História A Última Filha de Dierevos - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Lysandre, Rosalya
Tags Docete, Hentai, Lysandre
Exibições 60
Palavras 1.091
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


HELLOU, MEIO TARDE MAS ESTOU POSTANDO O CAP KKK
O PROXIMO POSSIVELMENTE VAI SAIR NO SABADO, E COMO SEMPRE, SE EU CONSEGUIR, VAI SER O MESMO BONUS DO FINAL DE SEMANA, DOIS CAPS NO FINAL DE SEMANA.
BOA LEITURA ^^

Capítulo 15 - Anjo Renegado


Fanfic / Fanfiction A Última Filha de Dierevos - Capítulo 15 - Anjo Renegado

Eu adormeci com aquelas palavras em minha cabeça, será que devo falar disso para Dieveros amanhã? Depois de uma noite de sono, eu me levantei e peguei uma bolsa, e coloquei um par de roupa intima, e depois um short jeans e uma blusa larga, eu nunca imaginei o Olimpo com roupas um pouco modernas, sempre as antigas e tradicionais togas, depois eu peguei Skinny e a levei para dar uma volta na floresta, depois que cheguei na arvore de Dieveros, em vez de sair as luzes em forma de seu corpo, ela permaneceu na arvore falando comigo.

-Dieveros, por que fica o tempo todo na arvore?

-Raven, só de tentar me manifestar com as luzes já consome grande parte da minha energia, e minha energia se enfraqueceu com o passar dos anos, por isso não tento sair da arvore, se eu sair, posso morrer apenas tentando.

-Entendo, você disse que eu não poderia confiar em nenhum deus, mas e os meus amigos? E Hades?

 -Hades você pode confiar sua vida a ele, ele foi o único deus que já me ajudou neste lugar, enquanto aos seus amigos, não posso dizer nada, não os conheço, mas acho que aquele demônio pode ser leal a você.

-Demônio?

-Não bem um demônio, mais para um anjo renegado, o de cabelos brancos, todo anjo renegado tem asas negras. –Quando ela disse aquilo eu fiquei em choque por um momento.

-Espera, meu pai era um anjo renegado? Eu tenho algum poder dele?

-Não, ele era um anjo caído, os anjos renegados são aqueles que são abandonados por aqueles do seu próprio sangue, mas os caídos, são aqueles considerados traidores, por isso grande maioria tem algumas marcas como se fossem rios de lava nas asas, mas seu pai não era traidor, Zeus o considerou um por ser uma ameaça a seu poder.

-Então Zeus é o famoso duas caras.

-Sim. –Ficamos em silencio por um tempo. –Melhor ir para a cachoeira se banhar, e quando o inferno chegar, no mesmo caminho da cachoeira mais ao oeste, tem fontes térmicas, que ficam ativas no inverno.

-As estações aqui são iguais as da terra?

-Sim, mas em vez de 4 meses, inverno e outono duram 6 meses, as outras 4.

-Por que as frias duram mais?

-Dionísio queria mais tempo do outono para suas uvas, e Gaia amava o inverno.

-Entendo, obrigada. –Digo saindo.

-Até Raven.

-Até. Mãe. –Digo e vou até a cachoeira.

Quando chego lá, tiro minha roupa ficando apenas de roupa intima, e me banho, eu fico relaxando na agua enquanto sinto a brisa do vento em meu rosto, depois de me lavar eu me troco, eu estava na metade do caminho para voltar para casa, quando eu me lembro sobre os animais que tinham, eu havia me esquecido de perguntar disso para Dieveros, depois que Skinny voltou, eu apenas entrei na floresta, era como se fosse algo diferente, uma áurea nova, depois de quase meia hora andando, eu encontro um tipo de animal que parecia a mistura de um morcego com um algum animal fofo, ele ficou me rodeado, e depois fez sinal para que eu o seguisse.

Depois de passar mais de uma hora andando, a áurea da floresta estava diferente, algo mais pesado, a floresta estava mais densa, depois que notei, tudo já estava escuro, quando tentei achar o morcego ele havia sumido, e Skinny tinha voado em direção ao olimpo a um bom tempo, me assusto quando escuto um barulho na moita, será que devo olhar ou ficar parada?

Criei coragem para chegar mais perto silenciosamente, quando estava perto o suficiente um animal que parecia uma gárgula sem asas pulou em mim, ele estava determinado em me matar, quando ele arranhou meu rosto eu o joguei para longe, imaginei minhas asas e elas saíram, quando eu levantei voo ela entrou em uma arvore e quando vi ela me atacou saindo do tronco de uma arvore próxima a mim, o que me fez cair de costas no chão, depois de me machucar muito eu consegui despista-la e voar, mas para meu azar, ela entrou novamente na arvore, mas em vez de sair estava controlando os cipós, fazendo-os agarrarem meu braços e pernas, um deles se enrolou em minhas asas apertando fortemente e me causando uma dor enorme, logo mais um se enroscou em minha garganta, ele estava apertando cada vez mais, queria me asfixiar, meu ar já estava sumindo e minha visão ficando turva, quando sinto meu corpo cair, não estava com forças para abrir os olhos, sinto alguém me segurar e nesse momento eu só ouvi o som de uma lamina.

Depois de uns minutos, eu me recuperei, e quando abri os olhos vi que estava escorada em uma arvore, em uma parte clara da floresta, e quando reconheci vi Lysandre a minha frente com um olhar de preocupação, logo ele me abraça.

-Raven, você está bem? –Ele diz preocupado.

-Estou, e que bicho era aquele? –Digo um pouco fraca ainda.

-Aquilo era um demônio, ele sentiu seu poder e com certeza queria te matar para pegar.

-Como me achou? –Pergunto um pouco recuperada já.

-Skinny estava desesperada quando me achou, eu apenas a segui, e ainda bem que não te aconteceu nada. Vamos para casa. –Ele me pegou no colo e fomos voando até minha casa, quando chegamos lá eu me lembrei do que Dieveros falou, se eu vou mesmo confiar nele, preciso que ele me conte todas as verdades.

-Lysandre.

-O que foi?

-Você é um anjo renegado? –Ele me encarou sério.

-Sim.

-Por que não me falou antes?

-Você provavelmente não saberia o que é um anjo renegado, e também ficaria com medo se soubesse o motivo.

-Eu sei o que é um anjo renegado, e não vou ficar com medo se me contar seu motivo.

-Você vai.

-Se não me contar não irá saber. –Ele diz e me empurra para dentro de casa, ele me prensa contra a parede e me encara no fundo dos olhos, pude ver que era um olhar diferente, um olhar que jamais vi vindo dele, um olhar sombrio, que dava um pequeno ar de medo.

-Está com medo.

-Não estou. –Eu disse firme, e ele continuou me encarando.

-Você quer mesmo saber o motivo? –Eu concordei com a cabeça, e ele se aproximou do meu ouvido, e falou com a voz rouca, me dando calafrios. –Não vá se arrepender. –Ele ficou em silencio por um tempo, e logo voltou a falar. –Eu sou um anjo renegado, porque matei toda minha família. 

CONTINUA..........


Notas Finais


ESPERO Q TENHAM GOSTADO
DEIXEM NOS COMENTARIOS O Q ACHARAM DO CAP
VEJO VCS NO PROXIMO CAP!!
KISSUS DOS FORNINHOS!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...