História A Usurpadora Paulina de Verdade - Capítulo 3


Escrita por: ~

Exibições 77
Palavras 2.482
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Gente, comentem o que acham e favoritem ! Isso motiva bastante <3

Capítulo 3 - - Você é um covarde !


Fanfic / Fanfiction A Usurpadora Paulina de Verdade - Capítulo 3 - - Você é um covarde !

 

"El Cardenal"

Paulina paga a corrida e desce do taxi. Arruma o cabelo com as mãos e entra no restaurante. Vai andando enquanto procura o rosto conhecido. 
Um homem levanta a mão sinalizando e ela sorri ao vê-lo. Vai ao seu encontro e ele levanta para cumprimentá-la.

Edmundo Serrano : Paulina, você está linda !

Paulina : Você também está muito bem, Serrano ! 

Ele a beija nos dois lados do rosto, puxa a cadeira pra ela e em seguida se senta. 

Serrano : Achei que não atenderia meu pedido.

Paulina : E por que não ?

Serrano : Você sabe.. Sabia das minhas intenções há dois anos e meio e ainda sabe que são as mesmas. -Fala seriamente enquanto a olha nos olhos.-

Paulina : Eu... Bom.. Não tinha porque fugir de você. Além de um grande amigo, fez um ótimo trabalho. -Ela sorri, grata.-

Serrano : Me arrependo até hoje. Depois que a situação passou, eu percebi quantas coisas eu podia ter feito para que você fosse absorvida, Paulina. Me perdoe. 

Paulina : Você conseguiu me fazer pagar apenas dois anos e não dezenove, como eles queriam. E sem manchar o nome dos Bracho, ou a minha irmã. Não se culpe, Serrano. -Ela coloca a mão por cima da dele- Eu sou muito grata a você. Sabe disso. 

Serrano : Insisto que me chame apenas de Edmundo, Paulina. 

Ela sorri com a chamada de atenção. Ia tirar a mão de cima da dele, mas ele colocou a outra por cima da dela. Se encararam por um momento.

Garçonete : O que vão querer ? 

Paulina se assusta e recolhe a mão.

Paulina, Edmundo : ....

 

"Na casa dos Bracho" 

 

Carlos Daniel chega, deixa o carro na frente da casa e entra na mansão. 

Carlos Daniel : PAOLA ?! -Grita- CADÊ VOCÊ, PAOLA ???

Lalinha vem correndo da sala.

Lalinha : Aconteceu alguma coisa, senhor ? 

Carlos Daniel : Minha esposa. Paola, onde está ? 

Lalinha : Acho que na piscina, senhor. -Diz assustada-

Carlos Daniel : Tem alguém com ela ? A vovó, as crianças ? 

Lalinha : Não, senhor. A vovó está na biblioteca e as crianças ainda não chegaram.

Carlos Daniel : Quem perguntar por mim, diga que estou na piscina com minha esposa. E não quero que ninguém vá até lá incomodar. Por nada. Entendeu ? 

Lalinha : Sim, senhor !

Ela fica olhando assustada, enquanto ele sai para ir até a piscina.

Lalinha : O que será que aconteceu ?? 

Carlos vai até a área da piscina e vê Paola mergulhando distraída. Ele tira o paletó, a gravata, os sapatos e a meia e ela não o vê. 

Carlos Daniel : Paola ! 

Ela se assusta ao vê-lo parado à beira da piscina.

Paola : Meu amor... O que faz aqui ? 

Nada até a borda para chegar perto dele.

Carlos Daniel : Eu vim para almoçar com você e as crianças. -Diz enquanto solta o cinto e tira a calça. 

Paola : Você... Vai entrar ? 

Carlos tira a camisa e mergulha apenas de cueca na piscina. Nada até a outra borda e Paola o segue. Ele se encosta na escada e Paola emerge a sua frente.
Ele passa as mãos por sua cintura e a puxa para si. Paola abre um sorriso largo. 

Paola : O que está fazen...

Antes que ela terminasse de falar, Carlos Daniel a beija vorazmente. Paola se entrega as carícias de seu marido que no momento, parecia desejá-la tanto.

"El Cardenal" 

Paulina : Eu vou querer Filé Mignon ao Gorgonzola com salada. Por favor. -Fala fechando o cardápio e entregando a garçonete.-


Garçonete : E o senhor ? 

Serrano : Igual ao dela, senhorita. E por favor, nos sirva uma garrafa e vinho do Porto. 

Garçonete : É pra já. Com licença. -E vai buscar o vinho. Edmundo e Paulina ficam se olhando.-

Serrano : Como está sendo? Na casa dos Bracho.

Paulina suspira.

Paulina : O clima não está muito bom. Você sabe que minha irmã está lá e ...

Serrano : E continua esposa do Carlos Daniel Bracho ?

Paulina : É...

Serrano : Por que continua morando lá ? Eu não compreendo.

Paulina : Eu quero sair. Mas a vovó Piedade insiste tanto que eu acho que se eu sair, ela acaba adoecendo. E também tem as crianças. O Carlinhos principalmente. Eles entendem o que está acontecendo, mas continuam agindo como se eu fosse a mãe deles, não a Paola. 

Serrano : Eu entendo... Sinceramente, espero que as coisas melhorem pra você, Paulina. Você não merece sofrer.

A garçonete volta com o vinho e os serve. 

Edmundo, Paulina : Obrigada .

Garçonete : O pedido de vocês fica pronto daqui há 7 minutos. -E se retira. Eles tomam um pouco do vinho.-

Paulina : E como está sua vida ? Ah, e Lêda ? Ainda está com ela ?

Serrano sorri e toma mais um pouco do vinho.

Serrano : Eu não tenho mais nada com ela. E não era sério desde o princípio. Depois que aceitei seu caso, ela tentou ficar encima de mim ainda, mas acabou cansando. Ela sabia que eu me interessava em você. 

Paulina fica sem graça. 

Serrano : Não a tem visto também ? 

Paulina : Ela não frequenta mais a casa dos Bracho. Acho que por ter me denunciado, ela perdeu o contato com a família. Não queria que fosse assim ...

Serrano : Você sempre com a alma linda, Paulina.

 


"Na casa dos Bracho"


           Na piscina, Carlos Daniel beijava, acariciava, apertava Paola com tanta intensidade que até ela estranhou. Mas de qualquer forma, Ela sempre acreditou em seus 
dotes para reconquistá-lo. 

Paola não tinha mais tanta intimidade com Carlos Daniel desde que viajou para se divertir com o milionário Alexandre Farina. 
Carlos Daniel tinha perdoado ela por todas traições e pela mentira na Usurpação, mas em todo esse tempo e nos dois anos que se passaram com Paulina presa, eles só fizeram "amor" três vezes. 

E todas essas vezes, era vencido pelo cansaço já que era Paola que insistia. Dessa vez foi diferente. 
Carlos interrompe o beijo e olha pra Paola, que estava completamente envolvida. 

Carlos Daniel : Vamos pro meu quarto. 

           Paola não conseguiu dizer nada, só abriu um sorriso imenso. Sentia que por alguma razão, estava voltando a recuperar o amor de seu marido.

 Eles saem da piscina, Carlos pega as roupas do chão e entram na mansão pela porta dos fundos.
Vão tentando fazer silêncio até o quarto de mãos dadas, deixando o rastro de água pelo chão, de seus corpos molhados. 

Chegam no quarto e Carlos Daniel tranca a porta. Paola com seu corpo escultural, posava à sua frente apenas de biquíni. 
Ele solta as roupas no chão e a empurra até a cama, deita sobre ela e voltam a se beijar.


"El Cardenal"
 

O garçom chega com o pedido e os serve. Paulina e Serrano começam a comer.

Serrano : Isso está muito bom ! Poderíamos almoçar aqui mais vezes. O que acha ?

Paulina sorri com o convite nada sutil do advogado.

Paulina : Talvez, Edmundo.


O almoço com o advogado foi descontraído. Serrano fazia questão de demonstrar que estava interessado em Paulina mas isso não atrapalhava a amizade. Ele continuava muito educado, cortês, gentil e encantador. 

*** 

Eles já haviam terminado o almoço mas conversavam algumas besteiras para acabar a garrafa de vinho. 

Serrano : ...E foi assim que acabei com dois ossos quebrados.

Eles riam das loucuras que Edmundo fazia quando era adolescente, quando ele nota alguém conhecido chegando restaurante.

Serrano : Não acredito ! Paulina, quero te apresentar alguém. 

Paulina : Quem ?! 

Pergunta curiosa. Edmundo levanta de sua cadeira e sinaliza com a mão. A pessoa o vê e caminha até a mesa.

-: Edmundo Serrano !! Quanto tempo ! 

Eles se abraçam. Paulina se levanta, para cumprimentar a pessoa.

Serrano : Paulina, permita-me apresentar a pessoa mais inteligente e mais bem sucedida do país, com Marketing de rede! Elena Castillo ! 

Paulina : Elena ?! 

Elena : Paulina Martins ?? 

Elena coloca os óculos escuros prendendo a franja no topo da cabeça, pra poder ver melhor a acompanhante de seu amigo. 

Elena : Que mundo pequeno ! 

Paulina : Que prazer te ver de novo ! 

Elas se abraçam rapidamente, deixando Serrano confuso.

Serrano : Já se conhecem ? 

Pergunta enquanto puxa uma cadeira pra Elena se sentar com eles.

Paulina : Nos conhecemos recentemente em um restaurante também -Sorri- Por um mero acaso. Fui sorteada. 

Elena : Eu estava com a Rachel e com a Asia. Eu perdi uma aposta e eu tive que manter uma conversa com um desconhecido por um tempo. Eu contei o que estava acontecendo pra Paulina e acabamos almoçando juntas. -Lembra, sorrindo.- Acabou que foi uma "prenda" benéfica. -Faz as aspas com as mãos- Mas e vocês, de onde se conhecem ? 

Paulina e Serrano se olham por um momento, pensando se era válido contar pra uma pessoa que acabou de conhecer, que ele foi seu advogado num caso de usurpação. 

Paulina : Ele foi meu advogado e acabamos nos tornando amigos. 

Elena : Que interessante.. 

Ela acaba demonstrando a curiosidade no caso, sem querer. Mas Paulina não nem Serrano falam nada.


"Na casa dos Bracho"

Carlos Daniel e Paola estavam ofegantes, suados e anestesiados pelo "amor" que tinham feito. Paola estava aninhada no peito de seu marido, que tinha o pensamento longe.

Paola : Eu posso saber agora o que deu em você pra vir até mim assim ? 

Fala enquanto faz carinho nos cabelos dele.

Carlos Daniel : Só... Senti sua falta. 

Paola : "Só sentiu minha falta ?" Carlos Daniel, eu estava aqui esse tempo todo. Sabe que fui eu que sempre insistia pra voltarmos a ter intimidade e você sempre me negava isso.. Só agora, que foi você quem me procurou, que acredito que me perdoou. 

Carlos Daniel : Me desculpe... Eu vou.. tomar um banho. -Ele se solta do abraço dela e veste o roupão.- Devia ir também. Daqui a pouco as crianças chegam pro almoço. 

Paola fica confusa e até meio irritada com a atitude de seu marido, depois de terem um momento aparentemente de amor.

Paola : O que aconteceu ? Você tá estranho... 

Ela levanta da cama dele sem pegar nada pra cobrir seu corpo. Anda até ele e se aproxima de sua boca para beijá-lo, mas ele se afasta.

Carlos Daniel : Vá ao seu quarto se arrumar para o almoço, Paola. 

Ele seguiu até seu banheiro para tomar uma ducha e trancou a porta. Paola fica possessa de raiva pela atitude dele mas o obedece. Pega a camisa dele que estava no chão, veste e vai até seu quarto pra se arrumar. 


"El Cardenal"


Paulina : Bom.. foi bom almoçar com você, Edmundo. E incrível encontrar você, Elena ! -Ela se levanta e coloca a bolsa no ombro- Mas eu tenho algumas coisas pra resolver antes de voltar pra fábrica. 

Serrano e Elena se levantam para se despedir de Paulina.

Edmundo : Espero que se repita mais vezes, Paulina ! 

Elena : Foi um prazer encontrá-la novamente, Paulina Martins !  

Serrano beija sua mão e Elena se despede beijando os lados de sua face. 

Paulina : Eu disse que ia te ligar e ainda vou, Elena ! -Elena sorri com a observação-

Elena : Vou ficar esperando. 


Serrano insistiu pra levar Paulina pra seu destino mas ela negou, insistindo que ele fizesse companhia pra Elena. 
Paulina pegou um táxi e foi a uma reunião com um investidor. 


"Na Casa dos Bracho"


Vovó Piedade, Carlinhos, Lissete, Rodrigo e Patrícia já estavam na mesa, esperando Carlos Daniel e Paola, para poderem almoçar.   

Carlos Daniel chega na sala de jantar e toma seu lugar na mesa.

Carlos Daniel : Desculpem a demora. Rodrigo, Patrícia ! Não sabia que vinham.

Rodrigo : Viemos de última hora, irmão.

Patrícia : Carlos Daniel, onde está a Paulina ? 

Carlos Daniel : Eu não sei, Patrícia. Ela disse que ia almoçar com alguém mas não me disse quem. 

Rodrigo : E a Paola ? 

Paola : Estou Aqui !! 

Ela surpreende a todos, chegando no momento que falavam dela. Usava um vestido vermelho justíssimo em seu corpo escultural.

Lissete : Você está linda, mãezinha ! 

Carlinhos : Essa não é a nossa mãe, Lissete !! 

Lissete : Como não ? É ela sim ! 

Paola : O que está falando, Carlinhos ? Eu sou a mãe de vocês sim ! A outra que é tia de vocês. 

Paola toma seu lugar ao lado de seu marido, embora ainda esteja irritada com ele pelo jeito que tratou ela. 

Vovó Piedade : Vamos almoçar em paz, por favor! 


***


Eles almoçam e Rodrigo e Patrícia vão pra casa. Carlos Daniel evita Paola e volta pra fábrica antes que ela possa ter chances de falar com ele e a vovó Piedade fica no jardim vendo as crianças brincar. 

Adelina : Com quem será que a dona Paulina foi almoçar ? 

Vovó : Eu não sei Adelina. Mas não estou gostando disso. Se ver ela quando ela chegar, mande ir até meu quarto porque preciso falar com ela. 

Adelina : E a dona Paola ? Fica em casa o dia inteiro... é por isso que sempre fazia loucuras. Esse tempo ocioso não faz bem a ninguém. 

Vovó : Eu não quero nem falar dessa mulherzinha. Ela não me engana, Adelina. Eu não suporto essa cobra. 

*** 

E na fábrica ...


Batem na porta do escritório de Carlos Daniel.

Carlos Daniel : Pode entrar. 

Paulina entra com uns papéis nas mãos.

Carlos Daniel : Paulina ! -Se levanta da poltrona- 

Paulina : Oi. Eu trouxe esses papéis pra você verificar e carimbar... -Ela coloca os papéis na mesa e se vira pra sair da sala-

Carlos Daniel : Paulina ! Espera. 

Ele vai até ela e a segura pelo braço.

Carlos Daniel : Por favor, me diga com quem você foi almoçar.

Paulina suspira, chateada.

Paulina : Eu almocei com o Edmundo Serrano. 

Carlos Daniel : O quê ?! Ele ainda te procura depois de tanto tempo ? 

Paulina : Pelo menos ele sabe o que quer, não é ?! Não mudou de opinião mesmo se passando dois anos de quando eu estava presa. 
Você é um covarde, Carlos Daniel Bracho ! 

Carlos Daniel sente as palavras de Paulina como facas no seu peito. Ele a solta e não fala mais nada. Paulina acena um negativo com a cabeça e volta a seus afazeres. 

Mas ela estava certa. Carlos sabia que lá no fundo, só havia "perdoado" Paola porque quem ele queria era a Paulina. E como eram fisicamente iguais, ele não conseguiu resistir não aceitar ela de volta porque Paulina ficaria dois anos na prisão. Mas desde que a aceitou, vive um conflito e uma grande mentira. Ele sabe que ama Paulina.

***

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...