História A Última Carta De Donatello - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Tartarugas Ninja
Personagens April O'Neil, Casey Jones, Donatello, Hamato "Mestre Splinter" Yoshi, Kirby O'Neil, Leonardo, Michelangelo, Raphael
Tags Amor, Apriltello, As Tartarugas Ninjas, Casey Jones, Donapril, Donatello, Romance, Século 19, Século Xix, Tartarugas Ninja, Tmnt
Exibições 13
Palavras 339
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá leitores!

Bem, primeiramente eu peço mil perdões por ter ficado tanto tempo sem escrever. Era porque estava com um bloqueio criativo, juro. Mas agora voltei e exclui o capítulo de aviso e trouxe o que vocês querem: o capítulo sete!!! (aplausos)
Bem, boa leitura!

Capítulo 7 - A Primeira Palavra


Fanfic / Fanfiction A Última Carta De Donatello - Capítulo 7 - A Primeira Palavra

Depois de ter cuidado dos ferimentos causados pela agressão de Casey Jones, April e seu pai foram até o quarto da garota a fim de analisar as cartas de Donatello. O rapaz não respondia às cartas da ruiva nem dava notícias de onde estava há um bom tempo, e Kirby suspeitava que ele poderia ter deixado alguma pista nas últimas cartas que mandou.

            — Elas ficam guardadas nesta gaveta, papai — indicou April apontando para a escrivaninha. A garota tirou as cartas do seu amado com cuidado e se sentou na cama junto ao pai.

            No total, pareciam ter mais de cem cartas naquele maço de papéis.

            — Muito bem... — disse Kirby. — Ainda bem que elas estão em ordem cronológica... Vejamos...

            Kirby fez uma rápida análise nas mais antigas, e quando foi passando para a mais recente, notou algo curioso. Na última carta, havia algumas palavras destacadas de forma quase imperceptível. As palavras estavam em negrito ou sublinhadas.

            — Filha, veja isso... — Kirby então mostrou a carta e as palavras destacadas. A carta começava assim:

 

Manchester, 24 de agosto de 1865.

 

Minha querida April,

 

Eu sei que não adianta eu explicar mais e mais vezes; você nunca vai entender. Você nunca vai entender que eu não estou trocando nossa amizade pelos meus inventos.  Nunca vai perceber que eu amo o que faço, mas te amo ainda mais. Você é muito cabeça dura às vezes, April. Mas eu gosto de você mesmo assim. Não sei se a gente vai se falar outra vez, já que você vai se casar com aquele tal de Jones, e talvez se apaixone por ele. Mas pelo menos saiba disso: eu te amo.

 

A carta era longa, e Kirby e April terminaram de lê-la juntos. A primeira palavra destacada era “família”.

            — Família — disse April com um ar meio vago. — Ele deve estar se referindo à família dele. Pai, irmãos.

            — Bem, então isso significa uma coisa. April, faça suas malas, pois vamos retornar à cidade de...

            —... Manchester — A ruiva completou, absorta nas lembranças que sua cidade natal lhe despertava.

 


Notas Finais


E aí? O que vocês acharam do capítulo? Comentem por favor, isso é muito importante.
Obrigado e até a próxima!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...