História A tale of shadows - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce, Eldarya
Personagens Alexy, Armin, Castiel, Dajan, Dakota, Dimitry, Ezarel, Jade, Kentin, Leiftan, Lysandre, Nathaniel, Nevra, Personagens Originais, Valkyon
Tags Amor Doce, Eldarya, Sobrenatural
Exibições 43
Palavras 1.199
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Artes Marciais, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Científica, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 11 - Rumo as montanhas Dentro da Floresta part II


Fanfic / Fanfiction A tale of shadows - Capítulo 11 - Rumo as montanhas Dentro da Floresta part II

 

Ikki – S-Soco! – acabei tropeçado em um galho rolando morro a baixo – Kyaaah! –

 

Senti meu corpo se bater contra inúmeras árvores e ouvi meus ossos se contorcerem a ponto de partirem, minha pele se rasgava ao passar por cacos de vidros e acabei batendo minha cabeça em várias pedras, mesmo assim, continuei consciente.

 

Ikki – T-Tsc… a-ah! – tentei me levantar – AAAh! –

 

Olhei para minha perna e vi que o meu pé estava torto, quebrado, não sei, ele tava do lado errado, entendeu? E além disso, um pedaço do meu osso saia pelo meu joelho.

 

Ikki – A-Ah… – tentei empurrar o osso para dentro – Kyaaah! –

 

Ouvi os passos daquela coisa cada vez mais perto. Em algum momento que a lua iluminou o local eu consegui ver uma coisa como se fosse um cachorro concordo de longas pernas e braços além do mais, era alta e tinha enormes dentes.

 

Ikki – M-Minha nossa! – tentei me arrastar, coisa que eu não consegui – Ah! Droga! –

 

De repente, um vento frio típico de filme de terror tomou conta de toda floresta fazendo um denso barulho. Aquela coisa não se mexia, só ficava parada e me encarava.

 

Ikki – A-Ah… – tentei me levantar segurando na árvore – D-Droga! Por que não tá curando!? –

 

Respirei fundo vendo que aquela coisa iria me matar se eu não corresse, então mordi meu lábio inferior forte e empurrei o osso de novo para dentro da perna.

 

Ikki – Kyaaah! A-ah! – logo depois comecei a correr sem direção, pode ter certeza que eu já havia me perdido há muitos minutos atrás – Socorro! Alguém! Alguém! Algu… Kyaah! –

 

Acabei caindo perdendo o equilíbrio e caindo para trás mas alguém segurou pelo meu pulso me puxando para si.

 

Yukio – Por que você nunca me obedece? Quando eu digo para ficar no seu dormitório é lá que você deve ficar. – ele estava com um ar frio –

 

Ikki – Y-Yu…? – olhei para o seu rosto um pouco tonta –

 

– Hahaha… me faça um favor, não corra. Me deixe saboreá-la. –

 

Ikki – Kyah! – corri para trás do Yu –

 

Yukio – Vá para o acampamento! –

 

Ikki – Não posso! –

 

Yukio – Claro que pode. –

 

Ikki – Não, não! Eu não me lembro onde fica! Eu não quero encontrar mais desta coisa por ai! –

 

Yukio – “Está coisa” é um humanoide. Se ele está atrás de você, deve ser porque você o provocou. –

 

Ikki – Não fale besteiras! Ninguém em sã consciência ia provocar uma coisa como aquilo!! – falei entre soluços –

 

Yukio – Tsc. Por que ele está atrás de você então? –

 

Ikki – Como que eu vou saber!? Eu nunca tinha visto uma coisa dessas antes! – (Graças a Deus!) –

 

– Aqui está você… e um vampiro? Deixa eu adivinhar, vai tentar protegê-la? –

 

Yukio – Rumf! Não é dá sua conta. Eu não sei o que essa idiota te fez, mas a esqueça e vá embora. –

 

– Hahaha. Não posso. – a coisa se aproximou mais – E não quero. –

 

Yukio – Yori corra! – falou me empurrando – Agora! –

 

Ikki – Kyah! – como o mesmo mandou eu corri pela floresta escura – (Isso não tá certo! Não tá certo! Não!) –

 

Meu corpo estava muito ferido, e por alguma razão ele não estava regenerando, vocês sabem, vampiros não tem seu corpo ferido facilmente quando cheguei no fim da floresta pude ver o acampamento mas algo me impedia de ir em frente. Não podia deixar o Yu sozinho.

 

Pensando nisso voltei correndo atrás do mesmo, sim, eu sei que ele vai dizer “Por que você nunca me obedece!?” mas eu não consigo deixá-lo para trás.

 

~~ PV Floresta On ~~

 

– Mesmo sabendo quem ela é, você insiste em protegê-la!? –

 

Yukio – Tsc. Eu não ligo pra ela, só não quero que ela me atrapalhe. –

 

– Hahaha. Vou matá-lo e depois a matarei. –

 

Yukio – É o que vamos ver! –

 

Uma luta intensa começou. O Yukio criou um tipo de foice que saia de dentro dos seus pulsos e que era feita de sangue. O mesmo partiu para cima da “coisa” que desviava de seus ataques como se estivesse brincando.

 

Em seguida a “coisa” acerta o com suas longas garras penetrando em seu peito quase na direção do seu coração, e o mesmo cai ajoelhado no chão.

 

Yukio – Maldito…! –

 

– Hahaha. – o mesmo retirou suas garras de dentro do seu peito e chutou o seu rosto fazendo cair –

 

Ikki – (Yu tá em perigo! Ele vai matá-lo!) –

 

Sem pensar direito, meu corpo acabou se movendo sozinho, quando do por mim já estava na frente do Yu impedindo a criatura de tocá-lo.

 

Ikki – Não vai tocar nele! – gritei em lágrimas –

 

Yukio – Y-Yori…? –

 

– Olha só, acho que ela prefere morrer primeiro. Haha, que seja! – o mesmo sorriu – Vou matá-la na sua frente. –

 

Yukio – Yori, fuja! –

 

Ikki – Não! – gritei de olhos fechados – Não vai tocar nele! –

 

– Me diga, o que pretende fazer? Haha. –

 

Ikki – E-Eu… – (Não posso fazer nada… estou muito ferida!) –

 

O Yu ainda estava caído no chão, muito mais ferido que eu.

 

Yukio – O que está fazendo!? Saía logo daqui! –

 

Ikki – Não vou sair correndo como uma covarde! E não vai deixar um amigo para trás! Não vou! – falei em lágrimas – É a minha vez de te proteger… lembra? –

 

Yukio – S-Sua idiota! Nunca me obedece! – tentou se levantar – Você vai acabar… –

 

– Humf… quando baboseira! –

 

Aquela coisa começou a correr em nossa direção e por reflexo acabo abraçando o Yu muito forte enterrando meu rosto em seu peitoral.

 

– VOU MATÁ-LOS! –

 

“Nunca… mais toque na minha.. ”

 

Nesse momento, uma forte luz começa a emanar do meu corpo e então acabo mumurando palavras estranhas totalmente irreconhecíveis.

 

– M-Mas o que é isso!? –

 

“Hahaha.”

 

Ao abrir meus olhos, símbolos estavam neles e toda aquela luz se arrastou por toda a floresta queimando qualquer sombra que estivesse ali.

 

– AAAAH! –

 

*Silêncio total*

 

Fiquei esperando algo mas nada além de um silêncio total emanava pela floresta. Aquela ansiedade misturada com a frustração quase me fez gemer.

 

Depois de alguns minutos, só o que eu podia ouvir era o som das batidas do coração do Yu. Eram leves, bem calmas para aquele momento.

 

Yukio – Pode abrir seus olhos. – falou com uma voz doce – Ele já foi embora. –

 

Ikki – A-Ahn… – abri os olhos lentamente olhando o rosto do Yu – ele estava corado –

 

Yukio – Você… já pode me soltar… –

 

Senti meu rosto esquenta quando me dou conta que ainda estava abraçada ao mesmo.

 

Ikki – S-S-Sinto muito! – falei me afastando – A-Ai…? –

 

Yukio – Está ferida!? – o mesmo me olhou preocupado –

 

Ikki – N-Na verdade… não… estou curada? Como… – coloquei a mão na cabeça – A-Ai! Minha cabeça… –

 

Yukio – Ei! – o mesmo me segurou pela cintura – Não desmaie aqui. –

 

Ikki – E-Eu estou ótima! – falei me afastando –

 

Reparei que o mesmo estava muito ferido e sua expressão era de dor, mesmo ele tentando esconder.

 

Ikki – E-Eu vou procurar ajuda para você! –

 

Yukio – Rumf… está tão preocupada comigo assim? – o mesmo se sentou no chão –

 

Ficamos em silêncio, o mesmo me encarou por alguns segundos e então desviou o olhar para um dos arbustos.

 

Yukio – Não era pra você voltar. –

 

Ikki – Hum? –

 

Yukio – Eu não pedi a sua ajuda. – falou corado –

 

Ikki – (Ele é tão imaturo… parece um bebezinho!) – acabei deixando um sorriso sair –

 

Yukio – Q-Qual a graça!? –

 

Ikki – Nada. –

 

Yukio – Idiota. – falou mais corado ainda –

 

Ikki – Eu vou te levar pro acampamento. – falei o apoiando em meu ombro –

 

Yukio – N-Não precisa! E-Eu não gosto deles! –

 

Ikki – Calado. – falei o levando –



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...