História A Testemunha - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, Red Velvet
Personagens Irene, Joy, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Yeri
Tags Ação, Amor, Drama, Hunhan, Luta, Mistério, Policial, Red Velvet, Suspense
Visualizações 50
Palavras 1.307
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Fluffy, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Suspense
Avisos: Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


E aí, galera? O cap de hj é tenso! É o antepenúltimo. Se preparem!

Capítulo 10 - Dez


~Zheng~

Caminho até o Yao, deitado numa maca, com as mãos e pés acorrentados, com o rosto ferido e recebendo um monte de tranquilizantes nas veias dele. Começo a conversar com ele, mesmo ele dormindo. 

- Você sabe por que existem aplicativos imorais e nojentos como o Let's Meet? 

Começo a me lembrar do meu falecido namorado. 

- Amor, tá difícil lidar com essa tuberculose. - disse, tossindo. 

- Nós vamos fazer de tudo pra você sair dessa, não se preocupe. 

- Valeu, querido. 

Nosso namoro durou apenas um mês,  deveria ter durado mais se não fosse por essa tuberculose dele, que estava muito avançada. Começo a me lembrar da minha irmã. 

- Por que você não atendeu? 

- O celular descarregou. 

- Você tá usando esse aplicativo sujo pra se encontrar com homens de novo? 

- Foi só socialização online. 

- Por que vocês podem conhecer homens estranhos tão despreocupadamente? - pergunto para ele.

- Nossa, olha como você tá vestida! Não gostei! - falei, tirando os óculos dela. Vi um roxo no rosto dela. 

- O que houve com o seu rosto? 

- Não te interessa. 

- Me diga o que aconteceu com o seu rosto! 

- Você contaminou as minhas mãos com esse seu corpo imoral! - falo, aproximando o meu rosto no dele. 

- Me deixe ir! Nossos pais e o seu namorado já morreram! Você não manda em mim! Eu já sou adulta, já posso fazer o que eu quero! Então, eu gosto de sair, eu gosto de ficar com estranhos, o que vai fazer sobre isso? - disse, jogando alguns livros e a caixinha de música que dei para ela, quando éramos pequenos, quase a quebrando. Fiquei com tanta raiva que acabei dando um tapa nela. 

- Que direito você tem de me bater? Quem você pensa que é pra fazer isso? 

A empurrei com tudo para o chão. 

- Me diga por que você faz essas coisas. Por quê?!? - pergunto para ele. Quando a virei, percebi que ela não se mexeu, e quando toquei na cabeça dela saiu sangue, ela teve um traumatismo craniano na hora. Eu a matei! Matei a minha própria irmã! 

- Qian Qian, Qian Qian...

Eu a abracei e chorei, tudo isso em uma noite chuvosa. Olhei para as fotos dela, peguei um dos celulares, coloquei um chip e liguei, pronto para atrair mais gente para mim. Mas antes eu vou acabar com aquelas duas policiais, com aqueles dois moleques e por último, com o Oh Sehun, o ceguinho estrangeiro. 

~Irene e Joy~

- Olha! Olha aqui! "Não tenha medo do escuro"! Esse cara registrou um novo nome de usuário. - disse Joy, me chamando após ver o nome no computador. Vou até ela. 

- Rastreou a localização? 

- Mansões Fuhua 32B. A proprietária se chama Qian.

- Ok. Pegue o mandado, Joy. Pegamos ele primeiro, o resto vem depois. Não podemos perder tempo. 

- Sim. - responderam os policiais.

Fomos até o meu carro e dirigi para a mansão. 

- Ok. Deixe comigo. Qian tem 20 anos. O estranho é que não há registro das atividades dela nos últimos três meses. Sem ligações, sem transações de cartão de crédito. Ela tem um irmão, chamado Zheng, que é cirurgião plástico e bissexual. Ele tinha um namorado chamado Lee, que faleceu devido a uma tuberculose em estado terminal. Ele vendeu a clínica dele há três meses atrás. - disse Joy, me dando mais informações sobre o suspeito. 

- Dois irmãos. - comentei. 

~Sehun~

Chegamos na mansão. Descemos do táxi, Luhan e Yeri encaixaram as mãos deles nas minhas e entramos. Abri a porta e acendi a luz. 

- Olha só que lindo! 

- Uau! Sehun, você pode ser o meu irmão? - perguntou Yeri. 

- Sim. Esperem por mim. - respondi, sorrindo. 

Vou até o quarto do Liang, toco em um porta retrato dele e pego o ukulele. Vou até a sala de estar e percebo que o Luhan e a Yeri tão olhando para algumas fotos da minha família. 

- Sehun, você é policial? - perguntou Luhan. 

- Sim. 

- Você tem um senso de justiça bem forte. - elogiou Yeri. 

- Obrigado. 

- Liang? Esse é o Liang? Você é o irmão dele? - perguntaram, me vendo em uma das fotos. 

- Sim. Sou o irmão caçula. 

Os levei até a sala de ensaio do Liang. 

- Essa é a sala de ensaio do Liang? - perguntou Luhan. 

- Sim. 

- Uau! 

Yeri toca um pouco a bateria, enquanto Luhan toca um pouco a guitarra mas ao verem a minha expressão de tristeza, eles param. Eles veem uma foto do Liang, acendem uns incensos e o saudam, um costume chinês no qual se sauda uma pessoa falecida usando incensos, em sinal de respeito à morte dele ou dela. 

- Sehun, vem. - chamou Luhan. 

- Eles me deixaram um por um, o meu primeiro namorado, o meu irmão e a Sophie. 

Saio da sala de ensaios, deixo o ukulele para trás, vou ao jardim e sento no banco para tentar esquecer o meu passado. 

~Irene e Joy~

Saímos do carro, pulamos o muro da mansão da Qian, senti uma pequena dor no joelho e entramos. Fui na sala de estar, munida com uma lanterna e vi algumas fotos do Zheng e da Qian. Entrei na garagem, vi o Golf 6 dele, me aproximei, abri uma das portas e várias placas falsas caíram do banco do motorista. 

- Joy, vem aqui. 

Quando olhei para trás, vi o Zheng tentando avançar em mim, mas desviei e comecei a lutar com ele. O joguei contra uma prateleira cheia de ferramentas e todas caíram em cima dele, fazendo com que ele caia no chão. O agarro pelo pescoço.

- Te peguei! Te peguei! Agora você me deve uma boa explicação para o que está fazendo! 

Zheng pega uma chave de fenda, a acerta no meu joelho, fazendo com eu sinta a dor e acabei o largando. Ele pega uma faca, me esfaqueia e desmaio. 

~Joy~

Desço o porão, abro uma porta e vejo uma sala com um garoto e duas garotas deitados em macas, acorrentados, amordaçados e recebendo altas doses de tranquilizantes por via intravenosa. Abro uma outra porta na mesma sala e vejo mais duas moças e mais um rapaz sentados em três das cinco cadeiras, também recebendo tranquilizantes pela mesma via, porém em doses menores e entre a segunda garota e o garoto está uma moldura com uma foto da Qian pousada na terceira cadeira. 

- Alô, Oficial Su, sou eu, Joy. Achamos todas as garotas e garotos desaparecidos. Sim, ainda estão vivos. Rápido, mande reforços, rápido! - falo com a oficial pelo telefone. 

~Sehun~

Eu estava admirando a paisagem quando eu ouvi o Luhan tocando o ukulele e cantando "Vagalumes", fazendo uma linda serenata pra mim, com a Yeri.

Céus escuros se movem 

Estrelas brilham em cima 

Vagalumes voando no ar 

Em quem você está pensando? 

Estrelas no céu estão chorando 

Rosas no chão estão secas 

O vento frio sopra, o vento frio sopra 

Quem é você...

Eu só quero você ao meu lado 

Vagalumes voam, as flores estão dormindo 

Quando eles cantam esse verso, eles se sentam ao meu lado. 

Tudo é lindo em pares 

Não tenha medo do escuro 

Só tenha medo da desilusão 

Não importa o quão cansado eu esteja 

Não importa onde você esteja 

Que lindo. Tô apaixonado pelo Luhan. Sorri para eles. O celular da Yeri vibra.

- A capitã Irene nos mandou uma mensagem. Ela disse que elas encontraram o suspeito e quer saber aonde estamos.

Yeri mandou uma mensagem para ela. Dizia o seguinte: Nós estamos na mansão em Sucheng Road com o Sehun. 

- Meninos, fiquem de olho aí pra verem se a capitã chegou. Vou ajeitar algumas coisas lá em casa. 

- Ok. 

Luhan e Yeri começaram a conversar, enquanto eu fui para o quarto do Liang arrumar algumas coisas lá. 





Notas Finais


Obs: esse monólogo logo no começo do cap é do Zheng, o vilão da história, explicando o pq dele ser tão cruel em todos os aspectos. Esse foi o cap de hj, amanhã é o penúltimo. Até mais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...