História A Última Pincelada - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Armin, Castiel, Debrah, Kentin, Lysandre, Nathaniel
Tags Docete, Lysandre, Mistério, Pintura, Romance
Exibições 14
Palavras 1.046
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bom dia/tarde/noite :3
Minha inspiração sumiu por alguns dias mas já voltou ! Que continue assim NAHDKSNFK
Enfim, realmente espero que gostem do capítulo, e boa leitura!

Capítulo 3 - Ansiedade : Uma frequente tortura


Seus olhos começaram a se abrir, quantas horas ficara desacordada ? O sol exibia uma luz alaranjada, estava perto de se pôr.

Com a visão ainda sem foco algum, levantou parte do corpo, agora sentada, passou a mão pelos cabelos. A janela estava aberta quando virou-se para a tal, um corpo estava sentado aguardando ser notado, até que conseguiu enxergar com clareza.

-Kentin. - falou Diana, em tom de cumprimento.

-Boa tarde, bela adormecida. - Seus coturnos fizeram barulho quando pulou para dentro da casa, duas armas repousavam em sua cintura. - E esta pintura ?

O homem foi até o cavalete, observando a tinta já seca que formava a imagem inacabada, o traço de Diana era firme e ao mesmo tempo leve, o que variava de acordo com seu humor. A garota se levantou, ficara tão estressada mais cedo que precisou tirar a própria consciência por algumas horas, necessitava de continuar a pintura imediatamente.

-Eu preciso terminar isso hoje ! - afirmou.

Pegou o pincel e preparou a tinta o mais rápido possível, não faltava muito, apenas detalhes, os quais requerem cuidado.

-Para quem ?

Diana parou, refletindo sobre o que realmente estava fazendo.

-Para um ladrão…

-Como ? - Kentin cruzou os braços, esperando uma resposta com bons argumentos, e teve uma à altura :

-Ele sabe algo sobre o Lysandre !

Seus olhares se cruzaram, o garoto colocou a mão no rosto, preocupado. As luvas escondiam algumas veias que seguiam por seu pulso, Diana não podia negar, aquilo era charmoso.

-Tente não se meter em encrencas.

-Sem problemas…-Respondeu baixinho, toda sua concentração estava em finalizar a tela.

E assim permaneceram por vários minutos, ela pintando, ele observando, até que o cansaço ficasse explícito o bastante em sua face.

-Vou preparar algo.

Kentin se dirigiu até a cozinha ao lado, abrindo a geladeira e os armários para pensar no que poderia fazer, Diana conseguia ver a estampa de camuflagem em suas calças passando de um lado para o outro de onde estava.

-ah...terminei ! - Respirou fundo enquanto se sentava pesadamente na cama, suas mãos, braços e roupas estavam sujas de tinta, porém se sentia bem por ter finalmente acabado.

-Ótimo ! A sopa de tomate está quase pronta. - Kentin saiu da cozinha com uma colher na mão, ao ver a pintura finalizada, se paralisou - Uau…

Estava idêntica à foto, dificilmente alguém conseguiria distinguir qual era a verdadeira.

-Vou tomar um banho.

-Está precisando mesmo ! Haha…-O garoto riu ao ver a tinta na pele de Diana, ela nunca conseguia evitar de se sujar um pouco. - Vá, e demore o quanto quiser, afinal hoje eu sou o cozinheiro.

-Está bem, chef ! - Sorriu de volta, “demore o quanto quiser”, aquela era a maneira de Kentin dizer : sem problemas caso queira ficar sozinha um pouco.

Diana seguiu para o banheiro, tirou as roupas e entrou dentro do box. Ligou o chuveiro e sentiu o choque da água fria sobre seu corpo, lembrou-se de quando Lysandre a acompanhava naquele momento, abraçando seu corpo até que a água ficasse quente, ambos com os cabelos molhados e pesados, além dos cílios repletos de gotículas que dificultavam sua visão diante da água corrente. Ela adorava ensaboar as costas dele, cobrir a bela tatuagem de asas com espuma, e logo em seguida retirar, revelando o magnífico desenho ali desenhado.

Após alguns minutos, saiu da hipnose que era lembrar dele, desligou o chuveiro e se enxugou. Vestiu uma roupa limpa e seguiu para a cozinha, ao chegar lá, viu que Kentin havia arrumado até mesmo a mesa, pratos, talheres e guardanapos já postos.

-Quanto você cobra para ser meu cozinheiro ? - perguntou suavemente.

O garoto riu, levando a panela até a mesa.

-Ainda não cheguei a esse ponto ! Mas podemos negociar…-Diana sempre gostou da forma que Kentin levava as coisas na brincadeira, porém ao mesmo tempo relevando possibilidades, sempre fora um grande amigo para todas as horas.

Não perderam tempo, se serviram. Quando Diana colocou a primeira colherada na boca, Kentin já lhe lançou um olhar interrogativo, esperando uma reação.

-Está muito bom…-diz ela, tentou procurar outro elogio em sua mente, mas parou por ali, estava faminta e cansada, pensar muito só lhe traria mais dor de cabeça.

O céu já estava escuro o suficiente para que acendessem as luzes, o tempo estava a seu favor, passando um pouco mais rápido.

-Hm...Precisa de mais alguma coisa? - Kentin estava lavando os pratos, chegava a ser engraçado ver um militar de avental.

-Apenas dormir. - Ambos riram.

-Pode ir, eu vou ficar de guarda lá fora…- Após terminar o serviço doméstico, Kentin arrumou as armas na cintura e seguiu para fora.

-Tem certeza ? Pode ir dormir se quiser. - Sugeriu Diana, sonolenta.

-Estou acostumado a fazer patrulha noturna, não se preocupe. Boa noite! - Ele fechou a porta.

A garota apenas escovou os dentes e foi dormir, mal fechara os olhos e já caíra no sono.

Seu celular despertou exatamente às oito da manhã, ainda um pouco tonta desligou o alarme que soava insistentemente. Fez o mesmo processo do dia anterior, escovou os dentes, arrumou os cabelos, vestiu um sobretudo, porém antes de sair, teve de comer algo para se manter firme e de pé.

A pintura, já seca e pronta, foi posta na maleta cuidadosamente pelos finos dedos da garota. Calçou suas botas e saiu pela porta da frente, Kentin estava encostado ao lado, parecia ligeiramente cansado.

-Bom dia. - Disse ele com voz rouca.

-Bom dia, você parece abatido, sinta-se à vontade para entrar e tomar um café ! - Diana estendeu as chaves da casa para ele, que recusou.

-Não precisa, eu aguento, vamos?

-Você vai comigo? - Ela não havia pedido nada.

-Claro, não deixarei você se encontrar com um ladrão sozinha! - Exclamou, pegando no braço de Diana cautelosamente e seguindo pela rua.

Ambos seguiram em silêncio, os passos apressados dela ultrapassaram os do militar, que não conhecia o caminho. Se aproximaram de uma viela, e desde o início da mesma, Diana já conseguiu avistar Nathaniel, respirou fundo, chegou a hora. Cada passo que dava era um segundo a menos para que ouvisse a tão esperada informação, após dois meses, finalmente, finalmente, apenas isso se passava em sua mente.


Notas Finais


E então meu povo querido, o que acharam? :3 gostaram ?
Até o próximo ^^/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...