História A Thousand Hands - Capítulo 60


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Tags Camren
Visualizações 132
Palavras 1.031
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Romance e Novela, Saga
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hallo friends!! Alguma autora tá ficando mais velha hoje hein....

Capítulo 60 - Gal


 

 

Lauren POV

 

 

 As meninas discutiam sobre conhecerem as outras mais do que si próprias, e eu observava de longe sentada na cadeira da mesa, roendo unha em tédio, até que Dinah chamou minha atenção, falando o meu nome. 

 

 

 — Não é, Lauren? 

 

 

  — O que? Eu não sei de nada. — disse levantando as mãos — Não me metam nessa discussão. 

 

 

 — É, Dinah, ela é suspeita. 

 

 

 — Eu? Suspeita? 

 

 

 — Com certeza, toda apaixonada pela Camila. 

 

 

 — Oh! — eu ri. 

 

 

 — É toda apaixonada por mim? — Camila disse, se sentando no meu colo. 

 

 

 — Completamente. 

 

 

 — Eu adoro quando você diz que me ama. 

 

 

Dei um beijo rápido em sua boca e ela se levantou, me puxando pra seu quarto. Ela estava se mudando de vez pro meu apartamento, então seu quarto estava uma bagunça, cheio de caixas de papelão e bolsas-malas. Decidimos que Camila moraria comigo, Dinah com Normani em seu novo apartamento e a família Cabello ficaria nessa casa com Ally. Eles prometeram a tratar como uma filha, e todas nós sabíamos que era verdade. 

 

Eles se mudariam pra cá semana que vem. Já estava tudo combinado; Austin iria pra Miami levar eles e todas as suas coisas pro aeroporto particular, onde um jatinho os esperaria pra traze-los até New York. 

 

 

 — Fico tão feliz que meus pais estejam vindo pra cá. — Camila disse. 

 

 

 — Eu fico feliz por você. 

 

 

 — Eu sei que fica. 

 

 

 — Ótimo. — sorri. 

 

 

 — Vamos? Já está tudo pronto. 

 

 

 — Claro, vou ligar pro Austin. 

 

 

 — Big Rob tá aqui também? 

 

 

 — Sim. — liguei pro meu motorista — Austin, pode subir pra pegar as coisas. — desliguei. 

 

 

 — Adoro quando você fica toda autoritária. 

 

 

 — Ah, é, senhorita Cabello? 

 

 

 — Com certeza, senhora. 

 

 

 — Então vem aqui, senhorita. — puxei ela pela gola da blusa de frio, dando um beijo caloroso. 

 

 

[...]

 

 

Ally gritava sobre um garoto que ela estava saindo e que ela terminou pensando que ele tinha traído ela, mas não tinha certeza. Eu não prestava muita atenção, nem eu e nem Normani. Nós estávamos sentadas nas poltronas de couro da sala de TV, assistindo Friends. Ashlee estava conosco, já Camila e Dinah, essas duas eu não sabia onde tinham se metido, estavam uma hora sumidas. 

 

Me levantei e comecei a procurar as duas pelo apartamento, escutando vozes depois de quinze minutos procurando. Cruzei os braços e parei atrás da porta pra ouvir a conversa. 

 

 

  — Ai, eu não sei, Dinah. É tudo tão confuso...  — Camila falava. 

 

 

  — O que é confuso, Camila? 

 

 

  — Eu não sei, tudo! 

 

 

  — Você a ama, não ama?  — um silêncio  — Ela te ama, não ama? 

 

 

  — Creio que ama, chee.

 

 

  — Você não acredita? 

 

 

  — Ai, sim, eu acredito.  — ouvi Camila respirando  — Podemos parar com esse assunto? Por favor. 

 

 

  — Não. 

 

 

  — Dinah! 

 

 

  — Só se você admit...

 

 

  — Eu não vou. 

 

 

  — Então eu faço a Lauren admitir.  — ouvi passos. 

 

 

  — Não, Dinah, volta aqui, caralho!  — elas começaram a correr  — Eu te mato!

 

 

Virei as costas e corri pro sofá, agarrando um golfinho de pelúcia da Camila que estava ali. Me endireitei e olhei pro teto, numa tentativa de disfarçar. Ouvi os passos se aproximarem junto com as risadas e do nada cessar. Virei o rosto, vendo Camila e Dinah paradas no pé da escada, me olhando, ofegantes e com um esboço de sorriso. Respirei fundo, me sentando em seguida. Camila olhou pra amiga de um jeito tenso, recebendo uma risada ameaçadora da mesma, o que fez a menor encolher os ombros. 

 

 

  — Lauren...  — Dinah começou e Camila arregalou os olhos. 

 

 

  — Dinah! 

 

 

  — Shiu, cala a boca. 

 

 

  — O que houve?  — perguntei. 

 

 

  — Eu só queria saber se...

 

 

  — Eu nunca mais olho na sua cara.  — Camila disse encarando Dinah. 

 

 

  — Eu...! Quero saber, Lauren, se você... Tem café? 

 

 

  — Ahn... Tenho. 

 

 

  — Você é uma idiota.  — Camila disse. 

 

 

  — Também te amo. 

 

 

  — Vocês podem me dizer o que realmente está acontecendo?  — eu perguntei, revesando o olhar entre as duas. 

 

 

  — Não. Vem, Camila.  — Dinah puxou Camila pra cozinha. 

 

 

  — Ow! Voltem aqui! 

 

 

Elas continuaram as pressas sem nem olhar pra trás. Me levantei e corri atrás delas, sendo surpreendida assim que coloquei meus pés na cozinha. Minha bunda foi de encontro ao chão e minha visão se embaçou. Ouvia a risada das duas enquanto eu tentava tirar aquela coisa branca e nojenta do meu rosto. Passos apressados se aproximaram e escutei as vozes de Ally e Normani falando que pensaram que alguém tinha se machucado pelo barulho de minha queda, enquanto Camila e Dinah se engasgavam de rir. 

 

Depois de muito tentar, consegui tirar todo o chantilly do meu olho e abrir o mesmo. Encarei Camila e sua amiga, fazendo as duas pararem de rir na hora, e Camila se engasgar. 

 

 

  — Ei, me desculpa, amor. Eu juro... 

 

 

  — Sai.  — falei ríspida  — Não quero nenhuma de vocês...  — apontei pra Dinah e Camila  — perto de mim, pelas próximas dez horas.  — me levantei com a ajuda de Ally  — Vocês entenderam, não é?  — elas concordaram, Camila de cabeça baixa  — Vocês me deixaram muito puta agora, vocês não tem noção.  — fui até a pia, passando pelas duas, sem nem olhar pra elas  — Camila, poderia dormir naquele quarto? 

 

 

Ela fez que sim num som nasal. Terminei de limpar meu rosto e fui pro meu quarto, desejando boa noite só pra Ally, Normani e Ashlee. 

 

 

[...]

 

 

Uma das minhas clientes havia marcado comigo em uma estação de metrô da cidade. Motivo? Não faço a menor ideia. Desci as escadas procurando por Gal, mas só a encontrando vinte minutos depois. Ela era uma maravilha de mulher, sinceramente. Seu rosto era perfeito, sua sobrancelha bem feita, tudo nela era perfeitamente encaixado. Usava um vestido preto levemente marcado no corpo, com um pequeno decote, e um salto da mesma cor. Me aproximei, recebendo um sorriso tímido dela. 

 

 

  — Senhora Jauregui. 

 

 

  — Senhorita Gadot.  — disse dando um sorriso de canto pra ela e esticando minha mão. 

 

 

[...]

 

 

A conversa com Gal foi agradável. Nos sentamos em uma lanchonete da estação e colocamos tudo sobre o trabalho em teoria, já marcando pra colocarmos em prática. 

 

Gal ficou na estação, pois ia se encontrar com outro empresário. Acabei por me esquecer de perguntar o motivo pelo qual ela marcava as reuniões numa estação de metrô, mas não faltaria oportunidades pra isso. 

 

Sai da estação, virando pra esquerda, já que Austin estava longe de chegar. Bati de cara com a loja que eu tanto pensava em ir. Tiffany & Co. 

 

Notas Finais


Espero que tenham gostado. E me desejem parabéns suas quengas hahaha <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...