História A Viajante - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Dimensão, Drama, Luta, Torneio
Exibições 16
Palavras 4.916
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Super Power, Survival, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Demorei? sim, e pra k7.
Mas tá ai, fresquinho! Fiz meu pc voltar a funfar ( tomara que fique funfando agora -.-")
Espero que gostem, ficou muito menor comparado ao que eu queria, mas, pelo menos postei!

Capítulo 3 - Yang Mi, Shyo - Que as Aulas Comecem! - Preparações


Fanfic / Fanfiction A Viajante - Capítulo 3 - Yang Mi, Shyo - Que as Aulas Comecem! - Preparações

- É claro que não, vocês ficaram praticamente bilionários depois de converter o dinheiro de vocês para o dinheiro desse mundo! – Exclama uma voz de um garotinho, que se revela vir de um gato totalmente preto que estava sentado no colo de Aya enquanto ela lia o livro. – Missões são para quem não tem nenhum dinheiro quando chegam aqui... – Terminou lendo o livro também.

- Humm... Shiro. – Chamou a atenção do gatinho. – Onde vocês estavam depois da gente ter ido ver nosso Kodores? – Perguntou colocando ele em cima da mesa de frente para ela.

- Ficamos fazendo um novo planejamento para vocês, sabe, o treinamento pelos impérios. – Falou um gato selvagem maior que o normal.

- Oh, aí está você Ken. – Falou o meu companheiro de quarto.

- Se preparem, pois vocês vão começar seus treinamentos amanhã e a escola também, e será um regime bem pesado, para poderem ir para o império dos guerreiros e falar diretamente com o imperador deles, primeiramente vocês devem se tornar guerreiros. – Explicou uma gata branca pulando no colo de Haru.

- Depois continuamos nossa conversa, primeiro vamos prestar atenção no que diz o Diretor. – Fala Aya olhando para os tronos.

-... Então, parabenizo todos os alunos que passaram pelos testes e encontraram seus Kodores. Espero que, saibam que os Kodores são mais que apenas suas casas ou suas colocações, mas que agora são todos uma família. Teremos a cada dois meses novos testes para verem se vocês estão realmente aprendendo e se ainda merecem estar nessa escola, durantes os meses terão diversas aulas diferentes, com apenas seus Kodores ou com outros. E também haverá amistosos e batalhas serão aceitas, desde que sejam dentro do estádio principal, isso só acontecerá se um dos alunos desafiar outro, do mesmo Kodor ou não, e o outro aluno deverá aceitar para que ocorra a batalha. – Explicou vendo a animação de muitos alunos diminuírem. – E também existe um Ranking, nele estão as categorias: Dupla mais forte, Trio Mais Forte, Quarteto Mais Forte e Quinteto Mais Forte, Aluno Mais Forte, Melhor Estratégia, Magia Específica, Bom Controle, O Melhor Guerreiro, o Melhor Ilusionista, Grande Curandeiro, Maior Destruição, Kodor Mais Guerreiro, Melhor Colaboração Entre Kodores, Imperador da Guerra dos Kodores e Os Três Irmãos. – Ele sorriu olhando para Aya, Haru e Akio e se olharam apreensivamente sobre o olhar específico do Diretor.

- Não pode ser... – Aya diz com o olhar assustado e surpreso para os outros três amigos que vieram com ela eu acho.

- Esta última categoria foi criada especificamente para esse ano... – Ele sorriu mais ainda. – Alguma pergunta? – Perguntou olhando para os alunos em volta até que um levantou a mão. – Você garoto do segundo Kodor. – Apontou para um moreno.

- Como funciona a Guerra dos Kodores? – Perguntou aflito.

- A cada três meses haverá uma batalha entre todos os Kodores, onde será dado uma região da vila para cada um proteger como se fosse o próprio forte, e também todas as áreas da floresta e campos serão usadas nelas poderão fazer o que quiser, serão no total quatro áreas de 3km² para cada Kodor construir o que quiser neles um mês antes das batalhas, assim que acabar os testes para ver os alunos que ficarão ou serão rebaixados. As áreas que receberem será a única que terão até o final do ano letivo. Cada Kodor escolherá os líderes de suas bases assim por dizer, e também uma que será a central, terão que escolher seis líderes e entre esses seis líderes terão outros três líderes ainda supremos. Será o guerreiro mestre, líder da frente de batalha, líder de ataques a distancia, líder da infiltração à captura dos Kings (estátuas que estarão no centro de cada área central de cada Kodor), líder da proteção dos Kings e líder paramédico. Dentre os seis terão o líder Estrategista, o Comandante e líder Supremo das Forças de Combate. – Fez uma pausa para tomar água do cálice de ouro que repousava na mesa a sua frente. – E também haverá batalha em dezembro, que é denominada a Grande Guerra entre Kodores, e ao final dela será dada a premiação para os top três de cada categoria do ranking. As batalhas ocorrerão em Abril, Junho, Agosto, Outubro e Dezembro, Março, Maio, Julho, Setembro e Novembro serão os meses antecessores que serão usados para as preparações, e as batalhas durarão uma semana. Os Kodores poderão fazer alianças, mas apenas depois das batalhas de Abril e Junho. Em cada ala dos dormitórios de cada Kodor tem uma sala de reuniões, elas serão usadas pelas pessoas de cada Kodor em todos os Domingos, pois todos os domingos terão as reuniões para estratégias e afins de cada Kodor. Isso acontecerá na presença do professor representante de cada Kodor. Que irei apresenta agora... – Disse se virando para começar da esquerda para a direita. -... Professora representante do Primeiro Kodor, Warrind Merylin, Usa magia da Luz. Segundo Kodor, Hendriksen Kootaro, Magia do Som. Terceiro Kodor, Strauss Kim, Magia da Terra. Quarto Kodor, Park Toourin, Magia da água. Quinto Kodor, Shion Mermeck, Magia do Vento. E do Sexto Kodor, Professora Kermell Hien, Magia do veneno. – Falou apontando para cada um que fez uma leve reverencia.

- A professora do sexto Kodor vai simpatizar com a Haru por terem a mesma magia provavelmente. – Disse Akio fazendo carinho na cabeça a Akashiya.

- E eu sou Vermellie Alexius, sou o Diretor deste colégio e Imperador der Sórserers. – Sorriu vendo muitos alunos se espantarem por saberem que ele é o Imperador de Sórserers. – Bom, sem mais delongas, que comece o banquete! – Estendeu as mãos para frente e logo como mágica apareceram vários tipos de comida na nossa frente.

Sentamo-nos e começamos a comer, bom pelo menos eu tentei, pois Akio não parava de me fuzilar.

- Err... A-Akio certo? – Ele olhou para mim sem nenhuma expressão aparente... – Desculpa por aquilo, sabe, por ter te chamado de maldito... – Cocei a nuca nervoso.

- o.k. - Falou parando de me olhar e continua comendo a sua coxa de frango.

- É fácil conseguir as desculpas dele. – Aya riu olhando ele comer como se não tivesse amanhã.

- Então... Aya... – Falei olhando para ela um pouco corado, mas consegui disfarçar, como ela consegue me fazer ficar assim sem nem mesmo me provocar?! Meu Deus! – Você e o Akio são namorados? – Perguntei a vendo arregalar os olhos e o Akio quase se engasgar.

- Não! – Ela exclama corada. – Somos apenas amigos de infância sabe? Somos como irmãos inseparáveis, apenas isso... – Falou sorrindo corada e Akio confirmou.

- Sim, a baixinha é como uma irmãzinha pra mim, ela sempre vivia grudada comigo e com o meu pai, já que nossas famílias eram bem próximas, pois o tio dela era alguém muito importante para nós... – Ele sorriu. – Por isso somos tão íntimos. – Ele continuou comendo.

- Ah. – Exclamei em expressão de entendimento.

- Yang Mi! Por favor, não precisa me dar comida na boca. – Diz Haru corada enquanto sua companheira de quarto estendia uma colher de sopa para a pequena.

- Claro que sim, Haru! Você pode se queimar ou se machucar! – Exclama enfiando a colher de sopa na boca da pequena.

- Né, né Aya! O dobro de um número aumentado de quinze é igual a cinquenta e um. Qual é esse número? – Pergunta a companheira de Aya.

- Duas vezes x mais quinze igual a cinquenta e um, dois x igual a cinquenta e um menos quinze, x igual a dezoito. – Respondeu sem nem olhar para a garota, me deixando de boca aberta.

- Meu deus, você me precisa ensinar matemática desse jeito, não sei nem quanto é três vezes cinquenta! – Exclama a garota a balançando.

- Não sou uma professora para ensinar matemática Shyo, e três vezes cinquenta é cento e cinquenta, o mesmo que três vezes cinco, só que aumenta um zero na frente do número. – Fala ainda escolhendo uma torta de frango para comer.

- Alguém sabe que dia é hoje? – Perguntei confuso, mês perdi totalmente no dia e fuso horário.

- Segundo o livro que eu li sobre Ágapes, aqui é basicamente o mesmo que o nosso mundo, então não muda nada nos fusos horários e nomes dos dias da semana, mas aqui hoje já é sexta feira... E nós teremos aulas nos sábados o dia inteiro, tendo pausas para o almoço e jantar antes de dormimos, todos tem que estar de pé às seis da manhã para o café que acaba as sete, e sete e meia começam as aulas, vão até onze e meia, meio dia é o almoço, até uma da tarde, e sete horas acaba as aula, sete e meia da noite é a janta que vai até oito e meia, até às nove e meia é o horário de banho e dez horas todos devem estar nos quartos, exceto aos domingos, que esse horário será usado para as reuniões. – Falou as regras dos horários. Eu fiquei boquiaberto assim como as outras garotas mais velhas ali, ela decorou tudo isso em tão pouco tempo.

- Você leu o livro das história de Sórserers ou o livro de regras do colégio?! – Perguntei assustado.

- Hum? Ah, eu li todo o livro de Sórserers e peguei o livro de regras do colégio para ler antes de dormi, mas acabei lendo um pouco antes de ir chamar vocês para jantar. – Akio riu.

- Como sempre uma devoradora de livros né? – Falou se espreguiçando. – Acho que estou cheio. – Passou as mãos pela barriga.

- Vou ir tomar banho e dormir, temos que acordar cedo em pleno sábado, não é fácil. – Falei me levantando. – Vamos, Kirio!  - O pequeno furão se agarrou na manga da minha blusa e subiu até meu ombro. – Boa Noite... – Sai escutando um “boa noite” em uníssono.

*****

Narração Aya

Depois que Kanato saiu, continuei lendo meu livro enquanto aos poucos as mesas de Kodores iam se esvaziando.

- Você está sendo gentil de mais nesse mundo, Aya, algo totalmente diferente da sua personalidade. – Falou Akio me olhando apenas suspirei.

- Já ouviu falar na frase “Com o poder vem às responsabilidades”? Muito provavelmente né? Afinal você foi o líder da maior facção de Sotiría. – Ele apenas me olhou e sorriu. – Posso estar gentil agora, mas se me irritarem ou fizerem algo contra nosso Kodor, pode se dizer que, um apocalipse pode acontecer... – Falei sorrindo docemente, ele riu.

- Hey! Mas o apocalipse é a minha responsabilidade! – Diz Haru apontando para mim e eu ri nasalmente.

- Calma, não vou roubar o seu posto. – Falei me levantando e rindo mais ainda. – Vamos Tomar banho garotas? Temos que levantar cedo amanhã. – As outras apenas assentiram e se levantaram me seguindo.

- Então eu também vou ir né. – Disse nos seguindo até a área termal dos meninos. – Oh, e pensar que seria uma fonte termal nosso banheiro. – Disse sorrindo que nem criança. – Amanhã eu passo chamar vocês para irmos tomar café, até! – Ele abriu a porta que se estendia na parede e fechou rapidamente.

- Então, vamos entrar na nossa? – Falou Yang Mi nos puxando para a área feminina do sexto Kodor.

Assim que entramos, nos despimos e entramos na água quentinha, me encostei-me às pedras e relaxei. Yang Mi lavou o cabelo de Haru, enquanto de vez em quando Shyo me perguntava cálculos matemáticos.

E, assim se passou longos trinta e sete minutos. Saímos e nos trocamos, logo indo para nossos respectivos quartos com nossas respectivas companheiras e animais companheiros (o de Shyo era um coelho branco com uma mancha cinza em volta do olho direito com os olhos caramelos, e o de Yang mi era um morcego frutífero de olhos vermelhos rubis).

-----

Dia seguinte, 6:00 A.M

Eu e Shyo já estávamos de pé, eu estava esperando ela sair do banheiro, por incrível que pareça, ela acordou cinco e meia da manhã e arrumou todas as nossas coisas (pegou os materiais dela e o meu e nossas vestes, e nossos cajados deixando em cima de minha escrivaninha e na dela), isso me surpreendeu, ela era como uma Mãe gentil (ela tem dezenove anos...). Seu rosto tinha um formato arredondado, seus olhos azuis como o céu esbanjam serenidade de gentileza, tem cabelos loiros e longos como fios dourados soltos iam até sua cintura, sua franja presa por dois pequenos grampos vermelhos atrás da orelha direita a deixava com um ar fofo. Seu corpo era avantajado, e de dar inveja em qualquer uma, mesmo ela não querendo admitir. Sempre animada e ativa.

- Pode ir tomar seu banho Aya.

Diz me tirando de meu devaneios, olhei para ela e sorri.

- obrigada por arrumar minhas coisas Shyo. – Falei.

- Não foi nada querida. Agora vai, aproveita enquanto o banheiro ainda tá quente. – Piscou um olho para mim.

Sim, nosso quarto tinha um banheiro, mas de vez em quando é bom aproveitar as termas, não? Demorei uns quinze minutos tomando banho, mas logo sai e coloquei minhas vestes. Nosso uniforme era composto por uma bermuda estilo vitoriana preta que ia até o joelho com babados brancos, e por cima uma veste negra com o brasão do colégio no lado direito do peitoral, presa na gola da veste havia uma capa negra que ia até os nosso calcanhares, e um chapéu pontudo, igualmente aos de bruxos, usávamos sapatilhas macias de couro negro com um toque também vitoriano.

- Uau, isso parece até ser apenas um sonho... – Disse rodopiando.

- é legal estar aqui, parece tudo apenas uma peça que nossas mentes estão nos pregando. – Concordo, afinal, tudo é surreal.

Logo escutamos leves batidas na porta, e a voz de um Akio preguiçoso nos chamar.

- Já vai! – Me levantei e corri abrindo a porta.

Na minha frente estava um Akio totalmente preguiçoso com uma roupa parecida com a minha, mas no lugar de bermudas ele usava calças.

- Bom dia... – Diz bocejando.

- Bom dia! – Exclama Kanato.

- Bom dia! – Sorri.

- Bom dia! – Fala Shyo pegando nossos mateiras de hoje e saindo e trancando a porta. – Vamos chamar as outras...

- Não precisa, nós passamos as chamar antes, mas Yang Mi disse que Haru não pode ficar muito tempo sem comer, e que se não fosse comer rápido ela não teria energias para as aula... – Diz Kanato com um sorriso amarelo.

- Tinha que ser a Yang Mi. – Ri nasalmente.

- Então vamos logo, estou com fome!

- Calma Akio, a comida não vai fugir. – Repreendi-o.

Fomos andando e conversando normalmente, até chegarmos à sala comunal, onde a maioria das mesas estavam vazias... Prevejo muitos alunos chegando atrasados... Logo encontramos Yang Mi e Haru sentadas enquanto a mais velha estendia um garfo com um pedaço de bolo de morango com chantilly para a mais nova.

- Bom dia! – Exclamamos os quatro juntos.

- Bom dia!

- Bom dia. – Diz Haru com a boca cheia.

Sentamos e comemos calmamente, pois ainda faltava uma hora para começar as aulas, que no caso primeiro seria de história da magia (duas seguidas), depois uma de magia prática, uma de reconhecimento de magia e uma de estudo dos símbolos antes do almoço. Depois do almoço, três de fortalecimento físico (três horas seguidas!), duas de reconhecimento de monstros, duas de batalhas contra os monstros. São doze horas de aula por dia! Todos os dias da semana! Vou morrer!

- Acho que vou morrer! Olha o tanto de aulas! – Exclamei chorosa.

- Não é pra tanto assim Aya, você nem vai sofrer assim, você aprende muito rápido. Eu é que deveria estar dizendo isso. – Fala Akio apontando um garfo de bolo de chocolate para mim, logo enfiando dentro da boca. (Nota: Nas notas finais deixarei o calendário com todas as aulas dos períodos da manhã e tarde dos dias das semanas, lembrando que, eles têm aulas TODOS os dias da semana).

- Vocês garotos terão mais facilidade para as práticas! Vocês é que têm sorte. – Retruquei.

- Não é para tanto também, mas em pouco tempo com certeza teremos nos acostumados com os horários, pelo menos até a guerra entre Kodores... – Disse sorrindo.

- Falando na guerra, amanhã teremos que decidir os líderes e vermos onde serão nossas bases e as bases dos outros para nos prepararmos na reunião, para tudo estar pronto até o mês antes, pois vou compartilhar algumas coisas que planejo fazer. – Falou terminando o pedaço de bolo e colocando outro em seu prato novamente, enquanto bebia um gole de vinho de sua taça.

- Certo, acho melhor irmos andando para a sala das nossas duas primeiras aulas, história da magia! – Sorri me levantando e indo para o portal da sala comunal, sendo seguida pelos demais.

- Ei! Esperem! – Exclama Akio enfiando toda a fatia de bolo na boca e com um enorme gole de vinho saiu correndo atrás de nós.

Andamos e rodamos enormes corredores em busca da nossa sala, até que encontramos e escolhemos nossos lugares fixos (as bancadas onde sentávamos são como as de faculdade, como arquibancadas, com mesas que desciam em forma de degraus divididas em três corredores, Acho que conseguiram entender minha breve explicação...), sentamos no mesmo andar, sendo a ordem, eu na ponta direita (também janela), Haru, Shyo Kanato, Akio, Yang Mi e um garoto desconhecido.

Ficamos conversando, até que um estrondo é escutado da porta da sala, que é aberta num empurrão, quem empurrou se revela Lady Kermell, nossa professora.

Ela vai até o centro da sala onde se encontrava a lousa negra e escreve seu nome no quadro, se apoiando na mesa do professor ela tosse forçadamente chamando a atenção de todos.

- Como Senhor Alexius me apresentou ontem, sou Kermell Hien, serei sua professora esse ano letivo inteiro, também conselheira da reunião aos domingos. Farei a chamada, e, na ordem que eu for chamando, quero que se apresentem. – Falou pegando uma pena, uma folha e um tinteiro. – Aemy... – Chamou vendo a garota se levantar nervosa e se apresentar rapidamente. – Akio... – Chamou o moreno mais velho, que se levantou preguiçosamente.

- Sou Yuuka Akio, tenho vinte anos, uso magia da terra e do fogo, e a combinação delas que é lava. – Se espreguiçou e sentou.

- Certo, Akiori... – Outra garota se levanta e se apresenta. – Aya... – Quarta da chamada -.-“.

- Komiya Aya, tenho dezesseis anos magia da água e do vento, a combinação delas é gelo. – Falei e sentei me encostando-se à parte de trás do banco e fechando os olhos.

-...Certo... – Ela continuou chamando os outros alunos, e a ordem de apresentação do nosso grupo foi Haru, Kanato, Shyo e Yang Mi.

 Haru – Sou Akashiya Haru, tenho onze anos, uso magia da neve e do veneno. – Disse, e os olhos de Lady Kermell pareceram brilhar.

Kanato – Sou Kendrick Kanato, tenho dezessete anos, uso magia do som e do vento. – Sorriu, o seu sorriso fez algumas garotas em volta suspirarem, e eu suspirei negando com a cabeça.

Shyo – Sou Mirronr Shyo, tenho dezenove anos, uso magia das plantas e da fumaça. – Ela sorriu docemente, oh, as magias dela são legais até.

Yang Mi – Sou Yang Mi, tenho quatorze anos, uso magia da poeira e do raio. - Fez uma pequena reverencia.

-... Agora que todos se apresentaram, peguem seus livros de história da magia e seus cadernos, abram na página quatorze e copiem o primeiro parágrafo, depois vou explicar oralmente e vou fazer perguntas. – Ela falou pegando um livro e abrindo ele. – Como hoje teremos duas aulas seguidas de história da magia, usarei essa para explicar e a outra para as perguntas. – Sentou-se na mesa, vendo-nos copiar os texto que mandara.

- Como que usa esse treco pra escrever? – Perguntou Akio, e eu ri.

- Isso se chama pena e não treco. é só molhar a ponta na tinta e ir escrevendo normalmente, até acabar a tinta e você colocar novamente. – Falei mostrando como se fazia.

Assim que terminei de escrever, dei uma lida rápida e deitei a cabeça em cima do livro fechando os olhos esperando os outros terminarem, o que pareceu um século, pois eles não estavam acostumados a escrever com penas.

- Aya-nee, já terminou de escrever? – perguntou Haru apoiada num dos braços me olhando, enquanto os outros ainda escreviam.

- Sim... – Abri os olhos também me apoiando no braço esquerdo olhando para ela.

- Isso tá me dando sono. – Falou um garoto atrás de mim, olhei para ele e ri.

- Isso que dá não ser acostumado a escrever com penas, né. – Sorri. – Prazer, Komiya Aya. – Estendi minha mão, e ele apertou.

- Prazer em te conhecer, Min Yoongi, sou coreano. – Ele sorriu.

- Já ouvi o seu nome em algum lugar... – Pensei por um tempo. – Ah, você não fazia parte de um grupo de k-pop? – Perguntei o olhando.

- Sim, mas a gente acabou vindo para cá. – Disse apontando para os que sentavam do seu lado. – É uma fã? – Perguntou temeroso, assenti.

- Sim, mas calma, não sou louca para atacar vocês. – falei rindo da expressão de alívio dele. – Vocês cantam realmente muito bem, eu gosto de suas músicas, principalmente as do novo álbum que lançaram antes de sumirem. – Sorri acenando para os outros que nos olhavam enquanto conversávamos.

- ah, o álbum do Wings? Foi realmente difícil, mas foi legal. – Disse um ser de cabelos rosa, Kim Seokjin. – Prazer me chamo Kim Seokjin, mas pode me chamar de Jin. É a primeira fã que nos deparamos que não tenta atacar um de nós. – Sorriu gentilmente.

- Como eu disse, não sou tão louca assim. – Sorri vendo os outros terminando de escrever.

- Atenção! – Chamou Lady Kermell.

- Acho melhor prestarmos atenção nela, não quero sofrer no primeiro dia... – Me virei escutando-os rir de mim.

- Às vezes duvido da sua capacidade rápida de conseguir arrancar sorrisos e risadas das pessoas e de socializar. – Fala Akio me olhando com o canto dos olhos.

- Blunh! – Mostrei a língua para ele olhando para Lady Kermell.

- Agora que todos copiaram, ou quase todos... – Disse olhando para um garoto ruivo que “lutava” com sua pena para conseguir escrever. – Vou começar a introduzir a história do começo da magia. Ou como é mais chamado pelos magos, êxodo mágico... – Fala escrevendo no quadro.

E assim foi a primeira aula de explicações.

*****

Uma hora depois, ouve-se um sino sendo tocado, dando sinal que as primeiras aulas dos Kodores acabaram, e dando inicio as segundas.

- Começarei fazendo as perguntas para alunos aleatórios. – Fala enquanto pegava uma prancheta. – Hum... – Observa a prancheta com conteúdo desconhecido. – Kim... – Disse com uma pausa, todos que começavam com Kim ficaram tensos. – Kim SookHyun. – Chamou uma garota ruiva totalmente desengonçada. – Qual é o nome popular entre os magos para o início do uso da magia? – Perguntou olhando para a garota que não parava de suar.

- N-não s-sei... – Ela abaixou a cabeça corada, e vendo isso, a professora suspirou.

- Alguém sabe? – Levantei a mão. – Senhorita Aya? – Apontou para mim, que nem fiz questão de me levantar.

- Êxodo da Magia ou êxodo mágico. – Respondi apoiada em meu braço esquerdo.

- Muito bem.- Olhou novamente para sua prancheta. – Kim Namjoon. – Vejo RapMon se levantar. – Na história da magia, se encontram um determinado grupo de magos lendários conhecidos por seus poderes do bem e do mal, quais são seus nomes e seus poderes? – Ela falava dos Três Irmãos... Aiai...

- Esse determinado grupo de Magos se chama Os Três Irmãos, são os magos mais poderosos e conhecidos de Ágapes, são eles: Gadles Shtark, a irmã mais velha e possuidora do poder da Vida, Araki Shtark, poder do Apocalipse, e Eybik Shtark do Poder da Morte. – Disse se sentando.

- Certa resposta. – Assim que ele sentou mandei um joinha pra ele, que retribuiu.

Abaixei minha cabeça e fiquei assim por um bom tempo escutando a professora chamar algumas pessoas, quando eu estava preste a dormi, ela me chamou e tive que levantar.

- Komiya Aya. – Levantei ela olhou para mim e sorriu, acho que ela percebeu que eu estava quase dormindo, oh droga. – Seguindo a linha de raciocínio da pergunta anterior, muitas teorias dizem que os três irmãos mesmo sendo imortais morreram no final da batalha contra um dos Sete Reis Infernais, o representante do Pecado da Luxúria. Mas muitos dizem que eles ainda estão vivos, mas apenas esperando o momento certo para ajudar o novo grupo dos Três Irmãos, pois dizem que os Sete Reis tramam contra Ágapes de volta. Cite um dos famosos teóricos que dizem que eles ainda estão vivos e faça um resumo de sua teoria. – Assim que ouvimos a pergunta dela, muitos começaram dizendo que era impossível eu conseguir responder essa, mas ela não tirava seu sorriso da boca, isso realmente era difícil, mas não impossível.

- Difícil de responder, mas não impossível... – Sorri para ela que apenas aumentou o sorriso, cara, acho que simpatizei com ela. – Um dos teóricos que acredita que eles estão vivos e escondidos protegendo o mundo da total escuridão é Véric Wander, um dos magos mais antigos e sábios de Ágapes. Em sua teoria diz que, após a batalha contra Asmodeus, um dos Sete Demônios Capitais e Representante do Primeiro Trono dos Sete Reis do Submundo, eles se refugiaram num de seus esconderijos por estarem enfraquecidos. Mas de dentro do esconderijo protegem as pessoas passando seus poderes a cada século para um novo trio de pessoas, para proteger o mundo, mas durante esses séculos, eles descobriram um novo complô dos Sete Reis para com Ágapes, e que planejam destruir mundo, nisso, eles esperam e estão recuperando suas energias e descansando para que o dia chegue, e assim que chegar, eles se revelarão, e com a ajuda de seus novos descendentes da época, batalharão e selarão para sempre os Sete Reis. – Sorri vendo a satisfação estampada no rosto dela.

- Para alguém que estava quase dormindo na minha aula, guardou bem as coisas importantes na cabeça. – Ela sorriu amigavelmente.

- isso não é nem metade do que ela pode fazer... – Diz Akio, mas logo dei um tapa em sua cabeça.

- Não estou a fim de arranjar briga neste colégio por ser inteligente, então não fala nada. – Disse me sentando e encostando a cabeça na mesa e olhando janela afora, até que vejo algo que me assusta, mas logo fico animada. Era um dragão totalmente negro, seus olhos eram de um cinza prateado, com a pupila como um risco na vertical, suas garras pareciam serem feitas de pedras onixes.

Logo sinto algo se agarrar na minha capa e subir para meu ombro, e vejo que é Shiro. Logo fico com uma dúvida na cabeça.

- Shiro, por que seu nome é Shiro, se você é preto? – Perguntei com cara de poker Face.

- Não me pergunte, pergunta pra minha mãe, porque nem eu sei. – Falou se aconchegando no meu braço e dormindo. Preguiçoso .-.

Quando ia me encostar-se à mesa, sou atingida por uma bolinha de papel, olho de onde jogaram e vi que foi Hoseok.

Abri a pequena folha e vi que tinha algo esrito.

Soubemos que vão treinar depois das aulas do período da manhã, podemos treinar também?  - BTS”

Olhei para eles surpresa e depois para Shiro que ria da minha expressão.

- Você contou para eles?! – Exclamei só para ele ouvir. Ele balançou a cabeça positivamente. – Me dê um bom motivo para não te jogar para fora por essa janela, agora! – Digo o chacoalhando.

- C-calma, vocês vão precisar de aliados fortes para a guerra dos Kodores! – Suspirei, pensei um pouco e olhei para ele.

- De toda a forma, se eu não aceitar você vai leva-los do mesmo jeito, não é? – Ele assente positivamente. – Tá. – Suspiro derrotada. – Fale para eles nos encontrarem nos campos de treinamento do colégio, assim que acabar a aula. Meio dia terá uma pausa de quinze minutos para comer, e depois continuamos até o começo das aulas do período da tarde. – Falei o vendo assentir. Peguei-o no colo e dei para Yoongi que o colocou junto com os outros companheiros deles.

E logo voltei a deitar minha cabeça na mesa.

*****

11:30

- Final das aulas do período da manhã –

Eu e o pessoal saímos apressadamente para os campos de treinamento, sob o olhar da professora. Esperamos alguns minutos e os outros garotos chegaram.

- Estão todos aqui? – Perguntei olhando para os lados.

- Sim. – Responde Namjoon.

- Então vamos passar a tabela de treinos matinas depois das aulas. – Diz Ken sentando no chão.

- Primeiramente, terão que dar quinze voltas no campo de treinamento inteiro, terá uma pausa de dois minutos, e depois farão dez abdominais, dez flexões e cinco polichinelos. Depois disso, vinte voltas no campo de treinamento, a pausa de dois minutos, quinze abdominais, quinze flexões e dez polichinelos. – Fala para nós que assentimos. – Toda vez que terminarem as sessões, recomeçarão ela com o acréscimo de mais cinco. – Diz sorrindo e mostrando seus dentes pontiagudos. – Farão isso nesses trinta minutos, e depois da pausa do almoço, ficarão meditando por quinze minutos e farão a mesma coisa até o começo das aulas da tarde. Fora semana que vem, na outra, passarei outro regime de treino semanal, e será assim até março, quando irão suspender os treinos para construírem suas muralhas. – Diz ele rindo da nossa cara.

- Muralhas?! – Exclamamos.

- Sim, como entraremos numa guerra quase oficial, os moradores não serão evacuados, então terão de proteger eles. – Quando ele disse isso, nós caímos para trás. – Chega de enrolação, e vão treinar, agora! VÃO, VÃO! - Grita do nada fazendo a gente se levantar assustados e sair correndo e rindo das nossas reações.

 


Notas Finais


Bye bye, Bae's


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...