História A Vida Como Ela É - 1 Temporada - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Avidacomoelae, Yoonshi, Yoshijusta
Visualizações 11
Palavras 1.583
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror
Avisos: Álcool, Drogas
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente, se preparem para os tirooooos! Cáp. 6 - A Vida Como Ela É ^-^ Espero que gostem...

Capítulo 6 - Espalhando


Fanfic / Fanfiction A Vida Como Ela É - 1 Temporada - Capítulo 6 - Espalhando


Eu e Kim começamos a andar.
 

-Você vai caminhando da escola até à sua casa? ~Kim
 

-Sim... E você?
 

-As vezes minha mãe me leva, mas na maioria das vezes vou de 
ônibus. ~Kim

 

-Agradeça por ter a oportunidade de um dos seus pais te levarem
para a escola.

 

-Por que está me dizendo isso? ~Kim
 

-Talvez porque meus pais não liguem para mim.
 

-Ah... Isso deve ser bem triste. ~Kim
 

-Muito...
 

Eu e Kim seguimos andando, sem falar nada.
Certo momento, começo a sentir uma sensação ruim, senti que 
alguém estava me observando.

 

-Kim, está sentindo isso também? 
 

-Cheiro de pipoca? Sim, aquele homem está ali na esquina vendendo.
Quer que eu compre para você? ~Kim

 

-Não é isso. É uma sensação estranha. Parece que alguém está
me olhando, alguém do mal.

 

-Você está bem, Yoshi? ~Kim
 

Nisso, eu começo a perceber vultos atrás das árvores. Parece que
alguém queria alguma coisa comigo.

 

-Kim, eu estou vendo vultos! 
 

-Yoshi, você quer que eu compre uma água? Você não está bem!
~Kim

 

Começo a sentir a sensação que alguém está correndo atrás de mim,
e quer fazer alguma coisa, como me matar.

 

-KIM! VENHA! VAMOS ATRAVESSAR A RUA! CORRA! 
 

No que eu fui atravessar a rua correndo, ouço o Kim gritando
desesperadamente.

 

-CUIDADO, YOSHI! ~Kim
 

Quando eu fui olhar para o lado, uma moto já estava em cima de 
mim. Nisso, eu não vi mais nada, apenas tudo preto.



 

-YOSHI, VOCÊ ESTÁ BEM? ~Kim
 

Me acordei um pouco tonta. Percebi que estava em uma sala,
deitada em uma maca.

 

-O que está acontecendo? Estou tonta...
 

-YOSHI, O QUE DEU EM VOCÊ? AH, NÃO SE PREOCUPE, YINA
DAQUI A POUCO VAI CHEGAR! ~Kim

 

-Com licença, menino. Preciso falar com a paciente, ela está
nervosa. ~Enfermeiro

 

Assim, Kim se retira.
 

-Olá, você é Yoshi, não? ~Enfermeiro
 

-EU SÓ QUERO QUE VOCÊ ME DIGA O QUE ESTÁ ACONTECENDO!
 

Comecei a gritar descontroladamente.
 

-ACALME-SE! ~Enfermeiro
 

O enfermeiro ergueu um pouco a voz, o que me deixou com um
pouco de medo. Vai saber se ele quer me matar!

 

-Você e seu amigo estavam andando pela rua, até que você começou
a dizer que estava vendo "vultos" e se jogou na frente da moto.
Nisso, a moto que havia batido em você fugiu. Seu
amigo pegou o número da placa da moto e depois chamou a 
ambulância. Agora estão procurando vestígios da moto. ~Enfermeiro

 

-MAS EU ESTAVA VENDO VULTOS!! ALGUÉM QUERIA ME MATAR!!
 

-Ok, ok... Não conseguimos entrar em contato com seus pais.
Agora, se você estiver realmente consciente, poderia fazer o 
favor de passar o número deles? ~Enfermeiro

 

-NÃO! ELES VÃO ME MATAR SE SOUBEREM DISSO!
 

-O que adianta? Você quase se matou mesmo! ~Enfermeiro
 

Imaginei que aquilo duraria séculos, então resolvi passar meu
número para aquele enfermeiro chato.
Assim, ele explicou para minha mãe o que estava acontecendo
e ele disse para mim que ela já estava a caminho de "outro" 
hospital.
Nisso, Yina entra na sala.

 

-YOSHI COMO VOCÊ ESTÁ? ~Yina
 

-Como você acha que eu estou?
 

-É, pelo visto você está melhor mesmo! ~Yina
 

-Óbviamente.
 

-O que aconteceu? ~Yina
 

O enfermeiro ia começar a explicar, até que eu interrompi.
 

-EU ESTAVA VENDO VULTOS! MAS NINGUÉM ACREDITA EM 
MIM! 

 

Yina faz uma careta e olha para o enfermeiro, que movimentou
suas mãos fazendo sinal de como se eu estivesse louca.
Nisso, peguei uma pulseira minha que estava no bidê ao lado
da maca e joguei no enfermeiro.

 

-YOSHI, SE CONTROLE! SEUS PAIS JÁ VÃO CHEGAR! AFINAL,
ENFERMEIRO, ELA QUEBROU ALGUMA COISA? ~Yina

 

-Não, não aconteceu nada de grave. Mas na hora, com a batida,
ela caiu no chão e ficou inconsciente. Talvez ficou com alguns
arranhões em suas pernas. ~Enfermeiro

 

Por que tudo é nas pernas? Mais um machucado!
 

-Isso é o importante, arranhões não matam ninguém! ~Yina
 

-MATAM SIM! 
 

Yina fez sinal para que eu ficasse quietinha.
Logo, percebo que minha mãe entra desesperadamente na sala,
e vem correndo em minha direção.

 

-YOSHI! COMO VOCÊ ESTÁ FILHA? ~Mamãe
 

Eu não estava entendendo o motivo do desespero.
 

-Oi... Espera eu me recuperar para depois você me matar.
 

-QUEM DISSE QUE EU VOU TE MATAR? O QUE VOCÊ FEZ MENINA?
~Mamãe

 

O enfermeiro foi lá e explicou tudo denovo, o que fez com 
que ela fizesse uma careta, como quem diz, "nossa, minha filha
tem problemas mentais", ou algo do tipo.

 

-Danada você, né Yoshi? Vive se machucando. Já disse para 
você parar com essas ironias de espíritos. Isso já está quase te
matando minha filha! ~Mamãe

 

Fiz uma cara de brava. Para não brigar, resolvi fazer perguntas
que eu devia ter feito desde que ela entrou na sala.

 

-Mãe, como está o pai? O que ele tem?
 

-Está com cirrose e overdose, Yoshi. Nem eu e nem ele tínhamos
noção do que as drogas e as bebidas faziam conosco. Com a nossa
pessoa. Acho que temos que parar de agir como adolescentes, e 
agir como pais. Pais carinhosos, pais que dê educação, atenção...
Coisa que eu nunca fomos para você. Você merecia pais muito
melhores, Yoshi... Quero que saiba que te admiramos muito! 
Prometo que a partir de hoje seremos melhores para você.
~Mamãe

 

Nisso, o enfermeiro e a Yina saem.
 

Minha mãe se inclina diante da maca e me dá um grande abraço.
Eu e ela começamos a chorar muito. Enquanto chorávamos, ela
me dava vários beijos na testa, misturados com lágrimas.
Segundos depois Yina, o enfermeiro e o Kim entram na sala.

 

-Mamãe, meu pai sabe que eu estou aqui?
 

-Não, ele estava dormindo. Doparam ele. ~Mamãe
 

Pensei o quanto ele deveria estar sentindo dor no joelho. Mas o pior
é ele saber que está com mais dois problemas.

 

-Filha, me desculpa por ter te trocado de escola de um dia para o outro.
Quer que eu te coloque na sua escola antiga denovo? Como anda
suas amizades e essa escola nova? ~Mamãe

 

Nesse momento Kim e Yina olharam fixamente para mim, para saber
o que eu iria responder.

 

-Não! Eu estou muito feliz nesse colégio... Yina e Kim são os melhores
amigos do mundo, eles são muito legais! Agradeça ao Kim por ter
chamado a ambulância quando aconteceu aquilo.
Yina e Kim sorriem para minha direção.

 

-QUERIDO enfermeiro, quando eu vou sair daqui?
 

-Amanhã você tem aula, não é mesmo? ~Enfermeiro
 

-Se amanhã é dia de semana é óbvio que vai ter.
 

Kim e Yina começam a rir.
 

-Terá alta amanhã de manhã, antes de ir para escola. Assim,
vai dar tempo de você tomar banho. ~Enfermeiro

 

-Yoshi, está tarde já. Eu e Kim iremos embora, até amanhã!
~Yina

 

Yina e Kim vêm em minha direção e me abraçam.
 

-E vê se não se machuca mais, sua danada! ~Kim
 

Eu e Yina começamos a rir.
 

-Tchau, boa noite! ~Yina e Kim
 

Yina e Kim se despedem do enfermeiro e da minha mãe e saem
do quarto.

 

-Aquele seu amigo Kim é bem bonitinho né? Eles são bem educados!
~Mamãe

 

-Sim, ele é bem bonitinho... Mas ele gosta da Yina. E eu já estou
em outra...

 

-Hehe, só toma cuidado. ~Mamãe
 

-Você sabe, eu nunca fiz nada de errado.
 

-Ok... Agorá vá dormir que amanhã você tem que tomar banho
antes de ir para a aula. Vou passar em casa para pegar uma
roupa para você vestir amanhã para ir para a escola e depois
volto para passar a noite com você. Boa noite, te amo! ~Mamãe

 

-Boa noite! 
 

Logo caí no sono. Aliás, eu estava muito cansada naquele dia.

 

Acordei com a minha mãe me cutucando.
 

-Acorda, Yoshi. Vamos tomar um bom banho, falta uma hora
para sua aula começar. ~Mamãe

 

Peguei minha roupa e entrei no banheiro que havia no quarto.
Tomei meu banho e arrumei meu cabelo, que por sinal estava
bem embaraçado.
Depois disso, me despedi daquele enfermeiro chato e eu e minha
mãe pegamos um ônibus.
Ao chegar na escola, minha mãe se despede de mim e me dá
vários beijinhos na testa. Depois, ela pega um ônibus e vai 
embora.

 

-Boa aula, Yoshi. Saiba que te amo muito! ~Mamãe
 

-Beijos! 
 

No que eu entro na escola, várias meninas vêm na minha direção
desesperadas.

 

-Yoshi!!! Como você está? Como foi acontecer aquilo? ~Meninas
 

Eu não estava entendendo nada.
 

-Como assim? Aconteceu o quê? 
 

-O seu acidente!! O que deu em você, menina? Querer se jogar
na frente de uma moto!!  Você é muito nova para morrer! 
~Uma das meninas

 

-Como ficaram sabendo do meu acidente? Eu não tentei me 
matar!! Vocês estão loucas? 

 

-Por causa disso. ~Uma das meninas
 

Nisso, uma das meninas tira de sua mochila um jornal e coloca
na minha mão.

 

-Um jornal da escola? Nem sabia que tinha isso...
 

-Lê o que está escrito na capa! ~Meninas
 

Quando eu li, fiquei sem palavras. A notícia do meu acidente
estava lá, no jornal da escola. Estava falando o meu nome, a
minha idade, a sala que eu estudava e que eu me joguei na frente
de uma moto, quando estava passeando com um menino na rua.

 

-O quê? Como isso veio parar aqui nesse jornal? Quem escreveu
isso?

 

-Lee Fiokyu, o jornalista da escola. Ele vive escrevendo sobre a 
vida dos outros. Uma vez, a diretora me xingou porque eu havia
colocado uma garrafa de plástico do lixo orgânico. 
~Uma das meninas

 

-Aonde ele está?
 

-Deve estar na cantina, como de costume. ~Uma das meninas
 

-Obrigada!! 
 

Assim, eu saí atrás da cantina. Enquanto andava pela escola,
várias pessoas ficavam olhando para mim e outras cuchichando.

 


Notas Finais


Que acidente hein? Aquele menino espalhou para todo mundo! Como será que ele ficou sabendo disso? Coitada da Yoshi... Até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...