História A traíção de Tommy - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Adam Lambert
Exibições 9
Palavras 1.165
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Violência
Avisos: Homossexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Capítulo único


 Adam e Tommy haviam realizado mais um show, dessa vez em Nova York e depois do show eles foram jantar. Durante o jantar, Tommy recebe uma ligação e Adam não fica muito satisfeito com o papo.
 - Alô! Cara, eu estou jantando aqui com o Adam. Acabamos de fazer uma apresentação e agora estamos jantando.
 Adam fica curioso: "Com quem será que ele está falando?"
 - Você não poderia ligar mais tarde para falarmos mais á vontade? Tenho que desligar agora. Tchau.
 - Quem era ao telefone? 
 - Um amigo querendo uma ajuda minha.
 - Ajuda? Que tipo de ajuda?
 - Não sei. Depois ele me fala com calma.
 Adam não fica muito convencido da resposta de Tommy mas terminam de jantar e sobem para o quarto do hotel em que estão hospedados.
Depois que Adam adormece, Tommy pega o celular e vai até o banheiro ligar para o suposto amigo.
 - Pronto! Pode falar. Adam finalmente dormiu. Estou aqui no banheiro para o caso dele acordar e não me pegar falando com você.
 Depois ele, discretamente volta para a cama e Adam meio sonolento pergunta:
 - Onde você estava? Eu acordei e vi a cama vazia.
 - Fui ao banheiro. Volta a dormir porque ainda são 3:00h.
 No outro dia, no café da manhã, Adam conversa com Tommy:
 - Seu amigo não ligou mais ontem. Estranho, pois se ele queria tanto a sua ajuda, pensei que ligaria novamente.
 - Pois é. Vou ver se consigo falar com ele e ver o que ele quer.
 Mais tarde, Tommy fala com o tal amigo, pega sua jaqueta de couro e diz que vai sair.
 - Tommy, vai sair agora?
 - Vou. Meu amigo está precisando de mim. Ele está passando por uma grande dificuldade e quer que eu vá encontrá - lo. Mas não se 
preocupe, pois volto assim que der.
 - Oi. Ele acreditou que você estava precisando da minha ajuda e assim consegui sair sem levantar suspeitas.
 - Oh. Que bom. Assim ele não estranha que você saiu para me ver por outra razão. - Disse o amigo de Tommy.
 - É mesmo. Não quero nem imaginar se ele descobrir a verdade entre nós dois. O Adam é legal mas tem hora que ele é muito possessivo.
Isto estava me sufocando. E os dois começaram a se beijar para matar a saudade.
 - Nossa... olha a hora! O Adam vai me matar se eu não correr. Temos mais um show esta noite. Tommy se vestiu e saiu em direção á porta.
 - Boa sorte e bom show. Disse o amigo dando - lhe um beijo.
 - Até que enfim chegou. E o seu amigo? Como ele está?
 - Agora está melhor. Ele me contou que está com o pai na cadeia e estava desesperado com a notícia.
 - Que barra... Agora corre que estamos quase atrasados.
 Durante o show, Adam sente que Tommy está meio distante e prefere não brincar com ele, respeitando que ele estava mais cedo ajudando a superar a crise de seu amigo.
 No outro dia Tommy sai de novo mas desta vez sem avisar e por acaso Adam vê da janela do seu quarto ele encontrando o tal amigo do outro lado da rua e ele não parecia nada triste, pelo contrário, estava até rindo. Adam fez questão de esperá - lo chegar para tirar a dúvida.
 - Oi. Foi conversar com seu amigo de novo?
 - Sim. Ele está péssimo!
 - Sério? Que pena, pois não é o que me parecia quando os ví saír juntos pela rua. Ele estava bem até demais para quem está passando por
um momento difícil.
 - É que ele estava tentando esconder a dor.
 - Não me pareceu isso não. Você não sabe nem mentir direito.
 Nessa hora, Adam empurrou Tommy na parede e segurou seu pescoço.
 - Diga a verdade: Você está me traindo?
 - Nã, não... De onde você tirou essa idéia maluca? 
 - Não sei. Ontem você estava distante no palco e eu pensei que fosse pela dor de seu amigo e o respeitei. Hoje vejo ele rindo e me 
pareceu que já estava tudo muito bem. Não é de se estranhar?
 - Adam, me solta. Está me machucando.
 - Não te solto até dizer a verdade. 
 - Por favor, não tem nada entre a gente. Tommy começou a tossir meio engasgado.
 - Outro dia achei você muito esquivo no jantar falando com ele ao celular.
 - Já disse que não era nada.
 - Fala a verdade, vagabundo. Pensa que não sei que está me traindo?
 Adam pegou no braço e no pescoço de Tommy e o jogou no chão. Tommy estava quase chorando assustado quando Adam, de repente, puxou o cabelo dele com força o machucando e disse:
 - Vai falar a verdade ou não? 
 - Tá bom. Tá bom... Eu falo mas primeiro me solte. Está doendo!
 Adam, ainda puxando o cabelo dele o jogou violentamente na cama e ele, com muito medo começou a falar.
 - Esse meu amigo e eu estamos juntos sim. Faz dois meses já.
 - O quê?! Como pôde me enganar esse tempo fingindo estar comigo mas com outro na cabeça? E as noites que dormimos juntos, não conta
nada para você?
 - Bem. Eu já o conheço faz muito tempo e um dia ele veio até mim e me disse que estava começando a gostar de mim mas tinha você no 
meio. Eu tambem comecei a reparar mais nele depois desse dia e começamos a nos encontrar ás escondidas.
 - Então quer dizer que todas aquelas coisas que você falava era só para poder ir encontrá - lo?
 - Era o jeito de sair sem levantar suspeitas.
 - Você não presta, Tommy. Se fazendo de inocente, aceitando minhas investidas e altas noites quentes de amor para isso?! Você é pior que
uma vagabunda que se deita por dinheiro. Pelo menos elas não precisam fingir que nos amam como você fez.
 - Você estava me sufocando com essa sua possessão achando que eu seria eternamente seu e que nunca poderia amar outro além de você. 
 Eu tinha que continuar fingindo que te amava para que você jogasse esse seu joguinho de "casal perfeito" até que não desse mais. Pena ter descoberto a verdade assim.
 - SAI DAQUI AGORA!!! 
 Adam estava furioso e antes do Tommy sair do quarto, ele deu um tapa tão forte, que marcou o rosto dele. 
 - Você me bateu?! Eu vou mas não volto mais. Não conte comigo para o fim desta turnê. Depois eu pego as minhas coisas e volto para casa
com meu novo namorado. Agora você não é mais nada meu. E saiu batendo a porta.
 Adam foi obrigado a suspender a turnê por alguns dias até que tudo normalizasse novamente e pudesse ajustar o guitarrista substituto da 
banda para os próximos shows. Tommy foi mesmo embora ser feliz com seu novo namorado e começou uma nova vida sem ser a sombra de
Adam em tudo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...