História A Última Filha de Dierevos - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Lysandre, Rosalya
Tags Docete, Hentai, Lysandre
Exibições 44
Palavras 1.016
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


HELLOU!!! AQUI ESTÁ O CAP DA SEMANA!!!!
ESPERO Q GOSTEM
BOA LEITURA

Capítulo 18 - Que se Foda o Orgulho


Fanfic / Fanfiction A Última Filha de Dierevos - Capítulo 18 - Que se Foda o Orgulho

Tem razão Rosa, bem, vamos voltar? –Ela afirma com a cabeça e voltamos para o Olimpo, ajudei ela a carregar todas as coisas até seu grande estúdio, depois eu jantei no Olimpo e voltei para casa, chegando lá eu voei até uma das plataformas e peguei um livro, o título era “Magia básica de fadas”, tinha mais livros com o título parecido, porem mudavam apenas algumas palavras, alguns falavas sobre controlar elementos, outros sobre a própria magia, e outros que já eram os ensinamentos para os que tinham completo controle sobre a habilidade, eu li o livro de magia básica de fadas até a metade, eu tinha uma facilidade incrível para ler rápido, depois eu alimentei a Skinny e o lobo, e fui dormir, estava levemente frio aquela noite, era um frio suportável, mas incrivelmente bom.

Acordei um pouco mais cedo que de costume, olhei pela janela e dava para ver a neblina fria, coloquei uma calça preta que era de um tecido parecido com jeans, depois coloquei um coturno marrom e uma blusa de lã cinza claro que vinha até a metade de minhas coxas, penteei meus cabelos e fiz minha higiene matinal, fui para o Olimpo tomar café, mesmo ainda faltando praticamente umas duas horas para o café. Quando cheguei na cozinha me deparei com uma mulher sentada comendo bolinhos e tomando chá.

-Olá. –Digo e ela olha para mim, e faz sinal para que eu me sente ao seu lado, e assim fiz.

-Olá, quem é você? –Ela diz gentilmente.

-Eu sou a Raven, prazer. –Digo e ela logo se exalta.

-Você é a filha de Dieveros?! Jamais pensei que poderia tomar chá com você! –Ela disse muito feliz, logo se acalmou e voltou a falar calma. –Desculpe-me, sou Afrodite, quer bolinho? –Ela diz me oferecendo um bolinho de chocolate, e aceito.

-Obrigada, posso tomar chá com você?

-Claro que pode, faz tempo que não arrumo companhia para um chá, chega a ser tedioso. Açúcar? –Ela é realmente bem diferente do que eu imaginava.

-Não, obrigada, poderíamos combinar de tomar chá outra hora. Sinto muito, mas tenho que ir agora.

-Sem problemas, depois tomamos um chá da tarde, até Raven. –Me despeço dela e vou para fora do olimpo.

-Acho que seria mais rápido se voasse. –Digo e logo projeto minhas asas para fora, vou voando direto para casa, alimento Skinny e o Hus, depois vou até a arvore de Dieveros e levo os dois, quando chego lá eu me sento escorada no tronco e fico olhando Skinny e Hus brincando, logo escuto a voz de Dieveros.

-Eles parecem estar se dando bem.

-Sim. –Digo os encarando om um sorriso no rosto.

-Já aprendeu a controlar sua magia?

-Não muito, o máximo que consegui foi fazer minha mão brilhar, nada mais e nada menos.

-Acho que isso pode te ajudar, coma. –Ela me entregou uma fruta com formato de estrela azul, ela me parecia familiar, mas não me questionei, eu estava com a boca já encostada nela, quase mordendo quando escuto uma voz familiar gritando meu nome desesperadamente.

-RAVEN!!!!!! –Quando olho de onde veio o barulho vejo o Lysandre vindo em minha direção voando rápido.

-Lysandre? O que houve? –Pergunto e ele pega meu pulso levantando minha mão que estava segurando a fruta.

-Estava querendo morrer? –Eu o encaro desentendida.

-De onde tirou isso Lysandre?

-Essa fruta, Star Berry, ela é muito venenosa. –Eu encaro para fruta e me lembro de Zeus me falando sobre ela ser venenosa.

-De onde tirou isso jovem? –Dieveros falou.

-Dieveros? –Ele perguntou.

-Ainda não me respondeu.

-Zeus nos fala que essa fruta é venenosa para seres místicos, como deuses e anjos.

-Ele já falou de fadas?

-Não.

-Então pode comer Raven, lhe garanto que nada de ruim irá acontecer. –Sem questionar ela eu comi, Lysandre me olhou espantado. –Provavelmente seu poder vai estar mais fácil de controlar em dois dias. –Ela disse, mas logo voltou a falar. –Preciso descansar agora, tenho que ir Raven, cuide-se.

Eu terminei de comer a fruta e voltei para casa, Lysandre ainda parecia surpreso, depois de um tempo em silencio ele começou a falar.

-Como tinha certeza que não era venenosa?

-Não tinha. –Ele ficou surpreso. –Apenas confiei nela.

-E como não saberia que ela tentaria te matar?

-Ela não faria isso, os únicos motivos que ela tem comigo é sair da arvore, já que sua magia enfraqueceu. –Ele permaneceu em silencio até chegarmos em casa, Skinny e Hus entraram, eu os deixei lá dentro enquanto andava com o Lysandre pela floresta, depois de muito silencio ele fala.

-Por que não voamos?

-De vez em quando é bom caminhar.

-Sim, caso contrário não teria sentido pássaros e aves terem pernas ou pés. –Ele diz me arrancando uma risada, será que eu devo esperar mais ou falar logo para ele? –Raven.

-Sim.

-Vou lhe perguntar algo e quero que responda da forma mais verdadeira possível.

-Certo.

-Você está gostando de mim? –Quando ele disse aquilo eu travei, não sabia como reagir.

-E-E-Eu não s-sei.

-Por que está gaguejando? –Ele diz se aproximando.

-N-Não estou gaguejando. –Que droga, ele foi se aproximando e eu fui recuando até dar com as costas em uma arvore e ele colocar o braço do meu lado para que eu não fugisse.

-Raven, sei que já fui um grande idiota por mentir para você, duvidar de você, e ainda te machucar por conta do que a Nina tinha feito. –Ele diz dando uma pausa, ele falava com arrependimento na voz.

-Lys... –Digo e ele me encara.

-Pode me odiar, mas eu vou continuar te amando Raven. –Quando ele falou aquilo meu coração acelerou, minha respiração ficou pesada e eu fiquei hipnotizada com aqueles olhos bicolores.

-Que se foda o orgulho. –Digo e vou um pouco para frente o beijando, ele ficou surpreso por um momento, mas logo passou a mão ao redor de minha cintura e eu ao redor de seu pescoço, dei passagem para sua língua, nossas línguas dançavam em sincronia perfeita, quando nos separamos pela falta de ar eu o encarei corada. –Eu te amo Lysandre.

CONTINUA.............


Notas Finais


ESPERO Q TENHAM GOSTADO!!!
DEIXEM NOS COMENTARIOS O Q ACHARAM DO CAP
VEJO VCS NO PROXIMO CAP
KISSUS DOS FORNINHOS >3<


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...