História A submissa do meu pai (Jimin) - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Hoseok, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Namjin, Namjoon, Rap Monster, Suga, Taehyung, Yoongi, Yoonseok
Exibições 157
Palavras 924
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Fluffy, Hentai, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oooooieeeeen. Chegay. E já me vou porque tenho que arrumar a varanda.
SOCORRO. TLVZ EU VÁ NO SHOW. MORRENDO~

Boa leitura.

Capítulo 18 - Seohyun


Fanfic / Fanfiction A submissa do meu pai (Jimin) - Capítulo 18 - Seohyun

Alice! Minha querida irmã do Satanã..como ela arranjou meu número?

Olhei a tela do telefone e senti um certo receio correr pelo meu corpo, não por mim, eu sei me cuidar muito bem. Mas sim por medo de perder Jimin e a nossa pequena Ana. Eu desliguei a tela do celular e deitei para dormir, por eu não conseguia se querer fechar os meus olhos, estava realmemte preocupada com eles ainda mais agora que a Ana estava no orfanato, longe da gente. Olhei para o lado e percebi que Jimin estava completamente apagado na cama. Então eu me aproximei e o abracei bem apertado, e só assim eu consegui dormir.

Porém alguns minutos depois eu levantei correndo da cama e fui em direção ao banheiro. Estava me sentindo enjoada e vomitei, deve ser o nosso outro pequeno bêbe, eu me senti mal porém feliz. Eu iria ter uma família com Jimin. Assim que voltei para a cama percebi que ele estava acordado.

-Que foi, meu amor?-Perguntei preocupada

-Eu tive um pesadelo...deita aqui com eu?-Ele perguntou fazendo bico, ele é mais fofo do que eu imaginava.

-Deito sim, querido.

Eu andei até sua direção e me deitei. Ele me abraçou e se deitou comigo.

-O que aconteceu no seu pesadelo, amor?

-Bom...vai parecer meio bobo pra você

-Fala logo, Jimin. Para disso.

-Tudo bem. Eu sonhei que você estava indo embora. Sonhei que você estava me deixando e não iria voltar. Pode parecer bobo mas esse é um dos meus maiores medos-Ele disse corando.

-Ai, meu amor...-Eu falei sorrindo e o apertando forte-Não é bobo, é bonito. Está tudo bem. Eu nunca vou te deixar

-Promete

-Prometo, eu não estou aqui agora? Você está me sentindo?-Eu falei colocando a mão dele no meu rosto e ele fechou os olhos sorrindo-Sente isso?-Eu coloquei sua mão no meu coração.

-Sinto, está muito rápido

-Pois é...eu gosto de você, eu te amo

-Ele sorriu-Parece que eu já vi isso

-É, você fez isso comigo no dia em que se confessou...eu não vou esquecer

-Eu nunca vou esquecer você, amor-Eu sorri

-Perdi o sono..

-Eu também

-Eu sei que aqui está muito bom mas tenho que te amostrar algo desagradável

-O que houve?

-Eu não quero esconder como da outra vez..toma-Eu dei o celular a ele e lhe amostrei a mensagem.

-Ele me olhou preocupado mas sorriu-Não se preocupe, eu estou aqui. E nós e a Ana ..e nosso pequeno que vai nascer-Disse pondo a mão na minha barriga-nunca vamos embora. A gente pertence um ao outro

-Eu continuo sem ententer o que eu fiz pra merecer você, Jiminie

-Eu já disse. Você nasceu...



A manhã passou e durante a tarde nós fomos até o orfanato, mas o exame de DNA não estava pronto ainda então como o esperado não poderíamos adotá-la ainda. Durante o caminho, Jimin parou o carro repentinamente.

-O que vai fazer

-Ah, sossega aí, sua pequena!

Ele me pegou no colo e começou a correr comigo. Como ele estava correndo, eu não conseguia ver nada. Ele parou de repete e eu ne intriguei.

-Vem comigo-Ele ficou atrás de mim tanpando neus olhos com a mão e começamos a andar.

Paramos novamente e ele tirou a mão dos meus olhos. Eu fiquei paralisada e sorrindo. Ele me trouxe a um canil, e meu sonho sempre foi ter um cachorro, um São Bernardo ou um chow-chow.

-Gostou?

-Jimin!-Eu disse pulando em cima dele-Para de ficar me mimando desse jeito..

-Não, eu gosto. Eu disse que te trataria bem, te trataria como a rainha da minha vida. Como ninguém nunca fez antes pois eu te amo e você é tudo pra mim. Quero que saiba o quanto você é especial

-Jimin..para!-Eu disse começando a chorar-Eu te amo-Eu o abracei apertado

-Vamos adotar um cachorrinho?

-Vamos!

A gente andou por todo o canil. Olhando e brincando com milhares de filhotinhos e cachorros enormes. Até que no fim das contas eu encontrei um filhote de chow-chow da cor marrom. Ele estava sozinho sem nenhum outro cachorro perto. Eu me lembrei de mim mesma quando era pequena e senti vontade de levar ele.

-Amor..eu gostei deste aqui

-Eu também...vamos levar?

-Vamos.

A gente pegou ele e levamos até a recpão. Falamos com a moça, acertamos a papelada, pagamos por ele e voltamos pra casa.

-Que nome quer dar a ele, Lance?

-Não sei...pode ser..Nescau?.

-Nescau?-Ele começou a rir-O que é isso?

-É uma marca de achocolatado que tem lá no Brasil

-Você é de lá? É Brasileira?

-Uhum. Sou sim, amor

-Deveria saber..-Ele sorriu malicioso.

A gente chegou em casa e colocamos o cachorrinho no chão da sala. Ele começou a andar cheirando tudo pela casa e observamos rindo.

-Quando você comprou as coisas pro cachorro?

-Quando você foi falar com a moça do orfanafo, eu fiquei do lado de fora. Liguei para aquela loja que tem daqui a duas ruas, e pedi que entregassem aqui em casa. Comprei com o cartão.

-Você é imprevisível de mais, eu amo isso em você-Faleu o beijando-Vou colocar a coleira nele.

-Tudo bem.

Eu andei até a cozinha que era aonde o pequeno Nescau estava e lhe puis a coleira. Escuteu alguns gritinhos femininos vindo da sala e me apressei para lá.

-Jimin, quem é essa?-Tinha uma menina de cabelos azuis chorando na sala.

-Eu me chamo SeoHyun, sou uma ex namorada do Jimin, namoramos a três anos atrás

-E o que tem isso?

-Ele me largou, ele terminou comigo..e eu estava grávida dele. Agora nossa filinha, a Jandi, está lá com seus três anos e não sabe quem é o pai. Ele disse que ela não é filha dele..mas enfim. Agora que ele tem alguém, tenho certeza de que não vai assumir de jeito nenhum, então eu vou ter que ir ao tribunal reivindicar os direitos dela..Até a audiência, Park Jimin-Ela disse saindo.

-Eu não acredito nisso, Jimin!-Falei subindo pro quarto.


Notas Finais


Atéee o próximo!
Beijos, morangos e abraços!
~Kissus da Myka


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...