História A última com sangue de cura - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Crônicas de Nárnia
Tags Aventura
Visualizações 9
Palavras 905
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Magia, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Mutilação, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - O misterioso labirinto


Fanfic / Fanfiction A última com sangue de cura - Capítulo 4 - O misterioso labirinto

Entusiasmo. Era esse sentimento que me definia muito bem. Eu estava louca para ver o jardim. Acordei bem cedo para poder aproveitar. Comi rápido e como era sábado e não tinha aulas, podia investigar o jardim tranquilamente. A cada 1 hora dois guardas faziam a inspeção pelo jardim então se eu entrar no labirinto ninguém me verá. Peguei o mapa e uma fita, para não me perder durante o caminho. Desci as escadas principais do lado de fora e entrei no jardim. Que lugar maravilhoso! Cheio de flores e borboletas. Como eu já disse havia um banco antes de entrar no labirinto. Respirei fundo e entrei. As paredes feitas de folhas eram maiores do que eu. Eu segui o caminho do mapa e fui marcando o caminho. Até estava parecendo João e Maria. Não era muito grande, não do jeito que eu pensava. Andei quase 30 minutos até chegar ao centro. Claro que foi mais fácil, pois estava com o mapa em mãos, mas se outra pessoa tentasse com certeza iria se perder. Havia um lugar que tinha muitos espinhos e não era possível de se passar.

-Finalmente!

Cheguei ao centro. Era um lugar maravilhoso. Muito mais tranquilo que o palácio. Comparado aos outros lugares com espinhos isso era um oásis. Pensei que haveria tesouros, baús com moedas, vestidos, mas na verdade só tinha uma fonte. Isso parece estranho, mas apesar de nunca irem aquele lugar ele estava totalmente limpo. A água era tão pura. Eu fiquei um tempo apenas para observar a paisagem. Depois deitei no chão e olhei para o céu. Nenhuma nuvem. Eu nunca mais queria sair dali.

- Miauuuu

- Um gato?

Olhei dos lados para ver se eu encontrava algo. Levantei-me rapidamente e limpei minha roupa.

- Um gato preto! Que lindo que ele é! Venha aqui gatinho.

-Miauuuu

-Psi Psi.

Mas que coisa ele não me atende. Os animais gostam de mim, mas parece que ele é uma exceção

Dei alguns passos para frente para pegá-lo, mas não adiantava. Quando estava perto ele saiu correndo

- Não! Volta.

Eu não posso segui-lo no labirinto, mas e se ele se machucar nunca iria me perdoar. Não sei de onde retirei coragem e comecei a correr. Atravessei caminhos tortuosos com espinhos. Onde esse gato quer me levar? Mas não posso voltar! Estou completamente perdida.

-Outra fonte?

Foi à primeira coisa que reparei. Esse não é o centro. Porque o rei colocou outra fonte aqui? Onde está o gato?Quantas perguntas quero fazer!

Aquela fonte está cintilando? Impossível, água não brilha. Cheguei bem perto e me agachei para olhar a água. Mas o que é aquilo no fundo? Parece!

-AAAA- eu escorreguei e caí dentro da fonte.

Espera? Dentro da fonte? Eu deveria ter batido a cabeça, mas isso parece um lago. Como assim? Era um rio, mar ou o que? Só sei que eu vou me afogar.

Não posso pedir socorro porque não alcanço a superfície.

Minha visão, eu não estou enxergando quase nada. Minha cabeça dói. Meu olhos fecharam devagar e eu desmaiei. Mesmo desacordada eu senti um puxão para cima. Mas quem está me puxando?

- Ei, Luna acorde. Por favor, levante-se.

Que voz doce estava me chamando. Deve ser um menino.

Abri os olhos lentamente e consegui ver a luz do sol. Estava deitada no chão.

-A onde...... Onde estou?

Minha voz não saia direito mal conseguia falar

- Luna que bom que você acordou, fiquei preocupado.

Levantei-me ou pelo menos tentei.

- Minha cabeça! Onde eu estou?

- Calma tudo ao seu tempo. Primeiro melhore do desmaio depois eu te explico as coisas.

Olhei ao redor parecia uma floresta ou algo assim. Estava de dia ainda e a luz do sol batia entre as frestas de algumas rachaduras de alguma coisa que desmoronou. Olhei diretamente para a pessoa que me ajudou.

Era um menino de cabelo branco? Como assim? Ele deve ter minha idade!

Tentei mover minha perna para ficar de pé, mas ela doía. Nossa será que eu sofri algum tipo de tombo?

- Você machucou seu tornozelo. Não vai andar direito por uns dias.

Porque ele estava me ajudando? E ainda sabia meu nome!

E se ele tentar fazer algo comigo? Aos poucos fui para trás para tentar fugir, mas nem sequer isso conseguia.

- Calma Luna. Não vou fazer nada com você. Estou aqui para cuidar de você.

Recuperei por completo minha consciência e conseguir vê-lo melhor.

Cabelos brancos e olhos azuis. Meu nariz está sangrando está manchando minhas roupas.

-Quem é você! Fique longe de mim agora!

- Luna!

- Como você pode saber o meu nome?

- Sua mãe me contou!

Minha mãe? Agora as coisas estão estranhas.

- Será que você pode acreditar em mim? Eu sei que muitas coisas aconteceram e isso é estranho. Estar em outro mundo pode....

- Outro mundo?- eu disse tentando levantar minha perna- Aiii!

- Calma!- ele correu de onde estava e me pegou no colo

- Me solte!

- Se eu te soltar você vai ficar aqui e os Yukai vão te levar embora.

- Yukai?

- Depois eu te explico melhor! Então, qual sua decisão? Vir comigo que vou contar sobre seu passado e a razão de estar aqui ou ficar para ser morta?

- Eu... Eu vou com você

Segui um gato que me levou até uma fonte. E essa fonte me trouxe para esse ‘’outro mundo’’. Tem como isso ficar mais estranho?

 

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...