História A Thousand Hands - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags For Becca, Hobi_re, Hoseok, Minha Hope, Monyjin, Namjin, Rjr, Suga, Taekook, Vkook, Yoongi, Yoonseok
Exibições 77
Palavras 12.398
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Lemon, Musical (Songfic), Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


- Oii meus anjos! Bom dia, Boa tarde, Boa noite, Boa madrugada (~tá parei). Então, essa é minha primeira fic, e eu espero que gostem. ><

Aaahhr... Harvelle (@LRHarvelle69), meu bem obrigada por me ajudar com as indecisões e bloqueios mentais que eu tive, te devo muito dear girl! Eu amo muito você, borboletzz. <3

Huh, várias músicas serviram de inspiração pra essa oneshot - tem até partes das letras dessas músicas na história. AH MAIIS, é baseada/inspirada na letra de 1000 Hands do Fifth Harmony, eu sugiro que leiam ouvindo essa música. *--*

Também é dedicada a (@Hobi_Re) uma linda Unnie, que mora tão distante e, ao mesmo tempo tão perto. ~Oii Becca :3 Espero que goste dessa oneshot! Escrevi com todo o meu coração e, sinceramente eu amei criar ela - especialmente pra você minha princesa! Eu sei que demorei mas, houve alguns problemas anteriormente que realmente me impediram de posta-la, de qualquer forma, perdoe a demora, e aqui está sua Yoonseok Amazing! Eu te amo muito meu amor. <3

Perdoem os erros meus amores.

Sem mais delongas... Boa leitura! <3

Capítulo 1 - Only You


Fanfic / Fanfiction A Thousand Hands - Capítulo 1 - Only You

A rotina de trabalhar de manhã cedo até o fim da tarde, me deixava muito exausto, e quando eu chegava em casa, não aproveitava quase nada do fim do dia. Eu não fazia outra coisa a não ser dormir ou colocar em prática coreografias que eu criava. Eu até amo trabalhar como professor de dança em uma Academia de Artes - onde treinamos jovens e adolescentes para entrar em uma das empresas de Entretenimento - mas nos últimos meses estávamos ensaiando várias coreografias, algumas rápidas outras mais lentas, nada muito difícil na minha opinião.

—  Muito bem, por hoje é só! — Exclamei dando fim aos ensaios e liberando os alunos.

—  Hoseok-ssi, tenho alguns passos novos, mas, precisamos de uma nova mix pra apresenta-los aos alunos. —   Hyojin* a estagiária, comentou me entregando uma garrafinha de água.

—  Tudo bem, eu também tenho uma nova coregrafia em mente, vou falar com Namjoon pra saber se ele tem algo novo pra nós okay? — Perguntei e ela assentiu uma vez se retirando. 

—  Hyung, saberia me responder se já acabou a aula de canto? - Jungkook se aproximou colocando a mochila em seus ombros.
 
—  Esperando o Taehyung outra vez? — Brinquei e ele assentiu timidamente com um sorriso. — Hm, acho que já sim — Fitei o relógio no meu pulso — É já sim. — Afirmei e o mesmo agradeceu.

Ao sair da sala fui procurar Namjoon, o responsável por criar as músicas de Hip-Hop mais fodas que eu já ouvi. Eu crio as coreografias e ele as músicas, quem canta as letras é professor Jin, que costuma chamar um de seus alunos para cantar com ele, segundo o mais velho, Taehyung é o melhor aluno de canto. Segui em direção ao corredor e, por conta de minha distração, acabei esbarrando no mesmo.

—  Ah, Jin-hyung me desculpe.

—  Não foi nada. — Sorriu me cumprimentando — Como anda as coreografias? — Quis saber o mais velho.

—  Ótimas, e eles não desistem até terem aprendido algo novo. — Respondi cheio de orgulho dos meus alunos.

—  Na minha aula, tem aqueles que tem talento, e outros que precisam treinar mais. — Suspirou cansado.

—  Entendo, bom, preciso ir, tenho que falar com Namjoon-hyung sobre as músicas novas.

—  Ah, tudo bem, eu também tenho que ir. Fique de olho no loiro por mim. — Automaticamente franzi o cenho e ergui uma sobrancelha.

—  Loiro? Namjoon pintou os cabelos de novo? — Perguntei surpreso, afinal, não fazia nem um mês que o outro havia tingido seus cabelos de rosa bebê.
 
—  Não não, e apesar de eu querer que ele fique com aquela cor sempre, me refiro ao novo assistente dele. — Entortou os lábios em um bico muito fofo.

—  Ciúmes?  —  Brinquei.

—  Claro! Aquelas covinhas deviam aparecer somente pra mim.

Trocamos risadas antes de cada um seguir seu rumo. E, eu admito que, eles formam um belo casal.

Bati duas vezes antes de adentrar a sala do "rosado".

—  Hobi! — Exclamou. Ele estava de touca preta, com papéis em seu colo e um notebook na mesa à sua frente. Na mesa - onde o notebook estava - havia  pilhas de papéis, parecia que um furacão tinha passado por ali.

—  Que bagunça, Hyung!  — Comentei.

Percebi uma terceira pessoa naquele local, era ele, o loiro do qual Jin havia mencionado. Ele estava de costas, escrevendo alguma coisa enquanto permanecia sentado.  Acho que ele não percebeu que eu estava lá.

—  Quem é? — Sussurrei apontando discretamente na direção do loiro.

— Hobi, esse é Yoongi, Min Yoongi, o meu novo assistente, e ele escreve músicas que, na minha opinião, são incríveis. Yoongi, esse é o Jung Hoseok, o professor de dança que eu te falei.

—  Seja bem-vindo!  — Cumprimentei. 

—  Obrigado. — Ele apertou a minha mão de leve, era tão macia e gelada, que eu pude sentir um arrepio percorrer todo o meu corpo, que estranho.

Ele era bem bonito, seu cabelo era loiro - quase um dourado, continha um olhar negro e intenso, uma voz adequadamente sensual, uma pele leitosa - provavelmente não costumava pegar muito sol - ao contrário de mim, que tenho uma pele levemente bronzeada. Seu perfume gostoso e forte, tomou conta dos meus pulmões.

—  Hobi, você poderá usar as músicas dele para as suas novas coreografias. — Namjoon me despertou do transe, fazendo eu soltar a mão do loiro, afinal das contas, é estranho alguém ficar te encarando e segurando a sua mão um tempão.

—  Ah, isso, eu quero uma nova música, estou com uma coreografia em mente e quero colocá-la em prática. —   Cocei a nuca, tentando disfarçar. 

—  Tem essa aqui, foi o Yoongi que escreveu, e eu acho que ficou ótima. —  Me entregou um papel.

—  Jin-hyung irá escolher o aluno mais preparado para cantar junto com ele, então, quando eu terminar de resolver isso, eu peço para o Yoongi deixar na sua sala. — Explicou.

—  "O mesmo dia, a mesma lua
24 horas por 7 dias da semana tudo se repete
"*. —  Citei um trecho.

—  Isto está muito bom. A letra é inspiradora!  — Me empolguei, mas simplesmente era a verdade.

—  Sério? — O loiro quis saber meio desconfiado, e eu assenti freneticamente devolvendo em seguida o papel para Namjoon.

—  Ele escreveu toda a letra, eu ainda irei criar o ritmo, e então o Jin irá canta-la com um ou dois alunos. — Yoongi me fitou enquanto Namjoon falava sozinho.

—  Bom, eu estou ansioso, mas agora tenho que ir, preciso descansar, e vocês também. — Dei uma breve piscadela me despedindo seguindo rumo ao meu apartamento.




                                                                                                                                ♡     
 


 

Aquela semana foi bastante interessante, a cada sorriso que eu trocava com o loiro despertava algo novo em mim. Ele era meio misterioso, mas, de um modo completamente charmoso. O olhar dele, muita das vezes - flagrado - se tornava mais intenso quando os encontrava. Eu tentava desvendar o que ele pensava, mas sua expressão neutra sempre me fazia ter duvidas sobre seus pensamentos.

Eu estava sozinho em minha sala, tinha chegado cedo demais, o que me faz ter tempo pra treinar sozinho enquanto esperava os alunos chegarem. Quando o mesmo foi entregar a música, acabou sendo flagrado outra vez. Continuei praticando alguns passos novos - como sempre, distraído - só percebi a figura atrás de mim, quando eu reparei o reflexo no espelho a minha frente. Me virei rapidamente, ele permaneceu imóvel, mas ficou com uma reação diferente quando eu me aproximei - tentou disfarçar? Talvez.

—  Yoongi? — Quebrei o silêncio.

O mesmo fitou minha camiseta branca, totalmente transparente devido o suor que grudava o tecido na minha pele, dando assim, uma visão bem nítida do meu corpo.

—  Hoseok. — Apertou os lábios antes de estender o braço me entregando um pendrive.

—  É a músi... — Fui interrompido pelo mesmo.

—  Sim, o Namjoon pediu que eu te entregasse.

Eu assenti e ele se virou pretendendo ir embora, mas, por impulso eu o impedi. Segurei o seu braço assim que ele encostou na maçaneta, ele virou rapidamente fitando o meu ato.

—  O q-que está fazendo? — Ele me encarou assustado com os lábios entreabertos.

—  Desculpe, é que... — Dexei a frase morrer. Eu não sabia o que dizer, apenas não queria que ele saísse.

Ele tocou no local onde eu havia encostado, franziu o senho, me fitou confuso e saiu. Eu fitei por longos minutos aquele pendrive. Tentando esquecer o que havia acontecido instantes atrás, conectei o pendrive já ansioso para ouvir a maldita música. Peguei o papel impresso - que Namjoon me dera dias antes - no qual havia a letra, li, reli e comecei a praticar. Semanas depois terminei a coreografia, e logo passaria os passos para os meus alunos. Aquela música realmente ficou incrível.



    
                                                                                                                                  ♡



 

Semanas se passaram, e logo as semanas se tornaram meses, porém sempre ocorreram mais cenas como a anterior. Era como se eu fosse um imã, ele tinha uma energia que me fazia querê-lo perto de mim a todo momento. Sentia meu corpo estremecer, eu ficava ansioso, na maioria das vezes nervoso.

E quando - mesmo que acidentalmente - a minha pele  encostava na dele, eu tinha uma sensação boa, como um leve arrepio, um calafrio, ou uma ardência no local onde ele tinha tocado. Eu queria sentir mais daquela sensação.

Em uma manhã qualquer, á caminho do trabalho eu decidi passar na cafeteria próxima da academia. Conferi as horas e notei que ainda faltava mais de meia hora para a aula começar, eu não precisava chegar lá tão cedo, então parei para tomar um delicioso café da manhã. Escolhi um café com chantili e caramelo junto de uma fatia de bolo de chocolate, fiz o meu pedido e sentei em uma mesa dos fundos, á procura de menos movimentação.

Tirei meu celular da minha mochila e coloquei os fones, escutando uma lista de reprodução que continha apenas músicas do loiro. Eram menos de dez, mas eram as minhas preferidas. Observei as pessoas que andavam lá fora, comecei a - novamente - me distrair em pensamentos. Meu pedido chegou, eu degustei daquela refeição ouvindo uma boa música.
 

Elevei meu olhar pra fora da cafeteria e me assustei ao ver o loiro entrar no estabelecimento. Ele estava de touca preta, jaqueta escura, fones de ouvido e um caderno em mãos. Acabei engasgando com a colherada de bolo que eu havia acabado de por na boca. Continuei a observa-lo e notei que ele pediu alguma coisa ao balconista e então o mesmo olhou ao redor - talvez procurando onde sentar - desviei o olhar rapidamente fingindo que não tinha visto ele entrar, voltando a atenção para o meu café e a minha fatia de bolo. Não sabia qual expressão facial ter, então apenas me concentrei na música. Ele não se aproximou e não falou comigo, eu irei fazer o mesmo, ele deve ter me visto sem sombra de dúvidas. Não sei se é impressão minha, mas tenho a sensação de que, ele fica me evitando. Uma hora quer conversar, na outra fingi que eu não existo. Isso me deixava tanto confuso quanto chateado então, comecei a tratá-lo da mesma forma alguns dias atrás, porém, eu não consigo evitá-lo por muito tempo, sempre que ele quer falar comigo eu acabo sedendo. Terminei minha refeição, paguei a conta e saí com o copo de café em mãos.

Sabe, mesmo que pareça estranho, eu gosto de todas as vezes que temos contato físico. Eu amo a sensação da suave pele que o loiro tem, eu queria que ele me aquecesse com o seu toque, pois o calor que eu sinto ao ser abraçado por ele é aconchegante, me trás felicidade instantânea mesmo que por curtos segundos. Ele era, - é - e sempre vai ser o único a dar arrepios em minha pele.

—  Hoseok! — Despertei dos pensamentos alheios, olhei por cima do ombro para ter certeza de que não estava alucinado. Observei ele correr um pouco até me alcançar.

— Yoongi-hyung, pode me chamar só de Hobi se preferir. — Sorri bebendo um gole do meu café — Quer um pouco? Tem Chantili e Caramelo. — Ofereci.

—  Não, eu só tomo do preto mesmo, mas obrigado. — Pegou uma caneta e pôs dentro do caderno. — Eu gosto de te ver dançar — Soltou com um pequeno sorriso. Eu, praticamente me afoguei com a última golada de café.

—  Você dança muito bem. — Completou pondo uma das mãos no bolso da jaqueta. Senti minhas bochechas queimarem, eu devia estar semelhante á um tomate.

Ele é muito estranho, fica me evitando e agora vem me elogiar, só pode estar brincando comigo. Se bem que, ele fica tão lindo de touca preta, realça os fios loiros quase brancos, e sua pele fica ainda mais clara, deve uma fofura vê-lo corar.

—  Ah, o-obrigado! — Agradeci meio sem jeito.

Ele não sabe, mas me desconserta apenas com um olhar, um sorriso ou até mesmo um - raro - gesto de carinho. Me trás novas sensações, nunca me dá nada do que eu já experimentei.

—  Incrível. Músicas. Suas. São. — Soltei tropeçando nas palavras. Rimos.

—  D-desculpe, você me deixa me nervoso. — Admiti timidamente, grande erro.

—  Sério? E porque eu te deixo nervoso, huh? — Parou na minha frente, me fazendo prender a respiração.

Meu coração poderia explodir naquele momento.
 
—  Eu não sei como explicar. — "Porque você é o perfeito pecado, algo como a mais verdadeira mentira, Yoongi.", mas a frase ficou presa na garganta, então apenas engoli em seco. Recebi um olhar questionador com uma sobrancelha elevada. 

—  Vamos, ou iremos nos atrasar. — Caminhou me deixando pra trás. Olhei o relógio no meu pulso e faltava 25 minutos pra aula começar.  An?


~ Alguns Minutos Depois ~

 

Entrei na sala de ensaio jogando minha mochila em um canto qualquer, conectei os cabos do notebook à caixa de som, escolhi uma música do loiro, a mais recente que ele havia produzido com Namjoon.

Fechei os olhos me concentrando no ritmo envolvente, comecei a ter imagens nítidas do Yoongi em minha cabeça. Lembrei da sensação que o toque do mesmo me proporcionava, minha pele ficou quente e arrepiada. Aqueles lábios finos e rosados são os motivos dos meus desejos.

—  Hoseok-Hyung... — Um toque gentilmente frio e úmido me despertou, me fazendo acordar do transe, parando de dançar. 

—  Hyojin. Ahh... Turma! Entrem, entrem. Vão logo se aquecendo.

—  Sabe Hyung, eu queria dançar assim, como você. — Jungkook se aproximou, começando a se alongar.

—  Mas você dança até melhor dongsaeng. —  Elogiei o mesmo.

—  Não exagere Hyung, eu não conseguiria transmitir todo essa inspiração. — Enrugou os lábios — Como consegue? — Quis saber o moreno.

—  Jungkook, não é o ritmo nem os passos que fazem a dança, mas a paixão que vai na alma de quem à pratica. E eu posso afirmar que estou apaixonado, não só pela dança, mas também por uma pessoa. — Sorri largamente para o menor que tinha um olhar distante.

—  Como eu sempre digo à vocês... 

—  Os movimentos nos levam para outra dimensão sem nos tirar do lugar. — Falamos ao mesmo tempo.

— Ficar apaixonado machuca muito, ainda mais quando a pessoa é tão próxima de você. — Fez uma pausa — E talvez ele não sinta a mesma coisa. — Continuou o mesmo ainda com o olhar distante.

— Só talvez. — Encorajei — Já procurou perguntar se ele sente o mesmo? — Finalmente o moreno olhou nos meus olhos.

—  Se eu já sei qual vai ser a resposta, pra que perder tempo fazendo isso? Só vou me machucar confirmando o que já sei.

—  Você pode estar errado sobre que pensa. Porque não faz o teste? — Questionei, o pequeno pareceu refletir.

Assim que os alunos terminaram de se alongar, se posicionaram nos lugares certos. Coloquei a música tema da coreografia, e vislumbrei a performance dos mesmos. Estava tudo de acordo com o que eu planejava. Sincronizados e ritmados, meus alunos transmitiam confiança com as expressões faciais que cada uma das personalidades faziam. 

Foi mais do que gratificante saber que eles estavam prontos. Pus uma mix que Namjoon havia me indicado, ritmos rápidos, outrora mais lentos, nada que meus dançarinos não pudessem fazer.  Estava realmente emocionante!
 
— 5, 6, 7, 8! — Indiquei o início da próxima mix, a qual era mais complicada.

Observei atentamente, estavam indo muito bem. Depois que eles repetiram o ato umas três vezes sem errar, dei um descanso pra eles.
—  É isso aí turma! Eu disse que iriam conseguir! Tudo bem, podem descansar.
 

Aplaudi a todos, eles começaram o mesmo ato, me agradeceram por nunca ter desistido deles, elogiaram a competência de Hyojin, ela é uma ótima dançarina e muita das vezes me ajuda com as dúvidas sobre qual passo ficaria melhor com o ritmo de tal música/mix, sem falar nas vezes em ela sempre cuidou dos meus alunos enquanto eu estava ausente por conta de uma gripe ou algo do tipo. Todos estavam muito felizes, então os mesmos se aproximaram me cercando, e um enorme abraço em grupo foi iniciado. Eu estava tão feliz. Saber que todo o meu esforço valeu a pena, me deixou muito emocionado. 

Como eles alcançaram a meta do mês, liberei a sala pra danças solos, em duplas ou pequenos grupos. Eles mereceram então deixei Hyojin no comando das músicas, ela é muito responsável e é considerada - apesar de não ser oficial - minha substituta. Eles pediram pra mim dançar também, não resisti e fui fazer um solo. Fiz diversos movimentos expressando a felicidade que estava transbordando de mim naquele momento. Vários elogios ecoaram pela sala. 

Um dos alunos se aproximou e me avisou que havia alguém me esperando lá fora. Assenti olhando na direção da porta.

— Bom, agora é com vocês! Já volto turma. — Avisei, e alguns garotos foram dançar no meu lugar.

Saí da sala indo de encontro com a pessoa que me esperava.

—  Jin-Hyung! Posso ajudar em alguma coisa? —  Passei a borda da minha blusa na testa pra secar o suor.

—  Você não vai acreditar nisso. — Me puxou, fiquei surpreso com o ato mas o segui.

— O que aconteceu? — Fiquei preocupado, porém o Hyung a minha frente estava muito sorridente.

—  Sabe o Yoongi, né? Daah, lógico, pergunta besta. — Verirou os olhos se corrigindo, o que me fez rir soprado.

—  O que tem ele?! — Tentei não parecer tão interessado, mas falhei pois logo recebi "Hmmm" e um olhar desconfiado do mesmo.

Continuamos a caminhar pelo corredor até entrarmos no estúdio de gravações. As luzes estavam apagadas, o que eu estranhei um pouco. Tinha alguém dentro da cabine. Arregalei os olhos encarando um Jin sorridente.

—  Sim é ele. — O mais alto sussurrou.

—  Yoongi pensa que está apenas eu e ele aqui. — Namjoon sorriu —  A música foi eu quem fiz alguns versos, e o que faltava ele completou, está demais. Eu disse que seria legal cantarmos um Rap que criamos juntos, eu já cantei o meu verso, agora é vez dele. — Explicou com a satisfação em seus lábios e covinhas.

—  Posso? — Me referi aos fones que estavam no pescoço de Nam.

Ele assentiu e levantou da poltrona indo em direção ao Jin, envolvendo sua cintura e beijando seu pescoço. Confesso que não gosto de segurar vela, mas fiquei ansioso pra ouvir a voz do loiro que parecia concentrado ao cantar. 

— "Hip hop me encontrou
Assim como uma criança procura a sua mãe
Entrou na minha vida naturalmente
Eu era só um estudante naquela época
E foi quando decidi o meu objetivo de vida
Eu queria ser uma estrela do rap
Odiava viver o mesmo que os outros, a prematuridade de uma criança
Mesmo que as pessoas me avisavam e me seguravam
Hip hop persistia em mim
E virou minha vida do avesso completamente
O meu jovem eu que escrevia 16 versos na ponta de meus livros
Graças a isso, eu joguei fora minha vida confortável
E fui até um estúdio em Namsan-dong, Daegu
Durante toda a noite
Eu desgastava a ponta da minha caneta
No final dos meus esforços
Em vez de ter notas nas matérias da escola
Enchi minhas rimas
E foi o que fez os meus sonhos se realizarem
Todo mundo me perguntava: o que é hip hop?
Então eu confiantemente respondia: meu tudo
Como resultado, minha vida se afundou na música
Se amar essa cultura é um pecado
Eu morreria mais de cem vezes sem arrependimento.
"*

—   Incrível, ele canta muito bem. —  Fitei Namjoon ainda abraçando Jin por trás, revirei os olhos.

—   É verdade, quando Namjoon me enviou a mensagem avisando, eu fiquei tão surpreso quanto você. Já que vocês se gostam, precisava te avisar, por isso te puxei até aqui.

—   Amor! — Namjoon chamou atenção do castanho a sua frente com um olhar de "Não era pra ter dito isso".

—  Q-que, c-como assim, eu n-não gosto dele. — Menti tentando me defender, falhando miseravelmente.

—   Hoseok, você não sabe mentir. — Namjoon me alertou, rindo em seguida.

—  M-mas eu n... — Fui interrompido por um Yoongi que acabará de sair da cabine.

—  Porque ele não sabe mentir? — Nos encarou.

—   Você não me disse que cantava tão bem assim. Foi muito bom! — Tentei disfarçar mudando de assunto.

—  Namjoon, você disse que ninguém saberia. — Me ignorou totalmente em seguida questionando o Hyung.

—  Ninguém exceto o mozão — Corrigiu — mas, relaxa, estamos entre amigos.

—  E o que ele faz aqui? — Me encarou, eu engoli em seco.

—  Ninguém mais saberá, confia em mim. — Namjoon deu uma piscadela pro loiro.

—  Que mal há as pessoas saberem? Você é ótimo! —  Jin tentou aliviar a tensão que havia se formado.

—  Obrigado hyung. —  Yoongi  agradeceu.

Só pode ser brincadeira, eu também estou aqui, eu te elogiei primeiro seu idiota. E como assim "o que ele faz aqui?", foi o Jin que me trouxe aqui, eu nem sabia que isso estava acontecendo se não fosse o Jin-Hyung. Quer saber, cansei, desisto de tentar lembrá-lo da minha existência.

Me levantei da poltrona colocando os fones no assento, segui em direção a porta com minha raiva estampada no rosto.

—  Hobi... — Jin me chamou —  Onde você vai? — Quis saber o mesmo.

Fuzilei o Yoongi antes de responder.

—  Tenho que ir. — Me retirei do estúdio e caminhei e de volta pra minha sala.


 
                                                                                                                               ♡



— Droga, por que eu sou tão trouxa ? — Pensei em voz alta retirando minhas roupas.

Debaixo do chuveiro, no banheiro do meu quarto, eu tentava lavar meus pensamentos.
Depois que voltei pra minha sala, tentei me distrair com meus alunos. Eles mostraram as coreografias que haviam criado, retirado da internet ou aprendido comigo. Mas, a frase que o Jin-hyung havia dito pra mim, me fez refletir quase que a tarde toda. "Já que vocês se gostam", ficou martelando um bom tempo na minha cabeça. Fiquei me perguntando se eles sabiam de alguma coisa que talvez Yoongi poderia ter dito em relação à mim.

Eu queria ir pra casa, e acabei liberando os alunos mais cedo. Ao chegar em casa, queria relaxar e não conseguia. Eu precisava tomar um banho.

Mas a perfeita canção do loiro não saía da da minha mente. Com uma voz meio rouca, se tornava inspiradora. Ele estava disposto a não trocar as fortes opiniões que continha, com um tom meio debochado, mas determinado a dizer o quanto ele correu atrás pra fazer o que mais amava - e ama -, demonstrando ser mais forte do que era, foi capaz de transmitir seu amor pelo Hip-Hop. Foi lindo ver o modo como ele permanecia de olhos fechados pra se concentrar na melodia. Seus lábios cantavam seus pensamentos.

Ao sair do banho, procurei algo confortável pra vestir. Sentei na cama pensando desta vez no lado frio que o outro deixava transparecer. Eu não conseguia diferenciar as palavras dele, se minha presença o incomodava ou se ele era tímido demais, a cada vez que ele me ignora, eu sinto um aperto no meu coração. Me sinto como um idiota implorando por uma atenção que nunca irei ter. Tão ingenuo, tão apaixonado.





                                                                                                                             ♡


~ Dois Dias Depois  ~ 
 

Em um sábado, depois de assistir quase três filmes seguidos na Netflix, desliguei a televisão da sala, penteei meu cabelo para trás com minhas mãos cansadas, peguei a jaqueta que estava pendurada no cabideiro e saí para caminhar um pouco.  Precisava de ar fresco. 

Em um lugar mais calmo do bairro, tentei retirar o loiro dos meus pensamentos, mas não adiantava, se ele continuava no meu coração. Enquanto eu fecho os olhos e solto um suspiro, sinto as primeiras gotas me despertarem do transe, eu podia ouvir claramente a chuva batendo no chão, meus lábios se esticam em um sorriso, é a melhor música de fundo.

Depois de alguns minutos, eu podia ver o asfalto com uma camada cristalina da água mais fria que o céu podia mandar. Minhas roupas estavam encharcadas e meus sapatos estavam sujos, porém, nada melhor que um banho de chuva pra lavar o coração de toda confusão da minha cabeça. Como um cara louco, comecei a dançar. Tudo neste mundo estava lento. 

Estava anoitecendo, e as pancadas de chuva batiam contra o meu o corpo em movimento. No meio daquela praça quase vazia, vislumbro a cor densa - igual as minhas emoções momentos atrás - aos poucos tomar conta do céu, mas isso não impedia da lua brilhar por atenção. Me senti mais aliviado, meu corpo estava gelado devido o frio, mas minha alma estava quente. Provavelmente ficarei gripado, mas valeu a pena lavar a alma. 

Me pergunto que horas são. Decido voltar pra casa. Ao chegar na frente de meu prédio, tive que subir alguns degraus até chegar no meu apartamento, já que não podia usar o elevador - estava com defeito.

Prendi minha respiração ao dar de cara com um Yoongi encostado na parede próximo da porta. "Oque ele está fazendo aqui? Como Sabia onde eu moro? Ele não vai estragar minha noite."

—  O que está fazendo aqui? — Me aproximei da porta tentando não encara-lo.

—  Eu vim te buscar. Você está encharcado. — Respondeu, eu peguei as chaves destrancando a porta.

—  Não me diga o que eu já sei, buscar pra irmos à onde? — Fui grosso.

Ele ficou calado, e, foi o primeiro olhar com tristeza que recebi do mesmo, o que me fez querer pedir desculpas na mesma hora. "Eu não era assim, a culpa é sua, seu idiota."

—  Está esperando um convite? — Encarei o loiro que ainda permanecia na porta.

—  Eu não sou mal-educado, sei respeitar a privacidade das pessoas. —  Suspirou antes adentrar o local.

Retirei minhas roupas molhadas colocando em um cesto próximo da máquina de lavar. O loiro teve uma reação bem interessante ao me ver nu da cintura pra cima, e, sim eu gostei quando ele deslizou a língua pelos lábios e em seguida os mordeu.

—  Hm, eu já volto. —  Anunciei indo em direção ao meu quarto.

—  Aonde vai? —  O outro quis saber.

—  Vou tomar um banho e ir me trocar. —  Respondi o encarando, e Yoongi assentiu. 




                                                                                                                                   ♡


 

Fitei o loiro ao lado da estante, segurando um retrato meu de quando era pequeno. Ele parecia bem concentrado.

— Como sabia onde eu moro? — Tirei-o de seus devaneios.

— Eu te seguia depois do trabalho. — Ele sorriu, provavelmente da careta que eu estava fazendo - Estou brincando, perguntei ao Namjoon. 

— E o que veio fazer aqui? Porque queria saber onde eu moro? E que papo foi aquele de "eu vim te buscar"? — Interroguei imitando a voz do mesmo a última frase - o que foi ridículo, mas pelo menos ele me deu um sorriso gengival - meu coração estava a mil.

—  Você era muito fofo quando pequeno. — Devolveu o retrato ao lugar de sempre e sentou no sofá.

—  Eu era? — Entortei os lábios em um bico, me sentando ao lado do loiro em seguida.

—  Continua sendo. — Corrigiu me dando uma piscadela.  

Ele me fitou profundamente, desviando o olhar as vezes em direção a minha boca e eu só pude acompanhar o ato, é claro que, eu estava gritando por dentro, mas me mantive bem calmo por fora. O silêncio quase reinou. 

—   Ainda não me respondeu. — Quebrei o gelo.

—  O que? — Se fez de desentendido. 

Encolhi os olhos o fitando desconfiadamente, o mesmo suspirou fundo antes de responder.

—  Namjoon me deu o seu endereço e Jin-hyung sugeriu que eu te levasse ao cinema. —  Até que enfim, presenciei aquelas bochechas claras tomarem uma tonalidade um tanto vermelha, e como eu imaginava, Yoongi fica maravilhosamente lindo corado.

—  Esses dois estão agindo meio estranho à um tempo, eu hein. — Fingi estar desinteressado.

—  Pois é. 

—  Mas, o que você quer fazer? — Minha destra teve a ousadia de tocar nos fios teimosos quase brancos - outrora dourados - da franja do mesmo.

—  Ficar com você. —  Tocou suavemente na destra que estava a passear em sua franja, entrelaçando os dedos em seguida.

—  C-como assim? —  Minha respiração sincronizou a dele, meus batimentos provavelmente também, mas de que isso importa? Estamos a centímetros de distância.

—  Assim. —  Nossos lábios roçavam um no outro.
 

Yoongi finalmente selou nossos lábios, o que começou calmo foi se tornando intenso, segurei a nuca do loiro aprofundando mais o beijo. Ele pediu passagem e eu não exitei. Nossas línguas se entrelaçavam com calma, e ambos exploravam mais da boca um do outro. 

Enquanto isso eu sentia a pressão dos dedos passearem por todo meu corpo, me deixando completamente arrepiado. A maldita falta ar quis ser notada, nos afastamos para respirar.

Ele me puxou me fazendo sentar em seu colo, eu podia sentir um leve volume em sua calça, o que me fez sorrir no mesmo instante - Deus, foi eu que deixei ele assim! Comecei a beijar, sugar e morder a pele macia e branca que era seu pescoço, deixando rastro meio vermelho/roxo no local. Sem mais delongas voltei a beija-lo. 

Eu suspirava em meio aos beijos enquanto sua destra apertava minha cintura por dentro do moletom, enquanto a outra afundava passeando pelos meus cabelos negros. Parecia um sonho, e se fosse, eu não queria acordar, eu havia ansiado aquele momento durante tanto tempo. Eu não faria nada além de render. 

— Hobi... — Sussurrou em meu ouvido com um tom de voz rouca, deixando meu corpo quente.

Me afastei, e ele me surpreendeu segurando firme meus braços, impedindo de que eu me afastasse totalmente, eu o fitei com um olhar sacana, me reaproximei do mesmo que segurou em meu bumbum desta vez, esperando meu seguinte ato.

—  Me faça sentir completo por dentro. — Sussurrei no ouvido alheio, mordendo a orelha do mesmo em seguida.

Saí do colo do mesmo, o puxando em direção ao meu quarto, e por conta dos selares, as roupas foram esquecidas no caminho.

Adentramos o quarto com um beijo quente e cheio de segundas intenções, andamos desajeitadamente até a cama deitando logo em seguida, ele se apoiou com cotovelos enquanto minha destra segurava seu membro que pulsava por atenção e eu estava louco pra provar o sabor dele.

Minha canhota apertava e massageava as coxas pálidas de Yoongi, enquanto a destra começava a masturba-lo. Preenchi minha boca com o sexo do mesmo, chupando com força, lambendo a glande, movimentando de cima a baixo com a destra. Ele tinha reações maravilhosas, era lindo vê-lo morder os lábios e jogar a cabeça pra trás com cada ato que eu fazia.
 

Os gemidos, suspiros, olhares que ele me dava, só me deixava mais excitado, me fazendo querer sentir as mil sensações que apenas ele me proporcionava. O loiro poderia pegar um pouco da minha alma, do meu coração, do meu corpo, eu não ligo, eu só quero que ele me faça sentir dele por completo. 

Com uma de suas mãos, Yoongi iniciou um cafuné em meus cabelos, vez ou outra empurrando mais fundo, me fazendo quase engasgar, ele me fitava enquanto castigava seus lábios totalmente vermelhos.

Dei uma forte sugada no membro alheio antes de beijar aquela boca deliciosa. Ele foi me deitando na cama de forma mais cuidadosa possível, isso era tão fofo que meus risos eram soltos em meio aos beijos.

Ele começou a beijar meu pescoço, e depois desceu até minha barriga. Continuou beliscando meu peito com uma de suas mãos, a outra subia e descia meu membro de forma lenta, torturando-me com beijos em minhas coxas.

Meus gemidos escapavam de meus lábios quando vislumbrei o mesmo começar a sugar meu sexo com calma. Só consegui aproveitar a deliciosa sensação que ele me dava, não conseguia pensar em mais nada a não ser no maravilhoso boquete que Yoongi fazia em mim.
 

Depois de terminar o serviço, ele me virou de costas, deu um comando e eu logo obedeci ficando de quatro na cama. O loiro apertava minhas nádegas separando-as, em seguida, ele começou a lamber minha entrada, quase fiquei embriagado com aquela sensação, era quase impossível de controlar meus suspiros/gemidos quando ele me invadia com sua língua quente. Era tão bom, eu poderia gozar apenas com aquela tortura.

—  Y-Yoongi... P-por f-favor... — Minha voz falhava com a cada palmada que levava do loiro.

— Fala Hobi, me da uma sugestão do eu devo fazer com você. — Mordeu minha nádega no local em que havia acabado de bater, enquanto eu o vislumbrava por cima do ombro. 

— Me fode gostoso! — Gemi alto quando ele me invadiu com dois dedos.

Logo seus dedos foram substituídos pelo seu próprio membro. Minha entrada demorou um pouco pra se acostumar com o volume de Yoongi, o que foi deliciosamente prazeroso. Nossos gemidos se misturavam, ecoando por todo o quarto.

Meu sexo queria alívio e desejava atenção o mais rápido possível, então, comecei a me masturbar, o loiro proferia estocadas fortes e precisas, outrora lentas e saindo quase totalmente, acabando com minha sanidade. O suor de ambos deslizava pelos corpos alheios. 

— Hobi... Deita de frente pra mim. — Ordenou em meios aos suspiros.

Assim eu o fiz. Ele deitou em mim estocando mais devagar, minhas unhas deixavam rastros vermelhos nas costas dele. Eu olhei fundo naquelas órbitas quase negras de desejo. Ele pressionou levemente seus lábios em minha testa. Fechei os olhos aproveitando mais daquela sensação. A respiração dele batia em meu rosto com suavidade, abri os olhos lentamente vislumbrando aquela linda cena: Yoongi mantinha seus olhos fechados, seus lábios estavam entreabertos, suas bochechas estavam coradas, uma camada fina e cintilante de suor permanecia em seu rosto. Selei nossos lábios, transmitindo todo o meu carinho, amor e desejo naquele instante. 

Ele começou a se movimentar com mais velocidade, nossos corpos se chocavam com certa violência, o volume dos meus gemidos aumentavam a cada estocada com força que o mesmo dava. Faltava bem pouco para mim chegar ao ápice.

O loiro saiu totalmente, entrando de uma só vez, acertando meu ponto sensível. Ele envolveu meu membro com uma das mãos e começou a movimentá-lo de cima à baixo com muita velocidade. Eu acabei sujando minha própria barriga e as mãos de Yoongi, que gozou dentro de mim logo depois. 

Permanecemos naquela posição por uns minutos até que nossas respirações se acalmassem. Depois, Yoongi deitou ao meu lado, envolvendo minha cintura, e assim eu deitei sobre seu braço destro o abraçando, e seguida envolvendo uma de suas coxas. Nos fitamos por longos minutos, ele novamente beijou minha testa e sorriu. Eu realmente estava com uma ótima sensação naquele momento.

Pousei um selar nos lábios alheios e logo fui correspondido. Com a canhota, ele fazia um leve cafuné em minhas madeixas negras.

Um leve arrepio percorreu todo o meu corpo. Ele fechou seus olhos lentamente, observei-o pegar no sono, seu rosto estava sereno, uma das imagens mais lindas que já vi. E, - por mais que eu achasse isso mais cedo - ele não estragou minha noite. Na realidade, foi maravilhoso tê-lo por completo.



                                                                               
                                                                                                                                 ♡




 

Acordei com a claridade atravessando as cortinas. Minha visão estava meio embaçada, esfreguei os olhos e vislumbrei um Yoongi amarrar o cadarço de seu tênis.

—  Bom dia meu bem. — Envolvi a cintura do loiro, desferindo um beijo em seu pescoço. 

—  Bom dia Hobi. — Bae olhou por cima do ombro, aproveitei a chance e roubei um selar.

O mesmo pulou em cima de mim, me dando vários beijinhos. E quando o loiro cessou o ataque de beijos, nos fitamos longamente.
Vislumbrei mais uma imagem linda: os raios de sol iluminavam ainda mais a pele clara do loiro que sorria levemente, seu olhar procurava cada canto do meu rosto, mas quando encontrou o meu, ele cintilou, um sorriso gengival se formou nos lábios rosados de Yoongi. Eu pude admirar tamanha beleza por longos minutos. Me aproximei selando nossos lábios em um beijo calmo. Minha cintura foi envolvida com certa força e rapidez, o que provocou sorrisos em meio ao beijo. 

—  Preciso ir. — Yoongi se levantou da cama indo em direção a porta do quarto.

—  Mas hoje é domingo. — Indaguei.

—  Eu sei disso. Mas preciso mesmo ir. —  Saiu do cômodo.

Eu apenas tive o reflexo de vestir uma camiseta - que estava jogada no chão - e segui-lo.

—  Você não vai nem tomar café? — Quis arranjar uma desculpa pro loiro não ir embora.

—  Não Hobi, mas... — Se aproximou de mim perigosamente - obrigado, pela noite maravilhosa.

Senti minha cintura ser envolvida pelos braços alheios, instantaneamente coloquei meus braços em seus ombros. Ele colou nossos corpos, e eu colei nossos lábios. Dando início a um beijo lento e profundo, ele pousou a destra em cima do meu bumbum. Eu segurei sua nuca, acariciando seus cabelos. Nos separamos em busca de ar.

—  Sabe, eu devo admitir que: você fica lindo com essa camiseta.

—  Obrigado. Mas, porque tem que ir tão cedo? — Não consegui manter a boca fechada. 

—  Você faz muitas perguntas. — Acariciou minha bochecha.

—  Tem compromisso agora? — Insisti.

—  Não disse, muitas perguntas. — Continuei a encará-lo, ele sorriu de leve, mas suas feições estavam diferentes. —  Não, eu não tenho...

— Fez uma longa pausa, o que me assustou um pouco — Eu só não posso ficar aqui depois de ontem. — Abaixou a cabeça se afastando.

—  An? D-do que v-você está falando? —  Uma dor muito forte tomou conta do meu peito.

Primeiro ele agradece pela noite de ontem, e agora insinua que foi um erro? Qual é o problema desse cara?

—  E-eu não devia ter vindo aqui ontem, eu n-não devia ter te beijado... Eu não d-devia ter... — Deixou a frase morrer.

Meus olhos estavam marejados, eu sentia uma mistura de raiva, tristeza e decepção.

— Então... Ontem, o que rolou entre nós foi um erro? — Não consegui mais segurar, as lágrimas começaram a cair.

— Sim... Quer dizer n-não! Não! Ontem... — Não completou a frase.

— Eu... Fui só uma foda? É isso? — Ele finalmente me olhou nos olhos e, eu pude ver que claramente que, ele também estava chorando.

— Não! Você não entende, não é? — Limpou as lágrimas teimosas.

— A única que estou entendendo no momento é que, eu fui idiota demais. —  Fui grosso, de novo.

— Não entende mesmo. — Seu rosto estava corado devido as lágrimas.

— ENTÃO ME EXPLICA! — Soltei, soluçando em seguida.
 

Ele apenas negou com a cabeça. Yoongi seguiu em direção à porta - dessa vez, da saída. Andei até a mesma e nossos olhares se encontraram novamente, ele sorriu fraco antes descer os degraus da escada. 

Fechei-a com força, em seguida deslizei sentando no chão. Mesmo que eu quisesse, não conseguia parar de chorar. Novamente eu fui um idiota. Gritei em frustração comigo mesmo, soquei o chão diversas vezes. Abracei meus joelhos, deitando minha cabeça nos mesmos, as lágrimas continuavam a cair. 






                                                                                                                                         ♡





 

Sim, eu definitivamente admito estar apaixonado por Min Yoongi. Mas, eu não sei se posso dizer o mesmo do loiro. O que eu posso afirmar é que ele voltou a me ignorar. E como se não bastasse, eu estava desconcentrado demais para efetuar os passos de dança.

Era quase impossível não relembrar tudo que ocorreu no meu apartamento naquele sábado, o perfume dele sob os meus lençóis, o modo como ele havia me tratado, tão carinhoso, arrancando sorrisos bobos em meios aos beijos, os toques dele sob minha pele, o contato que nossos corpos tinham à cada instante, as recentes lembranças de que tudo aquilo  realmente havia acontecido.

Além disso, as músicas na qual eu danço são feitas por ele, e apesar de Namjoon criar os ritmos e algumas letras, Yoongi fazia quase todas, e essa mix, estava sendo cantada por ele. O que tornava tudo ainda mais difícil.

Nessa quarta-feira, eu estava sendo corrigido pelos meus próprios alunos. O que me fez refletir: o que aconteceu comigo ?

—  Intervalo turma! — Anunciei pausando a mix.

—  Hoseok-ssi, está meio distraído hoje. — Ela comentou.

—  Ah, sim, estou com alguns problemas e, isso tem me atrapalhado um pouco. —  Confessei.

—  Se precisar conversar, eu estou aqui. —  A moça de cabelos curtos sorriu carismática.

—  Obrigado Hyojin, mas não é nada importante. —  Ditei, a mesma assentiu, indo de encontro aos alunos.

Segui em direção a minha mochila que estava no canto da sala, peguei uma toalhinha que estava em cima da mesma, secando o suor em seguida. 

—  Hobi-Hyung? —  Jungkook se aproximou me trazendo uma garrafinha com água.

—  Obrigado. — Aceitei a mesma bebendo um pouco do liquido. 

—  O senhor está bem? — Quis saber o menor com um tom preocupado.

—  Sim eu estou, não se preocupe comigo saeng. — Sorri minimante, não conseguia disfarçar minha tristeza — E então, no que posso ajudar?  —  Perguntei para o moreno ao meu lado.

—  Talvez  eu  possa ajudar hyung. —  Vislumbrei um sorriso caloroso nos lábios do menor.

—  Como?  —  Quis saber. 

—  Não sei o que senhor está passando no momento, mas lhe aconselho a não desistir daquilo que acredita, ou, lhe faz bem. —  Pousou sua canhota gentilmente em meu ombro.

—  Obrigado saeng. Mas no momento é melhor que eu desista antes de me machucar, de novo. — Brinquei, mais é como dizem: Toda brincadeira tem um fundo de verdade.

—  Sabe, eu resolvi escutar aquele seu conselho e, deu certo. — Me fitou fixamente. — Eu descobri que ele tinha mais medo de se confessar pra mim, do que eu pra ele. Dá pra acreditar? — Fez uma pausa. — Saímos de relação para relacionamento, estamos namorando. — Tentou conter o sorriso bobo mas falhou.

—  Meus parabéns Jungkook! E quem é "ele" afinal de contas? —  Perguntei, só pra confirmar minhas suspeitas.

—   Meu melhor amigo, Taehyung. —  Corou fortemente, tão fofo.

—  Yah! Vocês combinam. Felicidades pequeno. — Baguncei as madeixas negras do mesmo.

—  Obrigado hyung. — Sorriu ajeitando seus cabelos.

—  Hoseok-hyung... — A ruiva de cabelos lisos e curtos se aproximou — Namjoonie está lhe esperando na porta, ele precisa falar com o senhor. — Avisou.

—  Obrigado Minzy. —  Segui em direção à porta, indo de encontro ao maior.

Ao passar para fora, quis voltar imediatamente, pois logo percebi que ele não estava sozinho.

—  Queria falar comigo? — Ignorei o indivíduo ao lado de Nam.

—  Na verdade, nós  precisamos. — Gelei ao encontrar o olhar do loiro.

—  Acho que vocês precisam esclarecer algumas coisas. — Namjoon nos fitou — Hoseok, se precisar, eu fico com seus alunos, mas eu vou avisando, não sou um bom dançarino. — Suas covinhas reinaram nas bochechas alheias.

—  Não será necessário hyung, eu não tenho nada pra esclarecer. — Fuzilei Yoongi que suspirou cansado. 

—  Okay, eu fiz minha parte, agora faça a sua. — Namjoonie bateu de leve nas costas do loiro, entrando na minha sala em seguida. Só pode ser brincadeira, que filho da mãe! 

—  Não podemos conversar aqui. Vem comigo. — Segurou minha mão entrelaçando nossos dedos. Por mais que eu quisesse contrariar esse ato, não conseguiria, por tanto, apenas o segui, me xingando mentalmente por ceder tão facilmente. 

Seguimos em direção ao corredor, eu me sentia meio desconfortável por causa do enorme silêncio ensurdecedor que havia se concretizado entre ambos.

Adentramos a sala de Namjoon, que - por milagre - estava organizada. Ele soltou minha mão, pegando alguns papéis em cima de um sofá de couro, os levando para uma das mesas.

—  Precisamos conversar. — Sentou no sofá de couro fazendo gesto com a mão pra mim sentar também.

—  Precisamos? — Falei em tom sarcástico, sentando em seguida. — Você enlouqueceu? Porque colocou Namjoonie nessa situação?

— Primeiro, se eu enlouqueci a culpa é sua. Segundo, estávamos conversando sobre você, e eu contei à ele que aviamos brigado. E terceiro foi ele que deu a ideia de ir lá na sua sala, então agradeça a ele. — Bufou me encando.

Eu até queria responde-lo, mas, o "sobre você" me fazia querer gritar, eu fiquei sem argumentos e pra piorar meu coração acelerou. Não conseguiria manter a raiva por muito tempo, na verdade, meu peito começou a doer de tanta tristeza, eu quis chorar ali mesmo e dizer o quanto sou um idiota por amar outro idiota.
 
—  Hoseok. — Me arrancou dos pensamentos.

—  O que você quer Yoongi?

—  Hobi desculpa, eu sei que eu errei. 

—  Não, não! Não pode simplesmente ignorar minha existência, e me notar quando tá afim.

—  Eu sei, é só que, na minha vida as pessoas tem o habito de me ignorar e quando eu fui na sua casa aquela noite...

—  Yoongi, não temos o que conversar. Basta fingir que nunca aconteceu. — Como sempre faz.

—  Esse é o problema Hobi, eu não consigo, eu não posso e não quero esquecer o que houve entre a gente! Eu tenho tanta coisa pra te falar, mas não sei como você vai reagir! — Alterou o som de sua voz, ele estava ficando nervoso?

—  Então o que foi aquilo que você me disse lá... — O mesmo me interrompeu.

—  Aquilo, não era pra valer ta bom? —  Segurou minhas mãos.

—  Sério? Porque pareceu bem convincente pra mim! — Puxei minhas mãos de volta, meu peito doía muito.

—  Eu não queria admitir no começo, mas ficou impossível não pensar em você. Eu não pretendia dormir com você, eu só queria te ver. Mas depois que você tirou a roupa e disse que ia tomar banho, eu não consegui controlar meus pensamentos, eu não parava de imaginar em como devia ser maravilhoso... — Deixou a frase morrer, meu coração enlouquecia a cada palavra que saía dos lábios finos de Yoongi. 

—  Devia ser maravilhoso o que? — Eu senti aquela brisa morna em minha nuca.

—  Poder tocar todo o seu corpo e, te sentir mais de perto, provar o sabor dos seus lábios, sentir o cheiro da sua pele, ouvir como você geme. — Me encarou mordendo os lábios, mas logo desviou o olhar. — Eu tentava te tirar da minha cabeça, tentava não pensar em como você dança tão bem, em como é tão lindo, em como tem um cheiro tão doce, ou em como você fica adorável todo corado... Como está agora. — Fez carinho em minhas bochechas que queimavam de vergonha, eu afastei sua mão do meu rosto gentilmente.

—  Essa briga acabou prejudicando minha dança. E apesar de eu tentar esquecer, não consegui. Esses últimos dias, foram horríveis. — Admiti.

—  Eu sei, eu sei, pra mim também. — Concordou.

—  Porque você foi embora? Eu fiquei tão feliz, tanto naquela noite, quanto triste naquela manhã. Você não sabe o que eu senti ao ouvir tais palavras sair de sua boca. — Meus olhos estavam marejando, mas eu me segurava ao máximo pra não derramar nenhuma lágrima, de novo.
— Eu não sou muito bom em me expressar com palavras, ta bom, se elas não estiverem em um papel ou junto de uma melodia, eu não consigo. — Seu tom de voz foi fraco, quase falhando na última frase.

— Porque não experimenta tentar? — Segurei as mãos tremulas do mais velho.

— Quando eu te conheci, eu queria acreditar que era apenas atração física, eu não queria admitir pra mim mesmo que, um cara como você... 

—  Um cara como eu? — Interrompi tentando controlar minha respiração descompassada. 

—  Sim Hobi, um cara como você: engraçado, brincalhão, curioso, esperto, talentoso, maravilhoso, — Fez uma pausa se aproximando perigosamente — tão lindo, e as vezes até bobo. Eu não conseguia entender o porque que você era tão importante pra mim, ou porque eu sentia coisas quando você estava por perto. Você, apenas me completava, tão perfeitamente. — Ditou pausadamente, suspirando aliviado. 

Encarei aqueles lindos olhos brilharem como nunca. Eu sabia que era difícil pra alguém tímido se confessar assim, falo por experiencia própria e, ele estava indo muito bem. Eu finalmente sentia que era correspondido pelo loiro. Me senti mais confortável, eu estava mais calmo depois de tais palavras.

—  Levanta. —  Me levantei do sofá de couro insinuando que ele fizesse o mesmo.

—  M-mas... —  Ele me fitou surpreso levantando em seguida. 

—  Prazer, eu sou Hoseok, Jung Hoseok. Mas pode me chamar só de Hobi. —  Comentei estendendo a mão. Ele me fitou com dúvida, mas logo entendeu o recado.

—  Muito prazer Hobi, eu sou Min Yoongi. —  Apertou minha mão entrando na brincadeira.

— Eu amo dançar, pra falar a verdade eu danço desde de pequeno, gosto de hip-hop, — Dei uma pausa — meu café preferido é com caramelo e chantili, gosto de comer coisas doces, amo assistir filmes, de preferência os românticos, — Ele revirou os olhos sorrindo — sempre quis adotar um filhote de cachorro, eu acho eles tão fofinhos, e, estou apaixonado por você. — Ele sorriu negando com a cabeça.

— Eu amo escrever músicas, tento transmitir através delas o que não consigo falar, basicamente escrevo meus pensamentos, — Eu sabia! Isso explica muito — não sou fã de café com acompanhamento, pra mim beber puro está ótimo, prefiro comer coisas salgadas, — Implicante — não assisto muito filmes mas se for preciso, eu criaria a trilha sonora de milhares só pra ver um lindo sorriso em seus lábios, — O sorriso bobo que surgiu foi inevitável — não tenho animais de estimação mais se fosse pra adotar eu escolheria um filhote de gato, eles são mais fofos, e, eu nunca pensei que admitiria isso mas, estou apaixonado por você. — Nos aproximamos, ele envolveu minha cintura e eu o pescoço dele.

Sorrisos foram trocados, estávamos a centímetros... 

— E então como voc... —  Namjoon entrou na sala nos surpreendendo. — Aa-ahr, me d-desculpem eu não queria atrapalhar. —  Gaguejou.

— Tudo bem hyung. — Falei, e então rimos da expressão nervosa dele.

— E aí como eles... — Jin apareceu logo atrás — Eu não falei que eles estariam ocupados! — Bateu no ombro do namorado.

— Aí! - Namjoon choramingou tocando no local agredido — Mais eles nem estavam.. — Foi interrompido por um Jin super chateado e irritado. — E se fosse a gente hein? Você gostaria de ter sido interrompido? An?

Eu e Yoongi só podíamos gargalhar daquela cena engraçada. Explicamos aos dois que aviamos nos entendido e que estávamos "recomeçando", eles entenderam perfeitamente e nos convidaram para um jantar na casa de Jin-Hyung no final de semana. Nós aceitamos, então eles saíram.

Nos beijamos umas três vezes antes de eu voltar pra minha sala. Ao chegar na mesma, me orgulhei de ver que os alunos estavam ensaiando a coreografia sem meus comandos. Minzy, uma excelente aluna - assim como Jungkook - estava passando os passos e eles estavam a seguindo corretamente, Jungkook estava ao lado dela dando uma forcinha. Hyojin apenas observava incentivando os dois à continuarem.
 

Fazia apenas 2 anos e quase 3 meses que meus alunos estão sendo trainees, e isso me deixa satisfeito com o trabalho bem feito que eles fazem. Já apresentaram em diversos locais, participaram de algumas competições, tanto solo como em grupo, e eu percebi que tem alguns funcionários - das empresas de entretenimento - que já assistiram tais apresentações e ficaram bem impressionados com a capacidade de meus alunos. Quem sabe daqui a alguns meses ele possam conseguir o tão sonhado contrato para debutar. 





                                                                                                                                           ♡






—  Tenha um bom dia e uma ótima aula meu amor!  —  Taehyung envolveu a cintura de Jungkook fazendo o moreno corar. 

—  Idem amor, até mais tarde. —  O moreno olhou em volta antes de roubar um selar demorado do ruivo. Eles se despediram logo depois, Taehyung seguiu em direção a sua sala - de canto -, e Jungkook finalmente adentrou a minha.

—  Que ótimo jeito de se começar uma manhã de sexta. —  Brinquei sorrindo do moreno que estava com um sorriso bobo estampado em seu rosto.

—  Hyung! Não sabia que estava nos observando. —  Corou pondo sua mochila num canto qualquer. 

—  Ele foi muito fofo e gentil com você saeng. —  Preparei a mix esperando o resto dos alunos chegarem.

—  Sim, ele é incrível. Mas como senhor está? —  Perguntou começando a se alongar.

—  Bom, eu até ia tentar esquecer o que houve, mas, ele foi sincero se declarando pra mim. —  Senti minhas bochechas arderem. 

—  Vejo que gosta muito dele hyung. —  Comentou esticando seus braços pra cima.

—  Sim, e não consigo disfarçar isso de ninguém. —  Confessei.

—  E quem seria "ele" afinal de contas? — Senti a ironia deslizar de seus lábios.

Ri soprado antes de responde-lo. —  Minha inspiração é o dono dos lábios mais doces deste mundo, ele é o Yoongi. —  O moreno me olhou assustado como se pensasse "Quê? Como assim? Eu ouvi bem?".

—  EU SABIA! —  Exclamou e alguns alunos nos fitaram confusos.

—  Shhiuu... —  Segurei o riso e, ele me encarou com as mãos na boca —  Como assim "eu sabia"?! —  Perguntei confuso.

—  Eu tinha notado que havia algo entre vocês, e também TaeTae me revelou que Jin-Hyung comentou com ele, o que Yoongi-ssi havia dito pro Namjoon-Hyung. — Me olhou em expectativa e eu fiz menção para que continuasse — Ele gostava de você, mas não queria te dizer por achar que não seria correspondido, e eu pude apenas confirmar minha teoria. — Seu sorriso se tornou largo. Jungkook parecia aquelas vovozinhas fofoqueiras que não tem o que fazer.

— Por que não me disse isso antes? —  Fiquei boquiaberto com a "revelação" de Kookie. 

— Eu até ia contar, mas, acabei esquecendo completamente quando TaeTae se declarou minutos depois. Desculpe hyung. — Se levantou terminando de se alongar.

— Tudo bem, isso já não importa mais, tudo se esclareceu e estamos resolvidos.  — Admiti.

Ao terminar de conversar com Kookie, anunciei aos alunos que ficassem em suas posições. Pus a mix pra tocar e depois, começamos a ensaiar.

Eu fiquei no centro, vez outra trocávamos de lugares, eu adicionei um passo que um dos alunos tinha sugerido, até que ficou muito bom, e o resto da turma ficou bem satisfeito com o novo passo que Hyojin havia criado.

Repetimos os passos várias vezes, alguns alunos ainda erravam o passo novo, mas não perdiam a paciência, era preciso aprenderem algo novo a cada dia, sempre tem uma dificuldade, mas, quando esta é vencida, não há sensação tão boa de orgulho por ter conquistado o que tanto desejou.

Depois de quase trinta minutos ensaiando, dei uma pausa de quinze minutos pra eles descansarem. Peguei minha garrafinha de água bebendo um grande gole do liquido, logo em seguida peguei a borda da minha camiseta e sequei o suor que escorria pelo meu rosto.
Depois da maioria saber a coregrafia, eu separei aqueles que tinham dificuldade com o passo de Hyojin e chamei-a para me ajudar com os mesmos. Nós fizemos devagar, e fomos aumentando a velocidade sem o som da música.

Depois tentamos com a música e um pouco mais rápido. Hyojin é uma assistente de classe pra mim. Ela tem uma personalidade forte e incrivelmente diferente da maioria das garotas, literalmente. Ela poderia ser uma tomboy se quisesse, pois já foi confundida como garoto, ela tem a pele clara e cabelos escuros e curtos como de um rapaz. E pelo que fiquei sabendo, ela ganhou uma promoção para trabalhar aqui na Academia ano que vem - já que só está estagiando este ano, e precisaria completar o período de um ano e seis meses.



                                                                                                                                        ♡  


 

No final daquela semana tudo ocorreu bem, e eu estava ansioso pra ir no jantar dos Hyungs, o que geralmente é o contrário pois eu sempre segurava vela. Sempre que eles me convidavam, eu pensava duas vezes antes aceitar o convite, pelo simples fato de Jin e Nam serem muito "melosos" um com o outro. Eu sempre me sentia desconfortável. As vezes eu fingia ter algo melhor ou mais importante pra fazer - quando na verdade ficava em casa descansando ou assistindo filmes na TV - simplesmente pra não comparecer nesses jantares ou encontros com os pombinhos.

Mas, eu não estou assim só por causa da culinária de Jin - e apesar dele cozinhar muito bem -  Yoongi irá me acompanhar, o que é bem mais legal e interessante do que as últimas vezes na casa de Jin-Hyung. 

Naquela noite de sexta, me olhei milésimo vez no espelho, à procura de um defeito no 4° look que separei pra usar no jantar. Eu vestia uma camisa preta de mangas cumpridas, um jeans azul marinho e calçava um adidas. Vislumbrei - mais uma vez - o look escolhido e me senti satisfeito com o mesmo.

O toque do celular chamou minha atenção instantaneamente, era uma mensagem dele, que dizia pra mim parar de enrolar e ir logo abrir a porta.

Meu riso bobo surgiu em seguida.

Caminhei rapidamente em direção a porta. Após a abrir a mesma, vislumbrei o loiro que trajava uma camiseta branca com uma jaqueta preta por cima, um jeans rasgado no joelho, e calçava um converse high preto. Ele estava lindo demais. 

Era impressionante como Yoongi me desconsertava apenas com um sorriso, um olhar, um contato físico - mesmo que fosse apenas um abraço -, seu jeito fácil de ganhar meu coração era simplesmente perfeito. Selei nossos lábios em um beijo amoroso e lento, que acabou tirando fôlego de ambos. 

—  Você está lindo. — Elogiei recebendo um sorriso gengival. 

—  Não exagere meu bem, e a propósito você é que está lindo. —  Eu apenas agradeci o beijando no rosto. 

Me virei pra trancar a porta, e assim o fiz. — E então... Vamos? — Fitei a mão estendida do loiro em minha direção. — Claro, meu amor. — Entrelacei nossos dedos.

Saindo do prédio, pegamos um táxi seguindo em direção residência do Jin-Hyung onde definitivamente, Namjoon nos aguardava com o castanho. 
 

Apertei a campainha duas vezes, logo Namjoon surgiu nos recebendo com suas covinhas e pedindo  em seguida para entrarmos.

—  Hm... O cheiro ta muito bom Hyung! — Confessei ao entrar na cozinha e ver a mesa toda preparada. 

—  Parece delicioso. — Disse o loiro que me acompanhava.

—  Boa noite pra vocês também. — Brincou Jin colocando uma vasilha de arroz na mesa.

—  E então como vocês estão? —  Namjoon sentou-se na mesa.

—  Ótimos, e vocês? —  Respondi me sentando ao lado de Yoongi, obviamente. 

—  Melhor impossível. — Jin sorriu trocando olhares com seu amado. 

Eu fitei Yoongi com aquele olhar de "eu não disse", e ele me respondeu elevando uma sobrancelhas e sorrindo em seguida. Nos servimos, degustamos daquela deliciosa refeição. Entre sorrisos, piadas, bagunças e revelações, aquele jantar estava se tornando bem confortável do que antes, provavelmente pelo fato de eu não ter mais que segurar vela ou algo do tipo, eu apenas estava curtindo as conversas. 

— O que estão achando do vinho? — Jin perguntou bebendo um gole de sua taça.

— Eu sugeri cerveja, mas ele pigarreou por vinho. — Confessou Namjoon. 

— Tudo bem hyung. Está tudo muito bom! — Sorri bebendo um gole.

— Eu preferia cerveja. — Yoongi foi direto, sendo fuzilado por meu olhar. 

— Eu avisei. — Namjoon se levantou indo em direção a geladeira, tirando de lá, quatro cervejas.

— Agora falou minha língua. — O loiro abriu a mesma dando um grande gole em seguida. 

— Aahr, eu desisto. — Jin-hyung bufou bebendo o último gole de seu vinho. 

Yoongi e Namjoon seguiram em direção a sala ligando a TV em um canal de filmes qualquer, conversando sabe se lá sobre o que. Eu e Jin ficamos na cozinha. Eu o ajudei retirando a mesa, então começamos falar um sobre - tudo dos - nossos relacionamentos. Jin-hyung lavou a louça comentando sobre as vezes em que brigava com Nam por besteiras, enquanto eu secava os objetos falando um pouco sobre como foi confuso e diferente saber que realmente estava apaixonado pelo loiro.

Ao terminar as tarefas, caminhamos até "os assuntos da conversa" e então Namjoon envolveu Jin em um abraço fazendo o mesmo sentar ao seu lado de forma aconchegante. Yoongi me puxou levemente até que ficasse em seu colo de forma mais confortável possível. 

 Conversamos um pouco mais, e então o loiro decidiu que estava na hora de irmos. Antes disso, ele havia sussurrado em meu ouvido sobre a tal surpresa, o que me fez relembrar de todas as probabilidades possíveis.

Nos despedimos, e caminhamos um pouco para chegarmos em uma parada próximo daquele quarteirão. A noite estava iluminada pelas estrelas, e pelos lindos sorrisos que o meu amor dava. Yoongi me abraçou por trás, sugerindo irmos para o meu apartamento, concordei com a ideia e pegamos um táxi. 



                                                                             
                                                                                                                                ♡


—  Vamos ver quem chega primeiro lá em cima. — Desafiei-o assim que adentramos o prédio. 

—  Isso é ridículo. — Comentou.

—  Duvido me alcançar. — Provoquei o loiro à me fitar.

—  Isso é infantil Hobi, — Revirou os olhos —  não vou fazer isso. 

—  Hm, não vai porque não consegue. — Segui em direção as escadas.

—  Eu te alcançaria se quisesse! 

— Hmhum, sei. — Falei em tom de deboche.

— Ahhr... Seu... — Gruniu acelerando os passos em minha direção.

Logo vislumbrei Yoongi subir as escadas o mais rápido que podia. Comecei a rir do mesmo, quase tropecei nos degraus mas, consegui chegar na frente da porta antes dele. Eu destranquei a porta rapidamente e entrei deixando-a aberta. Yoongi surgiu com passos cansados, sua respiração estava ofegante, ele adentrou o local fechando a porta em seguida. Ele me fita com um sorriso pequeno em seus lábios.

— Agora você vai ver só. — Seu sorriso se tornou mais amplo, atrevido e cheio de flerte.

— Por favor, pegue leve comigo. — Levantei as mãos em rendição. 

— Desculpe meu amor, mas, isso, eu não consigo. — Sua mera proximidade dava-me a mais peculiar das sensações, como o calor que emana de uma acha de lenha, queimando até virar um monte de cinzas numa fogueira.

Ele segurou meu rosto antes de iniciar um beijo lento. Segurei a nuca do mesmo aprofundando ainda mais o beijo, tomando o gosto adocicado e embriagador da língua macia que acompanhava em perfeita sincronia os movimentos da minha. Eu senti o toque dele como se estivesse queimando-me através do tecido da camisa, ele segurou minha cintura colando nossos corpos. O beijo tornou-se longo, selvagem e possessivo. 

Yoongi se afastou minimamente, com o desejo transbordando em seu olhar. Retirei sua jaqueta jogando-a em um canto qualquer. Minha respiração estava descompassada, e a dele também.

Ele segurou meus braços com força, suspirei em desejo enquanto o loiro sugava/mordiscava meu pescoço com gentileza. Deixei que o mesmo me conduzisse até eu ficar costas contra a parede, me dando outro beijo de tirar o folego. As mãos de Yoongi desceram até meu quadril onde - com o meu impulso - me tiraram do chão, tranquei minhas pernas ao redor do loiro. Eu não conseguia controlar os gemidos durante os beijos, assim como também não conseguia controlar meu tesão por querer-lo dentro de mim.

Ele tinha um tom de pele tão leitosa e macia, desci meus lábios até seu pescoço, onde mordisquei, chupei e lambi, arrancando gemidos roucos do loiro. Descendo do quadril do outro, andamos em direção ao quarto. Envolvi seu pescoço, e ele minha cintura, dei um breve selar no mesmo, que agora continha um sorriso caloroso nos lábios rosados. Ele me fitou profundamente.

— O que foi? — Quis saber meio confuso.

— Nada, só que, você é bom demais par ser verdade. — Se aproximou pousando seus lábios em meu pescoço. 

— E isso é b-bom ou ruim? — Perguntei em meio aos suspiros. 

Ele sessou o ato no mesmo instante, me fazendo "acordar" do transe. — Isso é maravilhoso! — Tomou meus lábios em um beijo ardoso.

Suas mãos ficaram inquietas, percorrendo todo meu corpo, retirando minha camisa, desabotoando minha calça, abrindo o zíper lentamente. Eu vislumbrava Yoongi fazer cerimônia pra retirar minhas roupas. 

— Hoje à noite, você é combustível para o meu fogo. — Um arrepio gelado se espalhou pelo meu corpo quando o meu amor sussurrou tais palavras em meu ouvido.

Meus lábios entreabertos - formigando depois de tantos beijos que demos - gemiam o nome do ser magnífico que agora massageava meu membro por dentro da cueca box preta. 
Ele me conduziu à cama. Retirou sua própria blusa e calça enquanto eu me livrava da box de ambos. 

— Deita meu bem. — Obedeci o loiro, e o vislumbrei se ajoelhar à minha frente.

A cavidade bucal de Yoongi sob o meu membro ereto de tesão me fez gemer rouco seu nome. Pousei minha destra sobre os fios do loiro, proporcionando ao mesmo um leve cafuné. Ele elevou a própria mão em sua ereção, começando a se masturbar enquanto a canhota o ajudava comigo.

— Amo-or... Por favor... — Meu corpo cuspiu o pré-gozo na boca alheia. Eu estava explodindo em sensações, eu estava quase lá.

Ele desceu a língua espalhando o líquido transparente por toda a extensão antes voltar a me chupar com força e velocidade.

— Aaahhr, eu n-não vou mais aguentar a-amor! — Avisei o mesmo que chupava apenas glande dessa vez. Bela tortura. 

— Goza pra mim Hobi. — Pediu manhoso, e eu não consegui mais me segurar. Liberei meu líquido quente na boca do mesmo que engoliu sem exitar. Ele lambeu o cantos dos lábios antes de subir pra me beijar. Senti o meu próprio sabor na boca alheia.

— Hobi, eu quero sentir você, me deixe cavalgar um pouco.

Puxei Yoongi para mais um beijo de tirar o fôlego, nossos membros roçavam um no outro, aquilo estava me deixando louco pra invadir o loiro. Pousei minha destra na nádega leitosa de Yoongi, bati e apertei diversas vezes o local arrancando gemidos do mesmo. 

— Pera aí meu amor. — Interrompi o beijo. 

Me esticando até o criado-mudo, abri uma das gavetas e tirei um tubo de lubrificante.

— Agora, é minha vez amor. — Ditei, recebendo um sorriso sacana do mesmo. Despejei um pouco do gel na minha mão e espalhei por todo o meu membro.

Me ajeitei novamente - sentando com um travesseiro em minha costa - na cama, puxando o loiro pecaminoso pra cima de mim. Ele mordeu os lábios e se posicionou colocando uma perna de cada lado do meu corpo. 

Lentamente fui invadindo Yoongi, ele gemeu meu nome que ecoou pelo quarto de forma mais erótica possível. Enquanto o loiro subia, eu segurava firmemente sua cintura o forçando pra baixo bem devagar, observando cada expressão deliciosa que ele tinha. As mãos dele sobre o meu peito, seus lábios abertos em expectativas, Yoongi corou leve e adoravelmente, ousando rebolar de uma forma tão gostosa em mim. Acolhi seu membro implorando por atenção e iniciei uma masturbação no ritmo em que estávamos, eu aumentei a velocidade, o que fez com que ele pendesse a cabeça para trás e gemesse.

Eu castigava meus lábios enquanto ele continuou a rebolar tão forte e lentamente. O calor familiar da pele dele sob a minha, fazia todo o meu corpo estremecer com várias sensações ao mesmo tempo. 

— Caralho amor, como você é apertado. — Soltei e ele mordeu os lábios me olhando fixamente.

— Você é tão gostoso Hobi. — Estocou seu quadril contra o meu de forma violenta que ficou cada vez mais rápida. 

Nos beijamos de forma lenta, a língua dele brincava com a minha. Seus gemidos em meio ao beijo me faziam delirar, logo o maldito ar se fez necessário e o beijo foi rompido. 

Depois de algumas cavalgadas em mim, eu pedi para que ele ficasse de quatro, o que logo foi atendido pelo mesmo. Penetrei de uma só vez e comecei a chocar nossos corpos de uma forma tão prazerosa. Yoongi ficou completamente empinado, aquilo era um convite, certo? Proferi tapas nas nádegas levemente rosadas do loiro. Gemidos roucos escapavam de nossos lábios, se misturando em uma bela melodia. 

Ele virou de frente sentando novamente em meu colo, eu o masturbava com uma das mãos enquanto a outra era envolvida ao redor do mesmo. Ele arranhava minha costa com suas unhas curtas, arrepiando minha pele com seu toque quente. Meu ombro estava sendo castigado pelos dentes do mesmo. Meus lábios encontraram o pescoço nu de Yoongi, começando a sugar e chupar o local sensível.

O loiro foi sentando cada vez mais rápido, ele permanecia de olhos fechados enquanto continuava a gemer cada vez mais alto, estávamos perto do ápice. Deitei-o novamente na cama, ele pôs as pernas em meus ombros, beijei com dificuldade suas coxas enquanto ainda o masturbava. Nas estocadas mais profundas que eu dava, Yoongi apertou meu membro em movimento dentro de sí. Fechei meus olhos aproveitando aquela incrível sensação que ele me dava, meu coração estava a mil por hora, minha mente permanecia embaçada, meus sentidos estavam desnorteados. Senti minha mão ficar melada, e logo vislumbrei que - assim como minha mão - a barriga do mesmo também estava suja com o seu próprio líquido branco. Lambi partes da minha mão que continham sêmen, engoli o sabor delicioso que Yoongi continha. E em poucos segundos gozei dentro do loiro.

— Ahr... Vo-você, foi maravilhoso Hobi. — Comentou com dificuldade, nossas respirações estavam aceleradas.

— E você meu amor, foi incrível. — Deitei ao lado do mesmo beijando seus lábios em seguida.

Yoongi deitou em meu braço direito, então envolvi a cintura do mesmo com o esquerdo, uma coxa do loiro pousou na minha - fazendo assim, deitarmos de coxinha. A canhota de Yoongi retirou meus fios negros e teimosos da minha vista, ambos permanecíamos a olhar no fundo nos olhos um do outro, vez ou outra desviando na direção dos lábios. Vislumbrei outra linda cena: ele com a pele tão radiante, seu olhar ainda tão cintilante, seus lábios rosados e finos como se anjos tivessem esculpido tal obra, suas madeixas douradas caídas de forma tão deslumbrante. Era simplesmente a definição de perfeição. Yoongi era definitivamente perfeito, pra mim.
 

Depositei um selar nos lábios do mesmo. Meu corpo estava pesado, eu sentia o cansaço tomar conta do meu corpo, meus olhos lentamente foram fechando, e a canhota do loiro continuava a deslizar sobre meus cabelos. 

— Boa noite, durma bem, meu amor.  — Ouvi um doce sussurro antes de adormecer profundamente. 




                                 
                                                                                                                                       ♡




 

No dia seguinte, eu fui acordado pelo Yoongi da forma mais carinhosa e romântica possível. Ele me trouxe café na cama, e pra melhorar foi meu café preferido. Eu fiz ele provar o café com chantilli e caramelo que havia me trazido, ele disse que era muito doce pra um só café e, não abriu mão do seu puro e sem açúcar. Conversamos, rimos, bagunçamos, e foi uma ótima manhã.

Tomamos banho juntos, mas por conta dos nossos desejos - e da forma deliciosa que o loiro me agarrou - tivemos que tomar outro banho. 

Estávamos na sala e eu sugeri um filme de romance pra vermos, ele exitou um pouco mas acabou cedendo depois de eu ter insistido por minutos.

— Ainda não entendi a razão dele ter abandonado "o amor da vida dele" só porque estava morrendo. — Yoongi comentou, interrompendo o filme.
— Você não entendeu? Ele não queria o outro sofresse, por isso se afastou. — Defendi o protagonista.

— Isso não é desculpa, se eu estivesse no lugar dele, passaria o tempo todo ao lado de quem mais amo. — Pausou o filme, questionando o roteiro em seguida — Eu daria um "tchauzinho"  pra minha família, e depois passaria o resto dos meus dias com você. 

— Que fofo. Isso foi muito lindo. — Depositei um selinho nos lábios convidativos do mesmo.

— Mas, como eu não estou morrendo. — Sorriu sacana.

— Idiota! — Soquei o braço do individuo.

— Tô brincando amor. — Proferiu diversos beijos em meu pescoço.

Logo meu biquinho esticou em um sorriso bobo, não consegui segurar, ele tem esse poder sobre mim. 

— Sabe, o mundo está muito perigoso. — Iniciou uma conversa estranha.

— É mesmo é?

— Você não vê os noticiários? Tem pessoas perigosas no mundo. — Comentou. — Eu estive pensando, e se outra pessoa quisesse te namorar, o que você ia dizer, huh? E se essa pessoa for perigosa pra você, huh? E se não souber cuidar de você, huh? — Tentei dizer algo, mas ele pôs o indicador na frente dos meus lábios antes mesmo de eu começar a falar.

Eu não sabia ao certo qual era o rumo daquela conversa, "e se outra pessoa quisesse te namorar", o que ele quis dizer com isso? Ele estava se comportando de modo estranho - parecia ansioso - e, eu realmente não fazia ideia do que, ele estava aprontando. 

— Yoongi, o quê que tá acontecendo? — Quis saber.

— Tá bem, vou colocar as cartas na mesa. — Suspirou — É que... Eu estava querendo saber se... Talvez... Por acaso.. Se você estiver interessado... Isso é mais difícil do que eu pensava. — Sorriu fraco abaixando o olhar. 

"O quê que está acontecendo?  O que deu nele? O que é tão difícil?"

— Ahr, o que está aprontando? — Perguntei e, ele me deu um meio-sorriso, parecia nervoso.

— Hobi, você percebeu que, eu ainda não pedi você em namoro, nem quando a gente fez as pazes, certo? — Eu assenti concordando — Errado! Como vou saber que você é só meu, se eu não oficializar nosso relacionamento?

Dei de ombros, não sabia o que responder, muito menos como reagir. 

— Yoongi, o que você... — Me interrompeu fazendo gestos para que eu ficasse quieto. 

— Bom, eu treinei isso várias vezes, e em todas vezes saiu uma merda, então... Vou falar o que eu sinto, e não o que eu ensaiei. — Suspirou cansado — Então, o que você vai dizer se alguém te perguntar se está solteiro? Que tá saindo comigo à alguns dias? Eu não quero que responda isso. Quero que você diga: "Eu tenho namorado, e o nome dele é Yoongi.", Hobi, eu quero que você seja apenas meu.

Aí meu Deus... Isso é sério? Ahhr, eu não acredito que...

— Hoseok, você quer namorar comigo? — Perguntou de uma vez.

Meu coração estava acelerado, eu o amava tanto, claro que eu queria oficializar nosso relacionamento, além do mas, eu também queria que ele respondesse:"Eu tenho namorado, e o nome dele é Hoseok!"

— Você está falando sério amor? É Claro seu bobo! — Ele me fitou sorrindo, parecia mais aliviado. 

Comecei a beija-lo, ele correspondeu ao beijo mais logo o interrompeu dizendo que tinha uma coisa pra mim. Eu não entendi ao certo o que ele quis dizer, mas confesso que fiquei muito curioso.

— Espera aí. — Andou até o canto da sala, onde sua jaqueta se encontrava.
 

Ele retirou uma pequena caixa do bolso e, se aproximou novamente sentando ao meu lado me encarando fixamente, o que me assustou um pouco. 

— Isso é pra você. — Me entregou a caixinha.

— Já vi que foi você que embrulhou. — Sorri fitando o simples papel amassado ao redor da caixinha.

— Cala a boca e, abre logo isso vai. — Ditou sorrindo — É uma colcheia. — Completou, me observando desembrulhar a mesma. Vislumbrei o cordão dourado com um lindo pingente, era uma nota musical.
 
— Então, eu queria te dar algo que representasse como nos conhecemos, sabe, através da música.

— Se me desse o Nanjoom, Jin-hyung te mataria. — Brinquei e o loiro bufou revirando os olhos.

Meu coração se derreteu naquele momento, como pode um ser tão magnífico como nos homenagear assim, eu me sentia extremamente feliz.

— Obrigado. É muito lindo e, eu gostei bastante! — Agradeci.

Yoongi retirou o cordão da caixinha, pôs as mãos em meus ombros me virando, acompanhei o objeto pousar sobre meu peitoral, toquei no pingente carinhosamente, me virando em seguida. 

— Ficou lindo em você. — Elogiou.

Com a destra juntei o loiro a mim, colando nossos corpos. Iniciei um beijo lento, Yoongi logo correspondeu ao meu ato, sua língua entrelaçava a minha, dançando a música mais lenta que fora criada. 

— Eu te amo Hoseok. — Ditou me olhando no fundo dos olhos, um calor aqueceu meu corpo.

— Eu te amo Yoongi. — Ao dizer tais palavras, senti o loiro estremecer, dando inicio à mais um beijo.

Yoongi se tornou o que há de mais forte em mim, mas também acabou se tornando minha fraqueza. O protegeria de todo mal que existe, até seria capaz de tomar um tiro, porque eu faria tudo por ele.

Eu não quero estar em outro lugar, porque este loiro dos lábios finos e olhar que me proporciona diferentes sensações deliciosas, é o meu paraíso. Ele acabou se tornando tudo que eu mais quero, e posso ter a certeza de que, ele é o tudo o que eu preciso entre meus lençóis.

Min Yoongi é o perfeito pecado, algo como a mais verdadeira mentira. E alguns lugares de alguma forma, entre seus braços é o único lugar que eu sempre estarei, contanto que ele me segure, eu só quero sentir suas mil mãos.


Notas Finais


- Agradeço de coração por você ter chegado até aqui, muito mesmo minha/meu chodozinho! :3

*Na frase em que o Hobi cita um trecho da primeira música de Yoongi com Namjoon é de Tomorrow (BTS), e a coreografia na qual ele queria colocar em prática também.

*Na parte em que Hobi ouvi Yoongi cantar no estúdio pela primeira vez, a música mencionada é HipHop Lover (BTS).

*No momento em que Hobi começa a dançar na chuva é inspirada em Rain (BTS), e alguns trechos da música serviram para "aperfeiçoar" a cena.

*Dei uma participação da Minzy como aluna porque ela dança muito. <3

*Hyojin é uma dançarina profissional do 1Million, aquele do canal do Youtube. Ela criou a coregrafia de Bitch I'm Madonna - Madonna Feat. Nicki Minaj (Hyojin Choi Choreography), enfim, eu acho aquela mulher muuito foda e precisava tê-la na Academia em que o Hobi trabalha. HUEHUEHUE

AH MAIIS iai, o que você achou dessa Yoonseok? ^^
Eu estava pensando em fazer uma segunda parte, com o Jimin feat. muitas tretas, novidades e até otp's diferentes - sem tirar o Yoonseok de principal é claro. Será? <3

Obrigada de novo meus amores, se cuidem e até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...