História A união de dois corações - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bleach
Personagens Ichigo Kurosaki, Isshin Kurosaki, Karin Kurosaki, Orihime Inoue, Sado Yasutora, Tatsuki Arisawa, Uryuu Ishida, Yuzu Kurosaki
Tags Bleach, Drama, Ichigo, Ichihime, Orihime, Romance
Visualizações 197
Palavras 1.608
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Primeiramente, tenho me sentido mais à vontade em postar os capítulos as sextas, por isso gostaria que vocês não me repreendessem por isso ^^'
Segundamente, semana que vem não terá capítulo, somente na próxima. Motivo: Eu tenho mais capítulos da estória para serem postados, o problema é que eu estou meio indecisa sobre o roteiro e por isso o próximo capítulo e os seguintes podem ser modificados de acordo com a rota que eu tomar. Se eu postar semana que vem o capítulo sem me decidir no roteiro, posso acabar fazendo confusão depois e não solucionar as dramas que coloquei na estória.

Por último, sobre esse capítulo: No capítulo anterior vocês viram que a Hime e a Rukia tiveram um momento entre amigas. Nesse capítulo você verão um pouco do passado antes de Rukia cuidar da Hime no hospital. Verão Ichigo ferir o cara que quase matou a Hime e verão como ele chegou no hospital pra passar à noite lá...

Espero que gostem do capítulo. Boa leitura \o

Capítulo 22 - Declaração silênciosa


Havia se passado dois dias desde que Orihime quase havia morrido. Na primeira noite Ichigo ficou ao seu lado por toda madrugada e só havia conseguido dormir depois de segurar a mão da jovem. No segundo dia o ruivo havia ficado em casa um tempo para cuidar da sua higiene e tão logo já havia ido para o hospital novamente. E naquele mesmo dia o jovem saiu do hospital quando já era noite e por volta das 23 horas ele cometeu um crime, um crime segundo os moldes humanos, pois do contrário ele já teria cometido outros crimes antes por ter matado arrancars, quincys e até um shinigami-substituto como ele. Primeiro ele havia socado aquela pessoa no estômago e a dor fez com que ele saísse do estado de bêbado. Depois ele deu tempo do homem reagir, então ele se esquivou de qualquer contra ataque, daí ele revidou socando seu rosto e nessa ação dois dentes caíram, mas isso não era suficiente. Ichigo precisava de mais e foi por isso que havia quebrado os dedos daquele individuo até se dar por satisfeito. Depois disso o ruivo quebrou algumas costelas a chutes, foi então que o shinigami-substituto percebeu que tinha ido longe demais. Suas mãos estavam sangrando e ele notou que um dos ossos quebrados daquele ser tão repugnante havia furado um dos seus pulmões. Não era a intenção de Ichigo matar aquele que fora o algoz de Inoue, pois a jovem jamais permitiria isso, jamais perdoaria Ichigo por matar por vingança, então foi somente por isso, que o shigami substituto levou aquele que acabara de ferir gravemente ao hospital. O que foi feito com certeza relutância por parte dele.

Não era nem meia noite quando Ichigo chegou ao hospital de Ryuuken. Ele havia ido como shinigami, pois a pé não daria tempo dele salvar o jovem ferido. Um jovem, da idade de Ichigo ele reparou, que, no entanto já tinha cometido crimes que nem um adulto teria coragem de cometer. Ryuuken não questionou o ruivo, simplesmente prestou socorro imediato ao ferido, apenas isso. No entanto, Ichigo sabia que Ryuuken era inteligente suficiente para saber que quem havia ferido aquele individuo era ele. A reaitsu de Ichigo estava impregnada no meliante. Mas Ichigo sabia que Ryuuken não o censuraria. Provavelmente Ishida faria o mesmo. Provavelmente Ryuuken teria feito o mesmo por um amigo, e pela mulher que ele amava, teria feito em dobro.

Ichigo queria ir ver Orihime. Ela estava a poucos metros... mas ele não tinha coragem... primeiro ele voltaria ao seu corpo, depois tomaria um banho, pois estava encharcado de sangue e suor, então iria ver a jovem. E assim foi feito. Quando o shinigami-substituto finalmente havia chegado ao hospital depois de tomar um longo banho já era quase de manhã. O jovem estava exausto, mas ele não tinha um pingo de sono. Ainda estava nervoso por ver a pessoa que amava ferida e por ter quase matado alguém da mesma idade que ele, mas então assim como em outra noite ele deu a mão a Inoue e pegou no sono.

[...]


Já era noite quando Ichigo acordou. Noite do terceiro dia de internação de Orihime. O shinigami-substituto mal havia dado conta do horário, ele havia sido praticamente escorraçado da ala onde Inoue estava por Rukia. A Kuchiki ainda exigiu que o ruivo dormisse. Ichigo achou que devia estar na cara o quanto ele estava cansado. Ele havia dormido pouco justamente, pois, havia se envolvido em uma briga na noite interior no qual ele quase matará aquele que havia ferido Inoue gravemente.

O shinigami-substituto achou que talvez àquela hora Rukia se desse por satisfeita e deixasse a vez de cuidar de Orihime por sua conta, assim, antes do ruivo ir para ala de Inoue, ele passou na praça de alimentação do hospital e apenas pegou um café. Ele ainda não conseguia comer direito e talvez nem conseguisse sem antes ver que a jovem que amava estava bem. Assim, instantes depois Ichigo já estava indo ver Orihime.

[...]

Já era quase noite. Ichigo havia dormido o dia inteiro, então Rukia passou esse tempo todo ao lado de Orihime. As duas haviam passado maior parte do tempo conversando, mas também almoçaram e jantaram juntas. Rukia fazia questão de dar comida na boca de Orihime, embora a jovem teimasse que estava bem suficiente para comer sozinha. Por fim, a Kuchiki havia trazido um dvd para ver um filme com a ruiva, quanto a televisão já havia uma no quarto, aliás, em muitos dos quartos do hospital de Ryuuken haviam grandes televisões acopladas.

O filme ainda estava no inicio quando Ichigo chegou. Para surpresa do jovem que naquele momento estava tentando afastar um formigamento nos braços, ele viu uma Orihime acordada e radiante, tão radiante como nunca antes. Ele não moveu um músculo do corpo, ficou com os olhos vidrados e quase saltados ao ver a pessoa que amava bem. O jovem então faz menção de falar, mas é interrompido pela própria Inoue.

– Shiuuu, Kurosaki-kun, o filme está rodando. – Orihime gesticula com o dedo.

“Depois de tudo que aconteceu, ela me manda ficar quieto?”, pensa Ichigo indignado com o café na mão, café que quase havia derramado quando entrou pela porta daquele recinto.

– Senta aqui, tem lugar, veja o filme com a gente. – Orihime aponta para uma à sua direita que estava desocupada, então Ichigo silenciosamente vai até essa poltrona e se acomoda ali.

Orihime estava bem e por dentro Ichigo estava pulando de felicidade por isso, o jovem mal sabia como havia conseguido se controlar para não pular em cima de Inoue e abraçá-la. Ela estava tão perto dele e acima de tudo viva.
– Ei, Kurosaki-kun, eu posso beber um pouco de café? – Pede Orihime corada.

– Você pode tomar? – Indaga Ichigo.

– Não posso, mas não vejo mal algum em tomar. – Orihime sabia que Ichigo não a deixaria tomar café, por ela ter dito que não poderia, foi por isso que a jovem pegou o copo de Ichigo surpreendendo-o.

– Se é assim... – Sorri Ichigo que só instantes depois se dá conta que Orihime estava o beijando indiretamente por beber do mesmo copo que ele.

– Não sabia que tomava café. – Fala Orihime ainda com a xicara de café em mãos.

– Eu comecei há pouco tempo... – Responde Ichigo, omitindo o fato de que ele havia começado a tomar café desde que a jovem havia se ferido. Café, ele descobrira desde que experimentou, ajudava-o a manter sanidade depois do pesadelo que estava sendo os últimos dias.

Instantes depois Inoue devolve o copo a Ichigo e desconcertado o jovem bebe novamente do seu café. Foi a sua vez de beijar Inoue indiretamente.

Rukia estava quase vomitando em ver toda aquela cena doce. Ela se perguntou se não deveria deixar os dois a sós, mas isso poderia revelar muito do que ela estava pensando a respeito do comportamento deles, e isso poderia compeli-los a pararem de flertar um com o outro, então foi somente por isso que a Kuchiki permaneceu no recinto de “vela” para o casal ruivo.

[...]

O filme já estava na metade. Rukia pelo jeito havia dormido. A shinigami havia cuidado de Orihime o dia inteiro e já estava bem cansada àquela altura da noite. Quanto a Ichigo, ele havia dormido quase o dia inteiro e Orihime sem muito que fazer por estar invalidada em uma cama estava suficientemente descansada.

– Ei Kurosaki-kun. Veja, Rukia não parece fofinha dormindo?

Ichigo se levantou para ver e se deparou com a Kuchiki babando. – Ela não me parece muito fofa assim...

“Não toque aí Renji”, fala Rukia enquanto dormia.
Ichigo e Orihime contiveram a gargalhada que estava para sair depois de ouviram Rukia falando. Um minuto depois ambos os ruivos se acomodaram em seus respectivos lugares e prosseguiram olhando o filme.

Ichigo estava tão acostumado a dar a mão para Orihime nas noites que passou ao seu lado que ele havia sentido um incomodo quase à noite inteira até finalmente perceber o motivo de tal incomodo. Suas mãos sentiam saudades das mãos de Inoue. Tão pequenas, tão macias e aconchegantes... O jovem instintivamente acomoda sua mão sobre a mão de Inoue e ele só havia notado que estava tocando à ruiva depois de sentir sua pele eriçada sobre seus dedos. Ele pensou em tirar a mão assim que havia notado o que havia feito, mas ele precisava tomar uma iniciativa mais cedo ou mais tarde... e Orihime não havia o censurado pelo gesto. Não. Ela recebeu a mão de Ichigo sem demonstrar contrariedade. O jovem olha para o rosto da jovem e embora estivesse escuro no quarto era visível que a ruiva estava rubra. Isso só poderia significar...

Ichigo não queria tirar conclusões precipitadas sobre Inoue corresponder seus sentimentos, foi por isso que o jovem fez menção de retirar suas mãos das dela, mas então ele é censurado. Inoue pega sua mão de volta e entrelaça seus dedos com os deles, então vira seu rosto inteiramente corado e fala:

– Minhas mãos também estavam sentindo falta das suas.

É a vez de Ichigo corar. Então ela correspondia seus sentimentos... Ichigo teve que respirar bem fundo para não deixar seus instintos prevalecerem fazendo-o reinvindicar os lábios da mulher que amava. Os lábios dela eram tão convidativos sobre a claridade da televisão... o jovem quase cedera, mas então Inoue move seu olhar para televisão de novo. Ichigo mal lembrava que filmes eles estavam olhando, mas ele estava feliz. Provavelmente era o homem mais feliz do mundo naquele momento.

Ichigo e Inoue estavam tão confortáveis com a mão um do outro que adormeceram antes mesmo do filme acabar. Foi Rukia quem teve que desligar a televisão assim que acordou pela madrugada.


Notas Finais


Parece que finalmente Orihime e Ichigo vão largar de serem bobos. Já tava na hora. Nem eu como autora tava suportanto tanto cú doce :x


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...