História A tale of shadows - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce, Eldarya
Personagens Alexy, Armin, Castiel, Dajan, Dakota, Dimitry, Ezarel, Jade, Kentin, Leiftan, Lysandre, Nathaniel, Nevra, Personagens Originais, Valkyon
Tags Amor Doce, Eldarya, Sobrenatural
Exibições 137
Palavras 1.610
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Artes Marciais, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Científica, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - Um encontro inesperável


Fanfic / Fanfiction A tale of shadows - Capítulo 6 - Um encontro inesperável

Ikki – Cof! Cof! Cof! – levantei ainda zonza ficando sentada com as pernas dobradas – M-Minha cabeça… –

 

Yukio – Você está bem!? –

 

Ikki – Sim.. eu acho… –

 

Yukio – Ah… que bom! – meus olhos se alargaram quando o vi – Cof! Cof! –

 

Um pedaço do elevador tinha atravessado o seu peito e ele estava na minha frente me protegendo.

 

Ikki – V-Você… ALGUÉM ME AJUDA! – levantei o segurando – SOCORRO! –

 

Yukio – E-Eu Cof! Estou… bem! Você tem que… Cof! Tomar… muito cuidado! Vá pro seu quarto. –

 

Ikki – Claro que eu não vou! Você vai morrer! –

 

Yukio – Pfff… e-eu não sou… tão fraco assim. –

 

Ikki – M-Mas tá sangrando! S-Sangue… – falei tapando a boca –

 

Yukio – Vá embora. – falou ficando de joelhos –

 

Ikki – *snif* *snif* – levantei chorando – E-Eu vou achar alguém! Eu prometo! –

 

Grite-o correndo pelo corredor.

 

~~ Quebra de Tempo ~~

 

Yukio – A-Ah… – tentei puxar o pedaço do elevador que atravessava meu peito – D-Droga! –

 

??? – Hihi… pobre Yu… tão ferido… haha… –

 

Yukio – S-Seu… –

 

??? – Hã? Não me olhe assim! Você sabe que eu não faço por mal! –

 

Yukio – Foi você? Ezarel! –

 

Ezarel – Eu não! Eu só fiquei olhando mesmo. –

 

Yukio – Tsc. –

 

Ezarel – Então… onde está a garota? –

 

Yukio – Por que está interessado nela agora? –

 

Ezarel – Por que você está? –

 

Yukio – Não é problema seu. –

 

Ezarel – O mesmo eu te digo então. – falou pressionando a ferida –

 

Yukio – A-A-Ah! D-Desgraçado! –

 

Ezarel – Fale logo onde ela está! Me poupe o trabalho de procurá-la e ter que matá-la depois. –

 

Yukio – P-Por que quer matá-la!? –

 

Ezarel – Por que ela é a preferida dele. Eu não posso permiti uma coisa dessas. –

 

Yukio – Haha… e quem você acha que é? Seja racional. – falei e o olhei friamente – Toque nela, e eu o mato. –

 

~~ PV Ikki On ~~

 

Desci as escadas correndo, já perdi a conta de quantos degraus eu desci, mas isso não importa, eu preciso achar alguém rápido!

 

Ikki – Alguém… – (Por que estou desesperada?) – Alguém por favor… –

 

Vocês sabe o que é sanidade? Porque eu acho que a perdi a uns adares atrás.

 

Ikki – Por favor… alguém… – (Eu nem o conheço… então por quê?) – ALGUÉM! –

 

Gritei em prantos enquanto caía de joelhos no chão, bati minhas mãos no chão com raiva de mim mesma por ser tão inútil.

 

Ikki – Merda… merda… merda! Que merda! Yu… –

 

“AAAAH!”

 

Ikki – Yu! – levantei assustada – YU! –

 

Subi aqueles inúmeros degraus novamente enquanto os gritos estavam ficando mais agonizantes. Comecei a pular de andar em andar com pressa de chegar ao meu logo.

 

??? – Hahaha! Vamos… grite! –

 

Yukio – Quando eu sair daqui… AH! –

 

??? – Se você sair. –

 

Aquele homem estava torturando o Yukio que nem podia se defender com aquela estava atravessando o seu peito. Isso me deixou muito irritada.

 

Ikki – Como ousa… – sussurrei serrando os punhos – Como ousa… –

 

Ezarel – Hum… olha! Eu nem precisei ir atrás dela. Isso não é ótimo imbeci-Yu? –

 

Yukio – Yori!? Eu mandei você ir embora! – bradou –

 

Ikki – Imperdoável… –

 

Meus olhos estavam vermelhos da cor do sangue mas o meu cabelo tapava o meu rosto enquanto o vento o levava para trás.

 

Ezarel – Hum… não vai dizer que é sua namoradinha? Haha! Você tem um gosto legalzinho. –

 

Yukio – Yori! Você está me ouvindo!? Vá embora! –

 

Ikki – Imperdoável… – cerrei meus punhos a ponto de sangrar – Vou matá-lo! Rasgá-lo! Devorá-lo! –

 

Ezarel – Ela ficou brava porque eu… hã… – no momento em que ele desviou o olhar eu já estava atrás do mesmo – C-Como? –

 

Ikki – … – abri um sorriso e o chutei o fazendo quebrar a parede –

 

Ezarel – U-UH! –

 

Yukio – Y-Yori? –

 

Ikki – Imperdoável… – murmurei andando até o azulado –

 

Ezarel – Maldita! – falou levantando –

 

Ikki – Muito fraco. – o mesmo olhou no fundo dos meus olhos e percebeu que eu não era mesma pessoa –

 

Ezarel – … Você… –

 

Ele olhou as minhas mãos e viu que eu tinha enormes garras bem afiadas preparadas para o matar se o mesmo se mexesse.

 

Ezarel – Foi você que estava trancafiada no bloco secreto? Entendo… é aquele monstro que matou quase todos os cientistas. –

 

Ikki – Tsc. –

 

Ezarel – Você não gosta de ser chamada assim? Não é o que você é? –

 

Ikki – Calado. –

 

Ezarel – Sua história não passa de uma desgraça. – falou com um sorriso –

 

Ikki – Calado. – falei agarrando seu pescoço – De que modo você deseja ver a sua morte? –

 

Falei sorrindo enquanto quebrava a sua garganta quando ouvi alguém me gritar.

 

Ikki – Hã… – olhei lentamente quando vi uma garota de longos cabelos prateados segurando o Yu –

 

??? – Já chega, Ikki! –

 

Ikki – Hã… – larguei o garoto na mesma hora que reconheci a menina – R-Rosa…? –

 

??? – Ainda se lembra de mim? Que bom! – falou aliviada –

 

Ikki – … – olhei para trás e o garoto já havia sumido – Argh… –

 

Yukio – Yori! – olhei para o mesmo –

 

Ikki – A-Ah! – cai no chão com a mão na cabeça – D-Dói! Minha cabeça! Dói! –

 

Minha visão ficou embasada e se escureceu do nada e eu acabei perdendo a consciência.

 

~~

 

Ikki – Eu… morri? – falei olhando o redor – Tô no inferno? –

 

Yori – … – olhei para trás onde uma menina de cabelos pretos estava sentada – Ikki? –

 

Ikki – Y-Yori… – me sentei em sua frente – Eu tô com você? –

 

Yori – S-Sinto muito… machuquei pessoas novamente… –

 

Ikki – Não foi culpa sua! – falei com a mão no seu rosto – Você só quis me proteger! –

 

Yori – Eu prometi… não deixar você sofrer… –

 

Ikki – Yori… – a abracei forte –

 

Yori – Eu não quero que vire o mesmo monstro que eu! Entendeu? Não perdoarei se você se torna como eu. – falou me abraçando forte –

 

~~

 

Ikki – A-Ah… – abri os olhos lentamente – Onde… –

 

Rosalya – Acordou? Graças a Deus! Yu traga o remédio. –

 

Yukio – Aqui. – falou vindo com uma injeção –

 

Ikki – F-Fique longe de mim! – falei pulando da cama –

 

Yukio – É pro seu bem! Você precisa… –

 

Ikki – Não! – gritei –

 

Yukio – Yori… –

 

Ikki – D-Desculpe… –

 

Rosalya – Entendo… lembra ao passado? – abaixei o rosto – Mas você sabe que eu não sou eles. –

 

Antes de eu atacar metade do laboratório, Rosalya que é a filha da secretária do maldito ficava comigo sempre. Ela foi a única pessoa que eu não toquei um dedo, mas então quando ela foi embora, eu me senti só novamente.

 

Ikki – M-Mas… – falei apertando meu braço – E-Eu… v-você… –

 

Rosalya – Você prefere que eu injete? –

 

Ikki – A-Ah… – abaixei a cabeça e a mesma segurou o meu braço –

 

Rosalya – Não vai doer nadinha! –

 

Ikki – I-Ih… – gemi um pouco baixo – O-Obrigada… por ajudar o Yu. –

 

Yukio – J-Já disse que não sou tão fraco assim como você pensa. – falou corado – Aquele elfo maldito… –

 

Ikki – Eu sei disso! – falei com um sorriso –

 

Yukio – U-Uh… – o mesmo virou o rosto e eu acabei rindo – Cale-se. –

 

Ikki – O que aconteceu com ele? –

 

Rosalya – Ele fugiu antes que você virasse, acho que ele percebeu que não estava em vantagem. –

 

Ikki – … Yu! – me virei assustada – Você é o número 10! –

 

Yukio – Ahn? Já cuidei disso. – falou olhando uma de suas garras –

 

Ikki – … – me virei para Rosa e a encarei – Por que está aqui? Você me abandonou… –

 

Rosalya – Eu nunca fiz isso. Eu fui forçada a deixar o laboratório para ficar aqui. Você também viria mas eles perceberam que você é… um pouco mais difícil que os outros. –

 

Ikki – Também está no jogo? –

 

Rosalya – Não, não exatamente. Eu cuido de vocês dois, como o Francis me ordenou. –

 

Yukio – Tsc. –

 

Ikki – Aquele… não preciso de ninguém. Eu sou a melhor, sempre vou ser. –

 

Yukio – Arrogante… – falou levando a mão no nariz fingido coçar –

 

Rosalya – Não só isso. Você é uma criança, só tem 14 anos! –

 

Ikki – Eu vou fazer 15 daqui a pouco. – falei de rosto inchado –

 

Yukio – … – o mesmo andou até mim e colocou a mão em cima da minha cabeça – É… não faz muita diferença. –

 

Ikki – Você acha isso engraçado? – falei respirando fundo –

 

O mesmo estava medindo a minha altura, e eu batia em seu abdome, o que é uma completa derrota para mim.

 

Yukio tem 16 anos e mede 1,80 o velho Everest da vida. Ele tem cabelos bracos e olhos avermelhados assim como os meus ficaram a um tempo atrás, algumas partes do seu corpo eram ligadas com pontos mas acho que ele colocou algo já que não os vejo.

 

Rosalya – Vai se arrumar, temos aula hoje. –

 

Yukio – Ouvi dizer que o velhote sofreu um acidente e estava em recuperação. –

 

Rosalya – Algo perfurou seu pescoço. –

 

Yukio – Algo… muito estranho isso. Não acha Yori? Yori? – eu havia entrado correndo pro banheiro –

 

Ikki – Essa foi por pouco… – falei me encarando – Yori… –

 

Vocês já devem ter descoberto que eu sofro de dupla personalidade, e coisas psicopatas.

 

O “Ikki” é o meu lado eu bonzinho, já o “Yori” é a garota que estava no laboratório. Quando ela volta meus sentimentos todos somem e só resta um ser frio.

 

Acho que devo explicar algo a vocês, sobre minha mãe, quem a matou foi a Yori, quando descobriu que a mesma planejava a vender como escrava para outro país para virar uma prostituta. Ela tinha 9 anos, também foi quando ela descobriu que não era humana. Tudo isso foi muito para ser aceito e quando ela foi trancafiada naquele lugar ela não aguentou e então eu nasci.

 

Ficávamos conversando todas as noites de como seria quando saíssemos daquela cela.

 

“Em busca liberdade, em busca da verdade, eles usam a violência, eu usarei a maldade”

 

Foi essa frase que ela me disse me prometendo que um dia seremos livres, e eu vou ajudá-la no que for preciso para realizar o nosso sonho.

 

~~ PV On ~~

 

Ezarel – Ah! Droga… –

 

Nevra – Nossa, que surra. –

 

Ezarel – Calado. Aquela garota… eu nunca pensei que soltariam ela. –

 

Nevra – Você não tá exagerando? É apenas uma menina. –

 

Ezarel – Ela quebrou o meu braço e quase o meu pescoço! –

 

Nevra – Ou você caiu? –

 

Ezarel – Eu estou falando sério! –

 

Nevra – Certo… e se esse for o caso. O que acontecerá? –

 

Ezarel – Ela vai fazer desse jogo uma chacina… –

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...