História A Última Filha de Dierevos - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Lysandre, Rosalya
Tags Docete, Hentai, Lysandre
Exibições 49
Palavras 1.160
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


ESPERO Q GOSTEM DO CAP ^^
BOA LEITURA

Capítulo 17 - Chegada do Outono


Fanfic / Fanfiction A Última Filha de Dierevos - Capítulo 17 - Chegada do Outono

-Quem sabe. –Digo rindo junto, depois de um tempo conversando resolvemos ir dormir, Lysandre já havia pegado no sono, enquanto eu tentava dormir ainda, resolvo ir para a cozinha para tomar um copo de agua, peguei um copo de madeira, mas quando fui virar a jarra não tinha agua. –Que ótimo. –Peguei o copo e fui caminhando para umas rochas que emanavam agua perto da minha casa, depois de beber um pouco de agua escuto barulhos vindo de dentro da floresta, os barulhos iam aumentando cada vez mais até que algo pula em cima de mim, me derrubando.

Eu já estava me preparando para levantar correr o mais rápido possível, mas quando consigo ver melhor o que era, era um filhote de lobo, pesado demais para um filhote, ou será que foi por causa do meu pânico que ele ficou mais pesado? Ele começa a latir para mim, depois ele se virou para a floresta e me encarou.

-Você quer que eu te siga? –Ele deu um latido em afirmação, melhor eu tomar cuidado desta vez, eu fui seguindo ele até parar em uma toca, quando olhei lá dentro tinha um lobo morto, talvez era a mãe dele, ou dela. Me partiu o coração quando o filhote foi para perto e ficou latindo para o lobo morto, em uma tentativa de fazê-lo acordar, eu fui para perto para pegar o filhote, ele era novo demais para conseguir sobreviver sozinho aqui, logo eu escuto uma voz e vejo uma luz.

-Raven, sou eu Dieveros.

-Dieveros, o que eu faço com esse filhote?

-Ele te encontrou, você escolhe ajuda-lo ou não, mas esse lobo morto, você deve libertar o espirito dele para a floresta.

-E como faço isso?

-Toque na testa dele, e imagine que está puxando a linha da vida dele, depois de puxar e ver que toda a linha de luz saiu, solte-a. –Ela disse eu fiz da mesma maneira, só foi difícil de acreditar que eu estava segurando o espirito de um animal, depois que soltei ela foi em direção a arvore que Dieveros ficava. Eu peguei o filhote no colo e voltei para casa, quando eu iria abrir a porta para entrar, ela é aberta de maneira brusca e rápida, vejo Lysandre com suas asas expostas e sua espada em mãos, logo depois ele suspira aliviado.

-Não me assuste assim Raven.

-Desculpe, eu estava com sede e a agua tinha acabado, então eu fui até umas rochas aqui perto e achei uma coisinha no caminho. –Ele olha para meus braços e arqueia as sobrancelhas.

-Onde o encontrou?

-Na verdade foi mais para ele quem me encontrou, eu o segui e vi que a mãe dele estava morta, e como ele é novo demais, achei que não iria aguentar.

-Você é bem gentil, mas também bem desinformada. –Eu encarei ele desentendida. –Esse filhote é uma mistura de lobo com criatura mística, para ser mais preciso um Cerberos, mas para sua sorte, a única coisa que ele tem de parecido com o Cerberos é o tamanho de quase 2 metros e meio. –Na hora eu levei um pequeno susto, mas depois eu voltei ao normal.

-Bem, vamos dormir então?

-Não sei se notou, mas o sol já está nascendo. –Me viro para trás e vejo o sol nascendo, logo um vento gelado passou pelas minhas costas. –E parece que o outono veio junto.

-Então pelo jeito a Rosa vai ficar com muita raiva. –Rimos juntos.

-Vamos para o Olimpo, provavelmente a Rosa vai querer falar com você. –Eu o segui em direção ao Olimpo, foi só eu pisar os pés na parte interna do Olimpo que a Rosa veio correndo em minha direção.

-Raven, preciso que venha comigo até uma vila para comprar mais tecidos, Dionísio quer fazer uma festa daqui umas semanas para comemorar as suas “grandiosas e deliciosas” uvas, que vai virar um vinho igual tem na terra, você pode vir comigo? –Ela disse fazendo cara de cachorrinho que caiu da mudança, depois eu parei para reparar em suas roupas, ela estava com um tipo de macacão preto e com alguns detalhes lilases que fazia parecer um vestido.

-Claro, nós vamos quando?

-Daqui uns 5 minutos.

-E que horas a gente volta?

-Provavelmente ao pôr do sol, já que Dionísio quer uma festa com o tema vitoriano, vamos comprar muitos tecidos, culpa sua Lysandre.

-Por que a culpa é do Lysandre?

-Ele fez uma aposta com Dionísio e se o Lys-fofo ganhasse era para que ele fizesse uma festa com tema vitoriano.

-Que aposta foi essa? –Digo encarando ele.

-Não queira saber.

-Raven, vamos já tem umas carruagens esperando a gente. –Ela diz me puxando e eu apenas acenei para o Lysandre, depois Rosa me puxou para uma carruagem e entramos. –Meu deus Raven, nem deu tempo de você se trocar, me desculpe.

-Não tem problema Rosa.

-Não tem problema é o cacete, fica parada. –Ela esfrega as mãos e faz um círculo de luz roxa e joga em mim, depois que olho para meu corpo eu estava usando um vestido tomara que caia branco, com alças que ficavam nas laterais no meio do braço, ele tinha alguns detalhes em azul e sua parte de baixo tinha uma inclinação para a esquerda e terminava nos joelhos. –Presentinho.

-É lindo Rosa, obrigada.

-É o melhor que posso fazer já que te trouxe no desespero. –Rimos juntas, depois de um tempo chegamos em uma vila, onde todas as pessoas usavam roupas com os mesmos estilos que eu e Rosalya, algumas com algumas regatas e saias ou shorts. Depois de comprarmos muitos tecidos nós fizemos uma pausa para comer, fomos até uma taverna e provamos um tipo de peixe que tinha ali, era muito bom, depois Rosa foi para um tipo de loja que vendia líquidos em frascos, e quando terminamos já estava quase no pôr do sol, antes de entrar na carruagem para voltar eu olhei para trás, senti que alguém me observava. –O que foi Raven?

-Não, não é nada, só achei que tinha alguém me observando.

-Eu estou de frente para você e não vi ninguém atrás de você te olhando.

-Tem razão Rosa, bem, vamos voltar? –Ela afirma com a cabeça e voltamos para o Olimpo, ajudei ela a carregar todas as coisas até seu grande estúdio, depois eu jantei no Olimpo e voltei para casa, chegando lá eu voei até uma das plataformas e peguei um livro, o título era “Magia básica de fadas”, tinha mais livros com o título parecido, porem mudavam apenas algumas palavras, alguns falavas sobre controlar elementos, outros sobre a própria magia, e outros que já eram os ensinamentos para os que tinham completo controle sobre a habilidade, eu li o livro de magia básica de fadas até a metade, eu tinha uma facilidade incrível para ler rápido, depois eu alimentei a Skinny e o lobo, e fui dormir, estava levemente frio aquela noite, era um frio suportável, mas incrivelmente bom.

CONTINUA........


Notas Finais


ESPERO Q TENHAM GOSTADO!!
DEIXEM NOS COMENTARIOS O Q ACHARAM DO CAP!!
E DEIXEM TBM NOMES PARA QUE EU COLOQUE NO LOBO!! (FEMININO, MASCULINO TANTO FAZ)
VEJO VCS NO PROXIMO CAP
KISSUS DOS FORNINHOS


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...