História A submissa do meu pai (Jimin) - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Hoseok, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Namjin, Namjoon, Rap Monster, Suga, Taehyung, Yoongi, Yoonseok
Exibições 136
Palavras 1.123
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Fluffy, Hentai, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


E aaaaae. Atrasei? Muito mesmo. Me desculpem? :3
Minha vó- tô dormindo aqui hoje-. Viu eu com o cell e vai falar pra Omma. Agora tenho que inventar uma desculpa. Tava att APP e eu pensei de falar que o cell tava com som e eu peguei pra abaixar. Será que funcina? Hueheueheueheu. Tomara, me amem muito porque fiquei acordada só pra escrever isso. Minha parte Yoongi- que não é pequena-, odiou isso. XD

Emfim, me perdoem o tamanho desse. Estou sem tempo e não posso escrever muito pela hora como leram ali em cima e.e

Quero agradecer aos +60 favs. Amo muito vocês. Vocês são fodas. Sz


Boa leitura. [\_^_^_/]

Capítulo 22 - Pequena Ana


Fanfic / Fanfiction A submissa do meu pai (Jimin) - Capítulo 22 - Pequena Ana

Amanda's POV

Eu corri em direção ao carro e engatei o motor. Pisei no acelerador como se ele fosse um deposito para minha raiva e fui correndo pela estrada, mas avisei para mim mesma ir mais devagar se eu quisesse chegar viva. Não demorei muito, em meia hora eu já estava no local. Desci do carro e procurei meu celular..não estava no bolso, voltei ao carro e não estava também, droga! Devo ter deixado cair enquanto eu corria. Andei com passos firmes e dei um chute que escancarou a porta e fez um eco em todo o lugar. Eu olgei em volta, estava tudo muito quieto e escuro, eu conseguia ouvir as batidas do meu coração acelerado e amedrontado, mas não demorou muito para que eu pudesse sentir o perfume de vagabunda que Alice sempre usou e segui até o local que seria o porão, por que vilões sempre escolhem o porão? Assim que cheguei, avistei minha pequena Ana, amarrada em uma cadeira, com uma corda na boca e havia sangue no canto esquerdo da sua testa...senti meu sangue borbulhar mas me contive ao ver que Alice apontava uma arma para ela.

-Parada aí, irmãzinha..quer perder sua pequena garota?

-Como ousa fazer isso com uma criança?

-Ela é minha filha...fomos eu e o Travor que a tacamos na rua

-Espera..Travo?

-Sim..a um tempo atrás, acho que essa peste tem quatro anos né? Eu e ele ficamos juntos. E traia você comigo...e quando se separaram a gente assumiu. Fiquei grávida desse demônio. Ela me deixou gorda e me prendeu em casa, a gente deu ela pra um homem lá..mas depois a gente separou pois ele dizia que não me amava e tudo mais..como se eu tivesse amado ele algum dia

-Você é realmente uma vagabunda-Ela puxou o cabelo da Ana com força fazendo-a chorar.-Para!!!-Eu gritei

-Fica quietinha então, se não ela sofre por você

-De-desculpe-Disse com raiva de minhas palavras

-Tudo bem, Park Amanda, espera...o pequeno Jimin vai morrer também!

-Co-como assim?-Falei nervosa

-Quando eu te liguei pude rastrear sua localização e mandei um grupinho de quatro meninos pra lá...legal né?

-Ele já deve ter ido embora

-Como você pegou o carro ele deve ter ido andando..e os meninos foram de csrro. Será que pegaram ele no caminjo?-Ela sorriu debochada

-Você...não faria isso-Eu comecei a chorar

-Eu já estou fazendo...

-Por quê?

-Eu te odeio por ter sido a preferida da mamãe e odeio Jimin por ter me desprezado...quero que sofram

-Faça o que quiser comigo mas deixa eles em paz

-Não, não! A melhor vingança seria matar todos eles e até a pequena Jandi...e deixar você vivá sozinha. Como eu sempre fui a vida toda por sua causa

-Acha que era culpa minha?

-Sim..e se não era pra mim sempre vai ser então cala a boca !!-Ela gritou tacando a cadeira em que Ana estava amarrada no chão

-Mamãe!-Ela chorou olhando pra mim

-Calma que a mamãe já vai te pegar

-Não minta pra ela. Conte logo que ela vai morrer, mentir é feio..a Titia vai ter que atravessar essa faca aqui na sua testa!-Ela disse passando uma faca de leve pela testa de Ana, que começou a chorar

-Para, Alice-Ela deu um tiro no chão e eu gritei

-Eu mandei calar a boca. Não me diga o que fazer!

-Me solta! Me solta-Dizia uma voz que se aproximava, eu logo pude perceber que era Jimin.

E era ele mesmo. E estava todo ensanguentado, com o rosto todo cortada e estava sendo carregado.

-Meu amor...-Eu sussurrei para mim mesma.

Os quatro meninos amarraram ele em uma cadeira e me saíram. Apenas um deles ficou para me segurar.

-Vamos começar a tortura-Ela sorriu.

Ela pegou a arma e bateu com ela forte no maxilar de Jimin o fazendo cair no chão. Ela chutou o rosro dele com a ponta do salto e então puxou seus cabelos o arrastando pro meio do local pelos menos. Ela se preparou e deu um tiro no ombro dele.

-JIMIN!-Eu gritei me debatendo mas era inútil.

-Pelo amor. Eu posso fazer pior, irmã

Ela se abaixou na direção de Jimin e deu um beijo nele

-Apenas para eu dizer que já peguei todos os homens bonitos de Busan-Ela sorriu novamente, eu quis matá-la.

Ela colocou o dedo no buraco da bala, no ombro de Jimin e puxou o fragmento de metal o fazendo gemer de dor. Assim que ela pois a bala no chão, ela pois o dedo no buraco de novo e rodouo fazendo gritar. Eu estava sentindo a dor dele. Ele começou a cutucar o ferimento com brutalidade e rapidez fazendo com que Jimin começasse a chorar de dor.

Logo ela parou e pegou a faca. Eu me desesperei. Percebi pelos olhos dela que ela iria matá-lo. Ela colocou a faca perto do pescoço dele. Eu arregalei os olhos e pisei no pé do homem que me segurava e mordi sua mão com força o fazendo me soltar. Eu corri na direção dela e a segurei pelos cabelos. Eu a virei e tentei pegar a faca de sua mão. Ela estava com os braços levantados e eu tentando abaixa-los. Ela começou a tentar por a favca em mim mas eu estava afastando o meu corpo com os braços.

Ela me empurrou na parede e eu a virei. Ela caiu no chão me fazendo cair em cima dela e a faca enterrou na minha barriga. Eu a olhei e vi que ela sorria. A dor e o sangue escorriam para fora do meu corpo e eu iria desmaiar em breve. Mas minha raiva era tanta que eu puxei a faca- fazendo sangrar muito, muito mais-, e enfiei nela, na clavícula. Retirei e a enfiei na barriga uma, duas, três, quatro vezes...e ela caiu no chão. Eu havia a matado e logo em seguda eu cai no chão também. Percebi que Ana chorava e que Jimin havia desmaiado...o homem havia fugido, patético e covarde. Peguei o resto das minhas forças e liguei para uma ambulância

-Emergência. No que posso ajudar?

-Uma ambulância...muito rápido...rastreie a ligação-Minha última palavra antes de desmaiar...

Jimin's POV

Haviam-se passado duas horas desde todo o ocorrido. Eu estava no hospital bem, com o braço enfaixado e o ferimento custurado. Ana estava bem, com um curativo na testa e estava sentada no meu colo. A polícia já havia falando conosco e eu havia contado tudo que havia acontecido. Ana se meteu gritando e contou tudo também, o que ajudou eles a acreditarem em mim então eles falaram que foi legítima defesa da Amada, e não processaria a gente ou nada parecido. Eu não tinha notícias da Amanda desde que havia acordado na ambulância no meio do caminho mas me animei ao ver que um médico chamava por mim.

-Park Jimin?

-Eu, senhor.

--Sua noiva está bem mas...temoa um porém muito ruim

-Qual?-Eu quse gritei aflito

A profundidade da facada doi muito profunda ebela realmente perdeu muito, muito sangue...sinto muito. Sua moiva está em coma. ..


Notas Finais


MEUO DEUOS. ~Cry face~
Sé é loka, tia Myka? Parar o capítulo assim? Sou muahahaha. Perdoem-me mas eu realmente tenho que dormir antes da minha avó brotar com uma chinela aqui. Amo vocês.

Até o próximo.
Beijos, morangos e abraços.
~Kissus da Myka


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...