História A Trégua - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias B.A.P, Bangtan Boys (BTS), Big Bang, EXO, Got7, Seventeen, Super Junior
Personagens Baekhyun, BamBam, Bang Yongguk, Chen, Choi Siwon, G-Dragon, Heechul, Himchan, Jackson, JB, Jimin, Jin, Junghan "Jeonghan", Kai, Mark, Rap Monster, Sehun, Suga, Suho, Taeyang, V, Wen Junhui "JUN", Xiumin
Tags Abo, Chankai, Jackchen, Junhan, Longfic, Markbum, Namjin, Sichul, Sulaybaek, Vkook, Xiuhun, Yoonmin
Exibições 159
Palavras 2.301
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Fantasia, Harem, Lemon, Misticismo, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shounen, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


DESCULPAAAAAA, to sem internet e sendo roteado pela mamãe kkkkkk sem mais comentários.
Boa leitura! ~~~♡

Capítulo 2 - Idas e vindas


Fanfic / Fanfiction A Trégua - Capítulo 2 - Idas e vindas

 

                                                               •●•

A manhã começou como sempre no início do outono, uma névoa densa percorria o cume da colina e descia até o alojamento dos LightStorm.
Minseok e Baekhyun já estavam de pé e providenciando o café da manhã para o restante dos irmãos.
Como era de se esperar, JongIn estava na floresta montando armadilhas para garantir a refeição mas fazia alguns dias que não conseguia nada.
Os Omegas eram mais habilidosos com ferramentas do que com o combate na caça, usavam mais a astúcia e paciência construindo armadilhas ou pescando.

– Já está pronto o café? Quero ir na cachoeira daqui a pouco... – Bambam falava enquanto coçava os olhos e acabou sendo abraçado por Taehyung.

– É só me dizer o que quer comer. O Hyung preparou omelete. – Baekhyun terminou com os ovos e serviu ambos, percorreu com o olhar pela cabana e constou que JongIn não estava – Cadê o "venenoso"?

– Falando nisso ainda não consigo acreditar que o JongIn machucou o vizinho – Taehyung arregalou e gesticulou com as mãos enquanto falava.

– Eu soube que o homem morreu, coitadinho. Mas o Hyung com certeza só queria nos proteger. – depois de falar, Bambam voltou a comer, ele não se controlava na hora de falar.

– huh... Só não comentem isso quando ele voltar. – Minseok quase se engasgou e após rir, negou com a cabeça – Ele disse que ia procurar por comida, creio que vai demorar.

Minseok logo voltou os pensamentos ao garoto que havia chamado sua atenção, ele era tão bonito e havia olhado para o fundo de seus olhos. Ele só queria uma chance de poder conhecê-lo melhor, talvez ele não fosse como os outros.
Olhou nos olhos daquele homem e sentiu algo despertar, mesmo que fosse ingênuo ele sabia que não era mera curiosidade.

– Taehyung e Bambam vão fazer o almoço, quando o encrenqueiro chegar diga para ele ajudar também – Baekhyun saiu levando a comida até sua cabana, ele além de muito vaidoso era também preguiçoso e passava a manhã inteira recostado na cama.

"Na matilha dos Shadoway, já estavam terminando com os preparativos para a cerimônia"

– Junmyeon, onde coloco isso? – Yixing carregava alguns troncos que serviriam de assento, fazendo questão de exibir-se para o outro.

– Ali, amorzinho. E depois procure uma camisa, huh? Nada de ficar se mostrando para os outros.

O homem apenas acatou e saiu correndo depois de organizar os assentos, Yoongi e JungKook terminavam de posicionar o altar e Jimin juntamente de JongDae decoravam os assentos com algumas flores, deixando o ambiente cada vez mais bonito e remetendo à cerimônia que aconteceria logo.
Jackson andava de um lado para o outro do alojamento, ele usava da Fase como uma forma de chamar atenção dos outros mas ninguém se importava com o lobo gigante transitando entre eles.
Sehun terminava de vestir seu casaco e acabou entrando por engano na cabana de Mark.

– Veio me ajudar, irmãozinho? – o loiro abriu um sorriso e puxou o garoto pelo pescoço – O que achou agora? Seu Hyung é o líder mais lindo de todos.

– Eu sei o que você fez, e acho isso errado. – Sehun cochichou e ajudou Mark a se vestir, mesmo que não fosse necessário – Trapacear não vai tornar você um líder de verdade. E também. . . Você sabe que o JaeBum-ssi não vai com sua cara, ele vai te odiar e até banir você da matilha se descobrir.

– Ninguém precisa saber, e não vão acreditar se você disser – O loiro deu com os ombros e beijou a testa de Sehun – Não fique chateado, eu continuo sendo bom para você.

Mark abraçou o outro e logo o soltou, ele não era uma pessoa que demonstrava carinho, muito menos ao irmão que sempre era esquecido pelo mesmo.
Mesmo sendo tão diferentes na forma de agir, eles amavam muito um ao outro e estavam sempre se ajudando com o que podiam.

– Depois não diga que eu não avisei, maninho – Sehun saiu da cabana e agora o seu semblante estava bem indiferente, sem expressão alguma.

Os Betas da matilha estavam ajudando JaeBum a ficar bem apresentável, costuraram um casaco com a pele do urso que Mark supostamente abateu, o mesmo caiu perfeitamente no corpo do Omega.
JaeBum também usava um colar de cristal que havia ganhado de seu Omma, como havia prometido ele só usaria no dia que fosse casar. O Omega estava impecável e muito belo, como sempre havia sido. Seus olhos esperançosos olhavam para a porta da cabana imaginando a hora que Jackson entraria por ali e daria um abraço em si.
Mas sem o mesmo, ele sentia-se desprotegido e caminhando em direção ao abismo.
Ao contrário dos Betas, ele não estava nada animado. Sua expressão era bem mais triste e ele parecia estar em um devaneio profundo, olhando para o nada.

– Jae-ah, você quer beber algo? Parece triste. Hoje é um grande dia... –  após chamar a atenção do outro, Jimin apoiou suas mãos nos ombros do amigo – Está arrependido, certo?

– Eu queria poder mudar as coisas. Infelizmente eu não posso mandar nos Alfas, senão... – Ele massageou as têmporas e entortou os lábios – Esqueça, vamos terminar logo com isso.

                                                                  •●•

Após ficar algumas horas pescando, Minseok dirigiu seu olhar para o outro lado do rio e notou o barulho que vinha de lá, ele presumiu que os vizinhos estariam festejando e sentia tanta vontade de se unir aos mesmos.

– Que sorriso é esse, Min? –  JongIn sentou ao seu lado no tronco e continuou rindo – Fala... o que houve?

– Você promete não debochar? – o mais velho fez um bico e mesmo assim JongIn negou com a cabeça – Então... É possível gostar de alguém na primeira vez que o vê?

O moreno abaixou o olhar e ficou pensando, não sabia como era gostar de alguém mas não queria deixar o irmão sem resposta.
Quando ia responder, lembrou dos dois Alfas que tentaram invadir a colina e foi aí que ele arqueou a sobrancelha.

– Você não está insinuando que apaixonou-se por aquele Alfa branquinho, certo? – Ele cruzou os braços e continuou com a mesma expressão de bravo – Eles são nossos inimigos! Esqueceu que perdemos nosso Appa por causa deles?

Minseok baixou a cabeça e as lágrimas começaram a correr por suas bochechas, ele sabia bem de tudo aquilo mas não conseguia controlar. Nem sabia se o Alfa havia tido interesse em si, mas de certa forma sua vontade era de cruzar o rio e procurar por ele na colina vizinha.

– Me desculpa, Nini... eu não sei porquê falei essas coisas, deve ser o meu cio chegando.

– Eu só quero proteger você, e aos outros. Não seja ingênuo pois esses Alfas adoram garotos assim... – O moreno fez um breve afago nos fios do irmão e levantou dali, retornando para o seu alojamento.

Enquanto isso Minseok continuou pescando, durante o inverno era bem dificil de conseguir peixes mas ele tinha bastante paciência e queria ficar ouvindo as músicas que as flautas dos Betas no lado vizinho produziam, já preparando o clima para a cerimônia.

                                                                   •●•

– Vocês podem me deixar sozinho por alguns instantes? Preciso ficar sozinho.

JaeBum baixou a cabeça após fazer o pedido aos amigos, estes que foram enxotados da cabana pelas mãos de Suho.
Tudo o que o Omega queria era viver do seu jeito, sem ter que abrir mão de seus desejos apenas para o bem da matilha. O problema era que por ser Omega ele poderia gerar outros e de certa maneira ficou visado desde o momento de seu nascimento.
Ficou por alguns minutos olhando para o seu reflexo no espelho quando percebeu Jackson adentrar no recinto, olhando para as vestes do amigo e com um sorriso de canto.

– Você está ainda mais lindo, Jae-ah. Seu pai estaria muito ciumento se o visse neste instante – Jackson continuou se aproximando do outro até que a distancia diminuisse – Inclusive eu... me sinto assim agora.

– Não me deixe sozinho, você sabe como ninguém que precisa estar por perto. Mesmo que eu case com Mark, você sempre terá seu espaço garantido aqui.

O rapaz colocou a mão do outro no lado esquerdo do peito e continuou encarando os olhos do mesmo. Embora Jackson estivesse acostumado com o contato afetuoso do menor, ele acabou sentindo-se mais distante e por esse motivo acabou enlaçando a cintura alheia com seus braços, o apertando forte como se aquilo fosse evitar o casamento de JaeBum.

– Jack... v-você está me sufocando! – O menor reclamou enquanto tentava se desvencilhar dos braços alheios.

Jackson o encarou por alguns instantes e continuou sério, um turbilhão de coisas se passavam em sua mente e ele sabia que já estava na hora de deixar o menor seguir ao altar.
Ele cuidadosamente aproximou sua face da alheia até que os lábios se unissem perfeitamente, dando início à um beijo carinhoso que fora bem rápido mas que para os dois pareciam minutos seguidos.
O maior afastou-se do outro e saiu da cabana, o que deixou JaeBum muito confuso e piorando ainda mais o que ele sentia.
Enfim, ele foi se aproximando da porta e quando saiu deu de cara com todos os membros da matilha devidamente em pé aguardando a chegada do Omega ao altar. JaeBum olhou para o altar e Mark já estava lá com um imenso sorriso no rosto, o menor tomava aquilo como uma afronta à si, ele foi caminhando lentamente até o noivo e sentou-se ao seu lado.

– Jae-ah você é o Omega mais lindo do...

– Cale a boca.

Após o menor sussurrar, ele abriu um sorriso falso e segurou a mão do outro. O casamento dos Shadoway seguiam uma tradição própria onde o Alfa mais velho que consagrava o casal, que no caso era Yixing.
Os noivos precisavam dizer uma declaração completamente improvisada e em seguida trocar as alianças, o que deixou Jae indignado era ter que colocar a mesma que havia pertencido ao seu pai, que agora estava encravada no dedo de Mark.
Ambos tomaram a bebida que os Betas produziam, dividindo a mesma taça e depois Mark ganhou um colar com uma garra de urso, simbolizando que agora ele era o líder.

Durante a festa todos dançavam e divertiam-se ao som das flautas menos Jae, ele procurava com sua visão periférica mas o mesmo estava sentado tão longe.
Fez um ato de levantar-se mas seu agora esposo segurou em seu braço e deixou um beijo em sua bochecha.

– Nada de se misturar com os convidados, você é só meu hoje.

– Achei que isso fosse um casamento e não uma compra – Ele esquivou seu braço da mão alheia e o encarou – Vou para a cama então, estou cansado.

– Hum... então irei com você, afinal ... – Mark mordeu o lábio inferior e segurou o queixo do menor – Não existe nada melhor do que a lua de mel.

Os dois foram em direção à cabana e Jackson socou a árvore com força ao ver tal cena.
JongDae se aproximou do mesmo ao vê-lo tão solitário, levava consigo uma taça com bebida na intenção de entregá-la à Jackson.

– Se veio me dar conselhos, pode dar meia volta e festejar.

– Eu só queria te ajudar, não merece ficar tão triste – O menor estendeu a taça e o outro pelo menos recebeu a mesma.

– Já ajudou, agora pode dar o fora daqui.

O outro já estava um pouco alterado pelo álcool e acabou se isolando, já JongDae começou a chorar e correu na direção da cabana onde dormia.

                                                               •●•

Depois de um dia inteiro fazendo trabalhos manuais, Minseok viu que a tarde estava agradável para um belo banho na cachoeira. Era rotineiro os seus banhos naquele local, afinal era bem afastado e conforme o seu cio se aproximava, ele não queria atrair os Alfas vizinhos.
Ele já estava chegando e quando havia retirado suas vestes, percebeu que havia mais alguém ali.

– Me desculpe, eu volto depois. – Ele corou e recolheu as peças de roupa que já tinha retirado.

Sehun abriu um sorriso curto e colocou as mãos nas partes íntimas, pegando suas roupas e correndo até o outro. Era sua grande chance de conseguir falar com aquele que havia mexido tanto consigo.

– Ei, não precisa ir embora. – Ele vestiu a camisa e colocou as mãos na própria cintura – Você é o irmão do Omega arqueiro, certo? Eu queria te agradecer...

– Agradecer? Mas eu não fiz nada. – Minseok continuou olhando para o chão e foi se aproximando da água.

– Claro que fez, você não deixou ele me acertar. E com aquela correria você nem me disse o seu nome.

– Eu acho que não devia nem estar falando com você.

Minseok colocou os pés na água cristalina e Sehun fez o mesmo, sentando ao seu lado e não desviando o olhar do rosto alheio.

– Meu nome é Sehun, e eu prometo que não vou nem encostar em você. – Ele riu soprado na tentativa de quebrar o gelo.

– Minseok... – ele sussurrou e riu, logo olhando para o lado – Sou Kim Minseok, muito prazer. Você parece diferente dos outros...

– Uau, você é filho do senhor Kim. Eu sinto muito por... Você sabe... – O maior desviou o olhar e riu novamente – Deve ser porque sou o lobo mais novo, não ligue para meu jeito.

– Gostei de você, poderíamos conversar mais vezes – Minseok estava muito corado, ele tentava desviar o olhar de Sehun mas era inevitável – Pode vir aqui amanhã?

– Claro. – Sehun nem pensou antes de responder, estava quase estampado em sua cara o interesse que tinha – Então até amanhã, Kim. Não traga seu irmão louco das flechas.

O maior deixou um selar na bochecha do outro e saiu dali, seguindo caminho pela trilha na floresta.
Já Minseok tinha em seu rosto um sorriso que ficou ali por horas, mesmo depois dele terminar o banho demorado sob a queda d'água que a cachoeira possuía.
Ele voltou para o alojamento e o primeiro a fazer uma careta quando viu o irmão sorrindo feito bobo foi Baekhyun.


Notas Finais


Não se esqueçam de comentar ou sugerir, o feedback de vocês me ajudam muito na hora de escrever. Sou todo olhos para vocês ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...