História A Tale Of A True Genocide And A False Pacifist - Capítulo 12


Escrita por: ~ e ~SkolTemmie

Postado
Categorias Undertale
Personagens Alphys, Asgore Dreemurr, Chara, Frisk, Grillby, Mettaton, Muffet, Napstablook, Papyrus, Personagens Originais, Sans, Toriel, Undyne, W. D. Gaster
Tags Charisk, Drama, Frisk Overpower, Male Frisk, Revelaçoes, Romance
Exibições 56
Palavras 3.797
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Seinen, Sobrenatural, Super Power, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Canibalismo, Heterossexualidade, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey Guys, Aqui é o Rito

TÁ, eu acho que eu me empolguei, e escrevi além da conta, mas foda-se.

Eu estou passando por uma crise existencial e preciso de algo para ajustar o meu nivel de carencia, senão, se você morarem em tres lagoas, vocês tem a chance de ver uma reportagem de um cara abraçando todo mundo pela cidade.

Well, Good Reading, While You Can,

Capítulo 12 - Nós acabamos


Fanfic / Fanfiction A Tale Of A True Genocide And A False Pacifist - Capítulo 12 - Nós acabamos

Pov. Frisk

 

 

Eu acordei e estava com a visão embaçada, mas eu pude perceber que a Chara não estava dormindo ao meu lado. Eu me levantei e fui até o banheiro aonde eu podia ouvir a torneira ligada, havia alguém lá...

 

Eu me esgueirei até a pessoa que estava usando a torneira, eu podia não estar enxergando bem, mas eu conseguia perceber que era a Chara. Após chegar ao lado dela, eu tentei abraça-la por trás, mas fui empurrado e após recuperar a minha visão, eu vi que ela estava irritada.

 

Chara – O que você foi fazer ontem no meio da madrugada?! Eu fui te procurar! –

 

Frisk – Foi um trabalho que eu recebi, mas não queria que você soubesse, pois queria que se divertisse – O olhar irritado dela foi se amenizando, mas muito pouco.

 

Chara – Você se encontrou com alguma garota? – Ela estreitou os olhos de forma tão afiada que eu me senti cortado ao meio.

 

Frisk – Eu fui seguido por uma garota sim..., mas não aconteceu nada! – Ela parecia ainda mais irritada.

 

Chara – Você estava por aí com uma garota enquanto eu estava te procurando, eu teria me perdido se não fosse pelo homem que eu conheci que me ajudou –

 

Frisk – Que homem é esse? – Eu fiquei extremamente sério do nada, e a Chara parece ter percebido.

 

Chara – Alguém bem mais gentil do que você – Eu estava saindo do sério.

 

Frisk – Parece ser um cara ótimo, não é? – Falei sarcástico, mas com um sorriso que mostrava que eu estava irritado.

 

Chara – Você não tem ideia, as vezes até me fez pensar por que eu ainda estou com você! – Essa foi a gota d’agua. Eu fui em direção a porta, mas fui impedido pela Chara que segurou meu braço.

 

Chara – Aonde você pensa que vai?! – Olhei sério para ela.

 

Frisk – Para longe de alguém que só sabe me insultar. Você realmente não sabe o quanto você consegue me machucar – Ela fez uma expressão surpresa enquanto eu a larguei pegando meu sobretudo e saindo do apartamento.

 

 

~Rachadura no tempo~

 

 

Eu andava pelas ruas enquanto tentando esquecer essa dor que eu sentia, eu estava avoado, não sabia para onde estava indo, apenas queria encontrar um lugar para me acalmar, até que...

 

Nashetania – Ora! Como vai? – Levantei meu rosto na direção em que aquela voz vinha, era a Nashetania. Ela após ver meu estado, veio até mim preocupada.

 

Nashetania – O que aconteceu? –

 

Frisk – Dor, muita dor – Eu olhei cabisbaixo para ela que segurou em meu braço e me levou para um lugar, um jardim, afastado da cidade.

 

Era um jardim bonito, calmo e puro. Eu me sentia relaxado aqui, era como se aquela dor tivesse, não se dissipado, mas apenas mais fraco.

 

Nashetania – Esse é um lugar secreto que eu tenho desde criança. Sempre que eu me sentia triste, eu vinha aqui, mas é melhor levar esse segredo para o tumulo – Ela falou autoritária, mas com um leve sorriso no rosto, o que me fez rir.

 

Ela se sentou ao meu lado e nós ficamos assim durante um bom tempo, até que eu adormeci em seu ombro.

 

Pov. Chara

 

 

“Você realmente não sabe o quanto você consegue me machucar”, ele é que não sabe o quanto me machuca o fato de que no meio da noite, ele some e só volta na manhã, ele quase sempre tem uma garota acompanhando ele. Me machuca demais pensar que ele pode ser infiel comigo. Mesmo que eu tenha sido cruel demais dizendo aquelas palavras, eu simplesmente estava deixando a minha frustração sair em forma de palavras.

 

Eu resolvi sair e procurar por ele, mas no meio da multidão, eu acabei me perdendo DENOVO! Eu acabei perdida e sem sinal do Frisk, até que alguém tocou no meu ombro, era o Azeari.

 

Azeari – Você não era a garota de ontem? Está perdida denovo? – Soltei um sorriso sem graça.

 

Chara – Na verdade, estou procurando alguém, mas perdi ele de vista –

 

Azeari – Certo, quer andar por aí e conhecer a cidade enquanto procuramos? –

 

Chara – Claro! –

 

Nós fomos andando enquanto eu conhecia a cidade e ficava de olho procurando o Frisk. Desde que viemos para essa cidade, parece que nosso relacionamento piorou, era como se nós estivéssemos nos afastando...

 

Nós andamos e vimos alguns edifícios históricos, jardins, lagos e outras coisas, até que ele recebeu uma ligação e disse que tinha assuntos a tratar. Eu continuei andando e entrei em um bosque. Na clareira parecia haver um jardim.

 

Quando cheguei ao jardim, fiquei espantada com a beleza que havia naquele lugar. Eu ia deslocando meu olhar por toda a sua extensão até que me deparei com a visão que acabou com a minha vida.

 

O Frisk estava com a cabeça encima do ombro de uma mulher que abraçava o seu braço apertado. Eu não estava aguentando ver aquilo e antes que eu percebesse, meus olhos estavam cheios de lagrimas. Eu saí correndo assim que vi o Frisk acordar e olhar na minha direção.

 

 

~Rachadura no tempo~

 

 

Eu estava chorando em um banco. Já estava anoitecendo, até que vi o Azeari vindo na minha direção.

 

Azeari – Eu saí mais cedo do que imaginava, então vim ver como você estava – Ele percebeu que eu estava chorando – O que aconteceu?! Você está bem?! –

 

Chara – Sim... apenas fui traída – Ele me olhou com preocupação.

 

Azeari – Aonde ele está? Eu vou ter uma conversa com ele – Ele parecia irritado.

 

Chara – Não... eu apenas não quero olhar para ele tão cedo, mas não sei como vou fazer isso, já que nós dormimos no mesmo hotel –

 

Azeari – Você pode ir para a minha casa, temos quartos de sobra – Ele estendeu sua mão para mim. Eu limpei as minhas lagrimas e segurei a sua mão.

 

 

Pov. Frisk

 

 

Eu havia acordado quando percebi uma presença. Olhei na sua direção e vi a Chara lacrimejando. Ela correu para longe e eu a segui, mas acabei perdendo ela. Resolvi voltar para o quarto e esperar para que ela voltasse, e eu esperei, e esperei, até que depois de 2 horas esperando, já era meia-noite e eu estava começando a ficar preocupado.

 

Soul – Vocês parecem estar passando por uma crise, não é? –

 

Frisk – E o que você tem a ver com isso? –

 

Soul – Você sabe que aquele cara que ela falou mais cedo pode ter levado ela para casa dele – Meus pensamentos ficaram mais intensos.

 

Frisk – Isso é impossível, ela não me deixaria, deixaria? – Eu tinha um sorriso desesperado no rosto.

 

Soul – Da forma que ela comparou vocês dois, essa é mais provável de ser o caso – Essa opinião dele me fez ranger os dentes.

 

Frisk – Eu vou matar aquele cara se esse for o caso –

 

Soul – Tem certeza? Isso vai fazer ela te odiar e vai te fazer um inimigo de um dos reinos mais influentes –

 

Frisk – Eu estou pouco me importando pra isso, eu posso destruir tudo com muita facilidade – Eu disse com uma expressão de pura ira.

 

Soul – Parece que você passou de nível, antes você enlouqueceria de tristeza caso ficasse uma hora longe dela, mas agora tudo o que você vai sentir após ser abandonado é ódio... interessante como foi o seu desenvolvimento até chegar a esse ponto – O ódio de pensar nela com outra pessoa estava me consumindo. Percebendo isso, Soul suspirou.

 

Soul – Certo, se ela estiver no baile que vai acontecer amanhã, significa que ela foi para ele, mas se ela não estiver lá, mais um motivo para você se preocupar, por que ela pode ter desaparecido, então o que você pode fazer... 1º, você pode ir dormir para ir ao baile amanhã, ou 2º, você pode sair destruindo tudo pelo caminho até o castelo em busca da Chara. Como um amante do caos alheio, eu prefiro a 2ª, mas isso pode acabar muito mal... –

 

Frisk – Então eu não tenho escolha, tenho? –

 

Soul – Parece que não... –

 

 

~Quebra do tempo~

 

 

Eu estava indo em direção ao baile, era noite e o céu estava estrelado. Várias pessoas vinham para me cumprimentar, principalmente o rei da cidade de Vanish. Enquanto estava distraído procurando a Chara, fui surpreendido pela Nashetania que tocou no meu ombro, o que me assustou... e ela parece ter percebido.

 

Nashetania – Te assustei, foi? – Ela disse rindo fraco em meio a seu sorriso.

 

Frisk – S-Sim... – Disse com um sorriso forçado.

 

As grandes portas do salão foram abertas e dele saiu um homem bem vestido que parecia muito com a Nashetania que tinha uma expressão de desgosto acerca dele.

 

Nashetania – Huh... esse é meu irmão, Azeari, ele é um pé no saco a maior parte do tempo, mas acho que depois que ele se casar, ele vai largar do meu pé – Irmão?! Isso quer dizer que...

 

Atrás dele estava a Chara com um vestido preto e vermelho, com os braços expostos, e com uma manga a partir do antebraço. Quando ela me percebeu, ela virou o rosto, o que me fez me irritar ainda mais, até que eu fui distraído pela Nashetania que segurou no meu braço.

 

Nashetania – Você está bem? Parece que quer matar alguém... –

 

Frisk – Mais ou menos isso – Olhei para o lado e pude perceber a Chara nos observando. A Nashetania passou a mão pelo meu rosto e pela minha alta percepção, eu pude ver que a Chara parecia mais irritada... interessante.

 

 

Pov. Chara

 

 

Isso está me irritando muito! Por que esses dois estão tão próximos?! Isso já está me enchendo. Eu tentei evitar os dois e aproveitar o baile que eu estava a tanto esperando, mas eu não conseguia tirar meus olhos daqueles dois e me acalmar, tudo que eu mais queria era espancar aquela garota e arrastar o Frisk para longe, mas eu não podia, por mais que eu queira bater MUITO nela, ela é a princesa desse reino e isso poderia acabar muito mal.

 

Enquanto pegava uma bebida para conseguir me acalmar, o Azeari veio até mim.

 

Azeari – Está gostando da festa? –

 

Chara – S-Sim... – Eu fiz um sorriso forçado.

 

Azeari – Sério? Você parece meio tensa... – Ele se aproximou de mim me deixando extremamente desconfortável – A algo que eu quero te dizer... -

 

Eu olhei para a direção de Frisk e ele estava bem distante, conversando com a princesa, eu me virei de volta para Azeari. Sentia que algo muito ruim ia acontecer, mas senti uma mão em meu ombro me puxando para trás. Eu olhei para o dono da mão e me surpreendi ao saber que era de Frisk.

 

Frisk – Com licença, senhor principezinho de sei lá onde, mas pode me emprestar ela durante um tempo? Eu tenho algo importante a conversar com ela – Ele parecia ter uma raiva tremenda contida dentro de si.

 

Azeari – Sinto muito, mas acho que nosso assunto é mais importante – Eles pareciam estar tendo uma guerra de sorrisos falsos e olhares assassinos, e eu estava no meio do fogo cruzado.

 

Frisk – Mais importante do que a vida de todo esse reino, inclusive a sua? – Eu senti um arrepio, pois sabia o que ele queria dizer com aquilo, conhecendo ele, ele acabaria com todo aquele reino se ele não concordasse. Mas ele parece ter estremecido com a pergunta.

 

Chara – Vamos logo com isso – Eu me virei para o Frisk, visto que o Azeari é mais um cabeça dura que não aceita desistir.

 

Nós fomos até a varanda, onde ninguém poderia nos ver ou ouvir. O Frisk se virou para mim com uma expressão séria.

 

Frisk – Então... –

 

Chara – Então o que? – Disse irritada, mas tentando me manter seria.

 

Frisk – Por que você não veio para casa ontem? –

 

Chara – Eu precisava? –

 

Frisk – Bem, digamos que por você não ter voltado, por muito pouco que o prédio inteiro não foi incinerado – Eu me surpreendi um pouco – Eu estava temendo que o pior tivesse acontecido.

 

Chara – Agora você se preocupa comigo? Por que você não vai se preocupar com a princesinha coelha lá? Vai dar um resultado bem melhor do que esse, vocês mal se conhecem, mas mesmo assim você decidiu me largar por ela – A seriedade dele parecia ter se esvaído por um momento

 

Frisk – Eu nunca te larguei, eu apenas não conseguia ficar naquele lugar depois de tudo que você disse – Ele virou os olhos para baixo.

 

Chara – Mas vocês pareciam bem juntinhos no jardim, você com a cabeça encima do ombro dela... – Me doí lembrar disso, mas eu tive que expelir isso antes que eu explodisse.

 

Frisk – Eu estava dormindo –

 

Chara – Serio? Então por que ela estava se agarrando no seu braço? – Eu estreitei os olhos para ele.

 

Frisk – Isso nem eu sei, por que eu não me lembro nem de ter dormido ENCIMA do ombro dela –

 

Chara – Sabia que você mente muito mal? É obvio que o que você disse era mentira –

 

Frisk – O verdadeiro problema é que você não confia em mim, você nunca confiou, primeiro você ficou histérica pelo fato de eu ter ficado treinando até a noite, depois você me entregou para ser torturado pelos arcanjos por confiar mais nele do que em mim! – Ele apertou os olhos com os dedos em sinal de estresse – Já passou pela sua cabeça que eu já passei por coisas terríveis pelo simples fato de você não confiar em mim?! – Eu estava perplexa pelo que ele havia dito – Às vezes eu me pergunto se o problema de eu sempre acabar me machucando cada vez mais por você é por que o destino me odeia, ou é por que você me odeia! –

 

Chara – Eu nunca te odiei! – Eu exclamei.

 

Frisk – Ah é? Então por que, em apenas algumas semanas ao seu lado, eu passei de um cara feliz por ter quem ele amou e se dedicou durante um ano junto dele, para um cara que após ser traído, entrou em depressão e virou um assassino implacável?! – Eu não conseguia responder ele. Eu abria a boca, mas as palavras não saiam, eu não conseguia pensar em algo. Após pensar muito, uma única frase saiu da minha boca, e eu me arrependi muito de ter dito aquilo...

 

- Talvez você não tenha se dedicado o bastante –

 

Eu vi ele com uma expressão que eu nunca tinha visto antes, uma expressão que alguém só faria para outra pessoa mostrando que não a mais nada entre elas, uma mistura de surpresa e desgosto, seguida de palavras que me fizeram perceber o erro que eu cometi.

 

Frisk – Eu dediquei toda a minha vida, desde que eu te conheci, a você, mas não foi o suficiente? Eu entrei em depressão e passei a matar pelo simples fato de que você me entregou para ser torturado durante 120 ANOS, isso não foi suficiente?! Você realmente não se importa comigo e eu que fui um idiota em pensar que você me amava, só estava querendo alguém que fosse leal a você tanto quanto um cachorro, eu te odeio, está tudo acabado, e por sua causa – Ele foi andando em direção a festa. Eu fiquei para olhando para aonde ele estava, até que senti meu rosto se encher de lágrimas.

 

 

~Rachadura no tempo~

 

 

Após passar longos minutos tentando parar de chorar, eu olhava na direção de Frisk, sentindo meus olhos marejarem novamente após ver a expressão de desgosto dele após me perceber. Não era para ser assim, eu só queria vir a esse baile para que pudesse ficar ao lado do Frisk e mostrar para todos como eu sou feliz ao lado dele, mas como isso pôde acabar assim? Eu queria ficar mais próxima dele, mas eu acabei nos afastando ao ponto de ele me odiar. Eu senti meu ombro ser tocado, era o Azeari

 

Azeari – Ei, agora que terminaram a conversa, nós podemos voltar a conversar sobre o que nós estávamos conversando? –

 

Chara – Foi mal, eu não estou muito afim de conversar agora – Disse olhando para o lado em direção ao Frisk.

 

Azeari – Como assim? – Ele percebeu para onde eu estava olhando – Ele fez algo com você, não foi?! – Ele estava ficando mais raivoso.

 

Chara – Não é nada que te diz respeito, apenas ignore –

 

Azeari – É claro que diz respeito! Se ele te fez algo, eu vou acabar com ele! – Ele foi em passos pesados até o Frisk que possuía um olhar afiado assim que percebeu ele.

 

Azeari – O que você fez a Chara?! –

 

Frisk – Acho melhor você ir se tratar, eu não fiz nada a ela – Ele possuía uma voz calma, mas eu sentia que ele poderia matar esse homem a qualquer momento.

 

Azeari – É claro que fez, por que se não tivesse feito, ela não estaria desse jeito! – Ele parecia histérico, chamando a atenção das pessoas ao redor.

 

Frisk – Ah, sinto muito, sua majestade, eu me esqueci, burrice não tem cura, então parece que o senhor não vai ter seu problema sério curado – Ele soltou um sorriso sacana, o enchendo de raiva e enchendo a Nashetania de risos.

 

Ele estava prestes a puxar a sua espada, quando um sino foi tocado, e todos desviaram o olhar para o Rei que estava encima do palco.

 

Rei – Então chegou o momento de celebrarmos a escolha de meus filhos para o casamento, venham até aqui, meus filhos – Os dois foram até eles. Era a imagem mais oposta dos dois, de um lado do palco estava a Nashetania toda sorridente, como se tivesse ouvido a melhor piada da história, e de outro estava o Azeari totalmente irritado e com uma aura de quem queria matar alguém de forma sangrenta.

 

Rei – Então, meus filhos, quais são suas escolhas para o casamento? –

 

Nashetania – Eu escolhi o Frisk – Ela parecia bem sorridente enquanto um pouco ruborizada e o Frisk foi até o palco ao lado dela. Aquela imagem do lado dos dois me irritava.

 

Rei – E você, Azeari, qual a sua escolha? – Ele sorriu na minha direção, me deixando desconfortável. Ele não faria isso, faria?

 

Azeari – Eu escolhi a Chara – Eu estava em choque, mas fui em direção ao palco e parei ao lado de Azeari, do mesmo jeito que Frisk que ao me ver, arqueou uma sobrancelha.

 

Rei – Então, vocês, Chara e Frisk, reconhecem e aceitam o amor de meus filhos? – Eu pude ver o Frisk dando de ombros e eu não pude continuar quieta.

 

Chara – Não aceito! – Todos ficaram surpresos, mas nada se comparava a expressão de Azeari –

 

Rei – M-Mas, tem um motivo em especial? –

 

Chara – Eu já sou casada, e com o Frisk! – Todos ficaram ainda mais surpresos.

 

Frisk – Serio? Você não tinha deixado BEM claro que nós nos separamos, após o que você fez? –

 

Chara – Eu não estava pensando direito –

 

Frisk – Da mesma forma que você me largou para ser torturado nas mãos daqueles arcanjos? Após me machucar várias vezes por não confiar em mim? – Eu não conseguia responder a ele – Não importa o quanto você tente se enganar, você não fez nada a não quer nada além de alguém que te siga como um cachorro, você é apenas uma manipuladora que não vale nada! – Ele me olhava com desprezo, fazendo meus olhos marejarem.

 

Enquanto eu sentia as lagrimas descendo aos poucos no meu rosto, Azeari entrou na minha frente pegando em sua espada e a apontando para Frisk.

 

Azeari – Retire o que disse! – Vendo isso, Frisk soltou uma risada por ver a tentativa de Azeari de me ajudar.

 

Frisk – Foi mal, principezinho metido, mas eu não vou retirar o que é verdade, sem falar que, se você não abaixar essa arma em 3 segundos, você vai perder a cabeça em menos de 1 segundo.

 

Azeari tentou acertar o rosto de Frisk, mas assim que a espada o tocou, a mesma se quebrou em milhares de pedaços, fazendo todos ficarem assustados. Em seguida, o Frisk deu um soco no rosto dele que o fez ser lançado a 10 metros de distância enquanto desmaiado.

 

O rei olhou assustado para ele que apenas soltou um sorriso sádico.

 

Frisk – Ah... eu queria fazer isso a muito tempo depois de ele se atrever a chegar perto da minha Chara... – Ein?

 

Chara – Como assim “minha Chara”?! Você não me odiava?! –

 

Frisk – Não, por que? – Eu estava sem entender o que estava acontecendo.

 

Chara – M-Mas, e aquele negócio de eu só querer alguém que me siga como um cachorro e sobre eu ser uma manipuladora que não vale nada?! –

 

Frisk – Ah, sobre o lance de você ser manipuladora, isso foi uma vingança por você ter feito eu te esperar a noite inteira acordado... e quanto ao lance do cachorro... meu lema é “se você realmente ama alguém, você é capaz de colocar uma coleira por essa pessoa” você se esqueceu? –

 

Chara – Mas isso não era para que eu usasse coleira na hora do sexo?! –

 

Frisk – Esse lema serve pra muitas coisas, não é? – Todo o ar Sério do lugar havia se dissipado.

 

Todos, principalmente eu e Nashetania estávamos completamente chocadas com aquela personalidade travessa do Frisk. Até que Nashetania segurou a mão de Frisk e disse com uma voz tímida.

 

Nashetania – E-Eu posso colocar uma coleira, se for por você... – As coisas estavam completamente bizarras agora, mas mesmo assim, a minha raiva estava crescendo, mas o Frisk largou a mão dela.

 

Frisk – Foi mal, mas eu só colocaria uma coleira se fosse pela Chara, ENTÃO... eu sinto muito, mas não posso te aceitar – Ela fez uma cara de choro e o Frisk fez um cafuné em sua cabeça – Mas nós podemos ser amigos – Ela passou de chorar a espernear enquanto corria para o rei.

 

Nashetania – PAPAI!!! Eu fui para a FriendZone!!! – O pai dela a abraçou enquanto uma lagrima escorria de seu olho.

 

Rei – Vai passar, você vai ficar bem... –

 

Eu não estava entendendo ABSOLUTAMENTE NADA do que estava acontecendo, mas eu tinha certeza de uma coisa. Eu fui em direção a Frisk.

 

Chara – Isso significa que ainda estamos juntos?! – Ele sorriu e me fez um cafuné.

 

Frisk – Não, mas podemos ser amigos – Aquilo havia me quebrado. Eu me encolhi enquanto chorava.

 

Frisk – Eu só estava brincando! – Eu pulei encima dele e o abracei com força. Aquele baile tinha se transformado em uma comédia romântica do nada, até que o clima foi quebrado por um ataque que aqueles demônios estavam fazendo.

 

Todos corriam para um lugar seguro enquanto Frisk ficava cortando as balas que iam em sua direção. Após os tiros pararem para recarregar, ele conjurou dois canhões e destruía todos que ele via. Após um tempo, um deles pegou um tipo de compartimente parecido com um cubo e invocou um tipo de dragão esqueleto enorme que devorou o que sobrou dos demônios e veio em direção a Frisk.

 

Frisk simplesmente fechou seu punho e o dragão foi esmagado até não sobrar nada dele. Enquanto eu corria em direção a Frisk em meio as pessoas que comemoravam, ele ficava olhando para a sua mão fechando e abrindo antes de soltar uma frase.

 

Frisk – Achei que um dragão seria mais forte... – Aquela noite teve dezenas de motivos para tem um final climático, mas o Frisk acabou com tudo de forma extremamente anticlimática. 


Notas Finais


Bem, piadas a parte, eu quero dormir agora


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...