História A turma do papai Dean - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Castiel, Dean Winchester, Personagens Originais
Tags Bottom!dean, Casdean, Castiel, Dean, Deancas, Destiel, Jensenackles, Mishacollins, Sam, Supernatural, Tops!castiel, Yaoi
Visualizações 101
Palavras 1.238
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Yaoi, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Não sei de nada, só sei sentir. ashaaksjaoso

Capítulo 3 - Papai Dean super irritado


Fanfic / Fanfiction A turma do papai Dean - Capítulo 3 - Papai Dean super irritado

Mais dois meses haviam se passado...

Dean Agora já estava com 4 meses de gravidez e os problemas com os seus filho barra(/)marido só aumentavam.

Castiel também não estava nos seus melhores dias, como seu marido estava ‘’indisposto’’, a função de cuidar das suas pequenas crias estava em suas mãos, e, digamos que as coisas não estavam saindo tão bem como planejado.

Dean estava na casa de sua mãe com algumas pessoas da sua família que tinham ido lá para visitá-lo e levar alguns mimos, Castiel teve que ficar em casa de olhos nas gêmeas e no Tae-Nam já que ninguém queria ficar com três crianças de uma vez.

A casa estava muito silenciosa e logo Castiel desconfiou, então foi no quarto que tinha sobrado na casa, que as crianças tinham pegado e posto o nome de ‘’ O reino de Marte’’. Lá tinha vários brinquedos espalhados, desenhos presos nas paredes, um pequeno escorrego e várias prateleiras com livros de histórias infantis, tanto para ler, quanto para pintar. Também tinha uma mesinha com alguns lápis de pintar, alguns potes com enfeites para as meninas criarem o que elas chamam de ‘’ a nova tendência para o futuro’’.

Um pequeno armário que ficava perto de uma das prateleiras com várias roupinhas de boneca, chupetas, mamadeiras e sapatinhos...

Olhou em volta e não viu nenhum, franziu a testa e foi em direção ao quarto do Tae, encontrando apenas a televisão ligada.

Intrigado, resolveu ir para o jardim, já que lá era um dos lugares favoritos das crianças desde que ‘’obrigaram’’ seus papais a construir uma casa na arvore e uma balanço na mesma.

Porém uma cheiro de queimado o impediu de seguir seu trajeto...

Chegando na cozinha a cena que viu foi a seguinte; Angel estava em cima de cadeira, procurando desesperadamente a torneirinha que ficava ao lado da pia, Hope estava tentando desligar o fogão e o Tae estava sentado no chão, com as pernas cruzadas e um caderno no meio delas, concentrado no que fazia.

– Mas... – Assim que a voz do mais velho se fez presente, Angel acabou caindo pelo susto. – O que está acontecendo aqui? – Castiel tentou controlar sua raiva, o que ele menos gostava era brigar com seus filhos.

– A gente queria fazer chocolate quente pra você papai, mas o Tae não quis ajudar, então nós demos nosso jeito! – Angel falou fuzilando seu irmão.

– O outro papai disse pra nós nunca mexer no fogão, não iria desobedecer só pra agradar vocês e levar a culpa por ser mais velho. – Disse calmo. – Aliás, eu estou fazendo o dever de casa, coisa que vocês deveriam fazer!

– Hoje é sábado seu bestão, não é dia para estudar. – Angel disse chateada. – Por que você gosta mais do papai Dean?

– Eu gosto dos dois Angel, mas eu prefiro não estressar o papai Dean, eu lembro bem como ele ficava quanto estava grávido de vocês... – Tae olhou para as duas. – E não é só porquê hoje é sábado que não é dia pra estudar. Se você estudasse mais, quem sabe a professora não pararia de reclamar.

– Não briguem! – Hope falou chorosa. – Papai nos perdoe, por favorzinhooo?! – Fez um pequeno bico juntando as mãozinhas acima do peito e virando a cabeça um pouco para o lado.

– É muito feio vocês usarem sua irmã para se safar dos castigos! – Negou com a cabeça, rindo fraco. – Vocês sabem que, por mais que queriam me agradar, e eu agradeço muito por isso, não podem mexer nas coisas perigosas! A regra número 32 do papai diz claramente.

– Mas papai-...

– Nada de ‘’ mas’’ An, se o pai de vocês souber, e pior ainda, souber que eu não fiz nada... – Engoliu em seco. – Ele bate em vocês e me castra...Por isso, vão ficar sem ver televisão por dois dias...Ah, o ‘’ mundo de marte’’ também vai estar temporariamente fechado pra diversão, quero ver vocês duas estudando e lendo os exercícios em bom som, e Tae... – O pequeno olhou para ele. – Fique de olho nelas, qualquer coisa, me avise! Posso contar com você campeão?

– Você sabe que pode papai. – Sorriu abertamente.

Tae-Nam era um menino flexível, não era segredo pra ninguém que ele era praticamente a sombra de Dean, enquanto as meninas eram à de Castiel. Mas havia uma ligação que nem mesmo o próprio Dean sabia explicar entre seu marido e seu filho mais velho.

Tae estava sempre – mesmo que disfarçadamente – tentando agradar Castiel, sempre querendo ser o melhor e seguindo silenciosamente os passos do pai.

.

.

.

– Cheguei! – Dean gritou assim que passou pela porta. – Ouch, cadê todo mundo?! – Perguntou estranhando o silencio da casa.

– Oh, oi amor. – Castiel desceu as escada sorrindo de braços abertos, indo abraçar o loiro. – Já disse que você está ficando cada vez mais lindo? Meu garoto é tão lindo, meu Deus. – Balançou a cabeça.

–  Oi?! – riu. – Tá tudo bem Ca? – Perguntou desconfiado. – Cadê as crianças? – Olhou em volta.

– Amor... – suspirou. – Elas estão de castigo, vamos nos sentar que eu te digo tudo. – Falou puxando o loiro para o sofá.

Dean sabia que algo grave tinha acontecido, Castiel odiava usar seu ‘’ poder’’ de pai contra seus filhos e se ele usou, coisa boa não tinha acontecido.

Seguindo as ordens do marido, sentou no sofá, prestando atenção em cada palavra que saia da boca do mais velho.

.

.

.

– ELES MEXERAM NO FOGÃO? MESMO EU DIZENDO MAIS DE TROCENTAS VEZES PARA NÃO.MEXEREM.NA.PORRA.DO.FOGÃO? – Falou pausadamente. – ANGELIQUE, HOPE E TAE-NAM, AQUI AGORA ANTES QUE SUBA E ARRASTEM VOCÊS PELOS CABELOS!

Segundos depois, os três descem de cabeça baixa, brincando com os dedos.

– Posso saber o que deu em vocês? – Dean falava vermelho de tanto irritação. – Eu não posso passar um dia fora, ou melhor, algumas horas que vocês já querem acabar com a casa?! Pelo amor... – Jogou a cabeça pra trás. – Eu estou grávido! GRÁVIDO, eu não posso me estressar, ainda mais uma gravidez como a minha e vocês fazem o quê? – Perguntou retoricamente. – Eu acho melhor vocês subirem antes que eu vá pra cadeia.

– Papai... – Tae murmurou baixinho.

– VÃO AGORA! – Dean gritou sem paciência.

.

.

.

– Amor? Tá tudo bem? – Castiel falou chegando perto do seu marido e colocando a cabeça do mesmo nas coxas, logo acariciando seus cabelos. – Não fica assim príncipe, eles entendem que você está assim por conta do bebê.

– Não é isso Ca! Eu gritei com eles, com o Tae...Você sabe como o Tae é sensível, ele deve estar se achando o pior filho do mundo e eu nem cabeça pra ir conversar com eles, eu tenho. – fechou os olhos aproveitando o carinho que seu marido fazia em seu cabelo.

– Eu já conversei com eles príncipe, eles entenderam. O Tae demorou um pouco, mas nada que algumas metáforas não ajudassem. – riu. – Eu amo você...Ou melhor, vocês. – Castiel falou olhando para a barriga, com um volume já visível do marido e levou sua mão até o local, acariciando.

– Eu também amo você. – Sorriu singelo. – Eu acho que estava muito ligado no orgasmo, você simplesmente não podia gozar fora? Vários casais fazem isso. – Reclamou.

– Nem vem, não foi eu que disse ‘’ Vai Ca, goza dentro de mim.’’, nem vem mesmo gostosão.

– Você-...– Disse incrédulo. – Idiota! – riu envergonhado.

– Ei?!

– Hm? – O loiro resmungou.

 

Você é o meu amor e eu agradeço todos os dias por ter te encontrado, eu sei que trabalho demais e sei o quanto você fica triste. Eu peço perdão por isso, eu te amo.


Notas Finais


Eu só queria declarar meu amor por essas crianças, beijos. ashaik


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...