse me beijando com intensidade e eu sorri.

Eu beijei ele de volta e então deslizei minha mão por baixo da sua blusa arranhando seu peito de leve. Ele arfou. Eu retirei sua blusa com rapidez e então ele tirou meu vestido com ferocidade.

-Sempre tão cheio de energia-Falei entre meus gemidos enquanto ele dava um chupão em meu pescoço.

-Pra te aguentar tem que ser..-Eu apenas sorri.

Ele tirou sua bermuda e então me deitou no sofá. Ele abriu minhas penas e deu uma lambida por cima da minha calcinha me fazendo gemer de leve. Ele rasgou minha calcinha ao meio e então começou a passar sua língua de leve pela minha intimidade. Eu estava gemendo mais alto e apertando seu cabelo com força.

Eu retirei sua cueca e rodei ficando por cima. Eu estava com saudades e queria ele agora, sem rodeios. Eu encaixei seu membro em minha intimidade e comecei a cavalgar com movimentos vagarosos. A medida em que ele aumentava o volume dos seus gemidos eu ficava mais excitada. Então comecei a arranhar seu peito com ferocidade e também a rebolar mais rápido em seu membro...

Chegamos ao clímax e tombamos ao lado um do outro.

-Eu amo ter rapidinhas com você...-Falei ofegante.

-Eu amo ter qualquer tranza com você-Ele disse sem fôlego mais ainda assim me beijou.

Nós tomamos um banho e nos deitamos para dormirm



Acordei de madrugada com meu celular vibrando e percebi que era uma mensagem. Eu digitei a senha e abri a mensagem para ler:

"Eu avisei que voltaria...então me agurde".


Notas Finais


Até o próximo!
Beijos, morangos e abraços. =^•^=
~Kissus da Myka.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...