História A Surprisingly Amazing Love - Fanfic L3ddy. - Capítulo 50


Escrita por: ~

Postado
Categorias Gustavo Stockler (Nomegusta), Kéfera Buchmann, Lucas "Luba" Feuerschütte, Lucas "T3ddy" Olioti, Malena "Malena0202" Nunes
Personagens Lucas "LubaTV", Lucas Olioti
Tags Guba, L3ddy, Luba, Luddy, Romance, T3ddy
Exibições 75
Palavras 1.824
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 50 - Capítulo 50: Mar e Muito Amor.. ❤


~ PVO T3ddy: On. 


No dia seguinte, eu acordei bem cedo, Lucas ainda dormia, beijei sua testa e fui fazer minhas higienes. Quando terminei, sai à praia. Fiquei apenas sentado observando a paisagem maravilhosa do céu ao fundo com o nascente do sol. Eram 06h37 da manhã, o vento estava gostoso de se sentir.. Sorri e comecei a sentir a areia entre meus dedos, jogando-as de volta ao chão. 


[...] 


Luba: Pensando, amor? * perguntou com a voz calma, nem tinha o percebido ali, olhei para trás, assenti, sorrindo pequeno.


Eu: Sim.. Um pouquinho.. *respondi baixo. 


Luba: Quer companhia? *sorriu. 


Eu: Claro.. *ele se sentou ao meu lado.


Luba: No que está pensando..? *olhou para o mar, mas logo me olhou. 


Eu: Sobre nossa vida.. Você percebe? Passamos tantas coisas juntos, por tantos sofrimentos.. Por tantas dores.. *joguei a areia de volta ao chão.* Tantos erros.. Mas mesmo assim, estamos aqui. Juntos, e felizes.. *o olhei, ele sorriu tímido.* Você sabe bem o quanto sofremos para chegar até aqui, nossos filhos, nossa carreira, nossos fãs, nossa vida.. Tudo mudou bruscamente, até mesmo a nossa família. *limpei minhas mãos.* Mas saiba que eu não arrependo de nada, nada mesmo.. Talvez se aquele dia na comic con não nos víssemos, o destino faria algo para nós nos encontrarmos e sermos o que somos.. Por que eu acho que eu não seria tão feliz quanto eu sou hoje, Lucas.. *o olhei, seus olhos fitavam o chão, segurando se para não chorar.* Eu me sinto tão vivo e bem, eu quero ser assim para sempre, ao teu lado.. *ele me olhou de volta, deixando suas lágrimas rolarem, segurei sua mão.* Eu nunca imaginei que meu melhor amigo, uma pessoa que eu tanto admirava e era fã, uma pessoa que eu sempre brinquei sobre amor e sentimentos, com quem eu sempre tive um sentimento a mais, mas do jeito que eu era lerdo não percebia.. *ele riu fraco.* Uma pessoa tão adorável e amável, tão delicado com uma pequena pitada de ignorância.. *ele riu novamente.* A pessoa de quem eu me apaixonei dês do primeiro dia que nos conhecemos, me apaixonei não só pela pessoa, mas pelo sorriso, pelo beijo, pelo carinho, até mesmo pelas suas brigas que não duram mais de 10 minutos.. Eu nem sei por que eu estou falando isso tudo, eu acho que.. Quanto mais nós estamos apaixonados, mais falamos sobre nossas vidas com quem nós somos felizes, mais queremos demonstrar esse sentimento tão grande, que as vezes chega a doer. Luba, eu queria falar tudo pra ti, tudo o que eu mais sinto, tudo que eu quero e precisava falar, mas eu não posso, não é possível decifrar tudo o que eu sinto.. Eu só te amo.. *limpei seu rosto, tirando suas lagrimas que rolavam.* Eu te amo, Lucas.. *sussurrei, ele se aproximou, sorri e colei meus lábios nos seus, iniciando um beijo carinhoso, calmo e profundo. 


Luba: Eu amo você.. *disse contra o beijo.* Eu amo.. *ele se distanciou.* Droga Lucas.. Você me desconserta tanto.. *ri fraco, ele abraçou meu tronco.* Eu nunca te imaginei assim, eu sempre soube que você era do tipo "pegador", é.. Eu sabia.. *ri, envergonhado*E agora, depois de alguns anos.. Eu, você, Juuh, Vinny.. Juntos.. Isso é uma loucura.. *assenti, beijando sua testa.* Espero que mais nada de mal aconteça conosco, eu acho que não aguentaria.. * encostou a cabeça no meu pescoço. 


Eu: Não vai.. *falei baixinho.* Eu prometo.. *o abracei


Luba: Você está tão inquieto, está mesmo tudo bem..? * assenti. 


Eu: Eu estou ótimo. *sorri de canto. 


Realmente, eu estava me sentindo um pouco estranho, diferente pra ser mais exato. Mas eu não queria estragar aquele momento gostoso que eu estava tendo com Luba, o encostei junto à mim, acariciando sua cintura.. 


Eu: É pedir muito eu poder ficar aqui o dia inteiro contigo? * falei baixo, ele riu fraco.


Luba: Sim, seria.. *beijou minha bochecha.* mas acho que podemos ficar por um tempinho a mais, eu acho. 


Eu: Uhum.. Eu estava pensando no nosso futuro.. Seria bem diferente com as crianças já adultas.. 


Luba: Bastante.. Juuh não precisando mais das nossas ajudas para quando acordar no meio da noite.. Vinny sabendo amarrar os sapatos sozinho.. *rimos fraco.* eu sentiria saudades dessa bagunça.. 


Eu: Mas teria um orgulho enorme.. *respirei fundo.* será difícil lidar com o crescimento desses dois, não será fácil. 


Luba: Principalmente quando Juuh namorar.. *ele riu. 


Eu: Você não começa.. *ri sem graça.


Luba: Desculpa, é que é tão fofo você com ciúmes dela.. *me olhou, corei um pouco, revirando os olhos.


Eu: Já disse que não é ciúmes, é só.. Proteção paterna.. *dei de ombros, ele continuou a rir.*


Luba: Sei, Sr. Olioti, sei. * falou irônico. 


Eu: Eu só não quero que ela sofra com qualquer babaca.. *sorri, ele pegou minha mão, entrelaçando-a.


Juuh: Papais..? *olhamos para trás, a pequena coçava os olhinhos, pois tinha acabado de acordar.* Por que.. Estão acordados.. Agora? *disse manhosa, sorri.


Luba: Por nada, amor.. Vem ca.. *ela se aproximou, sentando ao colo de Luba.* Teve algum sonho que te fez acordar? *ele encostou as costas ao meu peito, deixando a menina deitada* 


Juuh: Sim.. *ela fez bico.


Luba: Quer contar pro papai? *ela negou.


Juuh: Não.. *falou baixo. 


Luba: Quer contar depois? *ela assentiu.* Ok.. 


Eu: Vou fazer o café e acordar o Vinny.. *disse, ele me olhou.* O que? 


Luba: Você disse que queria ficar aqui comigo.. *fez bico, ri fraco.


Eu: Temos o dia todo.. *segurei seu queixo, e o selei rápido.


 Ele se arrumou e eu me levantei, fui à cozinha, lavei as mãos, e comecei a fazer o café da manhã. Quando Júlia adentrou o cômodo correndo e me chamando.  


Juuh: Papai T3ddy! *eu a fitei, curioso.* Papai Luba disse que vamos fazer um piquenique na praia! *ela sorriu grandemente.* Ele está vindo para pegar as coisas para forrar. 


Eu: Então faz um favor pro papai! * ela assentiu, alegre.* vai lá no quarto do seu irmão e acorda ele, ok? Diz que vamos fazer um piquenique bem gostoso na praia, vai lá! *ela correu ao quarto.


Minutos depois Luba adentra a cozinha, a procurada de algo.. 


Luba: Amor.. Você viu aquele forro grande para colocarmos no chão? 


Eu: Hm.. Talvez esteja ali embaixo, vida.. *apontei, ele assentiu, vasculhou o armário e logo o achou. 


Luba: Obrigado.. *beijou minha bochecha.* vou pegar a cestinha e já venho te ajudar.. 


Eu: Sem problema.. *sorri. 


[...] Quando o mesmo voltou, eu já havia terminado de fazer o café, coloquei algumas bebidas (café, suco, leite, iogurte para as crianças) em garrafas térmicas e em alguns potes as coisas que iriamos comer mesmo. Depois de guadarmos tudo, as crianças pegaram suas coisas (brinquedos, etc) e fomos a praia. 


Era bem cedo ainda, já se passavam das 07h09 da manhã. Lucas resolveu ir para o canto da praia, o mesmo canto onde a gente.. Vocês sabem bem o que! Ali era um lugar fantasticamente lindo, assim que chegamos, forramos o pano e nos sentamos.. 


[...] Tempos depois..


Vinny: Já terminamos, podemos ir brincar? *assentimos, e então eles correram. 


Eu: E ai? Gostando..? * perguntei rindo, passando o braço pela sua cintura.* 


Luba: Uhum.. *me fitou.* Sobre aquela história de ficarmos o dia todo juntos... *o cortei. 


Eu: Ainda está de pé se o senhor ai não contestar.. *rimos, me aproximei o selando lento.


Luba: Uma pena.. Que as crianças estão aqui.. *ri, me distanciando


Eu: Depois eu sou o pervertido da história, hm? *ele gargalhou, dando-me um soco fraco.* 


Luba: Eu não quis dizer isso..*fez careta.


Eu: Sei.. *ri.


Juuh: PAPAIS! PAPAIS! *gritou, a olhamos.* Achamos uma tartaruga! 


Eu: Hã? Onde? *perguntei curioso.* 


Juuh: Ali! *ela apontou pro irmão, que segurava a mesma. 


Luba: Amor, não se pode segurar um bichinho assim.. *aproximamo-nos.* olha, assim você pode machucar ela.. *disse, pegando o animalzinho.* toma cuidado, ok? Segura assim, oh.. *a arrumou na mão do menino, que sorriu. 


Vinny: Ok, papai.. Eu vou colocar ela no chão.. *ele assentiu, lentamente pôs a tartaruga no chão, a mesma andou lento até a água.* pronto.. 


Juuh: Ela era muito bonita.. *segurou minha mão, sorri a olhando.* eu sinto falta do Pipoca.. *deu um sorrisinho pequeno.*


Eu: Ei.. *eu a peguei no colo.* ele está num lugar incrível.. *sorri, beijando sua testa.* no tru coração, ok? *ela sorriu grandemente.* mas ele não gosta quando vocês choram, ele quer ver vocês felizes.. *ela assentiu.


Juuh: Ok, papai. *me abraçou.* Eu amo você. *ela sussurrou, ri fraco. 


Eu: Eu também amo você.. *sussurrei de volta.* 


Luba: Amor.. Vamos..? *ele apontou pro mar, neguei* Ah, qual é, Lucas!? Vamos! 


Vinny: Vamos, papai! *chamou-me.


Eu: Affe, Luba. Parece criança.. *ri, revirando os olhos.


Luba: Vamos logo! *disse, pegando Vinny no colo.


Eu: Tá! *fiz careta.* se sentir medo, me abraça, ok? *falei à Júlia, que assentiu.


Fomos andentrando o mar, estava tudo calmo, sem onda, puxos muito menos buracos, estava super tranquilo.. Continuamos a brincar com as crianças, não estava tão fundo, elas conseguiam ficar em pé sozinhas, mas logo voltaram por quererem brincar. Ainda na água, abracei Lucas por trás, dando um beijo em seu ombro. 


Luba: Deveríamos sair junto com as crianças, não? *brincou, acariciando minha mão.


Eu: Não, ela souberam sair sozinhas.. *beijei sua bochecha. 


Luba: bobo.. *se virou para mim.* Vamos para casa? 


Eu: Já? * o dei um selinho, ele assente* Ok, chato. 


Luba: Não sou! *mostrou a língua.


Eu: Idiota. *ele riu, pegando em sua mão.* Vamos.. 


Luba: Você me respeita. *disse brincando, rimos. 


Eu: E se eu não for obrigado? *arqueei as sobrancelhas, o olhando.


Luba: Você é obrigado sim.. Sabe por que? 


Eu: Sei não, por que? *o puxei para mim.


Luba: Se não você vai ficar sem o meu beijo.. *mordeu meu lábio 


Eu: Posso aguentar.. *dei de ombros, ele bateu um soco fraco.


Luba: Vá se foder.. *ri, segurando seu rosto,

selando-o, ele cruzou os braços em minha cintura.* 


Aprofundei o beijo, ele cedeu minha passagem rapidamente, sorri entre o beijo. Senti-o apertar minha cintura por baixo da camisa. 


Luba: Vamos.. *disse contra o beijo.


Eu: Ah.. Não.. *falei manhoso, dando-o mais um beijo.


Luba: Vem.. Vamos embora.. Por favor.. *fez bico, bufei. 


Eu: Ok.. *ele me puxou para fora da água. 


[...] Depois de arrumamos as coisas, voltamos para casa, tomamos banho e eu fui ajudar Lucas a arrumar as coisas.. 


Luba: Quer assistir um filme com as crianças? 


Eu: É.. Pode ser.. *sorri, terminando de lavar a louça.* Vai lá escolher, vou terminar de guardar as coisas aqui, estou indo daqui a pouco. *ele assentiu. 


[...] Tempos Depois..


Fiz pipoca e voltei à sala, Lucas e as crianças estavam assistindo um filme de desenho animado sentados num colchão ao chão, sorri e me aproximei, deixando a pipoca no meio deles.


Luba: Você demorou.. *disse baixo, deitando a cabeça no meu pescoço.


Eu: Estava fazendo a pipoca.. 


Luba: Hm.. *me abraçou, beijando minha bochecha.


Eu: Tão carente.. *ele mordeu minha bochecha.* Ai! Idiota! 


Luba: Não me chame assim! *fez bico. 


Eu: Engraçadinho.. *beijou o canto da minha boca.


Continuamos a assistir o filme até dormimos ali na sala.. ❤


Notas Finais


Desculpe qualquer erro! ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...