História A união de dois corações - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bleach
Personagens Ichigo Kurosaki, Isshin Kurosaki, Karin Kurosaki, Orihime Inoue, Sado Yasutora, Tatsuki Arisawa, Uryuu Ishida, Yuzu Kurosaki
Tags Bleach, Drama, Ichigo, Ichihime, Orihime, Romance
Exibições 78
Palavras 1.090
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


A partir de agora a estória começa a impulsionar <3
Boa leitura, meus lindos <3

Capítulo 5 - Manhã embaraçosa


Orihime acorda terrivelmente bem e terrivelmente feliz, para seu próprio espanto, pois a jovem não costumava acordar tão bem assim. E antes que pudesse tomar qualquer ação, a ruiva observa o cobertor estendido sobre si. “Tem o cheiro do Kurosaki-kun”, pensa com ternura a jovem, que involuntariamente contrai o cobertor contra seu rosto para inspirar o cheiro do amado, o que a inundou de satisfação e prazer.

Uma batida na porta, então duas. – Posso entrar? – Pergunta uma voz masculina.

Orihime se senta na sua cama improvisada, olha ao redor e percebe que estava sozinha no quarto. Ela teria dormido demais e Karin e Yuzu já teriam levantado? E afinal, como ela foi parar ali? Sua última lembrança da noite passada era na sala. – Pode. – Responde Orihime.

– Bom dia, dorminhoca, o café está pronto, não quer ir lá e fazer o desjejum? – Pergunta Ichigo, meio desconcertado.

– Desculpe acordar tão tarde. – Logo diz Orihime levantando-se.

– Não precisa ter vergonha, a gente foi dormir bastante tarde ontem à noite e recém são 9:00 horas.

– Ok... então, eu já me encontro com vocês, preciso ir no banheiro primeiro.

– É claro. – Replica Ichigo sorrindo, bobamente.

Apesar do rosto sorridente, e Orihime poderia jurar ruborizado de Ichigo, a jovem teve a impressão de que Ichigo estava meio distante, por algum motivo, então dissipando essas ideias a jovem vai ao banheiro sanar suas necessidades e fazer a higiene matinal e tão logo já estava na cozinha, sendo recebida com um bom dia em uníssono por Yuzu, Karin e Isshin.

Durante o café, Orihime pode notar certa estranheza vinda de Ichigo que em alguns momentos ficava vermelho, mas ela optou por ignorar esse fato, pelo seu próprio bem, pois achava que poderia ser invenção da sua cabeça. Afinal por que Ichigo estaria rubro? Além disso, apesar do shinigami-substituto estar sendo bastante gentil, se prontificando a alcançar as coisas na mesa e a servindo, Orihime notou que ele também estava também distante. A ruiva não sabia como reagir a isso. Era um sinal bom ou ruim essa alternação de gestos de Ichigo?

O café terminou e dessa vez Karin foi categórica em não deixar Orihime lavar a louça, então Orihime se oferece para arrumar sua cama improvisada no quarto das irmãs, mas Yuzu insiste que não. A intenção das irmãs era que Orihime não se ocupasse com tarefas para que pudesse ficar mais tempo perto de Ichigo no quarto dele, mas infelizmente elas não perceberam que com isso acabaram coibindo Orihime que não captou a mensagem e cabisbaixa diz que gostou muito de passar o dia anterior com elas, incluindo Isshin, e que agradecia por toda hospitalidade. Então se retirando a jovem é acompanhada por um Ichigo igualmente cabisbaixo.

– Francamente esses dois não aproveitam a oportunidade que têm. – Fala Karin para Yuzu assim que o casal de ruivos sai porta a fora.

Acompanhando Orihime até o portão Ichigo finalmente para e olha para Orihime que em resposta olha de volta, então Ichigo desvia o olhar, novamente rubro, e fala:

 – Foi muito bom passar o dia com você ontem. Eu estava meio para baixo por causa de tudo, mas você acabou me animando, obrigada. – Ichigo novamente fita Orihime, lutando para não desviar seu olhar do dela.

– Não precisa ser tão cortês, também foi ótimo passar o dia com você... e suas irmãs e seu pai. Vocês são pessoas muito agradáveis e gentis, seria bom podermos combinar de fazermos novamente o que fizemos ontem. – Contrapõe Orihime se atrevendo a ser mais egoísta do que já tinha sido, nos pensamentos dela.

– Fazermos o quê?! – Questiona com nervosismo Ichigo que no mesmo instante lembra do que havia acontecido entre ele e Orihime no sofá na noite anterior, quando acabaram adormecendo juntos.

– Comermos, vermos algum filme... – Responde Orihime um pouco intrigada.

– Ah, isso. Sim, tem toda razão, deveríamos fazer isso mais vezes. – Sorri meio bobo o jovem shinigami-substituto que começa a notar que estava parecendo o pai nas atitudes e gestos um tanto bobas.

– Bem, eu já vou indo então. Novamente obrigada por tudo. – Orihime sorri e anda em direção ao portão, para finalmente ir embora.

Intimamente, Ichigo queria mandar que Orihime parasse e retornasse para que ela ficasse mais tempo na sua casa e com ele. Naquele momento o que o shinigami-substituto mais queria era a permanência de Orihime ali. Para dividir as refeições com ela, rir com ela, olhar mais algum filme com ela e se desse sorte, ele gostaria que ambos adormecessem novamente um do lado do outro para acordarem abraçados. Mas não era de sorte que Ichigo precisava naquele momento, era de coragem, para impedir que Orihime fosse embora, mas tudo que ele soube dizer foi:

- Espero sua volta, Inoue. Tenha um bom dia.

Orihime sorri e Ichigo retorna o sorriso da ruiva, então ela finalmente vai embora, para angústia de Ichigo. 

[...]

 

Perto da casa da família Kurosaki, uma jovem com longos cabelos marrons desfaz suas malas, com a ajuda pai.

Kaori havia voltado para Karakura depois de morar quase a vida toda fora do Japão. Finalmente ela havia voltado para sua terra natal do qual estava distante há tantos anos. E ali, ela daria continuidade nos seus estudos na universidade que ficava na cidade próxima de Karakura. Certamente ela poderia ficar na cidade onde cursaria a universidade, mas ela não conhecia ninguém por lá e em Karakura ela poderia ficar na casa do pai que havia se separado da sua mãe quando ela ainda era criança. E Karakura não era tão distante assim da cidade no qual Kaori cursaria faculdade, na verdade, a cidade era quase uma metrópole da outra cidade que era dividida somente por alguns quilômetros de mato. Levava em média 30 minutos para chegar até Tokyo, assim que estivesse saindo da cidade onde seu pai morava.

– Essa cidade continua a mesma. – Diz Kaori para si mesma em voz alta.

Relaxando o corpo, a jovem olha ao redor da vizinhança para ver se notaria alguma mudança no bairro, então estatiza seu olhar ao encontrar dois jovens ruivos que estavam se despedindo. Reparando por alguns segundos neles, Kaori observa a jovem que estava na companhia do ruivo alto finalmente indo embora com um semblante de pesar e instantes depois o jovem faz o mesmo com o semblante igualmente de pesar, retornando para dentro da casa. Enquanto a própria Kaori retornava para dentro da sua atual casa, ela pensa no quanto Kurosaki Ichigo havia amadurecido e se tornado um homem bonito e sorri lembrando-se da infância deles, quando ele apanhava para ela no dojo e para Tatsuki.


Notas Finais


E aí, o que acharam desse capítulo? Gostaram da Kaori? Ela é a primeira personagem original, assim como outros que surgirão na estória :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...