História A tale of shadows - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce, Eldarya
Personagens Alexy, Armin, Castiel, Dajan, Dakota, Dimitry, Ezarel, Jade, Kentin, Leiftan, Lysandre, Nathaniel, Nevra, Personagens Originais, Valkyon
Tags Amor Doce, Eldarya, Sobrenatural
Exibições 42
Palavras 2.130
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Artes Marciais, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Científica, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 10 - Rumo as montanhas part III Dentro da Floresta


Fanfic / Fanfiction A tale of shadows - Capítulo 10 - Rumo as montanhas part III Dentro da Floresta

Armin – Vamos passear na floresta enquanto seu lobo não vem! – cantou abusando o Kentin –

 

Kentin – Cala boca em nome de Jesus!? –

 

Armin – Até parece que tem lobos aqui. –

 

Lysandre – Bom na verdade… tem. –

 

Kentin – É o quê!? –

 

Lysandre – Muitos da prisão já morreu aqui, até mesmo os guardas. –

 

Armin – É brincadeira né? –

 

Kentin – E nunca caçaram os labos aqui? Tipo… eles deixaram a gente aqui com lobos!? –

 

Armin – O Kentin tem saber bom! Fique com ele! Eu não sou bom o bastante! –

 

Castiel – Isso, avisa pra eles que tem comida fresca. –

 

Ikki – Ah, eu sei que você tá se divertindo! –

 

Castiel – Eu sai do meu dormitório pra passar meu dia perdido com animais, fui parar em uma cabana lá no quinto dos infernos e agora tô aqui, andando pela floresta nessa escuridão. Tá ótimo, tô me divertindo. –

 

Abri minha mochila tirando um dos vinhos que eu peguei na cabana antes daquela velha aparecer.

 

Castiel – Não acredito… – falou olhando pra mim – IKKI ROUBOU A CABANA! –

 

Ikki – Não roubei não… peguei emprestado… depois eu devolvo a garrafa. –

 

Castiel – Não é bem assim viu querida. Eu não volto lá. –

 

Ikki – Ninguém te pediu nada. – falei bebendo –

 

Rosalya – Me dá aqui! Você só tem 14 anos! –

 

Ikki – Ih! – virei o rosto de bico –

 

Castiel – Onw ficou zangada. –

 

Ikki – Cale-se. –

 

Castiel – Não calo. –

 

Ikki – Morra. –

 

Castiel – Não morro. –

 

Ikki – Vou te bater. –

 

Castiel – Vai chutar minha canela ou vai subir em um banco? –

 

Ikki – Ah! – gritei com raiva e sai andando na frente –

 

Kentin – Se essa rua, se essa rua fosse minha, eu mandava, eu mandava ela brilhar… –

 

Armin – É sério? –

 

Kentin – Pra merda Armin. –

 

Ikki – Gente! Pera um pouco. – voltei correndo – Onde o garoto chamado Nathaniel está? Não é da nossa equipe? –

 

Castiel – Quem sabe. –

 

Ikki – Eu tô falando sério! Não perdemos ele no caminho? –

 

Rosalya – Não. Entramos sem ele na floresta. –

 

Kentin – Se eu não me engano, a Melody fez um draminha e ele foi com ela. –

 

Armin – Aquela garota é muito… –

 

Rosalya – Nojenta. –

 

Armin – Exatamente. –

 

Olhei mais atenta para frente e vi uma fogueira não muito longe, e além do mais, tinha cheiro de humanos.

 

Ikki – Vamos! Estamos perto! – falei correndo –

 

Rosalya – Não corra no escuro! –

 

Armin – Quem chegar por último conta pra Delanay porquê nos atrasamos. –

 

Armin, Castiel e Kentin sairam logo em seguida o mesmo falar deixando apenas a Rosalya para trás.

 

Rosalya – Eu disse pra não correrem! –

 

Corri até chegar no acampamento, apenas uma equipe havia chegado que foi a do Alexy, acho que esse era seu nome.

 

Alexy – Rosa! – veio correndo – Vocês demoraram. –

 

Rosalya – Eu me perdi… – falou um pouco envergonhada – Bom, cadê o resto do povo? –

 

Bia – Também não sei. – uma menina de vestido rosa falou –

 

Peggy – Chegamos aqui já faz umas duas horas. – olhei feio para Rosa –

 

Rosalya – Hihi… – andamos até a fogueira –

 

Ikki – Deixa eu ver seu ferimento. – falei me abaixando –

 

Rosalya – Não foi nada demais. –

 

Ikki – Tem certeza? – arquei a sobrancelha –

 

Rosalya – Não se preocupa. E você? Eu sei que não comeu nada e ainda bebeu. –

 

Ikki – É verdade, mas não tem problema, eu consigo segurar a fome por um bom tempo. – sorri para mesma e levantei – E você? –

 

Castiel – O que é? – falou friamente como o de sempre –

 

Ikki – Seu ferimento animal. –

 

Castiel – Tá legal. – suspirei olhando pra cima e fui até o mesmo – E-Ei! –

 

Ikki – Calado. – puxei o seu braço e passei uma pomada que eu tinha trazido na mochila –

 

Castiel – A-Ai! Arde! –

 

Ikki – Bem feito pra você. – falei apertando –

 

Castiel – A-Ai! Se não quer fazer, deixa ai que eu mesmo faço! – bradou –

 

Ikki – … – encarei seu ferimento deixando o falar sozinho –

 

Castiel – … – o mesmo parou de falar me olhando –

 

Ikki – Não se faça de durão. – murmurei –

 

Castiel – Hum… – me olhou surpreso –

 

Ikki – Até os mais fortes têm suas falhas. Não se faça de durão pra tudo. – falei colocando o curativo –

 

Castiel – Você… –

 

Ikki – Prontinho! – falei dando um tapo no seu ferimento –

 

Castiel – Aiê! – sorri para o mesmo e me levantei –

 

Andei passando pelos outros e me sentei na frente da fogueira para me aquecer.

 

Ikki – Tão quentinho! – falei esticando minhas mãos –

 

Kentin – Toma. – o mesmo estendeu a mão me dando um cogumelo para assar na fogueira –

 

Ikki – É sério isso? – arquei a sobrancelha –

 

Peggy – Aqui a bebida! –

 

Iris – Eu quero! – vei correndo –

 

Rosalya – Não corra se não… –

 

Iris – Kyah! –

 

Rasalya – Vai cair. –

 

Peggy – Olha o que você fez Iris! –

 

Iris – P-Perdão! E-Eu sinto muito! –

 

A Iris havia esbarrado na Peggy que deixou as bebidas cair em cima dos rapazes.

 

Armin – Meu jogo! – levantou chorando que nem criança –

 

Kentin – Tá tudo bem! –

 

Ikki – Você vai pegar um resfriado com a camisa molhada nesse frio. –

 

Kentin – É… espera. – o mesmo levantou tirando a camisa – Pronto. –

 

Ikki – A-Ahn… – voltei meu olhar para fogueira totalmente corada – V-Você vai ficar assim? –

 

Kentin – Algum problema? – falou preocupado –

 

Ikki – N-Nenhum… –

 

Kentin – Ah, tendi. – deixou um sorriso sair –

 

Ficamos calados por um tempo, todos estavam conversando, mas além da Rosa, eu não tenho intimidade com nenhum. Então preferi ficar no meu canto.

 

Ikki – Tomodachi ni furereba shinubakari – murmurei baixinho –

 

Kentin – Que música é essa? –

 

Ikki – Ahn? – olhei para o mesmo – N-Não é nada. É apenas um refrão qualquer. –

 

Kentin – Ah… –

 

Ikki – Ei! –

 

Kentin – Hum? –

 

Ikki – Você já foi do exército? – falei olhando sua calça –

 

Kentin – Ah, sim. Mais ou menos. – falou coçando a cabeça –

 

Ikki – Como veio parar aqui? –

 

Kentin – Participei de um ataque ao presidente dos Estados Unidos. –

 

Ikki – N-Nossa… –

 

Kentin – Não fique surpresa. Não somos boas pessoas, se não, o que estaríamos fazendo aqui? –

 

Ikki – … – encarei a fogueira pensativa –

 

Kentin – E você? Por que veio pra cá? –

 

Ikki – Yori sempre morou aqui. – olhei para o mesmo sorrindo –

 

Poucos minutos depois o grupo A chegou, o Nathaniel estava com eles como havia dito.

 

Ambre – Quanto mosquito! –

 

Li – Ai minha pele! –

 

Charlotte – Temos mesmo que ficar nesse lugar? Eca. –

 

Três garotas saíram de dentro da floresta reclamando, uma era loira de longos cabelos cacheados, e olhos turquesa. A outra tem olhos e cabelos pretos lisos, com uma franja curta e reta. Já a última, tem olhos cor de caramelo e cabelo loiro-escuro, que estava amarrado em um rabo de cavalo com uma fita elástica verde.

 

Kim – Pode dormi na floresta se achar melhor. –

 

A menina de pele negra e cabelos pretos cortados reto acima dos ombros retrucou.

 

Nathaniel – Meninas por favor. Não briguem. –

 

Ambre – Ela que veio nos atacando, eu não sou obrigada a dormi com mosquitos. –

 

Violette – E-Eu realmente gosto da natureza e seus animais e insetos. –

 

Li – Você é estranha. É diferente. –

 

Melody – Não fale assim com ela! – falou a abraçando – Fique longe delas Violette. –

 

A garota chamada de “Melody” tem cabelos castanhos longos e ondulados nas pontas, e grandes olhos azuis, já a Violette tem cabelos violetas curto com quatro tranças: duas delas penduradas do lado de seu rosto e as outras duas são amarradas para trás e olhos cinza.

 

Charlotte – Rum. A grande protetora. – falou fazendo deboche –

 

Castiel – E como eu disse, tô me divertindo. –

 

Todos eles sentaram perto da fogueira e só agora eu vir perceber que estamos sozinhos sem nenhum professor conosco.

 

??? – Olá? – um garoto de olhos verdes e pele bronzeada se inclinou pra falar comigo – Você é uma gracinha! –

 

Ikki – A-Ah… o-obrigada… – falei apertando meus joelhos –

 

??? – Sou o Dakota! Você deveria interagir mais… não mordemos! –

 

Ikki – S-Sim… – voltei novamente a encarar o chão –

 

Dakota – Hum… vem! – o mesmo me puxou pelo braço – Ei pessoal! –

 

Ikki – N-Não! E-Espere um minuto… –

 

O mesmo praticamente saiu me arrastando até dois rapazes, um de cabelos pretos semi-longos, olhos dourados e pele negra e o outro de cabelos e olhos esverdeados.

 

??? – Quem é? – o menino de pele escura se inclinou me analisando –

 

??? – Nossa! Tão fofa! – o de cabelos verdes fico assanhado o meu cabelo –

 

Ikki – P-Parem com isso! – falei batendo em sua mão –

 

??? – S-Sinto muito… –

 

Dakota – Ela né fofa, né? Né? Ela tava ali sozinha então resolvi trazê-la para cá. –

 

??? – Qual o seu nome? –

 

Ikki – Hum… – dei alguns passos para trás –

 

??? – Eu sou o Jade! Esse ai é o Dajan. –

 

Dajan – E você é? –

 

Ikki – Y-Yori Ikki… –

 

Jade – É um prazer Y-Yori Ikki! –

 

Ikki – M-Mas não! –

 

Dakota – Francamente… apenas a chame de Ikki. –

 

Dajan – O que faz aqui, Ikki? Está perdida? –

 

Ikki – A pouco tempo estava mesmo. –

 

Jade – Fomos os únicos que chegamos aqui sem problema? Puxa cara… –

 

Dajan – Eu queria ter tido uma aventura na selva. –

 

Dakota – Você reclamou o caminho inteiro, imagine se estivéssemos perdidos. – falou bocejando –

 

Ikki – Ahn… –

 

Jade – Você não é de falar muito, né? –

 

Dakota – Deixe ela em paz. Quer alguma bebida Ikki? –

 

Ikki – Ahn… acho que sim… – falei sorrindo –

 

Dajan – Toma! – o mesmo me jogou uma cerveja –

 

“Oh Ikki! Cadê sua mala!?”

 

Rosalya me gritou de uma das barracas e logo percebeu o que eu estava na mão e veio parecendo um furacão atropelando tudo e a todos.

 

Rosalya – O que que eu te disse sobre bebidas!? –

 

Ikki – Q-Que é errado? –

 

Rosalya – E o que mais? –

 

Ikki – Q-Que eu não posso? –

 

Rosalya – E porquê está com uma na mão? –

 

Ikki – É-É… q-que na verdade… n-não é minha não… –

 

Dakota – Ora Rosa! Procure se acalmar… – falou leemente segurando-a pela cintura –

 

Rosalya – Tire suas mãos de mim! – a mesma o empurrou –

 

Dakota – Oh! Tenha calma! –

 

Rosalya – Calado. – falou firme e me olhou – Onde está sua mala mocinha? –

 

Ikki – D-Deixei perto do Castiel… – falei apontando –

 

Rosalya – Ah, sim… – falou se virando – E me dê isso! –

 

Ikki – Q-Quê?! Não! É minha! Não… – fiz uma cara de criança que chora no supermercado –

 

A mesma engoliu tudinho na minha frente, deu um sorriso e foi embora.

 

Ikki – Maldita… –

 

Jade – Um dia você supera! –

 

Kentin – QUEM FOI QUE PEGOU O MEU BISCOITO? – ele tava com uma cara de monstro –

 

Armin – Então, sobre isso… eu comi. – falou na cara lavada –

 

Kentin – SEU SAFADO! – os dois se embolaram no chão – DEVOLVE! –

 

Armin – Só quando eu for no banheiro agora. – falou rindo –

 

Lysandre – Parem com isso! – ele estava escrevendo em seu bloquinho –

 

Ikki – Tá escrevendo o quê? Deixa eu ver! –

 

Lysandre – A-Ah não! – falou meio corado –

 

Ikki – Lysandre deixa eu ver. –

 

Lysandre – Kentin me ajuda! –

 

Kentin – CRETINO! ME DEVOLVE! – ele pulou novamente em cima do Armin –

 

Armin – Não! Socorro! – ele ria ao mesmo tempo que gritava –

 

Ikki – Kentin, Armin! Parem já com isso. – joguei uma garrafa que acabou acertando na loira irritante – Opa… –

 

Ambre – Você fez de propósito! –

 

Ikki – Claro que não! A culpa não é minha se a garrafa te escolheu como alvo. –

 

Alexy – Mermão… que catinga é essa!? – falou tapando o nariz –

 

Rosalya – Que fedor! –

 

Ikki – Vai tomar banho Castiel! –

 

Castiel – E-Ei! –

 

Rosalya – Senhor! Eu vou morrer asfixiada! –

 

Armin – Desculpa! Desculpa! – falou com um grande sorriso na cara –

 

Ambre – Você é um porco! –

 

Alexy – Conseguiu matar todos os animais da floresta! –

 

Armin – A culpa não foi minha! O Kentin que comprou bisc… ai… – ele se contorceu de dor – Ai minha barriga! –

 

Lysandre – Pelo amor de Deus! Vá procurar um banheiro! – falou apontando pra floresta –

 

Armin – Tá maluco? Eu não entro… Aiê! – olhou pro Ken – O que fez comigo?

 

Kentin – Eu? Nada. – falou com um sorriso vitorioso –

 

Armin – D-Desgra… Ai! – o mesmo correu para dentro da floresta –

 

Ikki – Armin! A lanterna! Puxa vida… – peguei a lanterna e fui até o mesmo –

 

~~ PV Armin On ~~

 

Armin – Aquele maldito! Vai ter volta! Ai! – abaixei as calças atrás de uma árvore – Isso é muito estranho! Calma Armin… não tem nenhum Freddy Krueger aqui. –

 

A noite estava calma, sem barulhos ou qualquer coisa irritante, uma falha nas árvores deixava a luz da lua entrar.

 

Armin – A-Ai… – (Que situação… ai!) – Kentin…! –

 

~~ PV Ikki On ~~

 

Ikki – Ora… pra onde ele foi? – falei olhando ao redor – Armin? –

 

O chamei em um tom não muito alto, não sei o que se esconde nessa floresta e pra ser sincera, não quero nunca saber.

 

Ikki – Puxa vida… tenho mesmo que entrar? – fiz bico e comecei a andar um pouco mais – Olá? –

 

Ouvi barulhos ao meu redor de arbustos se mexendo como se o vento estivesse batendo neles, mas a noite estava tão calma, não estava ventando.

 

Ikki – A-Armin? É você? – me virei lentamente –

 

De repente todo o barulho sessou, dizem que quando a um predador a espreita, toda a floresta fica em silêncio.

 

Ikki – O-Olha só… e-eu vou voltar! Tá? V-Você me encontra lá… – falei andando de costas – Armin? –

 

“Auuu”

 

Ikki – Uh… l-lobos? – acabei tropeçando em uma das minhas pernas e cai no chão – A-Ah! –

 

Ouvi sons de rugidos baixos, como se estivessem com fome. Logo percebi dois olhos vermelhos gigantes me olhando do arbusto.

 

Ikki – A-A-A-Ah kyah! – levantei as pressas e comecei a correr pela floresta –

 

Ouvi seus passos, e logo percebi que estava atrás de mim. Quando tentei olhar para trás, perdi o controle e acabei derrapando de um morro não muito alto.

 

Ikki – Kyah! – 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...